Guns N' Roses: Appetite For Destruction e GNR Lies

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Jorge A., Fonte: medium.com/@justasecond
Enviar correções  |  Comentários  | 

Na década de oitenta, o Rock era um gigantesco caldeirão de tendências e estilos. Chacoalhado pelo movimento punk iniciado na segunda metade dos anos setenta, a música ainda sofria as consequências daquele terremoto, sendo constantemente redesenhada por bandas do próprio punk-rock e de novos estilos, como o New Wave e o Glam Rock, além dos clássicos, que se mantinham vivos através de grandes bandas ainda em atividade, como os Rolling Stones, Aerosmith e etc.

4074 acessosGuns N' Roses: como foi o último show da turnê em 20175000 acessosHeavy Metal: os 11 melhores álbuns da década de 70

Em meio a essa mistureba de influências, o embrião do Guns N’ Roses começa a se formar em 1984, quando Slash e seu amigo Steven Adler formam uma banda chamada “Road Crew”. Ainda incompleto, o grupo começa a procurar por um baixista, sendo justamente nesse processo que os dois conhecem um moleque de dezenove anos, com quase um e noventa de altura, chamado Michael, mas que atendia pelo nome de Duff McKagan, e que por talento e empatia com Steven e Slash entra de imediato para a banda. Naquele mesmo ano, os três, em um rolê na Sunset Strip, conhecem um grupo chamado “Hollywood Rose”, que tinha Axl Rose como vocalista e Izzy Stradlin como guitarrista. Embasbacados com o talento de Izzy e o poder vocal de Axl, eles iniciam um contato com a banda e, principalmente, com a dupla que tanto os impressionou.

Entretanto a química entre eles demorou um pouco mais para explodir. Entre o dia em que Slash, Steven e Duff conheceram Axl e Izzy e o dia que a formação original do Guns se consolidou muita coisa aconteceu. O “Road Crew” se desfez e Slash foi parar no L.A.Guns, que era um grupo que vivia trocando de membros e tocando junto com o Hollywood Rose. Apesar do sucesso local com algumas composições originais, tanto o Hollywood Rose quanto o L.A.Guns acabam se desmantelando no final de 1984 (o último show do Hollywood Rose foi na virada do ano 1984/1985). Com isso, Axl e Izzy se juntam a Tracii Guns, Ole Beich e Robbie Gardner e montam uma nova banda, que é batizada com a junção dos nomes de seus antigos grupos: Guns N’ Roses.

Ainda assim, essa formação não dura muito, tendo se apresentado uma única vez em 1985. Ole Beich deixa o grupo, sendo substituído por Duff McKagan, que, posteriormente, convida os seus antigos parceiros de Road Crew quando Tracii Guns e Robbie Gardner também saem da banda. Depois de todas essas idas e vindas, tem-se, finalmente, a primeira formação relevante do Guns: Axl Rose, Izzy Stradlin, Duff McKagan, Slash e Steven Adler, cujo primeiro show juntos foi no Troubadour, em Los Angeles, em 6 de Junho de 1985. Apesar do sucesso imediato que fizeram , os tempos de vacas magras ainda duraria mais alguns anos, até porque na época eles só não eram sem tetos porque dormiam nas casas de algumas de suas amigas strippers.

O símbolo dessa miséria pela qual a banda passava e também de sua determinação é a famosa “Seattle Hell Tour” (vídeo com a historinha abaixo =D) que não apenas tirou o grupo do conforto de L.A., onde conheciam os lugares, tinha um público e etc., como também uniu aqueles cinco caras depois de terem passado por absolutamente todos os problemas e imprevistos possíveis no caminho de Los Angeles até Seattle.

Após esse fiasco, enquanto comiam Carters Deli, eles decidiram fazer uma seção de fotos para ajudar a promover a banda, sendo que uma delas se tornou emblemática, mostrando não apenas a estética do grupo, mas também estampando no rosto de cada um deles a determinação para serem reconhecidos como a maior banda de hard-rock do mundo, na qual, de fato, se tornariam.

