A Gestação de Um Besouro - The Quarrymen

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Márcio Ribeiro
Enviar correções  |  Comentários  | 

Embora os Beatles tenham acabado em 1970, continuam sendo considerados a banda mais significativa e inovadora de sua época. Já se traçou a trajetória destes quatro rapazes, saindo de uma cidade portuária do norte inglês, para vencer em todo o mundo. Analises geralmente iniciam com as apresentações dos Beatles em Hamburgo, quando ainda eram uma banda de boate. Poucas informações existem disponíveis sobre as formações dos Beatles antes mesmo deles se chamarem os Beatles.

1391 acessosRock: gênero é um trintão decadente, segundo Spotify5000 acessosBlack Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela banda

Infância em Woolton

Toda historia sobre os Beatles inicia-se por John Winston Lennon, nascido em 9 de outubro de 1940, filho de Julia e Alfred Lennon.


Seu pai, mais conhecido como Fred, era marinheiro e passou a maior parte da vida (e do casamento) no mar. O casal morou primeiro com os pais de Julia e depois em um quarto na casa da irmã, Mary Elizabeth, mais conhecida pelo nome de Mimi. Julia criou o menino até os cinco anos de idade e depois simplesmente informou ao marido, quando este finalmente retornou do mar, que o casamento acabara. Fred havia viajado em um navio que aportou em Nova York mas perdeu o navio da volta. Se inscreveu para outra nau que o levaria para o Oriente Médio, mas não embarcou neste também. Seu pagamento então foi suspenso, o que deixou Julia em sérios problemas financeiros. Fred acabou viajando em um návio para a África. De lá, seguiu para Argentina, onde acabou acusado de roubo, seu nome sendo confundido com o de um outro estrangeiro procurado. Ele fico detido por um longo período até a situação ficar esclarecida e ele encontrar o seu caminho para casa. Alfred, apesar de descobrir sobre o comportamento promíscuo de sua esposa na sua ausência, sempre declarou ter amado a Julia.

Julia que agora trabalha, bebe e fuma, passa a morar com seu novo amante, John Dykins em um quarto e sala no bairro de Gateacre. Sua irmã a considerou inapta para cuidar de um filho e exigiu que ela o entregasse a seus cuidados. Julia recusou, o que fez Mimi buscar alguém do setor social para verificar a situação. O serviço social, ao perceber que a criança dividia a mesma cama que o casal, obriga Julia a entregar o pequeno John Winston para ser criado pela sua irmã mais velha, Mimi. Se Julia morava em uma casa modesta, Mimi morava em uma bela e ampla casa com um jardim em uma vizinhança abastada, no bairro de Woolton.

Antes da decisão oficial ser executada, Alfred atraca em Newcastle e descobre que sua mulher estava morando com seu filho e outro homem. Ao encontrar o casal, Alfred leva John para morar com seu irmão Sydney Lennon e sua mulher Madge, que pediram para adotar o pequeno sobrinho. Alfred então seguiu para Blackpool com o menino, onde ele e um amigo chamado Bill Hall estudavam a possibilidade de imigrar para a Australia. Foi quando Julia e Dykins apareceram alegando que encontraram uma residência maior e exigiam ficar com o menino. Com cinco anos de idade, John foi obrigado a optar entre o pai e a mãe. Embora tenha escolhido as aventuras oferecidas pelo pai, ao ver sua mãe indo embora correu chorando para seu braços. Alfred Lennon preferiu então deixar o menino com a mãe. Esta foi a ultima vez que ele viu o seu pai e a ultima vez que Alfred teve o seu filho em seus braços. Nem Alfred nem o pequeno John sabiam que Dykins recusava-se a criar uma criança de outro homem. Julia ao chegar em Liverpool, imediatamente o levou para a casa de Mimi, que passou a ser sua mãe de criação. Este foi o primeiro entre uma série de dramas familiares com que John Lennon teria que lidar. Traumas que moldariam sua personalidade forte e temperamento por vezes difícil.

O pai, quando voltou novamente a Liverpool para ver seu filho, foi informado que o menino estava com Mimi e esta não permitiu que Alfred e John voltassem a se encontrar. Julia passaria a morar com John Dykins, também chamado de Bobby, em Springwood, e com ele teve três meninas. Somente na adolescência John passaria a ver e reatar um maior relacionamento com sua mãe. Tia Mimi por sua vez era casado com Tio George, um homem que até um certo ponto supriu bem a figura paterna. Tio George ajudou o pequeno John Winston a ler e escrever e o levava ao cinema. Em junho de 1953, John, com quase treze anos, chega em casa para descobrir que Tio George havia morrido de uma hemorragia repentina. Segundo se conta, John não soltou uma lágrima, não disse absolutamente nada, apenas se trancou em seu quarto. Este seria um padrão de comportamento, não demonstrar seus sentimentos verdadeiros, que iria se repetir seguidamente em sua vida.

Dovedale Road Primary

Certa vez, Lennon comentara que durante toda sua juventude, ele sempre teve uma gangue que girava em torno de si. Em tempo, sua banda The Quarry Men e depois the Beatles, se tornariam um prolongamento desta gangue. Desde o primário no Dovedale Road Primary, seu grupo consistia basicamente de três garotos. É portanto natural que Lennon procuraria entre estes para formar sua banda.

Sua gangue consistia de Nigel Whalley, Ivan Vaughan, e Pete Shotton, todos moradores do bairro de Woolton. Nigel e Ivan o conheceram nas aulas de religião, realizadas aos domingos no Saint Peter’s Sunday School. Não se falavam muito até que certo dia voltando para casa, quando Nigel começou a chamar John Winston de Winnie. John, possesso, partiu para briga, conseguindo derrubar Nigel e com o próprio corpo, prendê-lo no chão. “Jamais me chame de Winnie novamente!” vociferou John Winston ameaçadoramente. “Okey, não chamarei”, acovardou Nigel. Cada um seguiu então em direção oposta. Com a devida distância, Nigel então se virou e gritou de volta “Te vejo na escola amanhã, Winnie!” e saiu correndo. “Está bem Whalloggs!” foi a resposta, e com isso, John Winston apenas sorriu e foi para casa. A amizade começou mais ou menos assim.

Nigel Whalley nasceu no dia 30 de julho de 1941 e morava em Vale Road, uma rua atrás de Menlove Avenue, onde residia John. Algumas casas antes da sua morava Ivan Vaughan, e descendo mais a rua, Pete Shotton. Ivan Vaughan nasceu no dia 18 de junho de 1942, e era filho de um policial morto na guerra. O quintal de sua casa dava para o quintal da casa de John. A ausência de uma figura paterna em sua vida era certamente um fator em comum com o seu amigo e vizinho. Ivan era igualmente espirituoso como John, embora mais diciplinado para os estudos. Freqüentaram o primário juntos, no Dovedale Road Primary.

Também estudando em Dovedale estava Pete Shotton, um menino dos mais arteiros, que até John se mudar para Woolton, era o líder da gangue. Pete nasceu em 4 de agosto de 1941 e, entre os três, era o mais querido, o verdadeiro comparsa. John batizara a dupla de ‘Shennon & Lotton.’ Durante os dois últimos anos na escola, viviam arrumando brigas, furtando coisas de lojas e às vezes puxando as calcinhas das meninas da sala.

Pete Shotton e John Lennon
Pete Shotton e John Lennon

Descrito como um menino com um rosto angelical, Pete Shotton só não era o aluno mais zoneiro e desafiador da escola porque perdia em criatividade para John Winston. Shotton topava todas e junto com ‘Winnie’, suas desobediências e traquinagens tomariam proporções lendários, até mesmo antes dos dois deixarem a escola. Por uma incrível coincidência, o último ano de Lennon em Dovedale foi também o primeiro ano de um menino de sete anos chamado George Harrison.

Em 1952, a maioria dos alunos de sua turma deixam Dovedale Road Primary seguindo para Quarry Bank High School. Da gangue da escola, Nigel Whalley e Ivan Vaughan não seguiram os amigos, indo para outras escolas. Nigel passou a freqüêntar The Bluecoat School, enquanto os pais de Ivan o mandaram para o Liverpool Institute, na esperança de que suas notas melhorassem longe das más influências. Neste educandário, o destino quis que o colega de sala de Ivan fosse um jovem James Paul McCartney.

Skiffle

Embora fosse nas visitas ocasionais à casa de sua mãe Julia que John passaria a ouvir discos e prestar um pouco mais de atenção à música, foi preciso um fenômeno nacional para que ele quisesse deixar seus desenhos um pouco de lado e passar a se expressar com um instrumento musical. Podemos dizer que tudo começou em 1956, com o surgimento do sucesso de "Rock Island Line", versão de Lonnie Donegan e seu novo som, o skiffle. Junto com os filmes "Rebel Without A Cause" e "Blackboard Jungle", um jovem John Winston Lennon de 15 anos de idade, encontrava nestas imagens a sua afirmação na opção de ser um rebelde.

Lonnie Donegan
Lonnie Donegan

"Rock Around The Clock" era um sucesso impulsionado pelo filme, todavia a pinta de tio legal de Bill Haley não lhe permitia a menor chance de se tornar um verdadeiro ídolo jovem. Lonnie Donegan também, com seu terno e gravata, não serviria para tal função, contudo sua criação, o skiffle, serviu para acordar os jovens para música. Em praticamente todo bairro de toda cidade na Inglaterra, garotos estavam montando baixos com corda, cabo de vassoura e caixotes de chá, esfregões com dedal, além de violões e banjos para levarem som. Os chás, bebida nacional britânica, eram vendidos em caixotes de madeira que serviam depois como corpo para um baixo acústico caseiro. O cabo de vassoura servia como o braço deste instrumento improvisado. Calcula-se que entre 1956 e 1957, existiam cerca de 5.000 bandas de skiffle espalhadas pela Inglaterra. Especula-se que só em Liverpool, haviam duas ou três centenas. Embora totalmente ignorado na maior parte do mundo, é justo dizer que sem Lonnie Donnegan, não haveria um rock inglês como o conhecemos.

Com a moda do skiffle se alastrando e crianças em todos os cantos buscando instrumentos para montarem suas bandas, o Natal de 1956 foi marcado pela quantidade de instrumentos musicais que foram presenteados pelos pais. Como todo mundo da sua idade na Inglaterra, John Winston Lennon, então com dezesseis anos incompletos, queria um violão para montar uma banda de skiffle. Ao ouvir "Heartbreak Hotel" na estação Radio Luxembourg certa noite de maio, o pequeno Lennon fora fisgado de vez. Citando a já famosa frase de Lennon, "Nada me bateu tão forte como Elvis." Após azucrinar a tia até ganhar o seu instrumento, o terror do Quarry Bank High School estava agora armado com uma guitarra e, portanto, efetivamente dando um adeus definitivo aos estudos.

The Black Jacks Skiffle Group

Não é surpresa Pete Shotton ser o primeiro músico que o jovem Winston intimidaria a aprender a tocar um instrumento para entrar em "sua" banda. O duo consistia de John Lennon num violão e Pete Shotton tocando esfregão com dedal, instrumento tão na moda no skiffle. Nascia assim, The Black Jacks Skiffle Group. Algumas fontes insistem que The Black Jacks tenha sido fundado em meados ou perto do final de 1956, enquanto outras fontes insistem que fora criado em fevereiro ou março de 1957. Seja como for, o nome veio graças ao fato de que os dois sempre tocavam de jeans negro. Inicialmente muito satisfeito com sua realização musical, aprendendo números de Lonnie Donnegan, Johnny Duncan e alguns outros sucesso da época, Lennon rapidamente percebia a necessidade de ter mais componentes. Com mais gente na banda, trazendo consigo um maior número de instrumentos e assim aumentando a carga sonora do grupo (em outras palavras, fazendo mais barulho). Desta maneira, imaginava Lennon, poderiam, quem sabe, atrair mais a atenção de um público hipotético.

Com duas semanas de existência, the Black Jacks teria o acréscimo de Eric Griffths no violão. Griffths é outro colega de escola que, segundo a versão mais provável, ao ganhar um violão de presente do seus pais, estava conversando sobre música com John Winston e George Lee, outro colega de sala. Lee então sugere que eles montem uma banda. John acabou montando a sua banda com Pete Shotton, e George Lee, que se saiba, acabou mesmo de fora desta história. No entanto, Lennon e Griffths passaram a ter aulas de violão juntos com um tutor em Hunts Cross. Isto aproximou os dois ainda mais, e Griffths foi logo convidado para entrar na banda.

Os dois meninos acharam a disciplina exigida pelo tutor um tédio total, e o abandonaram depois da segunda aula. Em vez disso, passaram a ter suas aulas com Julia Lennon, mãe de John, que afinava os instrumentos para os dois e lhes ensinaram acordes de banjo. Outro colega de sala a entrar no grupo foi Bill Smith tocando um baixo improvisado, feito de cabo de vassoura, corda e um caixote de chá pintado de preto. O instrumento é popularmente chamado em inglês de tea-chest bass. Bill Smith e Pete Shotton eram inimigos antigos, mas Lennon o chamou para a banda assim mesmo porque precisavam de alguém com um baixo. Os ensaios passam a ser realizados nas casas de Pete e Eric. Este núcleo inicial da banda tocava geralmente em festas. Outros meninos se juntavam aos quatro, esporadicamente participando da formação, mesmo que, em alguns casos, durando apenas um ensaio.

The Quarry Men Skiffle Group

John tem então a idéia de adotar o nome do colégio na banda. A idéia surgiu inicialmente porque a escola tinha em seu hino uma frase que lhe agradava, "Quarry men, old before our birth", como também em seu lema em latim que dizia "Desta pedra (rock) encontraras a verdade." Lennon acreditava que, utilizando um nome associado a escola daria maior credibilidade ao grupo. Assim, The Black Jacks Skiffle Group se torna, em março de 1957, The Quarry Men Skiffle Group. A escolha do nome foi exclusivamente de John Lennon, que apenas informou a decisão aos outros. Ensaios eram realizados ora na sala da casa de Griffths, nos fundos da casa de Pete, ou no banheiro da casa de Julia, mãe de John. O banheiro era escolhido em função da acústica que era considerada por todos como sendo fabulosa.

Quarry Bank High School
Quarry Bank High School

O próximo menino a entrar e ficar na banda era Colin Hanton, menino mais velho que começava a trabalhar como aprendiz de estofador. Com o seu modesto salário, ele comprou uma pequena bateria composta de um bumbo, caixa, um ton-ton e um prato. Hanton e Griffths se conheciam de jogar futebol de rua na vizinhança. Como pegavam o mesmo ônibus, a bateria nova acabou surgindo no papo. Griffths quis saber se Hanton sabia mesmo tocar e foi prontamente convidado por Colin para ir a sua casa e ouvi-lo tocar. Hanton colocou um disco de jazz na vitrola e começou a acompanhar na bateria. Após a pequena demonstração Eric convida Colin para conhecer os rapazes. Numa quinta-feira, ao final do ensaio realizado na casa de Eric em Halewood Drive, Colin Hanton se viu como parte da banda. Portanto o ano de 1957 começa com este skiffle group de Woolton, estando com sua primeira formação mais estável, praticamente completa. Ensaios nos sábados passam a ser realizados na casa do Hanton.

Rod Davis embora nunca foi parte de sua gangue, conhece John Winston Lennon desde os cinco anos de idade, pois freqüêntou juntamente com ele, Pete, Ivan e Nigel, as aulas de religião no St. Peter’s Sunday School. Davis era o bom aluno entre eles, mais jovem que os demais, porém mais esforçado quanto aos estudos, tanto que pulou um ano ainda no ginásio, o que explica porque ele estava no mesmo ano que John e os demais. No mesmo ano, no entanto, não na mesma turma. Rod Davis freqüêntava a turma A enquanto Griffths era da turma B. Lennon e Shotton eram da turma C e Colin Hanton era mais velho e não estudava no Quarry Bank. Depois de tentar tocar o violino e o ukulele, Davis acabou se acertando com um banjo que comprou de seu tio. No dia seguinte que comprou o instrumento, mal começou a se gabar do presente, Davis é convidado por Griffths a entrar no ensemble.

