RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemEx-baixista do Metallica diz que Mustaine deixava outros membros comendo poeira

imagemO hit da Legião Urbana que seria recado de Renato Russo para Bonfá e Villa-Lobos

imagemA música do Dream Theater mais difícil de tocar ao vivo, segundo o baixista John Myung

imagemO único hit da Legião Urbana que Russo não fez a letra e marca reencontro com baixista

imagemFernanda Lira diz que se surpreendeu com comentário após descobrirem que ela é brasileira

imagemA única música da Legião Urbana que nenhum membro oficial participou da gravação

imagemGeezer Butler faria que nem Bill Ward se recebesse aquela proposta do Black Sabbath

imagemBeatles: O "desinteressado" membro que faltava às sessões de "Sgt. Pepper's"

imagemPaulo Ricardo presta justa homenagem ao melhor período do rock nacional em Curitiba

imagemQuem foi a primeira grande paixão de Cássia Eller?

imagemA dura opinião de Dave Lombardo sobre hipotética reunião do Slayer

imagemO álbum do Pink Floyd que nunca envelhece, segundo Sammy Hagar

imagemNuno Bettencourt diz o que acha de ser considerado o herdeiro de Eddie Van Halen

imagemPhil Collen, do Def Leppard, relembra quando tocaram para quase ninguém no Rio de Janeiro

imagemComo namorada de Regis Tadeu o fez trocar de profissão e passar a escrever sobre música


Stamp

Destruction: Review do show no Opinião Bar, em Porto Alegre

Resenha - Destruction (Opinião Bar, Porto Alegre, 14/10/2008)

Por Bruno Pasquini
Postado em 17 de outubro de 2008

Os germano-brasileiros do DESTRUCTION fizeram, dessa vez, de Porto Alegre palco do desfecho de sua passagem destruidora (com o perdão do trocadilho), pelo país. O local escolhido para acolher nossos quase compatriotas foi mais uma vez o bar Opinião, que recebeu um bom público na noite abafada de terça-feira 14/10/2008.

Foto da chamada: Ludmila Santos

Os Bangers ainda se concentravam na porta do recinto quando a banda de abertura LÁPIDE subiu ao palco para o "esquenta". Apresentando um Thrash/Death de qualidade os gaúchos do LÁPIDE conseguiram juntar uma considerável parcela do público em frente ao palco para uma comedida série de bangueadas ao som de metal tupiniquim, mas foi mesmo quando fizeram um cover de SLAYER que a galera deixou a timidez de lado e começou extravasar de fato. Destaque para a performance do baterista e do vocalista que hora ou outra me fazia lembrar de Chuck Billy do TESTAMENT. Era o aquecimento apropriado para o que viria depois, 1h40 de tormenta.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - GOO
Anunciar no Whiplash.Net Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ao final da apresentação de abertura, uma pequena pausa para os últimos ajustes de equipamento até a tradicional Intro para a avassaladora ‘Curse the Gods’. Neste momento todos os headbangers já estavam devidamente posicionados frente ao palco para receber Schimier, Mike e Marc, o trio. Quando Schimier soltava "Allah, Buddha, Jesus Christ..." o público gritava junto, enquanto eu esperava que ali, já naquele momento, o primeiro mosh-pit se formaria, algo que aconteceria somente pouco mais tarde na terceira música do set, ‘Devolution’. Ao que termina a empolgante música inicial, o tradicional "Boua noeti Purto Alegri" para despertar o público para ‘Nail to the Cross’ clássico executado com maestria, um dos melhores momentos do show, seguida de 'Devolution', apresentada como primeira faixa do novo álbum (homônimo), uma música impressionante, com variações de tempo, refrão que fica na cabeça e faz o pescoço doer, logo de cara. ‘Mad Butcher’ começou a sair pelos amps e a massa foi ao delírio. Daí em diante não parou mais. ‘Eternal Ban’, ‘Life Without Sense’, ‘Metal Discharge’ vieram uma após outra e a galera as recebia com entusiasmo, todas primorosamente executadas, o que fez até que quase passasse despercebido um pequeno equivoco de Schimier ao começar uma estrofe onde ainda não havia em ‘Eternal Ban’, mas nada que comprometesse. Se alguém ficou ressentido com o pequeníssimo tropeço ‘Death Trap’ foi a redenção, não houve quem não ficou com vontade de bater até na mãe naquele momento, algo sensacional!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - DEN
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

