Kovenant

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos

Por Fabio Felipe Mariani

Fonte: The Kovenant Brazilian Homepage

5000 acessosAs regras do New Metal/Nu-metal5000 acessosDavid Bowie: "Perdi a virgindade com ele, aos 15 anos de idade"

Tudo começou em 1993, quando Lex Icon (na época conhecido como Nagash) e Psy Coma (na época conhecido como Blackheart) começaram a lançar demos de baixo orçamento, que resultaram no primeiro álbum "In Times Before The Light" em 1995. A música era um Black Metal atmosférico com várias melodias. Eles ganharam a reputação de ser a banda mais notória da cena norueguesa de metal. Infelizmente, naquele tempo a gravadora não viu a grandiosidade de sua música. O álbum não foi lançado oficialmente até 1997, por uma pequena mas entusiástica gravadora chamada Mordgrimm (na Inglaterra).

Lex e Psy tinham grandes visões para sua música, eles agora recrutaram três novos membros para formar uma banda já que no primeiro album havia tudo sido feito somente pelos dois. Hellhammer (do Mayhem) na bateria, Astennu (do Carpe Tenebrum e Dimmu Borgir) na segunda guitarra e Sverd (do Arcturus) no teclado. E também contrataram Sara Jezebel Deva (do Therion e Cradle of Filth) para Starsong, todos estreariam no álbum que estava por vir, o agora clássico "Nexus Polaris" em 1998 (agora pela Nuclear Blast). Uma obra-prima, uma performance brilhante dos músicos. O album estava cheio de uma atmosfera Dark pulsando em seu metal atmosférico. Como o próprio Psy descreveu sua música; "Progressive Space Metal", ele não poderia estar mais certo. Esse é aquele que você deveria comprar. E ainda, ele tem a capa mais bela da história da música, por Andreas Marshall.

Nessa época Nagash ainda tocava no Dimmu Borgir e como Nexus Polaris foi lançado logo depois da explosão da banda e muita gente pensou que fosse apenas um projeto paralelo do Nagash, quando na verdade sempre foi sua banda principal, e mesmo sendo vendido sob o rótulo Black Metal e tendo sido considerado o primeiro álbum de Black Metal a entrar nos 50 mais vendidos da Alemanha (o que foi um grande feito em se tratando de metal extremo) o trabalho mostrado em Nexus Polaris era muito mais que isso, mostrava uma banda madura, com identidade própria pronta para alçar voôs mais altos, e certamente eles não precisariam de mais ninguém para conquistar tudo o que conseguiram o álbum fala por si só, enfim eles sempre demonstraram maturidade e identidade e se distanciavam cada vez mais dos rótulos.

Nexus Polaris se tornou um hit, vendeu mais de 15000 cópias só na primeira semana quando foi lançado em fevereiro de 1998. Eles seguiram com uma turnê de promoção de duas semanas, onde eles se encontraram como uma das maiores bandas na cena do metal extremo. Eles também apareceram na TV nacional da Noruega com um documentário da turnê de seis episódios. Eles estavam agora prontos para dominar o mundo. Infelizmente, Sverd teve que deixar a banda, por causa de problemas pessoais e diferenças musicais com os outros caras da banda. Eles contrataram um tecladista (músico de estúdio) e seguiram com seu sucesso. Eles fizeram alguns festivais de verão e terminaram a turnê de forma bombástica, sendo a atração principal do Iilosaari Rock Festival na Finlândia em frente de 20000 pessoas. Nagash agora deixou o Dimmu Borgir, logo após as gravações do álbum Spiritual Black Dimensions, para se concentrar no Covenant em tempo integral.

Agora, eles começaram a trabalhar no material pra o próximo album. Durante o trabalho eles foram indicados para o Grammy da Noruega, como melhor álbum de Hardrock. Eles não só compareceram a cerimônia do Grammy na TV, como também venceram, sendo a primeira banda da história de metal extremo a vencer o Grammy.