Bill Smith constantemente faltava aos ensaios, o que irritava a todos. E quando aparecia, a animosidade entre ele e Shotton chegava sempre à beira das vias de fato. Ele mesmo se encheu daquilo e deixou o grupo por volta de maio de 1957, levando o baixo improvisado com ele. Smith foi prontamente substituído pelos dois membros restantes da velha gangue, Ivan Vaughan e Nigel Whalley. Existem duas versões em relação a este baixo improvisado. A primeira conta que o baixo foi originalmente construido por John Lennon e Pete Shotton. Assim, os dois rapazes invadem a casa de Bill Smith certa tarde e roubam o intrumento caseiro de volta. A outra versão conta que com a saída de Smith, Ivan Vaughn montou um novo baixo improvisado. Na base, feito com o caixote de madeira, Ivan escreveu com letras pretas “Ive The Jive – The Ace of Base.” Ivan e Nigel alternavam no instrumento e juntos participaram de algumas apresentações ao vivo.

Skiffle nas ruas
Skiffle nas ruas

O material da banda consistia basicamente em canções como, "Rock Island Line" (Leadbelly), “When The Sun Comes Down” (Carr), "Cumberland Gap" (Donegan), “Pick A Bale of Cotton” (Leadbelly), “Railroad Bill” (Donegan), "Freight Train" (McDevitt-Whiskey), "Love Is Strange" (Diddley), "Last Train To San Fernando" (Duncan), “Midnight Train” (Donegan), “Lost John” (Trad.) e "Maggie Mae" (trad.). Havia também alguns números de Bill Haley e Buddy Holly. Lennon era o líder basicamente por dois motivos. Primeiro e acima de tudo, porque ele esmurraria qualquer um que contestasse sua liderança. Segundo porque ele era o único que tinha coragem para ir à frente e cantar.

Sua execução no instrumento neste estágio de sua vida era tão pobre que ele sequer sabia usar as seis cordas. Como a base de seu aprendizado musical consistia em acordes de banjo, ele usava basicamente apenas quatro cordas, ignorando completamente as outras duas. Batia nas cordas mais do que tocava, e elas viviam arrebentando. A tarefa de colocar e mais ou menos afinar a nova corda caía sempre para Ron Davis, enquanto Lennon apenas se apossava do banjo do amigo e continuava o ensaio enquanto seu violão não ficava pronto. Quando a afinação fica insuportável John e Eric iam até Kings Drive na casa de um sujeito que afinava corretamente o instrumento para eles em troca de uma pequena soma.

Entre ensaios realizados, houve pelo menos um ensaio na casa de Colin Hanton que foi gravado pela vizinha, uma menina chamada Geraldine Davies. Ela veio assistir o ensaio e trouxe com ela seu gravador Grundig, registrando com ele este hoje histórico evento. Essa fita se fosse encontrada, hoje valeria uma pequena fortuna. No entanto, é mais provável que tenha sido desgravada poucos dias ou horas depois.


Nigel Whalley a esta altura já está treinando como professor de golfe no Lee Park Golf Club. Foi através de seu contato que The Quarry Men tocaram lá, a primeira apresentação ao vivo conhecida da banda. Passaram o chapeu e colheram a melhor soma de sua carreiras até então. Ainda comeram e beberam de graça. No final, sairam com um convite para se apresentarem no Cavern Club em Agosto. O convite foi feito pelo próprio Alan Snyder, dono do Cavern, que freqûenta o clube de golfe.

A formação com Ivan e Nigel tocaria ainda em lugares como St. Peter’s Youth Club, St. Barnabas Hall, The Locarno Ballroom e The Grafton Ballroom. Os Quarry Men, na maioria de suas apresentações, tocavam apenas pelo direito de comer e beber de graça nos eventos. Muito poucos foram os gigs que envolveram dinheiro. Outro atrativo eram as meninas, a quem o fato de ser membro de uma banda, atraía. Atraiam também os Teddy Boys, grupo considerados barra pesadas da época. Os Teds insultavam os músicos, querendo ouvir números de rock 'n' roll, mesmo The Quarry Men sendo um grupo que tocava puramente skiffle.

No dia 9 de junho, participam de seu primeiro torneio de caça-talentos. Foi realizado no Empire Theatre e promovido por Carroll Levis, chamado de ‘Mr. Star Maker’, o programa para televisão, “TV Star Search.” The Quarry Men perdem feio para the Sunnysiders, uma banda vinda do bairro de Speke que tinha um guitarrista cheio de atitude roqueira e um anão chamado Nicky Cuff de 19 anos que ganhava muitos aplausos do público simplesmente porque tocava em cima de seu tea-chest bass. Para pisotear ainda mais na moral dos rapazes, na saída do ônibus na volta, dois conhecidos Teddy Boys chamados Rod e Willo, ameaçaram bater em todo mundo. Os rapazes estavam anda descendo do ônibus carregado de instrumentos. Para poder correr melhor, o baixo improvisado ficou pelo chão, e Ivan Vaughan desistiu da vida artística depois desta experiência.


Na prática, nem Ivan nem Nigel tinham muito talento como músicos e estavam na banda mais como pretexto para estarem com John. Nigel Whalley acaba se tornando o agente dos Quarry Men, criando o cartão de apresentação da banda e postando cartazes anunciando a existência dos Quarry Men. Nigel ainda participa ocasionalmente tocando nos shows em algumas canções, mas o tea-chest bass agora passara oficialmente para as mãos de Len Garry.

Len Garry morava em Penny Lane e era amigo de escola de Ivan Vaughan, ambos estudando no Liverpool Institute, onde tambem estudava outro ex-colega de John dos tempos de Dovedale, um menino chamado Bill Turner. Len foi apresentado a John por Ivan, mas foi quando Bill e Len por acaso se encontram com John e Pete que Len começa a fazer parte da turma. A historia que se conta é que Lennon convida os dois a irem assistir uma aula com eles no Quarry Bank High School. Segundo a explicação de John, “Nós temos esse professor de arte muito louco que jamais notará que vocês não são da escola.” Esse contato deu inicio à amizade entre os dois e quando precisaram de um novo baixista, John convidou Len Garry que acabou virando um da turma. Por volta da mesma época, John Lennon começa seu primeiro namoro sério com uma garota de quatorze anos chamada Barbara Baker.

Algumas Doses de Elvis

Aparentemente foi mesmo depois do fracasso da banda no primeiro torneio de caça-talentos que a direção musical do grupo passou a mudar. John começou a inserir nos ensaios um repertório que incluía músicas como "Heartbreak Hotel", "Jailhouse Rock", "Don't Be Cruel", "Blue Suede Shoes" e "That'll Be The Day", esta última a única cuja letra Lennon sabia corretamente. A mudança de repertório causou um pouco de fricção entre Lennon e Davis. Rod Davies, taxado por Lennon como um purista, queria a banda presa a sua proposta original de skiffle e folk.

St. Peter’s Garden Fete: Griffths, Hanton, Davis, Lennon, Shotton e Garry
St. Peter’s Garden Fete: Griffths, Hanton, Davis, Lennon, Shotton e Garry

Quase um mês depois, especificamente no dia 6 de julho, The Quarry Men foi tocar no St. Peter's Woolton Garden Fete. A vaga da banda foi arrumada pela mãe de Pete Shotton que assistiu alegremente da platéia o filho tocando com seus amigos. Sendo o evento parte de uma grande feira da igreja, boa parte da vizinhança foi assistir os diferentes entretenimentos organizado para o dia. Assim, Tia Mimi, mãe de criação de John Lennon, assiste pela primeira vez a bandinha de seu sobrinho. A formação da banda consistia em John Lennon e Eric Griffths nos violões, Pete Shotton no esfregão e dedal, Len Garry no baixo improvisado e Colin Hanton na bateria. John aproveita o evento para estrear suas calças apertadas e cabelo cheio de gomalina, no melhor estilo Teddy Boy. Na plateia, ao lado do ex-integrante Ivan Vaughan, está o seu colega de escola, Paul McCartney. Como muitos de vocês já devem conhecer esta parte da historia, Vaughan convidou-o para o evento, acabando por apresentar Paul a John.

Colin Hanton não participou do segundo set, e enquanto os rapazes esperavam a hora de voltar a tocar, tomavam umas cervejas escondidos em uma sala dentro do prédio da igreja. Ivan trouxe Paul para conhecer os amigos. Conta-se que não houve muita conversa de início, mas Paul logo pegou o violão e começou a levar "Be Bop A-Lula" de Gene Vincent e um medley de canções de Little Richard. Isto imediatamente atraiu a atenção de John, que não pôde deixar de notar sua habilidade no violão. Lennon ficou particularmente impressionado que o menino (Paul acabara de completar 15 anos e John está a três meses de fazer 17) sabia de cabeça a letra completa de "Twenty Flight Rock" de Eddie Cochran, que acabara de ser lançada recentemente. Percebendo o interesse, Paul na mesma hora se prontifica a anotar a letra desta e mais de "Be Bop A-Lula", que acabaria sendo usado no segundo set. Lennon recordaria este dia como sendo a primeira vez que ele cantou "Be Bop A-Lula" ao vivo. Mas se isto tudo não fosse o suficiente, Paul, ainda se oferece para afinar os violões dele e de Eric para o segundo set.

Paul, por sua vez, tendo assistido à primeira apresentação dos Quarry Men, ficou impressionado com a figura carismática de John e pelo fato de que ele montou e comandava sua própria banda. Outro detalhe que chamou sua atenção foi a criatividade que Lennon demonstrava ao inventar palavras para as letras das canções que ele não conhecia. Levaria outras duas semanas para John mandar Pete Shotton convidar Paul a se juntar à banda, torturado que estava com a duvida entre ter alguém melhor do que ele no grupo ou continuar o comandante absoluto de sua tropa. Segundo consta, o convite se deu no dia 20 de julho, quando Pete foi procurar Paul de bicicleta. Paul, que viajaria para uma colônia de férias com o irmão Michael, levaria outros dois meses antes de juntar-se realmente ao grupo.

Acabou o 2° Grau

The Quarry Men deixam o Quarry Bank High School no final do ano letivo de 1957, em junho. Lennon, apesar das más notas, conseguiu um convite para ir para o Liverpool College of Art, situado coincidentemente ao lado do Liverpool Institute. Muitos dos colegas de turma encerram aqui sua educação formal e partem para disputar um lugar no mercado de trabalho. Eric Grffths arrumou um trabalho como aprendiz de eletricista. Colin Hanton, dois anos mais velho que os demais, se tornara um estofador no ano passado. Nigel Whalley se tornou instrutor de golfe profissional. Os três porém continuariam envolvidos com The Quarry Men, Nigel ainda atuando como agente enquanto a função lhe rendia algum lucro. Pete Shotton, que como John Lennon tinha péssimas notas, não conseguiu seguir para uma faculdade, optando então pela academia de policia, se tornando um cadete policial. Com todas as provocações sofridas por agresivos Teddy Boys, Shotton já a tempos não gostava muito de estar fazendo parte de um grupo de skiffle. Aproveitando o ambiente descontraído de uma festa, após o set, resolveu comentar sobre seu desprazer e falta de entusiasmo. Lennon, já bêbado, prontamente pegou o seu esfregão e o quebrou sobre sua cabeça. "Pronto Pete. Seus problemas quanto à banda estão resolvidos." Assim, Pete Shotton foi declarado oficialmente fora da banda.

Enquanto Paul não chega, estreiam na casa que, será para sempre ligado ao nome dos Beatles. Dia 7 de agosto, fazem o primeiro gig no Cavern Club. O Cavern, era uma casa de jazz que aceita o skiffle apenas porque o gênero nasceu como uma distração divertida entre sets de jazz. Infelizmente para todos os presentes, John Lennon havia a pouco transformado a banda em um rock ensemble, mesmo que ainda utilizando instrumentação tipicamente de skiffle. Após abrirem com uma ótima versão de “Come Go With Me”, John puxa “Hound Dog” seguido de “Blue Suede Shoes.” As vaias do público encontraram um sorriso velado de John, que aceitava com prazer desafiar a casa com um repertório repleto com tudo que ele conhecia de Elvis Presley e Chuck Berry. O dono do clube, Alan Snyder mandou um bilhete ordenando que parasse com o rock. A ordem foi descaradamente ignorada, o que obrigou Snyder a cortar o restante do tempo da banda. No futuro, previnindo evitar repetições desse tipo, Snyder passou a multar bandas que toquem rocks em seu palco. Rod Davis é outro que volta a debater com Lennon sobre a conduta da banda, argumentando que o público não era apropriado para este tipo de material e que a banda não deveria estar tocando rock ali.

Paul e George

James Paul McCartney nasceu no dia 18 de junho de 1942, mesmo dia que seu amigo de escola, Ivan Vaughn. Seu pai, um vendedor de algodão, foi na epoca de solteiro o chefe de sua própria banda de ragtime, o Jim Mac’s Band. Sua mãe era uma enfermeira e faleceu em 31 de outubro de 1956, Paul tendo apenas quatorze anos. Sua tristeza pela mãe o fez canalizar seu interesse em música.

Tanto Paul quanto o seu irmão caçula Mike receberam educação musical desde cedo, recebendo aulas de piano com um professor. Mas após a morte da mãe, seu pai Jim McCartney, deu a seu tristonho filho mais velho, um trumpete de presente de aniversário. Paul passou a se dedicar ao instrumento, porém assim que ele percebeu que não poderia tocar e cantar ao mesmo tempo, pediu permissão para trocá-lo por um violão. Paul começou aprendendo a tocá-lo com o encordoamento ao contrário, até descobrir seu engano e re-encordoar o instrumento para servir a um canhoto. Antes de o ano acabar, Paul iria compôr sua primeira canção, “I Lost My Little Girl.”

Seria no ônibus a caminho da escola que Paul iria fazer amizade com um menino que iria ajudá-lo a melhorar no violão. Esse menino é George Harrison, nascido em 25 de fevereiro de 1943. Harrison depois de Dovedale Primary passou a estudar no Liverpool Institute em 1954. Foi quando Paul e George se conheceram, o jovem George conhecido por ser o filho do motorista do ônibus que os levava à escola. Mas foi quase dois anos depois que eles realmente fizeram amizade. George havia participado de uma banda, The Rebels, formada pelo seu irmão Peter e seus amigos. Embora George fora sempre relativamente quieto, na manhã seguinte estava entusiasmadamente falando a respeito do evento. Ao ouvir suas bravatas, Paul McCartney, quase um ano mais velho, resolveu lhe fazer perguntas a respeito. George com um sorriso no rosto o convidou a passar na sua casa onde, sentados no pátio, passariam as tardes juntos aperfeiçoando o domínio sobre o instrumento.

The Liverpool Institute And School of Art

The Liverpool Institute
The Liverpool Institute

Em setembro, Paul começava a ensaiar com o grupo. Uma vez na banda, John e Paul passavam a tocar, estudar e desenvolver juntos no instrumento, descobrindo novos acordes e novas canções. No Liverpool Institute, durante o ano letivo de set. ‘57 à jun. ‘58, estudavam Paul McCartney, George Harrison, Ivan Vaughan, Len Garry, e Neil Aspinall. Este último embora não sendo da turma, teria uma importante e duradoura participação na saga Beatles. Rod Davis continuava estudando no Quarry Bank High School.

Durante o recreio, os quatro (sem o Neil) fugiam para o Art College ao lado, para se encontrarem com John. Lá, curtiam o ambiente de faculdade onde podiam fumar cigarros livremente. Toda esta proximidade ajudaria a moldar esta nova formação dos Quarry Men. Começam a ensaiar no pátio ou na cafeteria do lugar. O repertório destas sessões eram basicamente "Peggy Sue", "Good Golly Miss Molly", "Rip It Up", "All I Have To Do Is Dream" e "When You're Smiling".

As sessões também acabaram por aproximar Lennon de outros alunos que até então, viam na sua imagem de Teddy Boy, apenas um encrenqueiro. Ele faz amizades com pessoas que terão participação em sua vida acadêmica. Entre estes se destacam, Bill Harry e Stuart Sutcliffe. A estreia de Paul McCartney tocando ao vivo com the Quarry Men se deu no Conservative Club do New Clubmoor Hall em Norris Green, no dia 18 de outubro.

