Sepultura: a formação clássica deveria retornar?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Robson Santos Costa
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Antes de começar o texto uma pequena apresentação minha em relação à banda: vi meu primeiro show da banda (e primeiro da vida) ainda com Max nos vocais na hoje clássica tour do "Roots" no ano de 1996. Foi algo inesquecível. Até hoje me lembro dos olhos do índio estampado como pano de fundo que parecia nos acompanhar em qualquer local da casa de shows. Um mês depois Max sai da banda. Desde então vi todos os shows do SEPULTURA na minha cidade nesses últimos 13 anos.

50 acessosButeco do Rock Podcast: álbuns de 20175000 acessosRolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutos

Vale lembrar que em 1996 o SEPULTURA era uma das maiores bandas do mundo e estava pra se tornar – ao que tudo indicava – ainda maior nos anos posteriores. Inclusive, comentários de gente como Rob Halford, Vinnie Paul, Joe Perry e diversos outros após a separação da banda indicava isso. Não lembro exatamente quem, mas foi dito que se a banda não se separasse eles “ocupariam em um ou dois anos o lugar do METALLICA como a maior banda de metal do mundo na atualidade”. Lembrando que na época o IRON MAIDEN estava com Blaze nos vocais e o METALLICA lançando o “Load” e “Reload”.

Hoje, revendo os acontecimentos acredito que faltou maturidade em meio a tanta pressão para músicos ainda jovens – os quatros membros não tinham 30 anos ainda. Além do grande sucesso que, parafraseando Stan Lee, sempre traz “grandes responsabilidades” a banda enfrentava nascimentos problemáticos – a filha de Igor nasceu prematura com pouca chance de sobrevivência – mortes – o enteado de Max – conflitos de ego, etc. Acredito ter sido muita pressão em tão pouco tempo e a separação foi até justificável desse ponto de vista. Talvez se não ocorresse tivesse sido pior para a banda – digo como pessoas. Possivelmente problemas piores e bem mais sérios pudessem ocorrer num futuro próximo. Mas se fosse com músicos mais velhos e mais maduros talvez tivessem conseguido contornar os problemas.

Acho que a banda fez ótimos trabalhos desde então – muitos vistos com má vontade por boa parte do público – e melhora a cada lançamento. Acho a banda melhor do que o SOULFLY de Max – que também lançou bons trabalhos. Ao vivo então, só há reclamações de quem é louco. Pois a banda nunca deixou de fazer shows matadores, de deixar qualquer um com um grande sorriso ao término dos mesmos. Se o meu primeiro show com Max nos vocais foi fantástico, também digo isso da tour do “Revolusongs” – que entrosamento fantástico entre os músicos nessa tour – e as duas últimas – já sem Igor na bateria.

Sobre a saída do Igor até achei justa também visto que o mesmo já mostrava cansaço e falta de interesse nos últimos shows – e o cara começou com 13 anos. Jean veio com uma energia e técnica de fazer o queixo de qualquer um cair, quem viu ao vivo sabe o que estou dizendo.

Então, por que diabos eu acho que é a hora de uma volta da formação clássica?

Primeiramente vamos ao fato do que representa uma formação clássica de uma banda – que nem sempre é a primeira formação. Ela representa uma magia, possui uma “aura” – como diria Walter Benjamin – um “poder” que nem uma outra possui. É algo realmente que não pode ser explicado em meras palavras – é como o time do Flamengo de 1981 (desculpem mas não resisti).

Vi o SLAYER com o Dave Lombardo na bateria há us três anos e dizer o quê? Só o fato do batera clássico estar lá fez o show ter uma magia única, algo indescritível. A "aura" benjaminiana mostrou-se presente. E quando a banda se separa o gostinho de ver membros clássicos juntos é melhor ainda.

O BLACK SABBATH é a melhor banda para se comparar com o SEPULTURA – principalmente no meu caso que adoro a era Derrick também. Após a saída do Ozzy a banda se reformulou com a entrada do pequeno grande Dio. Depois o batera saiu e entrou outro ótimo. A banda fez um grande sucesso e foi muito mais bem aceita pela maioria - mais do que o SEPULTURA com Derrick. Mas todos sempre queriam vê-la com Ozzy com a famigerada “formação clássica”. Sempre quando Dio cantava as canções da Era Ozzy a sombra da formação clássica pairava sobre a banda. As inevitáveis comparações, etc., etc. E isso até hoje. E essa sombra pesa - e muito.

Tanto isso é verdade que na última volta da banda com Dio desistiram de apresentar tais canções e até mudaram o nome da banda – o porquê fica pra outra discussão. Assim, cada um cantou as suas músicas sem comparações. E as duas formações de certa forma coexistem sem maiores problemas. Um período pode ser Sabbath com Dio e Appice em outro pode ser Sabbath com Ozzy e Ward. Pois o trabalho das duas “eras” merece isso e nada melhor para o público do que ver ambas as formações.

