King Diamond: 7 coisas que você não sabia sobre "Abigail"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva, Fonte: Billboard
ENVIAR CORREÇÕES  

Pessoas de todo o Brasil e América do Sul estão chegando em São Paulo para o show que promete ser um dos melhores do ano. Em uma apresentação exclusiva (em 2017 só São Paulo e Las Vegas terão a oportunidade que já teve a Cidade do México), KING DIAMOND vai estar neste domingo tocando a íntegra do álbum "Abigail", de 1988, no Liberation Festival (que também contará com LAMB OF GOD, CARCASS, HEAVEN SHALL BURN e a brasileira TEST). Mas você sabe tudo sobre o álbum? Confira sete curiosidades listadas pela Billboard.

Rolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutosContra Costa Times: Os 25 melhores guitarristas da Bay Area

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

1. Abigail foi composto em uma noite escura e de tempestade.

King compôs "75 por cento do enredo" depois de ser acordado uma noite por uma tempestade inusitadamente violenta na Dinamarca. Ele diz que o surto criativo foi "a única vez que já aconteceu daquela forma", tanto que a maior parte foi feita apenas durante a noite." Ele tinha escrito o que ele tinha sonhado antes que a tempestade o acordasse, mas, com medo que de esquecer as idéias musicais que as lembranças o inspiravam, ele preparou uma garrafa de café e voltou ao trabalho. Desde os seus dias no MERCYFUL FATE, KING repetidamente sonhara com 13 "pessoas vestidas de manto" que cercavam uma cama em que ele estava deitado, paralisado e incapaz de gritar por ajuda. (A visão foi tão penetrante, de fato, que ele transformou-a na música "Nightmare", do MERCYFUL FATE.) As figuras reapareceram neste sonho, então, em "Abigail", ele os transformou em sete cavaleiros negros. Ele também viu uma carruagem puxada por cavalos com o caixão de uma criança em seu sonho - elementos que trilharam seu próprio caminho na história.

2. A data de 7 de julho de 1777 e o nome no título do álbum foram inspiradas por uma lápide.

"O dia 7 de julho 1777" é tanto a data de nascimento e morte do personagem que dá nome a "Abigail". No entanto, não é uma invenção do sonho de KING DIAMOND: ele a tomou, bem como o nome dela, de uma inscrição em uma sepultura da vida real. "Alguém me enviou uma imagem de lápide e tirei isso daqui", ele diz sobre o nome de "Abigail" e sua breve vida que começou e terminou no dia 7 de julho de 1777. Ele acredita que a fotografia foi tirada em um cemitério em Seattle.

3. O número 9 que é citado na letra tem significado especial.

"Nós temos ciclos, e temos coisas com esse número 9 que é um ciclo eterno. Ele sempre volta e é renascido", diz KING sobre o significado do número, em referência à prática da numerologia. Uma vez que o "Abigail" é um conto sobre reincarnação, faz sentido que o número seja incorporado à história. Por exemplo, a personagem de Mirian tem 18 anos, Johnatan tem 27.

1 + 8 = 9.

2 + 7 = 9.

Os cavaleiros negros advertem na canção "Arrival", "Siga o nosso conselho e retorne esta noite / Se você recusar, 18 vai se tornar 9", significando que a jovem de 18 anos vai ter 9 meses de gravidez com o espírito de Abigail.

KING DIAMOND faz mais matemática pra você: "7th Day of July 1777" [o sétimo dia de julho de 1977] também tem 9 nele também. Tem o sétimo dia, julho é o sétimo mês, aí já são dois setes. Então você tem mais três no ano, e um "um". Aí são 35 + 1. 36. Três. Seis. Nove - ah, sim, aí vamos nós de novo".

4. "Abigail" pode ser o primeiro álbum de metal de terror.