Colin Hanton, Paul McCartney, Len Garry, John Lennon e Eric Griffths
Colin Hanton, Paul McCartney, Len Garry, John Lennon e Eric Griffths

Paul estava tentando convencer John a lhe dar o lugar de guitarrista solo na banda, posição do Eric Griffths. Sendo Griffths um veterano na banda, precisou muita insistencia por parte de Paul para conseguir a sua chance. Foi acertado que ele faria o solo em uma canção apenas. Quando chegou sua hora, o nervossísmo fez os dedos endurecerem e o solo saiu todo errado. John mais tarde dá uma dura no Paul mandando ele nunca mais falar com ninguem sobre querer solar.

Não demoraria muito e Paul passaria a se encontrar com John trazendo seu amigo George Harrison, que por causa de sua pouca idade, faria Paul esperar algum tempo até ter coragem para sugerir que ele pudesse entrar na banda. John, aos dezessete anos e na faculdade, tinha até vergonha de ser visto com um garoto de quatorze. Seus sentimentos estão bastante divididos ao ver todos os seus amigos mais antigos (Pete, Ivan e Nigel), tendo deixado o grupo. É na faculdade que John passa a vestir calças ainda mais apertadas e casaco de couro, como se fosse seu uniforme. Paul e George logo imitariam John, arrumando discussões com os pais por causa da opção por calças apertadas.

Apenas Quarry Men

Cada vez mais, a banda Quarry Men Skiffle Group assumiria um repertório roqueiro para uma audiência de adolescentes, muitos dos quais Teddy Boys. O repertório agora incluía números como "All Shook Up", "Blue Moon of Kentucky", "Roll Over Beethovan", "Searchin'", "Short Fat Fanny", "Sure To Fall (In Love With You)", "Twenty Flight Rock", “Bony Maronie”, “Lend Me Your Comb”, "That's All Right, Mama", "Mean Woman Blues", “Mailman Blues”, "Youngblood", "Your True Love", "Ramrod", e é claro, "Be Bop A-Lula". Paul McCartney seria particularmente responsável em trazer mais números de Little Richard, como “Lawdy Miss Clawdy”, "Lucille" e “Long Tall Salley”. Paul também deu força para aumentar a quantidade de números de Buddy Holly, os Quarry Men entram o ano de 1958 já tocando números como “It’s So Easy”, “Peggy Sue”, “Maybe Baby”, “Words of Love”, “That’ll Be The Day”, e “Think It Over”. A banda acaba abandonando oficialmente a referência ao skiffle, passando a ser conhecido apenas como The Quarry Men.

Com a chegada de 1958, em um prazo de poucos meses houve uma série de mudanças na banda. Com as mudanças no repertório já mencionadas, passou a haver insatisfação por parte de Rod Davis, que já tinha deixado claro em outras ocasiões que não gostava muito de rock. Davis prefere o jazz. Durante as férias Natalinas, ele viaja com a família para a França e quando retorna, tendo analisado a qustão, conclui que está na hora de deixar The Quarry Men de lado. Davis então compra uma guitarra eletrica e ajuda a formar um trio de jazz chamado The Elastic Band com pianista Gerald Greenwood e o baterista Les Brough. Na vaga deixado por Rod Davis, Paul trouxe para a banda outro colega de escola, o pianista John ‘Duff’ Lowe.

George Harrison é convidado por Paul à assistir a banda ao vivo no Wilson Hall em Garston, apresentação realizado no dia 6 de fevereiro de 1958. Depois da gig, segundo conta Paul, ele, George e John acabam a noite em uma garagem de ônibus, em cima de um double-decker (ônibus de dois andares), onde foi realizada uma pequena audição. Segundo a lembrança de George, esta audição foi realizada no próprio Wilson Hall, outros recordam como sendo realizado em março em um lugar chamado The Morgue. Qualquer que seja o caso, o ponto em comum é que ao tocar "Raunchy" (Bill Justis), com uma execução perfeita, nota por nota, Lennon é convencido a aceitar a entrada de um músico ainda tão garoto. Uma vez na banda, George passou a ensinar John a tocar o violão como um violão, não como um banjo. John, que ainda tocava utilizando apenas quatro cordas, passava a ser forçado a se acostumar a trabalhar com todos as seis cordas do seu instrumento.

A formação dos Quarry Men está agora com Colin Hanton na bateria, Len Garry no baixo improvisado, Duff Lowe no piano e John, Paul, Eric e mais George, todos no violão. Houveram datas de ensaios e alguns shows em que Griffths não podia comparecer por uma razão ou outra. Com a entrada de George, a banda elevava o nível de execução. Por conseguinte, ficava mais evidente a diferença de talento entre o novato Harrison e o veterano Griffths. George começou a fazer pressão para se livrarem de Eric o que acabou acontecendo em junho. Seria mesmo entre junho e julho que uma série de incidentes praticamente acabaria com a banda.

Em março de 1958, foi aberta uma nova casa na cidade. Em uma área de casas abandonadas, um rapaz chamado Al Caldwell abre um clube chamado The Morgue. A região era toda barra pesada e o local em si, precário. Cabiam cem pessoas, não tinha banheiros, algumas poucas lâmpadas e um pequeno ventilador que teoricamente servia para refrescar e renovar o ar. The Quarry Men tocaram pelo menos quatro vezes entre a estréia da casa e seu fechamento em abril. O fechamento foi forçado pela polícia que condenou o local como um perigo público. Não só o Morgue mas outras instalações similares na redondeza tiveram o mesmo fim.

Teddy Boys
Teddy Boys

Esses locais, passaram a ser chamados de "banhos de sangue", pela reputação de brigas, verdadeiras guerras entre gangues de Teddy Boys, que aconteciam antes, durante e depois dos eventos. Os perigos da profissão se manifestavam da seguinte forma: se a banda agradar muito, a mulherada fica em cima e os Teds enciumados tentam provocar brigas com os músicos. Se a banda for mal, os Teds insultam e tentam provocar brigas com os músicos. As constantes guerras entre as gangues a cada fim-de-semana de baile, provocaram vizinhos a chamar a polícia, resultando no fechamento desses locais.

Outro problema que será tratado envolve a política financeira da banda. Paul McCartney se queixa que Nigel Whalley estava recebendo o mesmo valor que os músicos da banda embora ele praticamente não estava mais tocando com eles. Paul queria que a fatia referente ao trabalho de marcar shows fosse de um valor menor do que o pago para os músicos da banda que efetivamente fazem o set. Irritado e vendo seu pouco lucro ameaçar diminuir, Nigel conclui que não vale apena mais se envolver com a banda. Sem a ajuda de Nigel Whalley para marcar apresentações, junto com o fechamento do Morgue, diminuiram consideravelmente as oportunidades para apresentações ao vivo da banda.

Nasce a Dupla Lennon-McCartney

Em junho, o baixista Len Garry cai doente com uma grave crise de menigite tubercular. Len é levado para o hospital onde entra e permanece em coma por uma semana. Mas levaria muito mais tempo até Garry poder deixar o hospital. Sem seu baixista, John começa a fazer pressão para que Eric comprasse um baixo eletrico e assumir a posição de baixista da banda. O skiffle como uma moda já está acabando e a imagem daquele baixo improvisado não condiz com a banda e seu repertório rock’n’roll. Griffths não quer investir o dinheiro em um instrumento novo. Um baixo eletrico exigiria ainda um amp e alto falante, um dinheiro alto para investir, a banda vista apenas como um passatempo. A recusa serve para apressar sua saída.

No dia do aniversário do Paul, Eric liga para o amigo para desejar parabens e descobre que é o único da banda que não foi convidado. Fica por conta de Colin Hanton avisá-lo pelo telefone que ele não mais pertence ao grupo. Fica a Eric a nítida sensação de que caso ele tivesse investido capital para comprar um baixo, ele teria ficado. A banda, embora continuaria junto pelo restante do ano, teria uma repentina e considerável parada em suas atividades.

No dia 15 de julho de 1958, John Lennon estava na casa de Julia, brincando com sua meia-irmã enquanto esperava a sua mãe chegar. Nigel Whalley foi procurá-lo na sua casa e encontrou no portão Mimi e Julia conversando. Informado que John não estava, ele desce a rua com Julia, dobrando a direita na esquina enquanto Julia atravessa a rua. Mal deram as costas um para o outro se ouviu o barulho estridente de uma freiada brusca, seguida de um barulho surdo de impacto. Nigel se virou e viu Julia Lennon morta no meio da rua, atropelada por um policial bêbado de folga.

John diria sobre aquele dia que “Eu não conseguia chorar. Eu provavelmente estava congelado por dentro.” Depois de ir com Dykins reconhecer o corpo, voltou para Menlove Ave, se trancou no quarto e ficou tocando violão. À noite, procurou a namorada Barbara Baker. Os dois foram até o parque, sentaram em um banco e pela primeira vez após saber do ocorrido, John começou a chorar. Barbara nada mais conseguiu fazer senão abraçá-lo e chorar junto. O policial, de nome Eric Clague, além de estar embriagado, estava dirigindo sem ainda possuir uma carteira de habilitação. Nigel Whalley foi chamado para testemunhar, mas o policial acabou não indo para a cadeia, recebendo apenas uma suspensão. Quando o juiz declarou a sentença, Mimi se levantou e chamou todos de assassinos.

Com a morte de sua mãe, o líder dos Quarry Men se torna distante, solitário, ainda mais agressivo, além de extremamente explosivo. Lennon se consolava com bebida, constantemente enchendo a cara, o que incitava sua agressividade ainda mais. Neste período, a amizade entre John e Paul acaba sendo fortalecida pelo fato de que Paul, como John, era órfão de mãe. O que diferenciaria os dois era o sentimento de rejeição que John nutría por nunca ter crescido na companhia de seus pais. E um medo de que tudo que ele ama acaba morrendo. É nesta rejeição e neste medo que reside boa parte de sua agressividade.

Pouco depois do acidente, John escreveria sua primeira canção "Hello Little Girl". Dentro de pouco tempo, John e Paul estariam compondo juntos suas próprias canções, nascendo em seguida o acordo de cavaleiros que determina que toda canção de qualquer um dos dois, passaria a ser promovida como uma canção da dupla Lennon-McCartney. Entre 1958 e 1959, John e Paul irão compor diversas canções, várias delas na sala de Paul.

Recriação da sala de estar na casa de Paul McCartney, 1958
Recriação da sala de estar na casa de Paul McCartney, 1958

Embora a dupla diria em 1964 que eles teriam mais de cem composições feitas antes de estourarem, na verdade tinham menos do que a metade disto. Entre as composições conhecidas deste período estão "My Little Girl", "When I'm Sixty-Four", "Hello Little Girl", "Looking Glass", "Catswalk", "Love of the Loved", "Winston's Walk", "Just Fun", "Thinking of Linking", "The One After 909", "Years Roll By", "Keep Looking That Way", "That's My Woman", "I'll Follow The Sun", "Too Bad About Sorrow", “Years Roll By”, "Hot As Sun" "Love Me Do", e “In Spite of All The Danger" (Harrison-McCartney).

Com John de luto pela mãe, querendo mais ficar bêbado e tendo pouco ou nenhum pique de palco, os Quarry Men ficaram inativos. Entre julho de 1958 e janeiro de 1959, conta-se nos dedos de uma das mãos a quantidade de shows realizados pela banda. Este marasmo, contribuiu para que Paul achasse um estúdio barato e sugeriu que a banda fizesse uma gravação. A sessão realizado por volta de outubro em Kensington, culminou com a gravação de "That'll Be The Day" (Buddy Holly) e "Despite of All The Danger" (McCartney-Harrison). John diria em retrospecto que ele não queria forçar uma de suas músicas logo na primeira gravação.

O local ficava nos fundos da casa de Percy Phillips, o engenheiro de som e dono do estúdio. Havia um microfone central e um piano pregado no chão. Desta maneira, a equalização era feita com o posicionamento dos músicos e seus instrumentos ao redor do microfone. O resultado final embora razoável, deixou o piano praticamente inaudível. Depois desta sessão, John se animou novamente e a banda passou a ensaiar novamente com certa regularidade. No entanto, sem nenhum perspectiva de show e com uma namorada nova, Duff Lowe acaba cansando da longa viajem de ônibus, ida e volta para ensaios sem propósitos. Prefere investir seu tempo com o sexo oposto.

Sem Baterista

A banda ficou tão acomodado no ano de 1958 que, após julho, tiveram uma única apresentação no dia 20 de dezembro, por conta do casamento de Harry Harrison, irmão mais velho de George. E mesmo assim, foi apenas John, Paul e George, tocando violões acústicos sem a bateria de Colin. O pai de George, Harold Harrison, que também era chamado de Harry, estava envolvido com o clube social do sindicato dos motoristas de ônibus. Com uma festa natalina tardia, programada para ser realizada no dia primeiro de janeiro de 1959, Harry colocou The Quarry Men como parte das atrações da noite.


O gig prometia, pois, além do dinheiro que iriam receber, Sr. Harrison conseguiu convidar o gerente de um cinema que estava precisando mesmo contratar uma banda, para o seu estabelecimento. Estava tudo acertado e bastando The Quarry Men fazer uma boa apresentação, que certamente conseguiriam um contrato de trabalho de longa temporada no tal cinema.

O evento se chamava The Picton Lane Busmen’s Social Club Saturday Night Dance. Foi realizado no Wilson Hall, em Garston, de frente para a garagem dos ônibus e perto da área chamado popularmente de ‘banho de sangue’. The Quarry Men já haviam tocado no Wilson Hall diversas vezes antes em meio a briga de gangues e bebedeira geral. Este foi o local onde George primeiro assistiu os Quarry Men ao vivo. Mas esta noite, o público era mais adulto e comparecia com suas famílias. The Quarry Men fariam duas apresentações e a primeira foi razoavelmente boa. No entanto, enquanto aguardavam o segundo set, a banda descobriu que poderiam beber de graça. Foram servidos de cerveja Guinness com cidra, mistura popularmente conhecida como black velvet. Paul e John encheram a cara e quando voltaram para o segundo set, estavam em um estado deplorável de intóxicação. Fizeram um segundo set absolutamente horrendo, sacaneando George o tempo inteiro, o que deixou seu pai, Sr. Harry Harrison, envergonhado e aborrecido pois a banda o deixara mal diante de seus colegas motoristas e suas famílias.

O senhor que estava assistindo na premissa de contratá-los seguiu os rapazes para os vestiários. Tratava-se do gerente do Pavilion Theatre que confirmou que precisava de uma banda para tocar durante os intervalos entre as projeções dos filmes. No entanto, apesar de tocarem direitinho no primeiro set, demonstravam para ele uma total falta de profissionalismo ao se embriagarem daquela maneira. O homem continuou sua ladainha sobre a necessidade de total profissionalismo por parte dos artistas até que John Lennon se encheu e mandou ele ir para aquele lugar.

Na volta para casa, durante a viagem no ônibus, Colin se queixava com todos, envergonhado e frustrado que estava pela grande oportunidade perdida. O até então fiel baterista dos Quarry Men estava tão furioso que saltou do ônibus antes mesmo de seu ponto e nunca mais procurou os rapazes. Iniciava-se assim um longo e hoje histórico período sem baterista fixo na banda. Não demoraria muito, e George Harrison, também desanimado pela falta de shows, desistia dos Quarry Men. Ele passa a tocar em outra banda, The Les Stewart Quartet, onde o repertório era mais dirigido para o material de Leadbelly, Big Bill Broonzy e Woody Guthrie. Este quarteto consistia de Les Stewart, Ken Brown, e George Harrison nas guitarras e vocais, mais Geoff Skinner na bateria.

Bill, Stu e Cyn

A formação exata dos Quarry Men durante o período entre fevereiro e agosto de 1959 fica agora aberta para conjecturas. Como haviam cessado as atividades, na prática a banda não existia mais. Paul e George arrumam trabalhos temporários enquanto John volta suas atenções para desenho e arte. É neste período que sua amizade com Bill Harry se desenvolveria ainda mais. O forte de Bill Harry era literatura. Ele sonhava em ser um escritor ou jornalista e inevitavelmente faria as duas coisas. Ele reconhecia a genialidade do humor de Lennon em seus contos e poemas. Lennon sempre achou que ele foi colocado nos cursos errados, seus professores exigindo limpeza de traços e Lennon fazendo suas aberrações. Faltava humor no trabalho de seus colegas de turma e por conseguinte, não achavam graça nos seus traçados tampouco. O resultado é desinteresse no curso por parte de John. Bill vendo o gosto do amigo por desenhos, o colocou em contato com seu amigo Stuart Sutcliffe.