‘Thrash till Death’ começou logo após sua tradicional intro para dar seqüência à pancadaria que a noite prometia, todos cantaram juntos até o fim. Em seguida uma pequena brincadeira da banda tocando o comecinho de ‘Iron Man’ e ‘Sweet Leaf’ do Black Sabbath que logo deram lugar a ‘AntiChrist / Released from Agony’. A surpresa não parou com o cover sabbatico, logo um cover de ‘The Damned’ do PLASMATICS, para balançar ainda mais o público gaúcho. Voltando ao repertório da banda, ‘Invencible Force’ enche o bar com um coro arrepiante, um momento para ficar na memória. ‘Inventor of Evil’ foi escolhida pela banda para fechar a apresentação até o bis que viria pouquíssimo tempo depois, não deixando o pessoal ter tempo sequer para absorver as pancadas que haviam sido desferidas até então. Voltando da breve pausa Schimier, em um também breve discurso, disse que entende que o Brasil é um país de religiosos, mas que pra ele o que importa de fato é ‘Total Disaster’. Quando os incríveis riffs de Mike começaram, a maior roda da noite se abriu no meio da multidão, uma pancada para cada beat da caixa de Marc. Sem deixar o clima esfriar ‘Bestial Invasion’ invadiu (olha o trocadilho ai mais uma vez) o recinto com uma potência impressionante. Durante o refrão, após uma breve olhada ao redor pensei: "Será que tem alguém parado nesse lugar?" depois de um giro de 360° constatei – Não havia! Com esta, chegava o final da apresentação até que Schimier percebeu a sede do pessoal por mais uma e deixou ‘The Butcher Strikes Back’ de lambuja pra galera, e que lambuja! Muita energia e vigor ao agradecer a fidelidade de seus fãs por meio desta que é uma música em homenagem à todos que acreditaram no DESTRUCTION e confiaram que a banda estaria de volta após a saída de Schimier e uma pausa nas atividades.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - CLI
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

1h40 depois, aquela sensação de alma lavada tomou conta dos bangers que gritavam a uma só voz "Destruction, Destruction, Destruction" em agradecimento pela incrível noite proporcionada. Uma apresentação memorável, linear, sem deixar a peteca cair, algo típico da banda que em 25 anos nunca decepcionou, sempre sustentando o posto de pilar do trio de ferro do Thrash Metal germânico ao lado de SODOM e KREATOR. Que o açougueiro louco apareça por essas bandas muito mais vezes para visitar seus quase compatriotas, já familiarizados anfitriôes.

Set-List:
Intro
Curse the Gods
Nail to the Cross
Mad Butcher
Eternal Ban
Life Without Sense
Metal Discharge
Death Trap
Intro 2
Thrash till Death
Seven Deadly Sins + Antichrist + Released From Agony
Tormentor
Invencible Force
The Damned / Cracked Brain / Rejected Emotions
Soul Collector
Total Disaster
Bestial Invasion
The Butcher Strikes Back

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Anunciar

Thrash metal: 10 grandes álbuns do estilo lançados em 1987

Thrash: os dez álbuns essenciais do gênero

Utilidade pública: músicas para incomodar vizinhos que ouvem sertanejo no último volume


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Facchini Medeiros | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Bruno Pasquini

24 anos, de São Paulo - SP, publicitário. Trabalha com marketing promocional na Editora Abril.
Mais matérias de Bruno Pasquini.