Tony Iommi: "não sei como criei aqueles riffs"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Rangel, Fonte: AZStarNet.com, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Kevin W. Smith, do site AZStar.Net.com, entrevistou em 2007 o lendário guitarrista Tony Iommi (BLACK SABBATH, HEAVEN AND HELL).

Grandes covers: cinco versões para a emocionante "Changes", do Black SabbathPantera: "odiei gravar Cowboys From Hell", diz Phil Anselmo

Quando vocês contrataram Dio para liderar o BLACK SABBATH nos anos 70, qual o tamanho do risco artístico que vocês correram?

Iommi: "Não existiam muitas opções, para ser honesto, naquela época. Nós chegamos a um ponto em que não podíamos mais continuar como estávamos. Ou a banda terminava ou seguíamos em frente com Ozzy seguindo o seu próprio caminho. Foi isso o que realmente aconteceu. Ozzy não estava mais gostando de fazer aquilo naquela época, então parecia uma boa opção nós chamarmos Ronnie. Uma direção vocal diferente. Se tivéssemos arranjado alguém muito parecido com Ozzy, todos iriam fazer comparações".

Você é considerado um dos fundadores do Heavy Metal, que sempre possuiu fãs bastante devotados. O que existe no gênero que leva a essa devoção das pessoas?

Iommi: "Eu acho certamente que o que estamos fazendo é uma música honesta. Não estamos fazendo um show glamouroso ou qualquer coisa do tipo. Estamos apenas tocando e não fazemos acrobacias no palco. Nós apenas vamos lá e nos divertimos".

Quando vocês tocavam Metal antigamente, onde buscavam inspiração, já que não existia muitas bandas como a de vocês naquela época?

Iommi: "É exatamente isso, não existia um tipo de inspiração. A inspiração vinha de nós mesmos, de acordo com o que nós sentíamos e onde morávamos. Foi algo que surgiu e que não podíamos explicar. Não consigo explicar como eu criei aqueles riffs, pois foi algo que, naqueles tempos, soava muito diferente. Nada como aquilo existia. Éramos muito atacados por causa disso - 'que tipo de música é esta?' - pois não era muito bem-visto este tipo de música pela imprensa daquela época, estávamos fazendo algo que nem nós mesmos compreendíamos. Nós apenas gostávamos do que estávamos fazendo".




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Black Sabbath"Todas as matérias sobre "Tony Iommi"


Grandes covers: cinco versões para a emocionante Changes, do Black SabbathGrandes covers
Cinco versões para a emocionante "Changes", do Black Sabbath

Black Sabbath: cronologia dos dez vocalistas que passaram pela banda (vídeo)Black Sabbath
Cronologia dos dez vocalistas que passaram pela banda (vídeo)

James Hetfield: Tony Iommi comenta sua volta à reabilitaçãoJames Hetfield
Tony Iommi comenta sua volta à reabilitação

Black Sabbath: Bill Ward lança música dedicada às vítimas de tiroteio em Las VegasBlack Sabbath
Bill Ward lança música dedicada às vítimas de tiroteio em Las Vegas

Black Sabbath: nova versão de War Pigs em trailer de King's Man; A OrigemBlack Sabbath
Nova versão de "War Pigs" em trailer de "King's Man; A Origem"

Grandes covers: cinco versões para Children Of The GraveGrandes covers
Cinco versões para "Children Of The Grave"

Em 25/09/1972: Black Sabbath lançava o inovador Vol. 4Em 25/09/1972
Black Sabbath lançava o inovador Vol. 4

Bill McClintock: Sabbath 3x, Creedence, Ozzy solo e Ohio Players juntos

Grandes covers: cinco versões para a imortal ParanoidGrandes covers
Cinco versões para a imortal "Paranoid"

Ozzy Osbourne: qual a música que mais marcou o madmanOzzy Osbourne
Qual a música que mais marcou o madman

Black Sabbath: Geezer Butler explica porque trocou a guitarra pelo baixoBlack Sabbath
Geezer Butler explica porque trocou a guitarra pelo baixo

Instrumental: dicas de hoje, um clássico do cinema e outro do metal

Ozzy Osbourne: Geezer Butler e Bill Ward não falaram com ele desde suas internaçõesOzzy Osbourne
Geezer Butler e Bill Ward não falaram com ele desde suas internações

Em 18/09/1970: Black Sabbath lançava o clássico Paranoid

Black Sabbath: 10 músicas lado b tão legais quanto as clássicas - Parte 1Black Sabbath
10 músicas "lado b" tão legais quanto as clássicas - Parte 1

Halestorm: a música que fez cada integrante buscar por um instrumentoHalestorm
A música que fez cada integrante buscar por um instrumento

Tony Iommi: só pudemos tocar músicas que o Ozzy conseguia cantarTony Iommi
Só pudemos tocar músicas que o Ozzy conseguia cantar

Surdez e zumbidos: 10 músicos que lutam contra problemas auditivosSurdez e zumbidos
10 músicos que lutam contra problemas auditivos


Pantera: odiei gravar Cowboys From Hell, diz Phil AnselmoPantera
"odiei gravar Cowboys From Hell", diz Phil Anselmo

Refrãos: alguns dos mais marcantes do Rock/MetalRefrãos
Alguns dos mais marcantes do Rock/Metal

Sign of the horns: o sinal do DemônioSign of the horns
O sinal do Demônio

Gosto Musical: artistas falam do que devia ser banido para sempreGosto Musical
Artistas falam do que devia ser banido para sempre

Evanescence: estranha criatura em foto de Amy Lee com seu filhoEvanescence
Estranha criatura em foto de Amy Lee com seu filho

Max e Iggor Cavalera: conheça o ônibus de turnê dos irmãosMax e Iggor Cavalera
Conheça o ônibus de turnê dos irmãos

Ultimate Classic Rock: os 40 maiores discos dos anos setentaUltimate Classic Rock
Os 40 maiores discos dos anos setenta


Sobre Vitor Rangel

Um carioca apaixonado pela boa música que no momento está cursando o 5º período de Publicidade na PUC-Rio. Teve seu primeiro contato com o rock ainda na infância, quando sua irmã colocava os discos de Iron Maiden e Pantera no toca-fitas de sua casa. Nos últimos anos, tem se dedicado inteiramente à música e à guitarra. Sua banda favorita é Metallica e também é fã incondicional de Zakk Wylde, Steve Vai e John Petrucci. Escuta de tudo um pouco, desde Madonna até Sepultura. Espera que um dia o Metallica ainda venha fazer um show no Brasil e não tem vergonha em dizer que chorou no show do Black Sabbath, em 2004, no Ozzfest.

Mais matérias de Vitor Rangel no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336