Stuart Sutcliffe
Stuart Sutcliffe

Stuart Ferguesson Victor Sutcliffe nasceu no dia 23 de junho, 1940, em Edinburgo na Escócia. Durante a Segunda Guerra Mundial sua família se muda para Liverpool, morando no suburbio de Huyton. Stu e mais suas duas irmãs estudaram piano durante o ginásio e em 1956, ele foi para o Liverpool Art College. Um de seus primeiros amigos foi Rod Murray que morava em West Derby. Ambos morando longe, resolveram dividir um apartamento em algum lugar perto da faculdade. Sua habilidade natural com tinta e pincel, chamou logo atenção de seus professores. Em tempo, Stuart foi chamado de o maior artista produzido pela escola. Seu outro grande amigo seria Bill Harry. Bill e Stu passaram longas noites bebendo e conversando sobre filosofia, metafisica e literatura moderna de escritories como Jack Kerouac e os poetas de San Francisco.

Por uma questão de prestígio acadêmico, tanto Bill Harry quanto Stu Sutcliffe eram membros da comitê do sindicato dos estudantes. Assim, influenciado pelos interesses do amigo Lennon que tem uma banda, conseguiram que a comitê comprasse equipamento de som para festas dentro da faculdade. O equipamento consistia em alguns amplificadores e alto falantes e seriam a primeira oportunidade do The Quarry Men de soar mais elétrico com George sendo o primeiro a conseguir uma guitarra para substituir seu violão. Harry coloca The Quarry Men para tocar nas festas, abrindo para bandas como The Merseysippi Jazz Band.

Lennon se muda da casa de sua tia Mimi em Menlove Ave., para dividir um apartamento com os dois colegas, Stuart Sutcliffe e Rod Murray em Gambier Terrence, perto da faculdade. No andar debaixo morava Bill Harry e por volta do próximo verão, ele já estará namorando Cynthia Powell. A turma se reunia no bar perto da faculdade chamado Ye Cracke. No último dia de aula, antes das férias de verão, aconteceu uma festa de despedida. Conta a historia que John, de olho na Cynthia convidou-a para dançar. Apesar de estar a meses secretamente apaixonado por ele, Cynthia ficou tão nervossa que respondeu de forma tipicamente britânica, “Lamento terrivelmente, mas estou noiva de um rapaz de Hoylake.” Aborrecido com a recusa, Lennon retrucou secamente, “Eu não estou te pedindo para casar, estou?” Eles passaram a namorar a partir desse dia.

The Casbah

Se foi sorte ou intervenção divina, jamais saberemos ao certo, mas por uma série de fatos, the Quarry Men renascem das cinzas. Para isto ocorrer, precisou haver uma briga na outra banda de George Harrison. The Les Stewart Quartet estavam tocando num lugar chamado Lowlands em West Derby. A então namorada de Harrison, Ruth Morrison ficou sabendo que perto dali iria abrir um novo clube. Contatos foram feitos e Ken Brown garantiu para o Les Stewart Quartet a noite de estréia e todos os sábados à noite. O lugar passou a ser chamado de The Casbah Club e Brown se comprometeu em ajudar a dona do estabelecimento, Sra. Mona Best, a aprontar o lugar. Evidentemente que Brown estava ganhando algum dinheiro ajudando a varrer e pintar o local. O líder da banda, Les Stewart, irritado com Ken Brown não vindo para os ensaios para ficar trabalhando no Casbah, se recusa a tocar no local.

A discussão estragou o clima para o ensaio e, ao final, George segue atrás de Ken. Sabendo que o mais difícil é ter um lugar para tocar, George garante que tem mais dois amigos que podem tranquilamente fazer este gig. George fala com John sobre a data no Casbah e marcam de ir conhecer o local. Enquanto Ken e George conversam e expoem a proposta para Sra. Best, John busca Paul que está trabalhando varrendo um pátio. Paul argumenta que ele não pode ir naquele momento porque está em serviço. Lennon retruca, “Então é isso que você pretende fazer pelo resto de sua vida?” Paul pensa por meio segundo, larga a vassoura, pula a cerca dos fundos, e some com John para remontar The Quarry Men.

The Casbah ficava no porão
The Casbah ficava no porão

The Casbah era um lugar espaçoso no porão da casa da familia Best. A residência, uma pequena mansão em estilo Vitoriana com quinze quartos, ficava situado na rua Haymans Green, no bairro de West Derby. O porão em si compreendia sete compartimentos, ou salas, dando condições para diversificar os ambientes do clube. Havia um bar para os comes e bebes de frente para um salão com mesas e cadeiras. Um quarto era para guardar casacos, que ficava perto dos banheiros. Uma sala para as atrações e a maioria do espaço vazio para a garotada poder circular livremente e paquerar.

Por ser tão grande, ainda havia muito que pintar e com a data de inauguração chegando, Sra. Best colocou os rapazes para ajudar. John ficou encarregado de pintar o teto, mas ele usou a tinta errada, tinta oleo, que levou dias para secar. Ele ainda brincou um pouco desenhando no teto figuras grotescas antes de cobrir tudo com tinta preta.

Nos dias que restavam antes da estreia, o novo quarteto ensaiou seu repertório. Nasce assim na noite de estreia do Casbah, no dia 29 de agosto, a última encarnação dos Quarry Men como um quarteto de violões. "O ritmo está nos violões" diria Lennon quando questionado pela falta de baterista. Nesta apresentação, tocam números como "Three Cool Cats" e "Long Tall Sally". A estreia do clube veio com bastante publicidade e The Quarry Men acabam se tornando a banda fixa dos sábados a noite.

The Quarry Men: George Harrison, Paul McCartney, Ken Brown e John Lennon
The Quarry Men: George Harrison, Paul McCartney, Ken Brown e John Lennon

A tranquilidade de se ter um ponto fixo para tocar durou somente até outubro. Na apresentação do dia 10 de outubro, por estar resfriado, Ken ficou em casa e não tocou com a banda. Apesar disto, a Sra. Best fez questão de pagar as três libras combinadas, dividindo entre os quatro, como sempre fizera. Isto deixou os demais enfurecidos, expulsando Ken da banda e prometendo nunca mais tocar no Casbah. Com a valiosa vaga de sábado à noite aberta, Ken Brown formaria com Chas Newley no baixo e Pete Best, filho de Mona, na bateria, um trio chamado The Blackjacks.

Quanto aos Quarry Men, começam a pensar em mudar de nome. Afinal, já não havia ninguém mais na banda pertencendo ao Quarry Bank High School desde o ano anterior. Perdera-se a muito o sentindo de se manter aquela associação. The Quarry Men portanto acabam oficialmente em outubro de 1959, com o trio passando a procurar outro nome. O primeiro nome escolhido foi the Rainbows.

Johnny & The Moondogs

John, Paul e George começam a procurar outro nome para a banda. O primeiro que surgiu como opção foi The Rainbows. O trio resolveu se inscrever mais uma vez para o "Carroll Lewis Discovery Competition", realizado ainda em outubro, novamente no Liverpool Empire Theatre.

Passam a cogitar que, estrategicamente, seria viável utilizar a popular tática de ter o nome do líder na frente, como a maioria das bandas faziam, tal como Bill Haley & The Comets ou Buddy Holly & The Crickets. É uma tática que os rapazes procurariam evitar no futuro. No espaço de uma semana mudariam tantas vezes de nome, que alguns amigos passariam a referir-se a eles apenas como "a banda do John", pois de Rainbows passam para Johnny & The Rainbows. Pouco depois surgiu The Moondogs, até que, para a competição, concordam em se chamar Johnny & The Moondogs.

Paul McCartney, John Lennon e George Harrison
Paul McCartney, John Lennon e George Harrison

The Moondogs supostamente teria sido inventado do nada. O nome Moondog foi primeiramente utilizado em 1951 pelo famoso DJ americano Alan Freed, que se auto-apelidou de Moondog, que seria um sujeito da noite, com hábitos noturnos. Antes dele criar o nome "rock and roll", Freed promoveria o "Moondog Coronation Ball", que é considerado o primeiro show de Rock da história. Pode-se especular que a verdadeira origem do nome surgiu daí, muito embora, se tal influência realmente tenha existido, provavelmente foi inconsciente. Nenhum dos três afirmam com certeza de onde apareceu o nome. Quando Carol Lewis, mestre de cerimônias da competição, perguntou a origem do nome aos rapazes, eles afirmaram que Moondog era o nome de um velho índio que gostava de bater latas.

John, dono de um violão de pouca qualidade, viu seu instrumento finalmente se despedaçar durante este evento. Acaba participando apenas cantando, com Paul e George de cada lado com seus violões. Jamais apresentam material próprio nestes eventos, optando nesta noite por tocar "Think it Over" e "It's So Easy", ambos de autoria de Buddy Holly. Embora não ganhem, agradam o suficiente para merecer um convite para retornar ao concurso. Na volta para casa, Lennon casualmente traz consigo um violão que cruzou pelo seu caminho. Coincidentemente, outro vencedor para a próxima etapa foi a banda Jett Storm & The Hurricanes, com seu baterista Ringo Starr. Jett Storm é Al Caldwell, que em pouco tempo passaria a se chamar de Rory Storm. Sua banda logo passaria a ser considerado uma das melhores de Liverpool.

Johnny & The Moondogs
Johnny & The Moondogs

Johnny & the Moondogs tocariam ao todo quatro vezes no Empire Theatre, até serem finalmente derrotados pela banda Connaughts que, ironicamente era o novo nome da antiga banda Sunnyside Skiffle Group, com seu anão astro Nicky Cuff, que os havia derrotado em 1957.

Aparentemente, graças a uma confusão por parte dos organizadores, The Connaughts ganharam mais tempo e puderam tocar dois números enquanto Johnny & The Moondogs respeitaram as regras e tocaram somente um. Reconhecendo a injustiça feita, Carol Lewis os convida para participarem da finalíssima a ser realizada em Manchester em novembro.

Assim, no dia 15, o trio acústico Johnny & The Moondogs segue de trem para Manchester. É durante esta viagem que se credita o nascimento da hoje conhecida brincadeira entre eles. "Where our we going, fellas?" "To the top, Johnny!" "And where's that, lads?" "Why, to the toppermost of the poopermost!" O evento foi realizado no Hippodrome Theatre, e foi longo e demorado. O prêmio prometia uma aparição no programa de TV Discoveries. A lembrança geral conta que os rapazes fizeram uma boa apresentação, porém, as regras exigiam que as bandas aguardassem até o final para determinar os vencedores. Entretanto, com o receio de perder o último trem de volta para Liverpool, não puderam aguardar para saber a colocação oficial.

Procurando um baixista

John está morando em um apartamento divido com Stuart Sutcliffe e Rod Murray em Gambier Terrance. Segundo algumas versões, Lennon dormia dentro de um caixão forrado que Stu encontrara jogado fora e arrastara para casa. O pequeno apartamento era imundo e durante boa parte do inverno não tinha água quente por falta de pagamento. Vida de faculdade de arte é a vida de boêmia beatnik-iana, onde a criatividade é nutrida pela falta de recursos. Com o dinheiro direcionado prioritariamente para comer, comprar tintas e telas, Stu passou aquele inverno usando os móveis como lenha para a lareira, única fonte de calor da residência.

Sentindo a necessidade de mais peso no som do grupo, John convida individualmente Stuart e Rod a entrar na banda, bastando um deles conseguir arrumar um baixo. Um não sabe do convite feito ao outro. Nenhum dos dois tinham a grana para comprar um baixo, amplificador e alto falante necessários. No entanto, a idéia de participar de uma banda soava tão interessante para Rod Murray que ele começou a tentar montar um. Comprou a madeira, mais um manual de instruções, passando a cortar e colar as partes como mostravam as figuras. Tudo na esperança de ter, no final de seu labor, um autêntico instrumento musical.

Na mesma busca por um baixista, George Harrison também tinha alguém em mente para trazer para a banda. Sem usarem um baixista desde a saída de Len Gerry e seu instrumento improvisado, George Harrison procurou o seu colega de infância Arthur Kelly, e ofereceu-lhe a oportunidade de entrar no grupo. A proposta era similar a feita por Lennon ao seus colegas de apartamento: arrume um baixo e amplificador e entre na banda! Sua amizade com Kelly vêm através de seu irmão Peter Harrison. Este é o mesmo Arthur Kelly que participara com Peter e George na primeira banda dos irmãos Harrison, The Rebels. Arthur e George continuaram amigos e andavam juntos, além de terem estudado na mesma escola. No entanto, apesar do convite tentador, Arthur estava a esta altura trabalhando como atendente em um magazine chamado Cunard e não quis largar tudo pela vida incerta de artista. Além do mais, um baixo iria lhe custar quase £60. Arthur Kelly assim, agradece mas dispensa a oportunidade de se juntar ao grupo.

Stuart Sutcliffe

Stuart Sutcliffe
Stuart Sutcliffe

Stu estava mais preocupado com a exposição de quadros da qual iria participar. Entre 17 de novembro de 1959 e 17 de janeiro de 1960 foi realizada a segunda bienal do John Moore Exhibition no Walter Art Gallery de Liverpool. Neste evento, diversos quadros estava sendo exibidos, entre eles, vários de Stuart Sutcliffe. Alguns de seus quadros impressionaram muito favoravelmente. Tanto que o próprio John Moore comprou um, pagando-lhe £65, um dinheiro considerável para um quadro de um estudante de 19 anos.

Assim que souberam do dinheiro, John e Paul encostam nele em um café e tentam convencê-lo de qualquer maneira a usar o dinheiro para comprar um baixo e entrar na banda. Atraído pelo glamour do palco e da probabilidade de atrair mais garotas como músico do que como pintor, Stu acaba topando a proposta e é levado à loja para comprar um baixo Hoffner President, já previamente escolhido por John e Paul. Não querendo estourar todo o seu dinheiro no baixo, ele comprou o instrumento à prestação sobrando dinheiro assim para poder comprar também telas e tintas. Sua opção demonstra que mesmo interessado em música, ele não estava disposto a abandonar inteiramente a pintura. Stu Sutcliffe entra assim oficialmente na banda, em fins de janeiro de 1960.

Se não fosse o dinheiro ganho pela venda do quadro durante o concurso, era mais provável supor que Rod Murray teria entrado na banda, apesar que, diferente do que se costuma comentar, Stu sempre teve interesse por música. Além das aulas de piano em seus anos de formação, Stu tentou aprender o violão após o surgimento de Elvis Presley. Seu pai, Charles Sutcliffe, era um marinheiro como Alfred Lennon, pai do John. Na volta de uma de suas viagens, trouxe-lhe um violão espanhol. Ele nunca aprendeu a tocar direito, mas agora com o baixo Hofner, recomeça a fase das bolhas nos dedos. Pertencendo agora à banda, há uma troca artística ainda maior entre os dois amigos. John ensina Stu a tocar o baixo e Stu lhe ensina técnicas mais aprimoradas em pintura e desenho. Stu procuraria se emendar no instrumento tendo aulas com Dave May, membro da banda local The Silhouettes.

Sutcliffe porém se queixa do nome inexpressivo da banda e John concorda. Johnny & The Moondogs era uma opção razoável, porém ainda longe de ser um nome ideal. Como todos admiravam Buddy Holly, Stu aparentemente discursa sobre o duplo sentido do nome Crickets (grilos), que é um inseto como também um esporte (muito popular na Inglaterra e nas suas ex-colônias). O duplo significado do nome chama a atenção de John que passa a noite revirando enciclopédias procurando por um inseto que possa ter um duplo sentido. O nome que chama atenção e agrada aos dois é beetle (besouro), mas Lennon logo muda a grafia para Beatal, como em beat all (vence todos). Depois da morte de John Lennon, passou-se a cogitar que fora de Stu a sugestão do nome Beetles. No entanto enquanto Lennon estava vivo, sempre se aceitou a versão de que foi dele essa escolha.

