Immortal: BraveWords.com faz preview de novo álbum

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por César Enéas Guerreiro, Fonte: Brave Words & Bloody Knuckles, Tradução
Enviar Correções  





Matéria especial de Mark Gromen

As conhecidas pressões das turnês, apoio insuficiente e o estilo de vida rock n' roll, associados ao desastre financeiro causado pela mal planejada e rapidamente cancelada turnê Metal Gods, colocaram em cheque a "onipotência" do IMMORTAL. Em 2003, Abbath e Horgh estavam fartos e colocaram a banda na geladeira.

publicidade

Apesar do aparente fim, cada um trabalhou em outros projetos. Abbath retomou o gosto pela música através do BOMBERS (uma banda tributo ao MOTÖRHEAD) e do I, um grupo que combinou o som do IMMORTAL com ritmos diferenciados, testando subconscientemente as águas para a reativação do IMMORTAL. Sua grande aceitação, aliada à inspirada composição com o ex-guitarrista/ compositor Demonaz, certamente fizeram com que Abbath seguisse pelo caminho certo. Horgh ocupou brevemente o trono do GRIMFIST, antes de unir-se ao HYPOCRISY.

publicidade

Como seus conterrâneos do EMPEROR, uma série de festivais e turnês pelo mundo colocou nova vida na usina de idéias do IMMORTAL, fazendo com que Abbath e Horgh percebessem o quanto as pessoas gostavam deles e sentiam sua falta, além de entenderem o que faltava em suas vidas. Felizmente, eles optaram por criar nova música, representada pelo vindouro "All Shall Fall".

publicidade

Depois que problemas burocráticos impediram que o BW&BK estivesse presente na sessão de audição na Alemanha, os managers gentilmente permitiram um playback privado e ininterrupto durante o festival de Wacken. A primeira impressão? O álbum é um furacão! Embora sete músicas (40:14) pareça pouco, especialmente após uma longa ausência, uma breve pesquisa no catálogo dos noruegueses revela que "At The Heart Of Winter" (seis músicas), "Sons Of Northern Darkness" (oito) e "Damned In Black" (sete) têm duração semelhante. Apesar de algum pensamento ansioso ou erro de interpretação dos poucos comentários pré-lançamento do pessoal do IMMORTAL, "All Shall Fall" não é … "Heart Of Winter parte II": é agressivo como um todo, mas com algumas mudanças dinâmicas semelhantes ao outro magistral trabalho.

publicidade

"All Shall Fall" (5:58) – A faixa título, que abre o disco, já tinha sido ouvida por mim, como demo, em novembro de 2008. A narração, cortesia de Demonaz, agora aparece menos, debaixo do som de guitarra e efeitos modulados. A música começa com um intervalo silencioso, dando ao ouvinte desavisado uma falsa sensação de segurança (serenidade?) e então BAM! Resumindo: bombástica, com o vocal diabólico e empolgante de Abbath agora audível.

publicidade

"Rise Of Darkness" (5:50) – Começa com um som de guitarra em tercina. Passa a um ritmo mais calmo (temporariamente) antes de disparar a uma velocidade "speed metal". Depois uma pausa, muitos riffs e nova aceleração do ritmo antes de encerrar.

"Hordes Of War" (4:31) – Chega detonando nos headphones como um caminhão tipo "Fórmula Truck" acelerando na linha de largada. Novamente muitos riffs; é rápida e furiosa, impiedosamente brutal, mas ainda coerente. Termina com uma saraivada instrumental, como se fosse um tiroteio da 2ª Guerra Mundial.

publicidade

"Norden On Fire" (6:15) – Som de vento, com um calmo solo de baixo. Com altos e baixos, o ritmo finalmente se estabiliza, com o tempo que o IMMORTAL domina tão bem. Outra narração, desta vez na sinistra seção mid-tempo.

"Arctic Swarm" (4:03) – Mais uma vez, uma fornalha musical! A metade final utiliza um solo de guitarra bem agudo sobre uma batida empolgante. Termina subitamente.

publicidade

"Mount North" (5:07) – Bateria impiedosa. Abbath com voz gutural. Uma leve melodia na guitarra. Como um hino de batalha? Furiosa até terminar repentinamente.

"Unearthly Kingdom" (8:30) – Uma guitarra corta a calmaria do efeito sonoro da introdução. Uma pancada mid-tempo, com o vocal sinistro, quase falado de Abbath. Na marca de quatro minutos, a música entra num outro ritmo e tanto a velocidade quanto a intensidade aumentam. Faltando dois minutos, as guitarras são dobradas. No final, o som diminui até terminar.

Com lançamento previsto para 25 de setembro na Europa (6 de outubro na América do Norte), esse álbum estará disponível em quatro formatos: box (limitado a 500 unidades), CD digipack e normal, além do vinil. A arte gráfica no digipack, quando aberto, revela uma silhueta azulada da Lua sobre dois cumes de montanhas, com a mensagem "Demonic in this realm I haunt marked by the sign Caught between mighty winds Kingdom of evil find" [N.: Como um demônio, eu assombro este mundo marcado pelo sinal; Preso por ventos poderosos encontrarei o Reino do Mal]. As camisetas atuais da www.NuclearBlast.de mostram a capa do álbum e fotos em preto e branco do trio mostrando vários tipos de armas. Você até pode conseguir um botão do Demonaz (com maquiagem)!

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Pabllo Vittar: de Death a Immortal, veja 8 camisetas de metal que a drag já usouPabllo Vittar
De Death a Immortal, veja 8 camisetas de metal que a drag já usou

Immortal: Membros em guerra pelo nome da bandaImmortal
Membros em guerra pelo nome da banda


Abbath: em vídeo, momentos divertidos do músicoAbbath
Em vídeo, momentos divertidos do músico

Metal norueguês: as dez melhores bandas segundo o About.comMetal norueguês
As dez melhores bandas segundo o About.com


Nirvana: quem é o bebê da capa de Nevermind?Nirvana
Quem é o bebê da capa de Nevermind?

Bruce Dickinson: punks não sabem tocar e tem inveja do metalBruce Dickinson
Punks não sabem tocar e tem inveja do metal


Sobre César Enéas Guerreiro

Nascido em 1970, formado em Letras pela USP e tradutor. Começou a gostar de metal em 1983, quando o KISS veio pela primeira vez ao Brasil. Depois vieram Iron, Scorpions, Twisted Sister... Sua paixão é a música extrema, principalmente a do Slayer e do inesquecível Death. Se encheu de orgulho quando ouviu o filho cantarolar "Smoke on the water, fire in the sky...".

Mais informações sobre César Enéas Guerreiro

Mais matérias de César Enéas Guerreiro no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin