Resenha - Offspring (Credicard Hall, São Paulo, 20/10/2004)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Wladimyr Cruz
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Quarta-Feira agitada na capital paulista: jogo no Morumbi, trânsito caótico, show do Chemical Brothers, e claro, The Offspring no Credicard Hall.

421 acessosThe Offspring: assista vídeos oficiais do show no Rock in Rio 20175000 acessosInspiração: 30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivado

Pela quarta vez em minha vida fui conferir um show do grupo californiano, sem dúvida um dos maiores expoentes do punk rock 90's, ou se preferir, poppy-punk.

Envoltos por uma aura de super-produção nunca antes vista, o Offspring veio ao Brasil com ares de 'show do ano', e pra mim, assim foi.

Talvez pelo altissimo preço do ingresso, ou mesmo por falta de interesse dos mais jovens, a casa não lotou, coisa que felizmente não desanimou os presentes. Uma legião de 'punks de rádio', fãs de hits, velhos admiradores e alguns curiosos se espremeram na grade aguardando o inicio das apresentações.
Escalado para abrir os shows de SP e RJ do Offspring, diretamente do Ceará tivemos o Switch Stance. O grupo nordestino com seu hardcore em português á la CPM22 dividiu opiniões, mas no geral agradou bastante e sem dúvida conseguiu conquistar novos fãs. Dentre as músicas executadas tivemos "Medo" e "Sempre Sincero", além de dois covers, um do Dead Fish, "Afasia", com a participação Cedric Brixteriana do vocalista do DF, Rodrigo; e um cover de "Peaceful Day" do Pennywise, esta fechando com chave de ouro a apresentação dos meninos. Curioso e interessante ainda a declaração de uma garota do público que estava próximo a mim: "vim aqui ver o Switch Stance, o Offspring é brinde". Parabéns aos meninos do SS.

22:30, o disco "London Calling" do Clash tocando inteirinho nos PAs, e a coisa aperta ainda mais na pista, e logo as luzes se apagam, dando incio à vinheta "Neocon", que abre o novo disco do grupo, "Splinter", logo seguida por "The Noose".

Um Dexter Holland gordo e velho, um Noodles ainda mais velho, um Greg K apático e um fantástico baterista, Atom Willard (ex-RFTC/ ex-Alkaline Trio) dão aula de como é um show punk/hardcore, mandando às favas toda essa nova geraçãozinha poppy-punk.

Nunca vi o Offspring tão fora de forma (fisicamente) na vida, mas também nunca os vi tão entrosados, profissionais e tocando tão bem. Quem pensava que o Offspring era um lixo ao vivo, terá de rever conceitos.

A terceira música do show foi nada menos que "All I Want", a partir dai, a público virou um empurra-empurra sem fim, e no palco um desfile de hits sem precedentes: "Long Way Home", "Hit That" (poderosa ao vivo), "Want you Bad" (mais rápida que o normal), a esquecida "Gone Away" etc.

O contato do Offspring com o público foi básico, assim como das outras vezes que tocaram aqui, mas ainda abrindo espaço para Noodles fazer piada sobre o nome do local do show, perguntando se o público usa 'credit card'.

O set seguiu com a fraca "The Worst Hangover Ever" (aplaudida apenas pelos 'punks de rádio), a hardcore-as-fuck "Have you Ever", a dobradinha clássica "Bad Habit/Gotta Get Away" (com o básico e arrepiante "stupid, dumbshit, goddam, motherfucker!"), "Walla Walla" (substituindo "Mota", a qual foi tocada nessa ordem no show de POA), "Da Hui" (pra mim, melhor momento do show), "Why Don't You Get a Job", "Americana" (surpresa tocarem esta), "Staring at the Sun", o hit "The kids aren't alright" e "Pretty fly".

Infelizmente não tenho mais 15 anos e a esta altura do campeonato, estava morto, exausto, e então a banda sai e dá uma trégua, voltando logo em seguida para o óbvio bis, com: "(Can't get) My Head Around You", a desnecessária cover dos Ramones de "Blitzkrieg Bop", e o hino máximo da geração x 90's, "Self Esteem".

Uma hora e meia de show foi o bastante para provar quem é que manda. Uma hora e meia com quem sabe o que faz. Uma hora meia que pode ter sido levemente burocrática, mas totalmente divertida.

Eu, geriátrico a meu modo, senti falta das canções do "Ignition" e do disco auto-intitulado, mas sei que se a banda tocasse alto tipo "Blackball" ou mesmo "Session", 99% dos presentes não iriam entender nada.

Com um cansaço brutal, me despeço aqui da descrição do melhor show internacional de 2004. Abaixo, segue o set-list do show:

Neocon
The Noose
All I Want
Come Out and Play
Long Way Home
Hit That
Want you Bad
Gone Away
The Worst Hangover Ever
Have you Ever
Bad Habit
Gotta Get Away
Walla-Walla
Da Hui
Why Don't You Get a Job
Americana
Staring at the Sun
The kids aren't alright
Pretty fly
(Can't get) My Head Around You
Blitzkrieg Bop
Self Esteem

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


The OffspringThe Offspring
Show direto, agitado e quente no Rock in Rio

421 acessosThe Offspring: assista vídeos oficiais do show no Rock in Rio 2017707 acessosThe Offspring: próximo álbum será lançado em 20180 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Offspring"

Pra ouvir e discutirPra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 1994

Pra ouvir e discutirPra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 1998

Big Brother BrasilBig Brother Brasil
Rock é coisa do demônio, diz a ex-miss Vivian

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Offspring"


InspiraçãoInspiração
30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivado

Musos do Rock e Heavy MetalMusos do Rock e Heavy Metal
Agora é a vez das garotas!

Thrash MetalThrash Metal
As 10 melhores baladas de bandas do gênero

5000 acessosNME: elegendo os 10 melhores frontmen do Heavy Metal5000 acessosPink Floyd: as brincadeiras e enigmas nas capas dos álbuns5000 acessosEagles: o significado da clássica "Hotel California"5000 acessosPra discutir: os 100 melhores discos de rock progressivo de todos os tempos5000 acessosMike Portnoy: ensinando filho de 14 anos a tocar música do Rush5000 acessosMetal: 12 gêneros explicados através de 36 riffs clássicos

Sobre Wladimyr Cruz

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Wladimyr Cruz no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online