Durante as filmagens para o documentário Beatles Anthology, vinte e cinco anos após o fim da banda, George e Paul levantaram a hipótese de que Stu possivelmente teria tirado o nome 'Beetle' do filme "The Wild One" (O Selvagem da Motorcicleta), grande sucesso entre o público jovem com Marlon Brando como ator principal. No filme, beetle é o apelido que a turma de motociclistas dão para suas garotas. Porém esta teoria já foi questionada pois, segundo a lembrança, "The Wild One" fora censurado na Inglaterra na decada de cinquenta, só passando em meados dos anos sessenta, como foi outro filme, "The Girl Can't Help It" com Jane Mansfield, que estreou através da televisão em 1969. Porém esta teoria já foi questionada, pois "The Wild One" fora censurado na Inglaterra na década de cinquenta, só passando pela primeira vez em 1967.

Alan Williams

Alan Williams
Alan Williams

A primeira formação com o nome The Beatals têm apenas John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Stu Sutcliffe e durou apenas três meses no início do ano de 1960. Nesta época, em função de sua total falta de interesse com os estudos, John só não é expulso da faculdade, segundo alguns, por ser amigo de Sutcliffe, respeitado como sendo o aluno mais talentoso da instituição. O sucesso de Stu na bienal lhe deu ainda maior prestígio, tendo seu nome se tornado conhecido inclusive fora da faculdade, o que leva Stu a ser contratado por Alan Williams para pintar um mural no banheiro feminino de seu clube, The Jacaranda Coffee Bar. Uma vez que Williams se mostrou bastante satisfeito com o trabalho, Stu aproveitou a oportunidade para falar de sua nova banda e apresentá-lo a John Lennon.

Com a quantidade de bandas que surgiram, multiplicaram instintinvamente a quantidade de locais para eles tocarem. Qualquer lugar onde se pudesse montar alguma espécie de palco, cercar e cobrar ingressos, virava um local para uma dança na noite de sábado. De todos, os mais prolíferos eram os Cafés, lugares onde jovens passam horas conversando, paquerendo e se divertindo ao som de música ao vivo. Em Liverpool, The Jacaranda Coffee Bar se torna o reduto onde Sutcliffe, Lennon, Murray, Harry e muitos outros da faculdade passam a freqüêntar com maior freqüência. Lennon é quem mais aparece em tudo que é horário, enchendo os ouvidos de Alan Williams falando e promovendo sua banda, tentando de todos as maneiras arrumar uma data para tocar no local. Williams não gostava do som dos Beatals, que era considerado por ele ainda bem limitado.

Na semana entre 14 e 20 de março, Eddie Cochran e Gene Vincent tocam no Empire Theatre de Liverpool, em show promovido por Larry Parnes. Percebendo o frenesi entre a garotada por causa do evento, Williams procurou Parnes e conseguiu convencê-lo a trazer de volta as duas atrações para a cidade em maio. Sua intenção era de co-promover com Parnes um evento que contaria também com várias atrações locais.

Rory Storm & The Hurricanes
Rory Storm & The Hurricanes

Marcado para ser realizado no Liverpool Stadium no dia 3 de maio, foram contratados para o evento as bandas de maior prestígio da cidade. Assim foram convidados the Viscounts, Davy Jones (conhecido cantor negro americano cuja carreira se restringe à Inglaterra), Colin Green & The Beat Boys (que conta com Georgie Fame), Peter Wynne, Lance Fortune, Nero & The Gladiators, Cass & The Cassanovas e Rory Storm & The Hurricanes.

Os rapazes do The Beatals ainda tentaram marcar uma audição com Williams e chegaram a ensaiar certa tarde no Jacaranda. Por acaso, o baterista dos Hurricanes, Ringo Starr, estava de passagem pelo clube para conversar com Williams e ouviu um pouco do ensaio. Achou a banda fraquíssima e totalmente amadora. Williams não deu a minima ilusão de que os Beatals pudessem participar. Por educação, sem querer desmerecer tão jovem sonhadores, Williams deu como desculpa o fato de que eles não tinham baterista. Com sua mente criativa, John então bola outro trocadilho para a banda, the Beatles, como em beat-less (sem batida) devido à falta de um baterista na banda.

Gene Vincent
Gene Vincent

Com todos se preparando para o grande evento em maio, no dia 17 de abril, Eddie Cochran e Gene Vincent sofrem um acidente de carro a caminho de Londres. O táxi em que estavam bateu violentamente na estrada deixando Gene Vincent com um braço quebrado e a perna ruim que já possuía em estado ainda pior. Eddie Cochran foi lançado voando através do vidro da frente do veículo e morreu na hora. Para salvar a data já marcada, Allan Williams e Larry Parnes adicionaram mais bandas ao evento. Atrações como Julian X, Gerry & The Pacemakers, The Walley Group, Bob Evans & His Five Shillings, Dean Webb, Mal Perry e até mesmo aquela banda do anão, The Cannaughts. Todos acabaram participando. Todos menos The Beatles.

Larry Parnes

A importância deste show para toda cena musical de Liverpool que já começa vervilhar é imensa. O fato do público comparecer, mesmo que para ver essencialmente um show com artistas locais, provou que bandas de rock locais dão lucro. Com isso, abriu-se espaço para o rock dentro dos clubes até então considerados reduto exclusivo do jazz, blues e, quando muito, skiffle. O evento também fez Larry Parnes abrir o seus olhos (e ouvidos) para as bandas de Liverpool.

Larry Parnes é um dos grandes empresários da época, um dos primeiros a realmente investir em rock'n'roll e transformar a brincadeira em lucro, tanto para os seus artistas, como para a casa que os receba. No processo, evidentemente ele aglomerou lucro para si mesmo, junto com um tremendo prestígio no país. Basta mencionar que Larry Parners vêm à Liverpool procurando por uma banda para fazer toda a população de músicos da cidade sonhar com estrelato.

Seu começo se deu ao descobrir o talentoso Tommy Steele em 1956 no 2I's Club em Londres. O local passou a ser point instantâneo e acabou gerando também outros artistas ingleses, o maior de todos estes sendo Cliff Richards. Embora Parnes não pode se gabar de ter também achado Cliff, conseguiu um catálogo interesante de artistas, todos com sucesso relativo dentro do país. Em cada um, Parnes lhe batizou com um característico nome artístico.

Além de Tommy Steele (Steel=Aço), havia Marty Wilde (Wild=Selvagem), Duffy Power (Força ou Poder), Georgie Fame (Fama), Lance Fortune (Fortuna), Johnny Gentle (Gentil) e o primeiro artista de Liverpool a ter uma boa projeção no resto do país, Billy Fury (Fúria). Parnes achou muito interessante o som que as bandas desta cidade estava produzindo e acertou com Williams para dentro de uma semana voltar à cidade a procura de bandas de apoio para vários de seus cantores.

Enquanto maio não chega, durante o fim-de-semana prolongado da páscoa, Paul e John vão para Berkshire, onde os primos de Paul são donos de um bar. Lá ajudam trabalhando no bar em troca de uma oportunidade de se apresentar. A dupla, munida apenas de dois violões e nenhum microfone, toca na noite de sábado e na tarde de domingo. Se apresentam com o nome de The Nerk Twins, e além de parte do repertório normal, tocam à pedidos "The World Is Waiting For The Sunrise", um velho sucesso de 1953.

Audições Para Billy

Billy Fury
Billy Fury

Sutcliffe insiste e consegue convencer Williams a inscrever os Beatles para a audição que Larry Parnes faria para encontrar uma banda de apoio para um de seus crooners principais, Billy Fury. Billy, cujo nome verdadeiro é Ronald Wycherley, nasceu em Liverpool e foi colega de sala de Ringo no ginásio, sendo na época respeitado e tido por todos na cidade como um grande astro. Portanto fica fácil entender a boa vontade de Parnes de procurar arrumar para Billy uma banda de Liverpool.

Brian Casser, líder da banda Cass & The Cassanovas, seria de grande ajuda para os Beatles conseguirem a audição, pois garantiu para Williams que eles teriam um baterista de sua indicação, passando a Lennon o endereço de Tommy Moore. Casser teria também comentado com Lennon sobre o nome Beatles, que considerou um trocadilho ridículo, principalmente para um trabalho tão importante como a de ser a banda para um astro como Billy Fury. Outro detalhe que incomodava era que o nome era curto demais.

Novamente é aquela velha lógica de que todas as bandas importantes tinham nomes grandes e com uma figura central em destaque. Exemplos são Cliff Richards & The Shadows, Vince Taylor & The Playboys, Marty Wilde & The Wild Cats entre os ingleses, assim como Bill Haley & The Comets, Gene Vincent & The Blue Caps e Buddy Holly & The Crickets entre os americanos. Casser sugere então que Lennon mude o nome de sua banda para algo como Long John & The Silver Men, um trocadilho com o personagem Long John Silver, pirata do livro "A Ilha do Tesouro". Lennon não gostou do nome, embora tenha ficado inseguro com a possibilidade de um nome diferente como Beatles pudesse impedi-los de conseguir a 'grande chance'.

Contactado Tommy Moore, descobriram que se tratava de um sujeito de trinta e seis anos e que trabalhava manuseando um guindaste em uma fábrica de garrafas chamada Garston Bottle Works. O dinheiro pago pela curta excursão (apenas três semanas), caso fossem selecionados, valia à pena e Moore concorda em participar. A audição foi realizada durante a manhã e parte da tarde do dia 10 de maio no Wyvern Social Club, outro clube que pertencia a Alan Williams e que mais tarde seria renomeado The Blue Angel. Entre outras bandas ouvidas neste dia estavam Derry & The Seniors, Gerry & The Pacemakers, Cliff Roberts & The Rockets e Cass & The Cassanovas. John, Stu, Paul e George estavam nervosos pois o tempo estava passando e o novo baterista não chegava. O que acontecia era que Tommy Moore estava do outro lado da cidade tentando reaver sua bateria que ficara trancada em um clube ainda fechado. Quando chegou a vez dos rapazes tocarem, na falta de um nome melhor, adotaram The Silver Beetles. Novamente, Brian Casser se mostrou camarada ao ceder seu baterista Johnny Hutchinson para tampar o buraco. Moore chegou com os Silver Beetles ainda se apresentando, tocando nos dois últimos números.

Sutcliffe, Lennon, McCartney, Hutchinson e Harrison
Sutcliffe, Lennon, McCartney, Hutchinson e Harrison

Aparentemente a banda foi muito bem nesta tarde. Presentes e julgando estavam Alan Williams, Larry Parnes e o próprio Billy Fury. Mais do que a musicalidade, foi a movimentação que John e Paul deram à apresentação, sugerindo um grupo com uma noção de presença de palco, que cativou os olhos de Bill Fury. Mas Parnes não teve o mesmo entusiasmo e ficou com certas reservas quanto à banda. O fato de terem um baterista (Moore) tão mais velho lhe parecia ruim para a imagem desejada de uma banda que iria acompanhar Billy Fury.

Outra coisa que o deixara irritado com os Silver Beetles foi o baixista que só tocava de costas. Estava óbvio que ele teria pouca confiança para subir em um palco para tocar para uma casa cheia. Mas como Billy havia gostado deles, Larry Parnes então tentou negociar a banda sem o baixista. Lennon recusou a proposta em detrimento à opinião de Paul. No final, Cass & The Cassanovas foram escolhidos para a excursão e os rapazes voltavam para suas rotinas. John, Stu e Paul tinham obrigações acadêmicas enquanto George, que abandonara definitivamente os estudos, estava trabalhando como eletricista no Blackler's Department Store, que ficava situado em frente à NEMS, a maior loja de discos da cidade, que pertencia à família Epstein. Mas quando Larry Parnes não conseguiu nenhuma banda Londrina para outro de seus cantores, Johnny Gentle, telefonou para Wiliams e solicitou os serviços do Silver Beetles.

The Silver Beats


Os Silver Beetles seriam então aproveitados, ganhando £16 cada músico, por apresentação. Antes de serem confirmados para a excursão, a banda havia marcado dois shows, um dos quais eles teriam que cancelar por estarem já na Escócia. Para estas apresentações eles se chamaram The Silver Beats.

Lennon, que tinha um trabalho de escola para entregar, deixou Cynthia encarregada de fazer o dever e entregá-lo no seu lugar. Paul, que deveria estar estudando para suas provas, convence o seu pai que ele terá tempo suficiente para estudar e fazer a segunda chamada. Tommy pediu licença no emprego e George simplesmente se demitiu. Para a turnê na Escócia, o quarteto resolve cada um criar um nome artístico para si. John era o Long John, Paul passa a ser Paul Ramon, George homenageia Carl Perkins se tornando Carl Harrison e Stu lembra o pintor expressionista russo, Nicholas de Staël ao se chamar de Stu de Staël. Tommy Moore não entrou na brincadeira.

Johnny Gentle & The Silver Beetles

Esta se torna oficialmente a primeira excursão do grupo, que duraria nove dias. Os locais ficavam no raio de 110 quilômetros um do outro, porém marcados aleatoriamente, e leva o comboio a ficar indo e voltando diversas vezes na estrada. Tanta viagem causou considerável estafa, além de despesas individuais extras para cada músico. Os ânimos ficam tensos com Lennon destilando seu veneno impiedosamente contra os dois mais recentes na banda.

Johnny Gentle & The Silver Beetles
Johnny Gentle & The Silver Beetles

A excursão completa os leva a tocar entre dias 20 e 28 de maio. A primeira cidade, Clackmannanshire, foi a único ao sul do país, as demais todas ficavam no nordeste da Escócia, na região conhecida como Highlands. As cidades foram Inverness-shire, Aberdeenshire, Banffshire, Morayshire, Nairnshire, e depois encerrando em nova apresentação em Aberdeenshire.

Todo glamour inicial da primeira excursão durou muito pouco. Os locais eram os piores possíveis em cidadezinhas menores. No fim, serviu de experiência para abrir os olhos dos rapazes.

Johnny Gentle não gostou muito dos Silver Beetles, nem da banda, nem dos músicos individualmente. Pelo o que ele podia perceber, a união na banda era inexistente. O guitarrista vivia sacaneando todo mundo e o baterista odiava o guitarrista com paixão. E o resultado desta desunião era audível na hora de tocarem. Algumas das casas onde passaram chegaram a telefonar para Parnes fazendo queixa deles.

A situação financeira também se tornara crítica e inclui histórias envolvendo a banda fugindo de um hotel em Forres por não ter como pagar a conta. Mas o incidente mais trágico foi em Banff, quando a Van com Johnny Gentle e os Silver Beetles bateu em um carro. Um estojo de guitarra lá trás voou acertando Tommy Moore no rosto, fazendo-o perder alguns dentes da frente. Ele teve que ser hospitalizado, mas quando a hora chegou, foi retirado do hospital e colocado diante de sua bateria pois o show têm que continuar. Após o fim da excursão, Tommy Moore ainda se apresentaria com a banda em outras cinco ocasiões antes de se demitir.

O Circuito de Liverpool

Depois da excursão pela Escócia, Alan Williams passou a atuar como empresário do grupo, tudo resolvido em um acordo verbal. Rapidamente, Williams havia garantido para eles uma série de shows que pagavam à banda £10 por noite, os rapazes repassando £1 para Williams e £1 para garantir e agradar o leão de chácara.

Gerry and The Pacemakers
Gerry and The Pacemakers

Entre junho e julho, The Silver Beetles passavam a tocar praticamente todas as segunda-feiras no Jacaranda e todas as quintas no The Institute em Chelshire, enquanto aos sábados se apresentam no Grosvenor Ballroom em Wallasey, geralmente dividindo a noite com outra banda bem mais popular, Gerry & The Pacemakers.

Porém os locais eram verdadeiros antros de delinqüência juvenil. Os Teddy Boys dali eram do tipo que vão para os lugares com correntes e facas e vestem botas com o bico revestido em aço. Com uma série de ponta pés bem dados, pode-se aleijar alguém, precisamente o intuito. As áreas mais visadas para essas gangues eram as de Bootle, Garston e Litherland. Há um relato de que certa noite durante uma apresentação em Neston, um rapaz de dezesseis anos apanhou até quase morrer bem diante deles, que sem nada poder fazer, apenas continuaram tocando para não apanharem também.