OBS: Foi justamente por não confiarem nessa viagem para Seattle que Tracii Guns e Robbie Gardner deixaram a banda.

De volta para Los Angeles, eles começaram a crescer cada vez mais. Os shows se multiplicaram e a sua base de fãs se tornava cada dia maior e mais sólida, mas, ainda assim, nenhuma gravadora demonstrava interesse em financiá-la, até porque a fama de seus membros não era das melhores. Poucos foram os grupos que realmente viveram o slogan do Rock N’ Roll com tanta intensidade quanto eles. Revezando entre as casas de suas amigas strippers e os apartamentos minúsculos que arrumavam, o quinteto vivia unicamente da banda, misturando uma sequência intensa de shows com as conhecidas histórias de abusos de drogas. Apesar disso, diferente da maioria das bandas Hollywoodianas, eles não paravam de produzir músicas autorais (Até porque nenhuma delas tinha um compositor do nível de Izzy Stradlin), sempre correndo atrás de gravadoras e contatos para o seu primeiro disco.

O único material em circulação que o grupo possuía era um EP chamado Live ?!*@ Like a Suicide, que chegou às mãos da gravadora Geffen Records através da primeira empresária da banda, Vicky Hamilton, que convenceu o empresário Tom Zutaut a assistir um show deles no Troubadour, no qual havia pouco mais do que vinte fãs. No dia seguinte Tom chamou a banda para dar uma passada em seu escritório, não demorando muito para que a Geffen oferecesse um contrato para o quinteto, estabelecendo um prazo para que eles produzissem um álbum e fornecendo uma casa onde pudessem compor. Menos de um mês depois a casa fora destruída por eles, rendendo um prejuízo de vinte e dois mil dólares à gravadora.

Em 21 de Julho de 1987 o Guns N’ Roses finalmente lança o seu álbum de debutante: Appetite For Destruction. Uma obra única: sombria, violenta e esculpida direto da vida nas ruas de Los Angeles. O disco sintetizava o espírito da banda naquela época, além de ser um suspiro de criatividade na indústria musical do final dos anos 80. Apesar de hoje o álbum ser praticamente uma unanimidade, ele demorou um pouco para engrenar. Cinco meses depois de seu lançamento, o AFD só havia vendido duzentas mil cópias, o que era muito abaixo do esperado pela gravadora. As rádios se negavam a enquadrar o single Welcome To The Jungle em sua programação e a MTV não exibia o clipe por considerá-lo violento demais.

Em contrapartida, os shows do Guns N’ Roses se tornavam cada vez mais procurados. Um ponto de virada importante na carreira da banda foi uma turnê do Aerosmith na qual eles foram convidados como banda de abertura. Como o próprio Joe Perry (guitarrista do Aerosmith) conta, nos primeiros shows havia um ou dois fãs da banda enquanto que no final os publicitários estavam quase pedindo para que ela se tornasse a banda principal da turnê.

Mesmo com tudo isso, o Appetite For Destruction permaneceu no anonimato por quase um ano, até que David Geffen, o presidente da Geffen Records, começou a ligar para a MTV pedindo/exigindo/ordenando que eles transmitissem o clipe de Welcome To The Jungle, o que fez, finalmente, o canal colocá-lo em circulação, mas da pior maneira possível: Às seis horas da manhã e só para Nova York. Ainda assim o clipe arrebenta, não demorando mais do que um ou dois dias para entrar no Top 10 dos mais pedidos da MTV. Todavia, o gatilho para o sucesso da banda ainda estava por vir quando eles decidem gravar o clipe de Sweet Child O’ Mine, que além de angariar um público maior (principalmente o público feminino) tornou-se um divisor de águas na história do grupo, transformando-o de uma banda promissora e autêntica que abria shows para o Aerosmith em um sucesso internacional. Foi apenas uma questão de tempo para que o AFD entrasse nas listas de mais vendidos e o quinteto fosse jogado de vez na vida de rock stars para a qual eles, definitivamente, foram feitos… Ou não.

