Michael Schenker

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Allan Jones
Enviar correções  |  Comentários  | 

O Msg é a banda do guitarrista Michael Schenker. Este alemão fez parte de duas das maiores bandas de hard rock de todos os tempos, o Scorpions e o Ufo. Após sair do Scorpions para se juntar ao U.f.o, Michael ficou por lá um tempo até se mandar em 80 para uma carreira solo cheia de altos e baixos.

5000 acessosOzzy Osbourne: 7 guitarristas que quase entraram para a banda5000 acessosCinema: As 10 melhores aparições de bandas em filmes

A banda foi batizada de MSG (Michael Schenker Group) e trazia no seu line up, Gary Barden (voz), Simon Philips (bateria), Mo Foster (baixo) e Don Airey (teclado), este último vindo do Rainbow. A formação não era das mais incríveis porque, se de uma lado tinha Mike e Don que eram incríveis, do outro tinha Mo e Gary que eram apenas razoáveis.

O primeiro disco foi The Michael Schenker Group (Chrysalis 1980) e surpreendeu a crítica que nunca simpatizou muito com Michael e por isso não lhe dava o devido valor.

Em 81, o line up foi todo reformulado, e apenas Barden ficou no posto. Na batera estava Cozy Powell (ex-Rainbow também), Paul Raymond (ex-Ufo) e Chris Glen (Alex Harvey Band). Com este time afiadíssimo, Michael gravou “MSG” e mostrou ao mundo que não dependia nem do Scorpions e nem do Ufo para aparecer.

Em 82, Michael se mandou para o Japão, onde era idolatrado, e gravou o show no Budokan Hall que se tornou um álbum ao vivo oficial. O álbum ao vivo fez muito sucesso na Europa e trouxe status à banda, em meio a algumas críticas.

Após este álbum, a eficiência de Gary começou a ser contestada e Michael lhe deu o cartão vermelho. Quando ia começar a procurar um novo vocalista, Cozy anunciou sua saída em razão de um convite do Whitesnake. Ainda em 82, Michael recrutou dois novos integrantes e lançou o disco “Assault Attack”. Os substitutos eram Ted Mckenna na bateria e Graham Bonnet (outro ex-Rainbow) no vocal.

A escolha de Graham teve a ver com a timbragem, que era parecida com a de Gary, e Michael queria manter um padrão na banda. Mas a idéia foi por água abaixo, já que Graham colocou muitas de suas infuências no disco. O resultado foi um álbum totalmente diferente dos anteriores.

Um álbum foi suficiente para que Michael dispensasse Graham e convoca-se Gary de volta. O novo disco chamou-se “Buil to Destroy” e teve uma fraca repercussão, pois o conteúdo deixava a desejar.

Em 84 saiu “Rock Will Never Die”, que trazia o vocalista Derek St. Holmes junto de Gary Barden, que após o disco resolveu sair fora e formou o Statetrooper.

Michael havia voltado para a Alemanha quando resolveu se juntar ao vocalista Robin McCauley da banda Grand Prix. O McCauley Schenker Group era formado por Steve Mann, Rocky Newton e Bodo Schopf, além deles dois, óbviamente. As letras ficavam a cargo de McCauley e Schenker cuidava dos arranjos.

“Perfect Timing” foi lançado e trouxe um som altamente Americanizado e... vazio. Apesar de tudo, o resultado foi melhor do que o conseguido com suas antigas bandas.

Em 89 saiu “Save Yourself” que teve um resultado melhor. A banda começava a acontecer realmente. Com isso eles trazem para o time Jeff Pilson (ex-Dokken) e James Kottak (ex-Kingdom Come), baixo e bateria respectivamente.

O line up da banda era um dos melhores que os dois já haviam tido, mas por azar ou má sorte, a banda decepcionou. O disco “MSG” (92) não empolgou os fãs que preferiram guardar seus trocados a comprar o disco que foi duramente criticado.

Durante a década de 90, a banda não lançou nada que pudesse ser considerado pela crítica ou pelo público. Com isso, o jeito para Michael foi retornar ao Ufo, onde ficou um período para sair novamente.

Novamente na estrada com sua banda, o MSG retornou as atividades em 2001. Seu álbum tem o sugestivo nome de “Be aware of Scorpions”.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
7 guitarristas que quase entraram para a banda dele

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Michael Schenker"

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
7 guitarristas que quase entraram para a banda dele

ScorpionsScorpions
Michael Schenker "não pode" confiar na banda

Cozy PowellCozy Powell
Em entrevista, baterista entregou podres e curiosidades de ex-bandas

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Michael Schenker"

CinemaCinema
As 10 melhores aparições de bandas em filmes

AC/DCAC/DC
Brian revela segredo obscuro de Angus Young

Iron MaidenIron Maiden
Veja a banda como você não gostaria de vê-la

5000 acessosSlash: "Sweet Child" é a coisa mais gay que alguém poderia compor5000 acessosDave Mustaine: Kiko é o primeiro que me intimida desde Friedman5000 acessosDossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatos5000 acessosAC/DC: o que a Rolling Stone achou da estreia da banda?4846 acessosScott Ian: os discos do Big 4 que ele mais gosta5000 acessosMegadeth: os 10 bens mais preciosos de Dave Mustaine

Sobre Allan Jones

É carioca, tem 23 anos e ouve rock desde pequeno. Suas principais influências são dos anos 70 e 80. Fez vários trabalhos relacionados ao rock, desde programas de rádio até promoção de eventos. Além disso, é músico e também faz trabalhos relacionados ao teatro. Oficialmente trabalha para a secretaria de fazenda de uma prefeitura de um município do Rio. Atistas prediletos: Kiss, Alice Cooper, Van Halen, Todd Rundgren, Asia, Kansas, Journey e as bandas do cenário do hard oitentista.

Mais matérias de Allan Jones no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online