Os leões-de-chácara eram igualmente violentos e o clima geral era quase como se a música fosse apenas uma desculpa para reunir as gangues, um fundo para o mata-mata, pois o programa mesmo era o duelo entre as gangues. Apesar da violência, The Silver Beetles estava pelo menos duas vezes por semana se apresentando nestas áreas. Tão sistemáticos eram os problemas de violência em certas regiões, que em início de agosto os shows foram cancelados forçosamente pela polícia, cansados das seguidas brigas sanguinárias. No fim, quem levou a culpa por tudo foi o rock 'n' roll.

Havia um acordo verbal travado ainda durante a excursão na Escócia, entre Larry Parnes e Alan Williams. O acordo era de que o Silver Beetles voltaria para a Escócia como banda de Dickie Pride, seu mais novo crooner. Quando confirmou-se que esta excursão não iria acontecer, Tommy Moore resolve abandonar o grupo sem maiores avisos, devidamente incentivado pela namorada. Ele simplesmente não apareceu para se encontrar com os rapazes. Tommy estava já de saco cheio de aturar este grupo de garotos liderados por um encrenqueiro metido a esperto, que achava divertido agredi-lo verbalmente a toda hora. Passado em muito a hora marcada, Williams e Lennon o procuraram em casa. Encontra sua namorada que, sem muito rodeios, manda todo mundo para aquele lugar antes de informar que Tommy havia se demitido. Williams e Lennon seguem então tentando encontrá-lo no seu antigo emprego. Lá encontram Moore no plantão noturno da velha fabrica de garrafas. Tommy se recusou a ir com eles naquela noite, embora tenha ainda tocado mais uma vez com os Silver Beetles no dia 13 de junho.

Todavia para aquela noite de 10 de junho, Lennon subiu no palco e informou aos presentes que o baterista acabara de comunicar que deixou o grupo. Ele aproveita então para perguntar se não há ninguém entre o público que queira assumir a posição. Quem se prontificou foi um Teddy Boy chamado Ronnie, líder de sua gangue de arruaceiros, que provavelmente nunca chegou perto de uma bateria em toda sua vida. Bebeu de graça por conta da banda, que tiveram que tocar com ele para não apanharem. Lennon ainda conseguiu ligar para Allan Williams pedindo socorro, este chegando ao local e com muita habilidade e diplomacia, conseguiu tirar a banda e o equipamento sem serem agredidos por Ronnie e seus amigos.

Janice & The Silver Beatles

No final de junho, John muda novamente a grafia do nome do grupo, tornando-se agora the Silver Beatles. Sem baterista porém cheio de shows para fazerem, Paul assume a lacuna, variando conforme a necessidade entre bateria, uma terceira guitarra ou o piano. Paul descobriu que tinha gabarito para tocar o instrumento por acaso. Seu irmão Michael, agora cada vez mais seguindo o caminho de Paul e investindo em música, passou a estudar a bateria com afinco. Tendo o instrumento em casa, Paul naturalmente sentou um dia para brincar. Michael conta que para sua surpresa, em menos de quinze minutos Paul estava tocando tão bem quanto ele que estava estudando havia meses. Michael abandonou a bateria em desânimo e Paul passou a praticá-la regularmente como passatempo. Meses depois, ele acaba servindo como baterista temporário de sua banda.

É durante este período que, além de seus shows normais, eles passaram a tocar para uma stripper chamada Janice no New Cabaret Artistes, outro clube que pertencia a Alan Williams, que ficava em Parliament Street, zona das meretrizes de Liverpool. A peituda Janice só trabalhava com músicos e não com discos, que segundo ela, não lhe dava a devida atmosfera para sua arte. Embora Janice oferecesse à sua banda partituras de Beethovan e Khachaturian, os Silver Beatles não sabiam ler música e portanto, elas de nada serviam. Janice e os rapazes concordaram com um repertório que incluía "The Henry Lime Theme", "Summertime", "Moonglow", "September Song", "Ramrod", "It's A Long Way To Tipperary" e "Begin the Beguine".

Williams Descobre Hamburgo

Qualquer analise séria sobre a música dos Beatles irá confirmar que o ponto de mudança do som dos rapazes seria as temporadas em que tocaram em Hamburgo. E o inicio da jornada para a Alemanha começa quando a banda principal do Jacaranda, um grupo chamado The Royal Caribbean Steel Band, deixa o local para tocar em Hamburgo em junho. A primeira providência de Alan Williams é colocar algumas bandas para preencher as vagas da semana, os Silver Beatles retendo as segundas para si. A outra foi de convencer seus dois sócios a ir com ele estudar a vida noturna de Hamburgo. Para poder negociar alguns contratos, caso a oportunidade se apresente, Williams teve a idéia de gravar algumas das bandas de Liverpool entre aquelas que tocavam em um de seus clubes. Ele usou um gravador que John Lennon roubou da faculdade e registrou porções das apresentações ao vivo destas bandas em seu clube.

Em Hamburgo, encontraram uma cidade onde se pagava bem por boa diversão. Munidos de uma fita rolo com gravações de bandas como Gerry & the Pacemakers, Cass & the Cassanovas, the Spinners, the Stompers e the Silver Beatles, encontram-se com um dos reis da noite de Hamburgo, um homem chamado Bruno Koschmider. A proposta de um intercâmbio entre bandas inglesas soava interessante para este empresário dono de vários clubes noturnos na cidade. No entanto, quando Williams colocou a fita para tocar, descobrem que ela havia sido desmagnetizada durante a viagem.

Sem ter o que apresentar a Koschmider, as negociações cessaram e a viagem foi considerada um fracasso. De volta em Liverpool outros problemas lhe aguardavam. Larry Parnes havia fechado um acordo com Williams para que outra de suas bandas de Liverpool, Derry & the Seniors, fosse excursionar durante o verão em Blackpool e arredores. Vários músicos da banda largaram seus empregos normais para poderem viajar, porém o projeto foi repentinamente cancelado. Ameaçado de apanhar sozinho, Williams foi "convencido" a levar a turma para Londres e tentarem encontrar Larry Parnes para tomar as devidas satisfações.


Williams conhecia o gerente do "2I's Coffee Bar", ponto entre os beatniks londrinos onde Tommy Steel, Cliff Richard e muitos outros foram descobertos. Derry & the Seniors puderam apresentar um set inteiro que agradou bastante o público presente. Acontece que, por um mero acaso, Bruno Koschmider estava lá tomando um café. Aparentemente instigado pelo o que ele ouviu falar das bandas inglesas na conversa com Williams em Hamburgo, ele naturalmente seguiu para Londres, não Liverpool, para conferir ele mesmo. Derry & the Seniors foram contratados ali mesmo e na semana seguinte estavam se apresentando no Kaiserkeller.

Enquanto isto, the Silver Beatles encontraram meramente por acaso, seu próximo baterista. Chegando no Jacaranda um pouco mais cedo do que o habitual para o show das segundas, ouviram um baterista ensaiando na vizinhança. Seguindo o som que os levaram para o outro lado da rua, começaram a gritar para o edifício, algo tipo "Ei, o sujeito tocando bateria. Apareça!" De um dos andares surge a cabeça curiosa de um rapaz. Foi mais ou menos assim que conheceram Norman Chapman, que foi convidado a entrar na banda na hora. Chapman, que tocava bateria apenas como hobby, muito surpreso e lisonjeado, aceitou. Infelizmente, dois meses depois em agosto, Chapman seria convocado para o exército indo servir por dois anos em Kenya e Kuwait. Outra versão conta que ele saiu porque não queria ir para Hamburgo quando o convite surgiu.

Pete Best

Koschmider havia escrito uma carta para Williams solicitando mais uma banda pois ele pretendia abrir um novo clube chamando the Indra e precisava de uma atração. A primeira escolha de Williams foi Rory Storm & the Hurricanes, porém eles estavam comprometidos tocando em Pwllheli, no País de Gales. Cass & the Cassanovas estavam viajando pela Escócia como banda de apoio de Duffy Power, em outra das excursões montadas por Larry Parnes. Williams então ofereceu a gig para Gerry & the Pacemakers porém eles recusaram. A idéia de ir tocar em um país que há pouco mais de uma década atrás estava bombardeando Liverpool não caiu bem entre os integrantes do grupo. Só então, Williams resolve apelar para os Silver Beatles, com a ressalva de que eles precisarão arrumar um baterista imediatamente para poderem aceitar.


Precisando de um baterista bom da noite para o dia, George teve a idéia de convidar Paul a lhe acompanhar até o Casbah para verem como anda Pete Best nos Blackjacks. Gostaram do que ouviram, e no intervalo Paul o convida para tocar com eles em Hamburgo. The Blackjacks a esta altura já estava mesmo na eminência de se separar, portanto Pete aceitou o convite sem remorso. Uma audição foi realizada no Wyvern Social Club no dia 12 de agosto de 1960, segundo alguns, mais para o apresentar a Alan Williams do que para a banda testá-lo.

Williams então escreve para Koschmider confirmando a chegado dos Silver Beatles. Não demorou muito e ele acaba recebendo uma carta dos Seniors se queixando de que, o esquema de Hamburgo promete ser lucrativo, porém se mandar os fraquíssimos Silver Beatles, irão estragar tudo para todos.

The Indra

Este seria o maior salário que já receberam na vida, £15 por semana, bem mais do que o pai de Paul ou George estavam ganhando. Um salário um pouco melhor do que recebiam seus professores no Liverpool Institute, onde Paul deveria estar fazendo suas provas finais para concluir o 2o Grau. Durante a viagem resolvem dispensar o "Silver" e passam a se chamar definitivamente como the Beatles, o nome agora representando apenas Beat Music, além do inseto. Viajaram em uma van que deu defeito no meio do caminho. Em uma parada em Arnhem, cidade holandesa, John Lennon furta de uma loja uma pequena gaita de boca. O 'brinquedinho' acabaria entrando no show e dois anos mais tarde, participando da gravação de "Love Me Do".

The Indra era um antigo bar de strip-tease com um palco bem pequeno que fora projetado para comportar algumas poucas dançarinas de cada vez e não cinco rapazes, uma bateria, amplificadores, caixas de som e microfones. O espaço era apertado e eles começaram suas primeiras apresentações inicialmente duros, praticamente não se mexendo no palco, certamente intimidados pelo país e idioma que não conheciam. No entanto com o tempo os Beatles, mormente John e Paul, aprendem a fazer show. Fazer show ou, como os alemães passaram a gritar, "mach shau!", consiste em uma variação de coisas. Basicamente, a banda passa a pular enlouquecidamente durante os números.

Obrigados a entreter das sete da noite até duas da manhã, passam a tomar Predulin, a versão alemã para o nosso Reativan, que eram vendidos pela bondosa Sra. Rosa, que tomava conta do mictório do estabelecimento. Predulin ou Prellys como eram chamados pelos rapazes, é um regulador de fome que contém anfetamina na sua composição. É para ser usado por pessoas querendo diminuir seus hábitos alimentares. A droga deixa a pessoa cheia de energia por horas, e também dá uma sede danada. Os rapazes então bebiam muita cerveja, geralmente pagas pelos proprios clientes, garçonetes ou quem mais estivesse interessado em agradá-los. Até mesmo porquê quando alguém estava lhe pagando uma bebida, tinha-se a obrigação de aceitar. Muitos dos clientes eram mafiosos que viviam de compra e venda de armas. Ninguém gosta de desagradar alguém que trabalha em um ramo desses.

Mach Shau!

The Beatles no Indra
The Beatles no Indra

Com a ajuda das anfetaminsas, os rapazes procuram esticar o conceito de 'mach shau' até onde a imaginação levar. Paul e John passam a fingir que estão brigando, para agitar ainda mais a clientela que quer ver movimentação de seus performers - atitude, e porque não dizer, virilidade. Lennon imita um aleijado, fazendo gestos e caretas grotescas. Passa a xingar e gritar de volta para os fregueses. No lugar de insultados, o público se sentia entretido, aplaudindo e oferecendo mais bebida para os músicos. Toda a provocação só atraía mais público, os freqüentadores mais assíduos passando a chamar a banda de "beknakked Beatles", ou seja, "os alucinados Beatles".

Com toda a atenção que a banda despertava, as prostitutas da vizinhança passaram em quantidade cada vez maior a freqüentar o local. Os cinco meninos não só encontraram sexo, como também aprenderam a prática da orgia, com direito a constantes trocas de companheiras por noitada. A experiencia toda abriu muito os olhos dos garotos - George o mais novo com dezessete, Stu o mais velho com vinte. No distrito de St. Pauli encontrava-se a chamada "Rua da Luz Vermelha", situada na (rua) Herberstrasse. Lá, os rapazes por vezes encontravam alguma menina com quem um deles dera uma rapidinha, muitas vezes em pé mesmo, em um corredor escuro do Indra na noite anterior. Todos os quatro contraíram alguma espécie de doença venérea durante este outono, mas rapidamente tomavam uma injeção de penicilina, fornecida gratuitamente pela saúde pública alemã e continuavam com seus hábitos sexuais inabalados. Contraíram tantas coisas, tantas vezes, que só se curaram de vez após retornarem para Liverpool no final do ano.

O volume de rock 'n' roll, até altas horas da madrugada, obriga alguns moradores da vizinhança a reclamar com a polícia do barulho. Assim, quarenta e oito noites depois de sua estréia, The Indra fecha e os Beatles são levados para The Kaiserkeller, dividindo sets com Derry & the Seniors.

O Kaiserkeller

Mach shau no Kaiserkeller
Mach shau no Kaiserkeller

Tocando no gigantesco palco do Kaiserkeller toda noite por oito horas, sete dias na semana, são movidos quase que exclusivamente a base de álcool e anfetaminas. Em pouco tempo, eles se solidificam como banda, ficando muito bons e com um repertório tão bem ensaiado quanto infindável. Ainda assim, Stu era o músico mais fraco e atrasava o melhor desenvolvimento dos demais.

Com a bebida, Lennon é tranqüilamente o grande personagem e líder da banda. Alucinado a maior parte do tempo, ele faz um pouco de tudo que se possa imaginar de absurdo em um palco. Ele xinga os alemães de krauts, marchando e gritando "Sieg heil!" Grita com a platéia, chamando-os de nazistas e fazendo saudações de "Heil Hitler", ato que era inclusive proibido por lei.

Certa noite Lennon sobe ao palco de ceroulas com um assento de vaso sanitário ao redor do pescoço imitando Adolf Hitler, usando uma suástica e marchando com as pernas esticadas, da forma característica daquele extinto exército. Tudo isto era ilegal na Alemanha desta época. Tudo aplaudido em meio a bebedeira geral. Lennon quando não canaliza sua agressividade para a música, leva a concepção de "mach shau" aos limites. Houve noite em que ele arriou as calças e mostrou a bunda para o público pagante no meio de uma canção. Em outras ocasiões ele simplesmente se jogava do palco para a platéia, coisa que só entraria na moda quinze anos mais tarde com o surgimento do punk.

Com as pílulas e mais birita, os rapazes ficavam acordados pulando e excitados por horas sem fim. E se começava a cair o pique, era então consumido mais pílulas. O sistema nervoso ficava também super sensível. Certa noite, um cliente resolveu subir no palco, possívelmente para dar um abraço de bêbado para bêbado. Lennon ao perceber a pessoa colocar um joelho no palco e começar a subir, instintivamente partiu para cima e chutou o homem duas vezes no rosto. Depois pegou uma faca de carne sob a mesa e jogou no sujeito. Haviam noites que os rapazes chegavam a espumar pelos cantos da boca, de tão ligados que estavam.

Quando o contrato de Derry & the Seniors acabou, eles foram substituídos por Rory Storm & the Hurricanes. Quando o contrato dos Beatles acabou em meados de outubro, foi estendido até final de dezembro. Os Beatles e os Hurricanes logo se tornaram amigos, Rory Storm já conhecendo praticamente todo o grupo quando ele cuidava do "The Morgue", um clube onde The Quarry Men tocava semanalmente. É portanto no Kaiserkeller que a banda vem a conhecer o baterista Ringo Starr.

