My Dying Bride: "sempre amamos o lado mais brutal do metal"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fallen Archangel, Fonte: Groundcast
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 23/10/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O blog Groundcast fez recentemente uma entrevista com o vocalista e líder da banda inglesa de doom metal My Dying Bride. Confira trechos da entrevista abaixo.

5000 acessosMotorhead: Segundo Lemmy Kilmister, "Rap não é música"5000 acessosGuns N' Roses: os Jovens Pistoleiros, sexo, drogas e RnR

Groundcast: Inicialmente agradecemos a entrevista, pois somos grandes fãs da banda e é uma grande honra para nós entrevistar um dos mestres do Doom Metal. Para começar, você poderia nos falar do começo de sua carreira musical?

Aaron: Voltamos para os anos 90 quando o My Dying Bride foi formado e esta é a única carreira musical que tenho tido – nunca estive em outra banda. Nós a formamos porque queríamos expressar nossos sentimentos através do Heavy metal em nosso próprio estilo, e digo que temos sido bem sucedidos por esses 21 anos de carreira.

GC: O que significa o nome My Dying Bride? Existe alguma razão em particular para a banda ter esse nome?

Aaron: Não, nós apenas queríamos um nome que representasse o sentimento de tristeza e melancolia de nossos pensamentos. É um nome muito triste com paixão e tragédia – assim como nossas músicas.

GC: E como veio o interesse no Doom Metal?

Aaron: Eu escutei muita coisa do metal nos anos 80 e estava feliz com isso, então era exposto ao doom na forma do Hellhammer em um clube noturno local, e quando percebi que eu era viciado nisso eu comecei a procurar por bandas de doom metal. Mas não é exclusivamente doom – Eu gosto de todos os tipos de música e isto era o mais importante para nós, variar o que nós fazemos e não simplesmente nos concentrar em um único gênero.

GC: Na época do lançamento do primeiro disco, “As the Flowers Withers” em 1992, foi praticamente o começo do Doom Metal. Você, junto com Anathema, Katatonia e Paradise Lost, criaram o gênero que conhecemos hoje como Doom Metal, diferentemente do Candlemass por exemplo. Como você se sente sendo parte desta história do Heavy Metal?

Aaron: Tenho muito orgulho de nossa contribuição para a cena e é muito bom saber que muitos fãs nos apoiam e ainda estão conosco desde o começo.

GC: Ainda no primeiro disco, podemos ver uma clara influência de Death Metal, que lentamente foi se desvanecendo. Esse processo foi calculado? Como isto aconteceu?

Aaron: Nós sempre amamos o lado mais brutal do metal tanto quanto Doom e é por isso que nós conseguimos transitar entre os dois gêneros com muita facilidade, com isto alguns lançamentos soam mais Death Metal e outros mais Doom Metal. Nós não temos feito muito Death Metal recentemente por que nós queremos nos focar em uma visão sobre a vida e a morte, o que é um pouco complicado de se fazer no Death Metal, no entanto, lançaremos “The Barghest O’ Whitby” em Novembro que é um pouco brutal (e bonita) mostrando que não viramos as costas para nosso lado mais brutal.

Para ler a entrevista completa, acesse o link:
http://groundcast.com.br/entrevistas/entrevista-aaron-staint...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "My Dying Bride"

Já tem 20 anos!Já tem 20 anos!
Os dez melhores álbuns de metal de 1995

LoudwireLoudwire
As dez melhores bandas de Doom Metal da história

Doom MetalDoom Metal
Os trabalhos essenciais segundo o About.com

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "My Dying Bride"

MotorheadMotorhead
Segundo Lemmy Kilmister, "Rap não é música"

Guns N RosesGuns N' Roses
Pobreza, sexo, drogas e Rock n' Roll em nova biografia

RockstarsRockstars
18 roqueiros que já apareceram em filmes

5000 acessosOzzy Osbourne: comendo oferenda de macumba no Rock in Rio5000 acessosHetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica5000 acessosAndre Matos: "Não estava preparado para cantar no Maiden!"5000 acessosGoogle: os artistas/bandas de metal mais procurados5000 acessosAlice Cooper: algumas vezes ele quase morreu de verdade no palco5000 acessosOs diários secretos de Roger Waters

Sobre Fallen Archangel

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online