Matérias Mais Lidas

imagemO hit da Legião Urbana cuja letra fala sobre esperança de Renato em se curar da AIDS

imagemMax e Iggor convidam Jairo, detonam no Rio e alfinetam: "Verdadeiro Sepultura"

imagemA lenda do Rock que se arrepende de nunca ter dormido com Jimi Hendrix

imagemPodcast diz que prática comum no black metal hoje seria "coisa de esquerdomacho"

imagemQuando Slash tentou entrar pro Kiss mas foi rejeitado por um motivo cruel

imagemO hit dos Engenheiros do Hawaii que faz uma dura crítica à panelinha do rock nacional

imagemEddie Munson faz metaleiros virarem novos crushes da geração TikTok, diz site

imagemDez clássicos do rock e do heavy metal que não têm bateria

imagemPink Floyd: Roger Waters relembra a última vez que viu Syd Barrett

imagemPrika explica critérios para entrar na Nervosa: "Fascista na minha banda não toca!"

imagemO sensato conselho que Lulu Santos deu para o novato Herbert Vianna

imagemBittencourt começou a fazer tai chi chuan no camarim após beque de Mariutti bater forte

imagemSlayer: Dave Lombardo surpreende ao eleger suas três músicas favoritas

imagemMúsicos famosos fizeram teste para o AC/DC sem que ninguém soubesse, conta baterista

imagemIron Maiden, Nervosa e Megadeth estarão na edição de 2023 do Wacken Open Air


Dream Theater 2022

Jeff Buckley

Em 06/04/06

Por The Unbearable

Nascido em 17 de novembro de 1966 (Orange County, CA, EUA), Jeffrey Scott Buckley começou a gostar de música desde pequeno. Além de ter sido influenciado pela eclética coleção de discos de sua mãe, Mary Guibert, Jeff herdou os genes musicais de um homem que mal conheceu, o semifamoso cantor dos anos 60, Tim Buckley.

Jeff passou a adolescência ouvindo diversos tipos de música como blues e jazz, mas principalmente rock (suas bandas favoritas, Led Zeppelin, Kiss) e rock progressivo (Genesis, Yes, Rush). Depois de terminar o colegial, ele decide que música seria o caminho a seguir. Com medo de ser comparado a seu pai, em vez de cantar, Jeff decide inicialmente só tocar guitarra, indo estudar no famoso G.I.T (Guitar Institute of Technology). Diversas experiências vieram em seguida: Jeff trabalhou em estúdio, tocou em bandas de funk, jazz e punk e até trabalhou na Banana Republic, de onde foi demitido após ser acusado de roubar uma camiseta.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em 1991, ao ser convidado a participar de um show tributo a seu finado pai, duas coisas importantes aconteceram: Jeff resolve cantar (coisa que deixou o público boquiaberto) e Jeff conhece o ex-guitarrista da banda Captain Beefheart, Gary Lucas, que impressionado com sua voz, decide convidá-lo para integrar a banda Gods and Monsters. Afiada tanto nas performances ao vivo como nas composições próprias, o Gods and Monsters estava prestes a assinar com uma gravadora, quando Buckley decide abandonar o projeto por achar que um contrato, naquele momento, restringiria suas ambições musicais (Jeff queria, na verdade, ser artista solo).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No ano seguinte, ele começa a se apresentar sozinho (voz e guitarra) num bar nova-iorquino chamado "Sin-é". Suas performances eram tão impressionantes que não demorou muito para que seus talentos fossem descobertos. Em outubro de 92, ele assina com a Columbia Records para a gravação de seu primeiro álbum solo.

"Grace" chega às lojas em agosto de 1994 e é imediatamente aclamado pela crítica e por artistas como Paul McCartney, Chris Cornell, Bono ("Jeff Buckley é uma gota cristalina num oceano de ruídos") e Jimmy Page ("Quando o Plant e eu vimos ele tocando na Austrália, ficamos assustados. Foi realmente tocante"). Apesar disso e dos esforços promocionais (longa turnê de dois anos, dois videoclips), "Grace" vendeu muito menos do que o esperado. A música de Buckley era considerada leve demais para as rádios alternativas e pouco comercial para as rádios FM.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em 1996, ele começa a trabalhar em seu segundo álbum e, contrariando sua gravadora que queria um disco mais comercial, chama Tom Verlaine, do grupo Television, para a produção. Quando as gravações estavam por se encerrar, Jeff, insatisfeito com o resultado, decide que o material não deveria ser lançado e, assim, ele começa a compor novas canções. E é isso que ele faz até maio de 97, quando finalmente chama os integrantes de sua banda para começar as gravações em Memphis, cidade onde morava na época.

No dia 29 de maio de 1997, helicópteros sobrevoavam o Wolf River em busca de uma pessoa que ali havia desaparecido. Segundo relato do amigo Keith Foti, Jeff Buckley resolveu parar para nadar naquele rio antes de se encontrar com sua banda. Depois de alguns minutos, Foti foi até o carro para guardar alguns objetos, enquanto ouvia Jeff nadando e cantarolando "Whole Lotta Love". Quando voltou, não viu mais nada. Ele gritou por "Jeff" por quase dez minutos e, não obtendo resposta, decidiu chamar a polícia. O corpo de Jeff Buckley foi encontrado só uma semana depois, dia 4 de junho, perto da nascente do rio Mississippi.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum póstumo "Sketches for My Sweetheart the Drunk" foi lançado em 1998. "Sketches" é composto das gravações que Jeff fez com Tom Verlaine mais as músicas nas quais Jeff trabalhava antes de morrer.

Em 2000, "Mystery White Boy" veio relembrar Jeff nas suas performances ao vivo.

Apesar da morte trágica, Jeff Buckley vem cada vez mais conquistando novos fãs. Artistas como Coldplay, Muse e Nelly Furtado não cansam de mencionar Jeff como suas principais influências. Além disso, "Grace" vem constantemente sendo citado como um dos melhores álbuns de todos os tempos. Quem conhece a obra de Jeff Buckley sabe que isso não é exagero.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Pra ouvir e discutir: os melhores discos lançados em 1994

Heavy Metal: 5 músicos que não são metaleiros mas amam o estilo

Kurt Cobain e a banda brasileira que mexeu com ele: "eles foram muito revolucionários"

O trocadilho picante que Ney fazia em "Pro Dia Nascer Feliz" que Cazuza gargalhava