Com o sucesso de seu álbum de debutante, o Guns N’ Roses é chamado para tocar no importante festival Monsters of Rock, na Inglaterra em 1988, junto com grandes nomes como Iron Maiden, Kiss, The Bailey Brothers, Megadeth, dentre outros. O que parecia ser mais um grande passo na carreira dos cinco acabou se tornando uma tragédia. Com a fama de bad boys que criaram para si, a banda inegavelmente carregava uma atmosfera selvagem e o seu público se esforçava para não ficar atrás. Em sua apresentação no festival, o público estava totalmente descontrolado, avançando contra o palco, brigando e vandalizando qualquer coisa que os impedia de ficar o mais próximo possível de seus ídolos. A situação estava tão caótica que eles tiveram que parar o show algumas vezes, pedindo para que as pessoas parassem de brigar e se afastassem do palco.

O show em si tinha sido incrível, como todos os outros, mas enquanto a banda estava bebendo e relaxando no bar do hotel, o agente do grupo chega em Slash e lhe passa a notícia de que duas pessoas haviam morrido durante o show. Nas palavras do próprio guitarrista, eles foram, naquele instante, do mais alto ao mais baixo que uma banda pode chegar. Apesar de terem sido exonerados da culpa pela justiça, a mídia caiu em cima deles, rotulando o Guns como a banda mais perigosa do mundo.

No final de 1988 a banda lança mais um álbum, que era, na realidade, uma extensão do EP Live ?!*@ Like a Suicide, acrescentado por três músicas inéditas (Patience, Used to Love Her e One In a Million) além de uma versão acústica de You’re Crazy, que era uma das faixas do Appetite For Destruction. Com a fama que a banda já possuía e o lançamento da balada Patience, que foi bem aceita pelo público, o disco ficou em segundo lugar entre os mais vendidos.

Após do lançamento do GNR Lies e com toda a perseguição da mídia depois do que aconteceu no Monsters of Rock, a banda resolveu se afastar por um tempo dos holofotes, distanciando-se tanto dos palcos quanto do estúdio. Entretanto esse período de ócio combinado com a personalidade autodestrutiva do grupo acabou potencializando o vício em drogas (especialmente em heroína) de seus integrantes, além de iniciar o seu processo de implosão. Mas… Esse é assunto para um próximo post sobre a história do Guns N’ Roses.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Guns N RosesGuns N' Roses
Como foi o último show da turnê em 2017

1502 acessosAvery Molek: músico de 11 anos toca "November Rain" do Guns N' Roses842 acessosCanal NB: Charles Manson e as influências na música0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Guns N' Roses"

AC/DCAC/DC
Empresário recorda exigências inusitadas da banda

Guns N RosesGuns N' Roses
Adler diz que reunião traria álbum melhor que a estreia

Guns N RosesGuns N' Roses
Existe material inédito da formação clássica, diz ex-baixista

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Guns N' Roses"0 acessosTodas as matérias sobre "Hollywood Rose"0 acessosTodas as matérias sobre "L.A. Guns"


Heavy MetalHeavy Metal
Os 11 melhores álbuns da década de 70

MetallicaMetallica
Casal toca "Master" no casamento e ganha encontro com a banda

Black MetalBlack Metal
O cotidiano fascinante dos fãs adolescentes

5000 acessosTico Santa Cruz: um comovente texto sobre suicídio de Champignon5000 acessosCuriosidades: 40 fatos inacreditáveis do rock5000 acessosMegadeth: a canção que Dave Mustaine menos gosta5000 acessosSad & Useless: as fotos mais constrangedoras do Heavy Metal5000 acessosChris Cornell: "Os medicamentos foram a causa da sua morte"5000 acessosFresno: "John Lennon seria um cara meio chato"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 13 de fevereiro de 2016


Sobre Jorge A.

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online