White Lion

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Allan Jones
Enviar correções  |  Comentários  | 

Pelo nome da banda dá para notar que se trata de mais uma banda hard glam oitentista. O White Lion foi uma das que conseguiram emplacar, mas não conseguiram se manter. Seus discos foram bons, mas não o suficiente..,

5000 acessosBandas Novas: 10 coisas que vocês jamais devem dizer no palco5000 acessosIron Maiden: Bruce Dickinson e sua preferência pelo Brasil

A banda foi formada no bairro pesado do Brooklyn, em Nova York, em 1983. O seu line-up inicial contava com Mike Tramp (lead vocals), que era um Dinamarquês americanizado, Vito Bratta (guitar), Dave Capozzi (drums) e Felix Robinson (bass). Felix era o mais experiente, já que vinha do Angel, banda por onde passou também o tecladista Greg Giuffria .

A Elektra records nesta época estava contratando bandas de hard aos montes. Além do seu cast já contar com Motley Crue e Dokken, eles queriam mais.

“Fight to Survive” foi lançado e a Elektra, que esperava no mínimo um disco de ouro, ficou a ver navios. A gravadora se arrependeu do investimento e abandonou a banda. Os integrantes começaram a procurar razões para o insucesso do disco e começaram a se desentender. O ponto cuminante da história foi a saída de Dave Capozzi e Felix Robinson.

Por uma sorte do destino, a RCA abriu as portas para a banda e resolveu distribuir seu álbum. O disco foi lançado no Japão e teve uma excelente repercussão.

À esta altura a banda já tinha James LoMenzo e Gregg D'Angelo como novos integrantes. Enquanto a mídia comparava os integrantes a outros artistas já conceituados, a Atlantic se oferecia para fazer o novo álbum deles.

Em 1987, “Pride” foi editado e trouxe novas perspectivas para a banda. Repara-se que neste álbum assumiram uma nova identidade, um estilo mais próprio. O álbum entrou na Billboard e alcançou a 11ª colocação. Parecia um sonho para os integrantes do White Lion que num dia estavam na rua da amargura e agora próximos do Céu. “Wait” e “When The Children Cry” se tornaram sucessos nos Estados Unidos.

A banda lançou mais dois álbuns, “Big Game” (89) e “Mane Attraction” (91).

Com o passar do tempo iam tentando adaptar seu som às novas tendências que surgiam e foi aí que os problemas começaram a aparecer de novo. Os “substitutos” alegaram não estarem gostando do estilo que a banda estava se propondo á fazer, e abandonaram o barco, sendo substituídos por Jimmy degrasso (Ex-Y&T) e Tommy Caradonna (baixista de Alice Cooper). Esta formação nem teve tempo para mostrar alguma coisa, já que Mike Tramp achou melhor investir em outro projeto, o Freak of Nature.

Ainda em 92 foi lançado uma coletânea que continha os hits e as melhores canções da curta carreira da banda.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "White Lion"

Guitar WorldGuitar World
Os 20 melhores álbuns de Hair Metal dos anos 80

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "White Lion"

Bandas NovasBandas Novas
10 coisas que vocês jamais devem dizer no palco

Iron MaidenIron Maiden
Bruce Dickinson e sua preferência pelo Brasil

Lemmy KilmisterLemmy Kilmister
Sob investigação em 2008 por exibir insígnia nazista

5000 acessosTotal Guitar: os melhores e piores covers da história5000 acessosReligião: os rockstars que se converteram5000 acessosAs I Lay Dying: Banda cristã explica a proximidade com o Behemoth5000 acessosMetallica: Kerrang! por dentro da mente de Lars Ulrich5000 acessosEvanescence: Amy Lee anuncia novo álbum - mas não exatamente...4094 acessosMetallica: os dez melhores covers pela banda segundo o Loudwire

Sobre Allan Jones

É carioca, tem 23 anos e ouve rock desde pequeno. Suas principais influências são dos anos 70 e 80. Fez vários trabalhos relacionados ao rock, desde programas de rádio até promoção de eventos. Além disso, é músico e também faz trabalhos relacionados ao teatro. Oficialmente trabalha para a secretaria de fazenda de uma prefeitura de um município do Rio. Atistas prediletos: Kiss, Alice Cooper, Van Halen, Todd Rundgren, Asia, Kansas, Journey e as bandas do cenário do hard oitentista.

Mais matérias de Allan Jones no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online