Ringo Starr


Nasceu Richard Starkey Jr. em 7 de julho de 1940 em Liverpool, filho do casal Richard e Elsie Starkey. A familia distinguia pai e filho como Big Richie e Little Richie até que, aos três anos de idade, seu pai Richard Starkey deixa a casa, e o casal se divorcia. Little Richie veria seu pai apenas em duas ocasiões depois disto, uma no hospital após uma ruptura no apêndice e outra em 1962, pouco antes de se tornar mundialmente famoso.

O pequeno Richie teve uma infância submersa em doenças e pobreza. Morava no bairro de Dingle, área mais pobre de Liverpool e estudava no St. Silas Infant's School, até ser hospitalizado com problemas no apêndice e peritônio, que o levaram a um estado de coma que durou por dois meses. Nesse período o menino sofreu várias operações e os médicos mais de uma vez informaram a sua mãe da probabilidade dele vir a falecer. Richie saiu do coma, mas teve complicações ao cair da cama do hospital no dia do seu aniversário. Acabou levando quase um ano hospitalizado, e quando voltou ao St. Silas Infant's School, estava terrivelmente atrasado em relação aos outros meninos. Entre seus colegas de sala estava Ronaldo Wycherley, que mais tarde seria conhecido em toda Inglaterra como Billy Fury.

Richie iniciou o ginásio no Dingle Vale Secondary Modern, na época em que sua mãe se casou novamente com um simpático pintor e decorador chamado Harry Graves. Aos treze anos, a doença novamente atacou o menino Richie, com um resfriado evoluindo para problemas na pleura e complicações nos pulmões. Richie sai do hospital dois anos depois com dezesseis anos incompletos. Sem condições de retomar os estudos, parte para trabalhos manuais, tendo trabalhado como mensageiro, entregador de jornais e depois garçom em uma barca. Por gostar de ficar batucando nas coisas, seu padrasto, querendo alegrá-lo um pouco, compra uma pequena bateria usada.

Depois do verão, Richie conseguiu um emprego importante na firma Henry Hunt And Sons como aprendiz de marceneiro. Foi nesta firma que ele fez amizades com Eddie Miles, com o qual, junto a outros empregados da empresa, formam em 1957, no rastro da moda skiffle, o quinteto Eddie Clayton Skiffle Group. Dentro de dois anos, ele estaria tocando em outro grupo, o Downtown Skiffle Group, antes de ser convidado a se unir ao Al Caldwell's Texans. Com a moda skiffle acabando, não demoraria muito para este grupo mudar de nome, se tornando Rory Storm & the Hurricanes.

Rory Storm, Ty Brian, Ringo Starr, Lu Walters e Johnny Guitar
Rory Storm, Ty Brian, Ringo Starr, Lu Walters e Johnny Guitar

Foi Rory, conhecido como sendo um grande showman, que lhe conferiu o seu agora famoso nome artístico de Ringo Starr. Também é de Rory a sugestão que Richie, agora Ringo, tivesse um momento especial no show, batizado de "Ringo Starr-time", onde ele cantaria números como "You're Sixteen" ou "Boy's". A formação consistia em Johnny Guitar e Ty Brian nas guitarras, Lu Walters no baixo, Ringo Starr na bateria, além de Rory Storm nos vocais.

The Beatles & the Hurricanes

Lu Walters
Lu Walters

A relação entre os Beatles e os Hurricanes era tão boas que, quando Allan Williams foi visitá-los em Hamburgo, ele resolveu fazer uma gravação utilizando músicos dos dois grupos. Interessado na voz de Lu Walter, o baladeiro dos Hurricanes, Williams coloca o baixista como vocalista, com John, Paul e George fazendo backing. Assim, no dia 15 de outubro de 1960 no Akustik Studios, foram gravadas três canções. "September Song" e "Fever", com Lu Walters, Johnny Guitar, Ty Brian e Ringo Starr e depois "Summertime" com Lu Walter, John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr. Notem a importância histórica desta sessão por ser a primeira vez que John, Paul, George e Ringo tocariam juntos. Nove discos foram feitos, ninguém sabendo se algum sobreviveu o tempo.

Outro coisa que as duas bandas fizeram juntos foi uma certa aposta. O palco do Kaiserkeller já estava velho com as tábuas precisando de reforço. Mas Bruno não estava nem aí para esses detalhes que só resultavam em despesa. Então as duas bandas começaram a tentar conseguir quebrar o palco pulando durante os shows. Vencia a aposta aquela que conseguisse partir uma das tábuas primeiro. Quem ganhou foi Rory, e os rapazes foram depois comemorar no Willy's Café com Champagne. Quando Bruno soube que o incidente que resultou num buraco no palco foi proposital e que as duas bandas estavam comemorando a destruição com Champagne, mandou seus garçons, verdadeiros leões-de-chacaras, ir até Willy's Café dar uma lição aos rapazes. No entanto, apesar do encontro violento, os garçons do Willy's entraram no embate, defendendo o seus clientes e a coisa terminou antes de ficar feia. Nenhum osso foi quebrado e uma trégua foi travada entre Bruno e as duas bandas.

Os Existencialistas

Klaus, Astrid e Stuart
Klaus, Astrid e Stuart

Foi por volta desta época, entre outubro e novembro, que os Beatles conhecem um grupo de amigos que iriam influenciar os Beatles de diversas maneiras. Um estudante de desenho chamado Klaus Voorman briga com a sua namorada Astrid Kirchherr e sai prá noite. Passa pela zona vermelha de Hamburgo e é atraído pela música saindo de um dos clubes. Ao entrar, fica intrigado pela apresentação da banda, Rory Storm & the Hurricanes. Mas quando o próximo grupo toma o palco, Voorman fica fascinado.

Hipnotizado pela música e presença de palco, Voorman dois dias depois traz Astrid, e mais tarde outros amigos, dentro dos quais Jurgon Vollmer. Todos são universitários, estudantes de arte. Dentro da Alemanha, estes serão os amigos intelectuais da banda, estudantes como eles. Astrid e Jurgon se tornariam os primeiros a tirar fotografias profissionais do grupo. Klaus Voorman, que já fazia arte para capas de discos nesta época, foi o primeiro a tentar estabelecer um contato com os integrantes.

Segundo lembra John Lennon: "De repente tinha esse alemão da minha idade enfiando uma capa de disco na minha cara". Como desenhista, Voorman será mais lembrado como o autor da capa do "Revolver", sétimo disco dos Beatles, lançado em 1966. Não demoraria muito para Klaus perder a namorada para um dos membros da banda. Astrid e Stu se apaixonaram sem saberem trocar mais do que vinte palavras um na língua do outro. Logo, o baixista dos Beatles seria convidado a morar no sótão da casa de Astrid, o quarto que era de Klaus. Portanto, Stu deixa para trás as aventuras na "masmorra", apelido dado aos dois cubículos onde os cinco músicos viviam.

A Masmorra

A "masmorra" ficava no Bambi Kino, um cinema na rua vizinha ao Indra que os rapazes tinham acesso pelos fundos do clube. Localizado atrás da tela de projeção, tratava-se de um local sem janelas, úmido e sem luz, onde o odor de mofo se misturava ao cheiro de urina e excremento vindas do banheiro do cinema que ficava ao lado. Eram três quartos ao todo, sendo que em dois só cabia uma cama e ficaram com Paul e Pete. O terceiro era maior e oferecia uma cama beliche e um sofá. John e Stu dividiram o beliche enquanto o pequeno George dormia no sofá. Embora fosse esta a residência dos rapazes, o local só servia para duas atividades, sexo com parceiros múltiplos ou dormir pesadamente até a primeira sessão do cinema começar. O Bambi só passava filmes pornográficos alternando com filmes de gangster, portanto pode-se imaginar os primeiros sons do dia que eles ouviam ao acordar. Conforme a popularidade dos Beatles aumentava, algumas meninas adotaram o hábito de comprar um ingresso para o cinema à tarde, quando o clube ainda estava fechado, para conseguir acesso até a masmorra para acordar os rapazes para a primeira rapidinha do dia.

Pete Best, George Harrison, John Lennon, Paul McCartney e Stuart Sutcliffe
Pete Best, George Harrison, John Lennon, Paul McCartney e Stuart Sutcliffe

Os Beatles, influenciados pela amiga Astrid, passam a adotar cada vez mais roupas de couro. Com preços bem mais em conta do que na Inglaterra, os cinco compram casacos, calças e botas de couro, além de um quepe.

O outro grande investimento da banda nesta primeira estada em Hamburgo ficou por conta de John e George, que guardariam dinheiro com o exclusivo propósito de comprar guitarras Rickenbaker.

Desentendimentos

Durante esta primeira estada em Hamburgo, John e depois Paul passaram a malhar Stu constantemente, em parte porque ele estava morando e se alimentando bem graças a namorada, enquanto eles estava morando e se alimentando mal. Mas principalmente por causa de sua falta de evolução como músico. Stu, intimidado, acaba considerando deixar a banda e voltar a estudar arte e desenho, seu talento maior, idéia apoiada por Astrid. Enquanto nenhuma decisão é tomada, outros fatos ocorrem e ajudam a intervir. The Top Ten Club, outra casa noturna, inicia atividades e começa a criar uma severa concorrência para o Kaiserkeller, tendo seu proprietário, Bruno Koschmider, perdido vários de seus garçons para o concorrente, função esta que é primordial para o bom funcionamento de um estabelecimento nesta vizinhança, pois tratam-se de empregados com a dupla missão de servir clientes e garantir a segurança de todos dentro do local. Até Dona Rosa também deixaria o Kaiserkeller para cuidar do mictório do Top Ten, que pagava bem mais. Os Beatles começam a se dar conta que pelo público que atraem para o Kaiserkeller, poderiam estar ganhando bem mais. Procuraram Bruno e pedem um aumento, mas o dono do clube, acostumado a tratar com mafiosos e escória em geral, não só recusou mas também ameaçou quebrar as pernas dos rapazes caso eles tentem quebrar o contrato.

Tony Sheridon
Tony Sheridon

No Top Ten tocava Tony Sheridon, a quem os Beatles consideravam um estrela. Na Inglaterra, Tony foi o primeiro guitar hero inglês a despontar. Guitarrista do Vince Taylor & the Playboys, quando o grupo se separou, formou o Tony Seridon Trio, com direito a seis aparições na televisão, tudo isto no espaço de um ano. Depois foi para Hamburgo onde, segundo ele mesmo, começou a realmente fazer dinheiro. Os Beatles passaram a freqüentar o Top Ten para assistir seus shows e várias foram as ocasiões onde Sheridon os chama para subir no palco e tocar com ele. O dono do Top Ten, Peter Eckhorn, então convida os Beatles a deixar o Kaiserkeller e passar a trabalhar para ele, onde ganhariam quartos com janela, bem mais agradáveis para se hospedarem.

Quando Bruno Koschmider soube que os Beatles estavam se apresentando na casa do inimigo, ficou furioso. O contrato que tinham era apenas verbal e já estava findando. Quando todos foram chamados para o escritório de Bruno, sabiam que era a hora de renegociar um acordo melhor. Koschmider deixou claro que os Beatles nunca iriam tocar para o Top Ten e que seus "capangas" iriam quebrar os dedos de cada um se tentassem. Com isso, toda e qualquer esperança de negociar um aumento voou pela janela. Lennon, então cansado das ameaças, mandou Bruno ir se foder e neste clima ruim seguiu as últimas noites de trabalho no Kaiserkeller.


No fim da noite, George Sterner, um dos garçons que servia também como espião para o Koschmider, tentou arrumar uma confusão dando um tapa em uma prostituta que Pete Best estava paquerando. Best e Sterner acabaram saíndo no tapa, o garçon não levando tanta vantagem quanto imaginava. Esta foi a última noite dos Beatles no Kaiserkeller. No dia 17 de novembro a polícia apareceu procurando George Harrison. Como ele era menor de idade, a lei não permitia que ele freqüentasse, e muito menos trabalhasse naquele clube. Harrison foi sumariamente deportado, levado ao aeroporto por Astrid e Stu.

Os quatro restantes resolvem ficar em Hamburgo e se mudam para as acomodações oferecidas pelo dono do Top Ten. Lennon foi o primeiro a pegar suas coisas, se instalando no novo quarto onde iria dividir o beliche agora com Tony Sheridon. Stu, que morava com Astrid, não tinha o que buscar, bastando Paul e Pete reunir o seus pertences para começar uma temporada lucrativa no Top Ten. Mas as coisas não seriam assim tão simples.

Quando Paul e Pete vão buscar suas coisas, para poderem enxergar dentro do quarto, pregam quatro camisinhas de vênus (dois em cada quarto, um em cada extremidade) e os acendem. As peças de borracha, além de fumaça e mal cheiro, criam uma luz mínima, suficiente para que pudessem identificar seus pertences espalhados cada um em seu cubículo. Deixaram a borracha queimar parte do tapete colado na parede do quarto, sabendo que a própria umidade do local não permitiria uma chama duradoura.

No dia 30 de novembro, após uma apresentação no Top Ten Club e uma hora de sono, a polícia apareceu procurando Paul McCartney e Pete Best. Inicialmente levados para uma delegacia, foram formalmente acusados de tentar incendiar o Bambi Kino. São então levados para uma penitenciária. Depois de pouco mais que quatro horas presos sem permissão de deitar e dormir, obrigados a se sentar em posição que incluía os dois pés plantados no chão e as costas eretas, foram então levados ao aeroporto e formalmente deportados, sem bagagem, carregando apenas os passaportes que lhes foram entregues pela polícia. John, sabendo que logo estaria sendo procurado pelas autoridades, se escondeu na casa de Stuart e Astrid. Sem ter como continuar trabalhando, Lennon deixou a Alemanha de trem no dia 10 de dezembro. Somente Stu ficaria para atrás, aos cuidados de Astrid, pois estava resfriado e febril. Neste tempo, o casal ficaria noivo e Stu retornaria para Liverpool com intenção apenas de preparar sua mudança definitiva para Hamburgo.

The Casbah

Desanimados, mesmo estando a banda de volta em Liverpool, ninguém se procurou, afinal haviam seguido para Hamburgo falando em fazer fama e fortuna, mas voltaram sem dinheiro e com uma forte sensação de derrota. Lennon e George ainda trouxeram uma guitarra nova cada um, o que pouco impressionou alguém como Tia Mimi. Mas Paul nada trouxe além da roupa suja e um ar descrito pelo seu pai como sendo "mais velho do que sua idade". Ele acaba seguindo o conselho paterno e arruma um emprego dirigindo um caminhão de entregas para ganhar £7 por semana. Sua intenção a curto prazo era garantir pelo menos algum dinheiro para poder comprar presentes para sua família no Natal vindouro. Pete Best ainda perdeu a bateria nova que havia comprado pouco antes de se juntar aos Beatles e seguir para Hamburgo, pois o instrumento ficara no Top Ten Club, e sem saber quando voltaria para reavê-la, passa a usar sua velha. John soube através de Cynthia que ele perdera o ano por excesso de faltas.

Cartaz do Casbah feito por Mike McCartney
Cartaz do Casbah feito por Mike McCartney

Inevitavelmente eles acabaram se reencontrando e organizam os primeiros ensaios. Testam a banda com Paul no baixo mas ficam insatisfeitos com o resultado. Pete Best sugere então chamar Chas Newby, ex- Blackjacks, que estava de férias da faculdade. O jovem estudante de química aceitou ficar na banda por algumas semanas, estreando ao vivo no Casbah, dia 17 de dezembro.

A apresentação dos Beatles nesta ocasião foi memorável, especialmente para a banda. Foi a primeira vez que eles puderam perceber o quanto evoluíram como músicos em relação ao que acontecia no circuito musical de sua cidade. O Casbah até então seria o único local fixo do grupo, tendo demais shows marcados esporádicamente nos mais variados lugares, sempre arrumados por Alan Williams. Entre estes, está o grande ponto de virada da banda. Durante o retorno às atividades em dezembro e janeiro, George e John passam a escrever seguidamente para Stu pedindo pelo seu retorno.

Neil Aspinall, então fazendo faculdade de economia, era grande amigo de Pete Best e estava morando em um quarto alugado na mansão da família. Como todo mundo naquela casa, ele também passou a ser um frequentador assiduo do Casbah e é neste período, com os Beatles se apresentando em shows regulares, que Aspinall e os Beatles se conhecem.