Durante o trabalho para o próximo álbum deram de frente com um problema judicial por causa do nome da banda. Há uma banda sueca de música eletrônica chamada "Covenant", então eles foram obrigados a mudar a ortografia do nome para "Kovenant". Com o novo "nome" e uma nova direção musical, eles se separaram de Astennu, que queria se concentrar no Dimmu Borgir e ao mesmo tempo demitiram Sara Jezebel Deva. Com todas as novas coisas acontecendo para a banda eles decidiram ir por todo o caminho. A ortografia KOVENANT, um novo logo e até mudaram seus próprios nomes também, para:

Lex Icon (Nagash)
Psy Coma (Blackheart)
Von Blomberg (Hellhammer)

O novo álbum levou três meses para ser gravado, "Prophecies of Fire" era o título de trabalho do álbum. Então eles finalmente lançaram o álbum mais ímpar que eles haviam gravado até então - "ANIMATRONIC" em Outubro de 1999. O álbum é surpreendente, com uma sonoridade muito forte e muito criativo. O antigo som dos dias de black metal ainda estão lá mas misturados aos sons industriais de hoje. Um novo guitarrista, Angel, se juntou à banda antes da turnê norte-americana de 2000. Durante maio de 2000 eles completaram sua primeira turnê norte-americana sucessivamente, e com o novo membro, eles foram rumo ao mercado europeu com festivais e uma turnê em Outubro com enorme sucesso. O álbum foi considerado também um divisor de águas na carreira da banda pois eles desagagradariam muita gente com a nova sonoridade, porém agradaram muito mais, mas analisando bem vemos que a surpresa causada pelo novo álbum foi na mesma proporção do impacto causado pelo Nexus Polaris em relação ao primeiro álbum, a diferença era a fama agora conquistada e a mídia dita "especializada" que muitas vezes não passam de um bando de radicaizinhos fechados em seu próprio mundo e não aceitam a menor mudança que seja no som das bandas e quando isso ocorre tentam destruir a reputação da banda com comentários infantis e sem senso crítico algum. Mas o Kovenant infelizmente não foi a primeira e nem vai ser a última banda vitima disso, mas eles passaram por isso mostrando que a banda tem personalidade e não teme inovar, pois seria muito fácil repetir a fórmula do Nexus Polaris e garantir o sucesso mas isso seria acomodação ao sucesso em detrimento da criatividade que a banda sempre mostrou e seria decepcionante ver uma banda tão talentosa e criativa se repetindo, mas definitivamente esse não é o caminho da banda.

E além de tudo o álbum garantiu a banda uma nova indicação ao Grammy, e novamente eles saíram de lá com o prêmio conseguindo uma façanha e tanto ao levar o prêmio por duas vezes consecutivas, se a primeira já foi algo inédito, levar pela segunda vez foi para consolidar de vez o nome da banda até no mercado mais mainstream.

Enquanto preparavam o próximo álbum de estudio, Lex e Psy decidem dar uma nova chance ao primeiro lançamento da banda. Eles fizeram um total make-over do álbum, como novos sons de bateria, novos sintetizadores e programação e vários novos efeitos. O velho e clássico black metal do álbum se encontra com o novo Kovenant mais eletrônico e bem sucedido e foi lançado em 2002.

Em abril de 2003 a banda lançou S.E.T.I. (título de trabalho "Cybertrash") o tão esperado álbum sucessor do sucesso Animatronic. Eles continuam com o som mais eletrônico, mas o álbum tem uma atmosfera mais dark que o anterior. Os fãs podem esperar algumas surpresas e não ficarão desapontados. Este é o Kovenant do futuro... and the search for extra terrestrial intelligence has only begun.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net



0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Kovenant"


New MetalNew Metal
Raiva, calças folgadas, problemas na infância...

David BowieDavid Bowie
"Perdi a virgindade com ele, aos 15 anos de idade"

Heavy MetalHeavy Metal
Os melhores covers segundo a Metal Hammer

5000 acessosFotos de Infância: Yngwie Malmsteen5000 acessosNirvana: Filha de Kurt Cobain prefere Oasis à banda do pai5000 acessosJames Hetfield: O equilíbrio entre Metallica e vida familiar5000 acessosMetallica: Lars diz que Arctic Monkeys é Heavy Metal5000 acessosDerek Riggs: no início Eddie não tinha nada a ver com Metal3173 acessosGreta Van Fleet: com três irmãos na banda, agressões eram frequentes