Hoje os músicos do SEPULTURA são pessoas mais velhas e maduras. Acredito que Max e Andreas – os melhores compositores da banda que juntos são fantásticos – aprenderam muito, agregaram novos conhecimentos e referências. Creio que os dois trabalhando juntos novamente sem ressentimentos gerariam grandes canções como só os dois sabem fazer.

Essa nova geração da fãs merece ver a formação clássica da banda. Ver uma magia única, que somente os quatros podem proporcionar e diferente de qualquer outra banda do mundo.
O mundo do metal hoje pede isso, várias formações clássicas estão se reunindo. Acredito que uma boa conversa dos hoje homens maduros – e não mais moleques de 20 e poucos anos – não faria mal a ninguém.

Também acho errado voltarem apenas por dinheiro – embora ele não faça mal a ninguém – mas acho que já podem voltar – amadurecidos como já disse – pela arte em si, por tudo que a formação clássica representa - Igor e Max já se falam novamente.

Não gostaria de ver a formação com Derrick desfeita. Acho que podiam fazer como o Sabbath. Andreas tocaria com as duas bandas e chamaria a outra de “Nation” talvez. Ou Derrick e Jean formassem uma nova banda que possivelmente seria ótima e eu não perderia um show.

A volta da formação clássica além de ser a notícia do ano no mundo do metal com certeza traria shows inesquecíveis, fãs em êxtase total, uma magia única de volta. O orgulho da maior banda brasileira de todos os tempos em "chutar bundas" em todo o mundo novamente – talvez fazendo novamente o SLAYER abrir pra eles como em 1996.

E com músicos mais amadurecidos e sábios acredito que boa coisa também viria do estúdio. Hoje saberiam melhor administrar todo o sucesso e as conseqüências inerentes ao mesmo. A idade vem chegando, o tempo passando e o momento de mostrar ao mundo novamente a magia é esse – pois tanto Max quanto o SEPULTURA ainda estão em ótima forma.

Se for uma volta pura e simplesmente por dinheiro eu seria contra pois acho que a arte seria prejudicada e não duraria nem uma nem um ano a volta e acabaria com as duas formações–o ANTHARX é a prova, já que faziam um bom trabalho com John Bush.

E não proponho isso desmerecendo nem um pouco a fase atual da banda que, como já disse, adoro. Mas uma formação clássica é uma formação clássica. E uma formação clássica como a do Sepultura é realmente única. Ela deve existir novamente. E não apenas por saudosismo ou para viver do passado. Não. Mas um retorno pra valorizar essa passado glorioso sem, porém, se prender a ele. O SEPULTURA nunca foi uma banda que vive de passado e não seria dessa vez. Max e Andreas novamente em sintonia - e com mais conhecimento - provavelmente fariam o SEPULTURA ficar um passo à frente do marasmo atual do metal - como sempre fizeram quando trabalhavam juntos. Seria um Sepultura pro futuro - valorizando seu passado.

Por isso, Andreas, Max, Paulo e Igor, sentem, conversem, esqueçam mágoas, lembrem da arte e da magia e deixem o mundo do metal novamente de cabeça para baixo com algo único como só vocês quatro sabem fazer e ninguém mais – e ainda encham a conta bancária, por que não?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

SepulturaSepultura
"Chaos A.D." e "Roots" ganharão versões expandidas

50 acessosButeco do Rock Podcast: álbuns de 2017971 acessosSepultura: completamente diferente, sem medo de arriscar!0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sepultura"

CoversCovers
Blog elege Top 5 por bandas brasileiras de Rock/Metal

Metal nacionalMetal nacional
Quinze álbuns clássicos de bandas brasileiras

SandySandy
O filho dela, Theo, gosta de Sepultura

0 acessosTodas as matérias da seção Opiniões0 acessosTodas as matérias sobre "Sepultura"

Rolling StoneRolling Stone
Revista elege os melhores rocks com mais de sete minutos

Sgt. PeppersSgt. Peppers
Quem são as pessoas e quais os objetos da capa?

CuriosidadesCuriosidades
10 músicas que foram "tomadas" emprestadas

5000 acessosGuns N' Roses: Axl Rose conversa com fãs e abre o jogo!5000 acessosBeavis e Butthead: como eles seriam se fossem reais?5000 acessosAngra: banda errou na escolha de Fabio Lione?5000 acessosGoogle: os artistas/bandas de metal mais procurados5000 acessosAlice Cooper: algumas vezes ele quase morreu de verdade no palco5000 acessosOs diários secretos de Roger Waters

Sobre Robson Santos Costa

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online