Litherland e The Cavern

O show em Litherland Town Hall no dia 27 de dezembro, foi promovido como "Os Beatles diretamente de Hamburgo". Quando o grupo subiu no palco vestidos todo de couro, cheio de atitude e oferecendo um show de rock agitado como faziam na Alemanha, o salão gelou por segundos e em seguida todo mundo correu para perto dos músicos. Este dia é considerado pelos historiadores como o dia do nascimento da Beatlemania, embora o termo não seria usado até conquistarem Londres em 1963. É também o dia em que conhecem Bob Wooler, um DJ que trabalhava no Cavern Club.

The Cavern em Mathew St.
The Cavern em Mathew St.

A partir deste ponto, os Beatles nunca mais terão dificuldade para agendar shows. Em janeiro de 1961, Stu Sutcliffe retorna para Liverpool, e embora não houvesse queixas do trabalho do Chas Newby, John fazia questão de ter seu amigo na banda. Os cinco Beatles rapidamente se tornavam a sensação da cidade, com o mulheril gritando freneticamente, criando ciúmes nos Teddy Boys da cidade. Stu e George por serem os mais baixos, geralmente eram os alvos prediletos da turma afim de briga. Em uma ocasião, conta-se que juntaram Stu, esmurrando ele até que John e Pete, os dois mais fortes da banda, entraram na briga para proteger o amigo. John saiu desta briga com o dedo quebrado e Stu com um lado da cabeça sangrando.

O rock já estava dominando o interesse sobre o jazz em Liverpool e certos clubes, em nome do lucro, são obrigados a rever seus estatutos. Assim, em fevereiro, os Beatles começam sua histórica temporada no Cavern Club, inicialmente apenas no horário de almoço e mais tarde, à noite no horário nobre.

The Mersey Beat

Quando os Beatles voltaram para Inglaterra em meados de julho, estavam prestes a se tornar a banda mais popular de Liverpool e arredores, muito graças a ajuda de Bill Harry e seu jornal "The Mersey Beat" que começa a ser publicado, com sua primeira edição sendo lançada dia 6 de julho de 1961. Bill Harry, amigo de Stu e John ainda em Art College, seria outro nome que surgiria em um momento decisivo na carreira da banda. Seu jornal, tratando somente sobre a cena musical de Liverpool, ajuda a divulgar e espalhar o nome dos Beatles pela cidade. Dentro de um mês, Lennon estaria contribuindo com o jornal mandando pequenas histórias, geralmente usando o pseudônimo de the Beatcomber. O Cavern Club promove a festa da volta dia 14 e se torna um dos pontos fixos onde a banda se apresenta.


Sem empresário, e deixado de lado por Alan Williams, uma vez que os Beatles recusaram a pagar-lhe qualquer porcentagem pelo contrato com o Top Ten Club em Hamburgo, quem passou a assumir as financia da banda foi Pete Best. Depois do segundo retorno de Hamburgo, a banda passou a cobrar dos clubes £20 em contraste aos £5 à £6 que era o padrão. Embora muitas casas recusassem a soma, outras que conheciam bem a multidão trazida pelos Beatles adotaram o novo preço sem pestanejar.

The Cavern passa a contratá-los não somente para o horário de almoço como também para as sessões noturnas, um novo precedente do local, já que até então o horário noturno era reservado exclusivamente para jazz. Em pouco tempo, até outros locais que inicialmente recusaram os Beatles passavam a concordar a pagar o seu preço. Outra decisão administrativa foi de contratar alguém para levar a banda e equipamentos para seus diversos shows. Pete procurou logo seu amigo Neil Aspinall que estudara na mesma turma que Paul, Ivan Vaughn e outros Quarrymen, além de conhecer George de vista pelos corredores do Liverpool Institute. Neil comprou uma velha van por £15 e passou a levar e trazer os Beatles por toda a cidade, executando também tarefas de roadie, ajudando a montar e desmontar o equipamento da banda nos diversos palcos. Ele continuaria trabalhando com os Beatles enquanto a banda permaneceu unida, se tornando gerente geral da Apple Corps em 1968.

Em final de setembro de 1961, John ganhou um dinheiro extra de um parente como presente de aniversário. John pegou o dinheiro e foi à Paris, bancando a passagem e estadia também de Paul. Juntos exploraram a cidade e também se encontraram com o velho amigo de Hamburgo, Jurgon Vollmer, encontro marcado previamente em carta através de Stu. Este passeio é relevante por dois motivos. Em contato com Jurgon, passam a pentear o cabelo com o mesmo penteado que Astrid havia feito para Stu e mais tarde George. É o tal corte de cabelo Beatle, mundialmente conhecido como o "mop top". O outro grande detalhe será o fato de voltarem portando botas com meio salto, um modelo cubano (chamado cuban heel), que também se tornaria uma moda durante a primeira metade da década em todo mundo, chamados de "botas Beatles". Ao verem as botas, George e Pete encomendaram um par de cada na França. Afora as roupas de couro, a aparência que será sempre relacionada aos Beatles está quase toda montada.

Brian Epstein

The Beatles no Cavern Club
The Beatles no Cavern Club

Quando Brian Epstein resolveu se oferecer para ser empresário dos Beatles, seu nome causou tanto respeito dentro do comércio de Liverpool que muita gente achou que a banda teria um futuro promissor em pouco tempo. Brian inicialmente estudou a banda, assistindo praticamente todos os shows dos Beatles durante as primeiras semanas após o acordo verbal feito. Depois de assinado um acordo em papel, os Beatles mudariam radicalmente de visual, passando a usar gravatas e depois ternos, exibindo uma atitude mais profissional no palco, o que na prática queria dizer, sem mais falar palavrão, comer ou beber entre canções, para citar apenas dois exemplos.

O segundo ponto de ação seria as sistemáticas idas para Londres onde Brian passou a percorrer todas as principais gravadoras do país. Depois de muitos "nãos" e portas sendo fechadas, ele conseguiu uma audição com a Decca Records para o dia primeiro de janeiro. As sessões foram conduzidas por Mike Smith, espião da Decca que secretamente foi à Liverpool assistir a banda tocar, e portanto é responsável por dar o sinal verde para a gravadora realizar esta audição. A banda gravou nesta sessão, por sugestão de Brian Epstein, uma coleção mais variada dos diferentes estilos que englobava seu repertório. Dick Rowe, principal responsável da Decca pelos novos contratados, ao ouvir as fitas concluiu que bandas com guitarras estavam em decadência. Em março, os Beatles foram informados de que a Decca preferiu assinar com uma banda dos arredores de Londres chamado Brian Poole & the Tremoloes.

The Star Club e Parlophone

Os Beatles fariam uma última temporada em Hamburgo, tocando no Star Club onde conheceram Gene Vincent, Little Richard e Billy Preston. Stuart Sutcliffe havia falecido dias antes da chegada da banda, que recebeu a notícia no aeroporto ao encontrar Astrid, vista pela primeira vez sozinha. Consta que todos choraram menos John, que aconselhou Astrid secamente a escolher seu caminho: ou morrer com Stuart ou seguir sua própria vida. Ela nunca cansa de agradecer este inteligente e crucial conselho.


Quatro dias depois de chegarem na cidade, inaugurariam o Star Club. Neste ínterim, compõem e ensaiam "Love Me Do". Nesta última estadia em Hamburgo, a banda dividia um amplo quarto com banheiro e varanda, e recebiam como salário £100, vivendo a melhor situação financeira de suas vidas.

Enquanto os rapazes estavam em Hamburgo, Brian em Liverpool estava já quase a ponto de desistir de arranjar uma gravadora, quando encontrou a porta da Parlophone aberta. Ao indagar para o responsável pelas contratações de talentos, um certo George Martin, se ele já ouvira falar nos Beatles de Liverpool, Martin se esforçou para não perguntar o que era Liverpool. Ao ouvir as fitas gravadas na Decca, aceitou marcar uma audição após a chegada da banda. Nesta audição, Martin diria que ficou impressionado com o caráter e personalidade dos quatro rapazes, mormente John, Paul e George, os mais falantes. Concluiria também que assinaria o grupo mas só iria querer gravá-los usando um baterista profissional.

Johnny Hutchinson
Johnny Hutchinson

Em agosto de 1962, Pete Best seria dispensado. Uma vez que George Martin, o poderoso produtor da gravadora Parlophone, se recusa a usar o baterista nas futuras gravações, houve uma decisão unânime entre John, Paul e George de trocá-lo. Conta-se que Brian Epstein queria contratar Johnny Hutchinson para o lugar, este sendo considerado um dos melhores bateristas de Liverpool. Porém os três meninos foram firmes com seu empresário na escolha de Ringo Starr, baterista igualmente respeitado na cidade e que já tinha uma relação de amizade travada entre os membros do grupo. Hutchinson porém foi de fato contratado por Epstein para ficar no lugar de Best durante alguns compromissos já marcados, enquanto Ringo Starr dava uma semana de aviso prévio para Rory Storm & the Hurricanes, sua banda até então.

Formação Clássica e a Beatlemania


Apesar de muita comoção inicial com a saída de Pete Best, o sucesso dos Beatles em Londres e o resto do país começaria em fevereiro de 1963. Brian Epstein contrataria o ex-leão de chácara e porteiro do Cavern chamado Malcolm Evans para ser assistente de Neil Aspinall, como também um misto de roadie e guarda-costas dos Beatles. Mal Evans será outro pilar de confiança dentro do círculo interno dos Beatles, permanentemente associado ao grupo até morrer. Ele é também o único não Beatle a participar de quase todos seus filmes. Deste momento em diante se têm a formação clássica que permanence na história e na memória de todos.

Paul, John, Jimmy e George
Paul, John, Jimmy e George

Porém ainda haveria uma última mudança na banda. Em 1964, no auge da Beatlemania, Ringo Starr, em meio à excursão européia se estendendo para a Oceania, fica doente e é hospitalizado. Para seu lugar foi chamado Jimmy Nichol, ex-baterista do Georgie Fame & the Blue Flames. Ele tocaria com o grupo entre 4 e 11 de junho, sendo aposentado e devidamente presenteado com um relógio de ouro por serviços prestados.

Com a volta de Ringo para seu posto, a banda continuaria a fazer fama, fortuna e história durante o restante da década. Uma geração crescia e envelhecia com os Beatles e sua música. Muda-se a moda, a linguagem, a concepção de arte, a música e toda a indústria fonográfica como um todo. Dos terninhos Beatles para roupas multicoloridas, adoção de bigodes e barbas, até finalmente encontrarem suas esposas (Cynthia, Maureen, Patty, Yoko e Linda) e filhos (Julian, Zak e Mary).


Os Beatles ainda iriam tocar como um quinteto entre os dias 22 à 31 de janeiro de 1969, quando Billy Preston se juntou ao grupo para ensaios e gravações em alguns números para o novo álbum que acabaria sendo lançado com o nome de "Let It Be". Embora ele não tenha sido o primeiro músico extra a tocar com a banda durante sua carreira fonográfica, sua posição se torna de destaque por dois motivos. Primeiro por se apresentar ao vivo com a banda no dia 30 de janeiro de 1969, no topo do prédio da Apple no que ficou famoso como sendo o "Concerto do Telhado". Outra razão está no fato dos próprios Beatles destacá-lo em seus compactos, onde se apresentam como sendo The Beatles With Billy Preston.

Eternamente Beatles


O concerto do telhado seria a última vez que o grupo tocaria ao vivo e "Let It Be" o último álbum dos Beatles lançado pelo Fab Four. Daí em diante, o sonho acabou. A última sessão contendo os quatro Beatles juntos no estúdio seria realizada no dia 20 de agosto de 1969, onde mixaram "I Want You (She's So Heavy)." Nunca mais houve uma ocasião onde os quatro Beatles ocupariam o mesmo espaço juntos. Houve porém três ocasiões conhecidas, onde três Beatles seriam vistos juntos.

A primeira foi em março de 1973 durante a gravação da canção "I'm The Greatest" de John Lennon para o disco de Ringo Starr. A sessão foi realizada no dia 14 no Sunset Studios em Los Angeles. George Harrison havia aterrisado em Los Angeles dois dias antes, enquanto John e Yoko Lennon fizeram uma visita surpresa. Segundo Richard Perry, produtor do disco, não houve planejamento prévio, tudo foi uma mera coincidência que frutificou em uma memorável sessão de gravação. Completando a banda nesta ocasião estavam Klaus Voorman e Billy Preston. Paul McCartney se encontrava em Londres e depois veio a comentar que se fosse convidado, teria comparecido.


A segunda foi em 19 de maio de 1979, por conta da festa de casamento de Eric Clapton com Patty Boyd, ex-mulher de George Harrison. A recepção foi realizada nos jardins de sua mansão, chamada Hurtwood Edge, em Ewehurst. Presentes na festa estava uma lista infindável de celebridades, dentre eles, Ringo Starr e sua esposa Barbara Bach, George e Olivia Harrison, como também Paul e Linda McCartney. Em um palco montado, segundo contam, Paul, George e Ringo mais Eric Clapton e Denny Laine nas guitarras e ainda Mick Jagger e Jo-Jo Laine fazendo vocais, executaram "Magical Mystery Tour", um número de Chuck Berry e "Get Back." John Lennon se encontrava em Nova York e depois veio a comentar que se fosse convidado, teria comparecido.

A última ocasião foi já em 1994, onde Paul, George e Ringo passaram a se encontrar regularmente para gravarem material para o novo disco dos Beatles que passou a ser chamado de Beatles Anthology. O primeiro encontro foi no dia a 11 de fevereiro no Mill Studio em East Sussex, estúdio que pertence a Paul. Lá, Paul, George, Ringo e Jeff Lynn trabalham em "Free As A Bird", canção de Lennon cuja fita foi entregue pessoalmente por Yoko a Paul, durante a cerimônia da inclusão dos Beatles para o Hall of Fame. Futuras sessões incluem 22 e 23 de junho de 1994 em Friar Park, residência de George Harrison, realizadas em seu estúdio curiosamente chamado, FPSHOT (Friar Park Studios Henley-On-Thames), localizados como o nome sugere, em Henley perto do rio Thames. Retornariam a se encontrar apenas em 1995, com sessões nos dias 6 e 7 de fevereiro, 20 e 21 de março, e finalmente 15 e 16 de maio, todos realizados no Mill Studio de Paul McCartney.

Futuros encontros, se vierem a ocorrer, serão aguardados apenas em outro plano de existência.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 18 de janeiro de 2017

VinilVinil
Os dez discos mais vendidos nos EUA em 2017

1391 acessosRock: gênero é um trintão decadente, segundo Spotify400 acessosRingo Starr: novo álbum sai em setembro, e traz Paul McCartney1346 acessosBeatles: Paul McCartney fecha acordo sobre direitos autorais315 acessosSgt. Pepper's: entrevista exclusiva com o Sargento Pimenta0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

Muhammad AliMuhammad Ali
Roqueiros comentam morte de lenda do boxe

Música FácilMúsica Fácil
Três bateras excelentes que você subestima

Rock and RollRock and Roll
NME elege momentos mais controversos

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"

Black SabbathBlack Sabbath
Décadas depois a participação de Gillan causa espanto

CoincidênciasCoincidências
Imagens usadas por grandes bandas em outras capas?

HumorHumor
O que os fãs de rock pedem para beber em um bar?

5000 acessosMegadeth: as 10 maiores tretas de Dave Mustaine5000 acessosMetal Rules: Os 100 melhores discos da História do Metal5000 acessosClassic Rock: as 10 melhores baladas dos anos 805000 acessosContra-baixo: as melhores introduções do Heavy Metal3325 acessosLoudwire: 10 incríveis façanhas com baterias5000 acessosHá um Megadeth entre Marty e o Kiko

Sobre Márcio Ribeiro

Nascido no ano do rato. Era o inicio dos anos sessenta e quem tirou jovens como ele do eixo samba e bossa nova foi Roberto Carlos. O nosso Elvis levou o rock nacional à televisão abrindo as portas para um estilo musical estrangeiro em um país ufanista, prepotente e que acabaria tomado por um golpe militar. Com oito anos, já era maluco por Monkees, Beatles, Archies e temas de desenhos animados em geral. Hoje evita açúcar no seu rock embora clássicos sempre sejam clássicos.

Mais matérias de Márcio Ribeiro no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online