O terror influenciou o gênero por muito tempo, com o Death Metal como o exemplo mais óbvio. Mas KING acredita que "Abigail" é o primeiro álbum a contar uma história sobrenatural. "Você pode falar do "Welcome to My Nightmare", do ALICE COOPER, mas esta não é uma história de terror", explica KING. "Outros fizeram álbuns conceituais, THE WHO e muitos outros, mas nunca fizeram uma história de terror como essa. Eu tenho certeza que ele é o primeiro e, por isso, ter automaticamente um impacto tão pesado.

5. Mixar o álbum foi uma tarefa dolorosa.

O "Abigail" foi gravado na era das fitas de 24 faixas e mixar um álbum tão multi-facetado foi um árduo processo, uma vez que o Pro Tools e mixers automatizados não existiam. KING diz que um monte de mãos foram necessários. "[Foi como se fosse], ‘OK, nesta canção aqui, vá até o três na bateria, mas não passe de dois [N.T. sabemos, não faz sentido]. E o solo de guitarra, não mais alto que 1+", ele se recorda. "E então você toca e checa: 'eu vi que você foi alto demais naquele solo. Agora vai ter que fazer de novo'. 'O quê?' Mas eu 'Não, eu vi. Você subiu ali'". "As pessoas começaram a fazer as coisas dois outros, de forma que você soubesse que não iriam passar do ponto". Ele ri. "Foi o único jeito de ter o álbum mixado de forma adequada".

6. A canção "The Family Ghost" é assombrada por duas palavras

"The Family Ghost" relata como um espírito chamado Conde LaFey parece advertir Jonathan LaFey sobre a iminente reencarnação de Abigail e mostra-lhe onde seu sarcófago foi armazenado no porão da mansão. Logo antes do último verso da música, uma voz gutural grita audivelmente o que King pensa serem as palavras "Oh, maldição!" [Oh, Damn] Mas King nunca cantou essa linha, e tampouco mais ninguém. "Não tenho absolutamente nenhuma idéia de como isso apareceu lá", ele insiste. King notou a voz fantasma enquanto ele e o engenheiro Robert Falcao estavam trabalhando nas faixas vocais. Eles não conseguiam isolar a voz, nem podiam se livrar dela, então King a abraçou: sempre que ele toca a música ao vivo, ele grita: "Oh, Damn!"

7. Falando em "The Family Ghost": King odeia o clipe.

Há um malabarista. Há um dançarino girando e balançando lenços. Há rei sentado em um trono, devorando um pedaço de frango enquanto manda embora os serviçais que estão tentando entretê-lo. E nada no vídeo reflete o conteúdo da música. "Eu absolutamente odeio esse vídeo", ele diz. Ele responsabiliza-se por deixar por conta da gravadora, que contratou um produtor que "assumiu consigo mesmo que deveria criar um pequeno circo". "Depois que terminamos, pensei: 'OK, se alguma vez fizemos um vídeo novamente, na próxima vez eu que vou decidir o que estará acontecendo. Tem que ver com as letras'", diz King. "Toda vez que eu vejo esse vídeo, por acaso, minha esposa toca em um computador ou algo assim - eu digo "Oh, desliga!" Cara, eu não consigo suportar! "

Ainda dá tempo de aprender as letras nesta nossa matéria:

King Diamond: A assustadora história do clássico AbigailKing Diamond
A assustadora história do clássico Abigail

Também dá tempo de correr atrás dos ingressos (ou se arrepender pelos próximos 20 anos).

Comente: Conhecia todas estas curiosidades?




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "King Diamond"


King Diamond: como uma cirurgia delicada afetou sua vidaKing Diamond
Como uma cirurgia delicada afetou sua vida

King Diamond: As memórias de um professor de HistóriaKing Diamond
As memórias de um professor de História


Rolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutosRolling Stone
As melhores músicas com mais de sete minutos

Contra Costa Times: Os 25 melhores guitarristas da Bay AreaContra Costa Times
Os 25 melhores guitarristas da Bay Area


Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor