Matérias Mais Lidas

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemBruno Valverde diz que preconceito contra ele veio mais da igreja do que dos metaleiros

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemStjepan Juras retruca comentário de Regis Tadeu sobre reencontro de Di'Anno e Harris

imagemGeezer Butler, Heavy Metal e a clássica canção do Black Sabbath inspirada por Jesus

imagemA banda de forró que uniu Nenhum de Nós, Legião, Titãs e Paralamas na mesma música

imagemIggor Cavalera manda ver em "Dead Embryonic Cells" ao vivo; confira drumcam

imagemComo era a problemática relação do Angra no "Aurora Consurgens", segundo produtor

imagemComo foram os últimos meses de Renato Russo e a causa da sua morte

imagemNovo álbum do Krisiun será lançado em julho; veja capa e tracklist

imagemJohn Bonham, Keith Moon ou Charlie Watts, quem era o melhor segundo Ginger Baker?

imagemTobias Forge, do Ghost, diz que ABBA deveria receber um Prêmio Nobel

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil


Dee Snider: Kiss se vendeu e não deveríamos tê-los perdoado

Por Nacho Belgrande
Fonte: Playa Del Nacho
Em 09/05/12

Em 2012, entre um projeto e outro, DEE SNIDER, mais conhecido por ser o frontman da banda oitentista TWISTED SISTER, conversou com o site Rock Music Star, sessão da qual alguns trechos traduzidos seguem abaixo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

(...) RMS: Ao longo dos anos, você criticou bastante o KISS, ainda que para ‘Dee Does Bradway’ você escolheu trabalhar com Bob Kulick, que é parte do Kiss por associação, por assim dizer. Como você acabou trabalhando com Bob?

DS: Se eu critiquei o Kiss, foi como fã. Eu não sou um desses caras do ‘Kiss Army’, mas eu com certeza tenho os três primeiros discos, até ‘Kiss Alive’. Eu com certeza os adoro e eles ainda são muito bons de ir se ver, exceto por quando eles tocam ‘I Was Made For Loving You’ [risos]. O que digo é, é assim mesmo? Falando sério? Vocês vão tocar essa bosta? Foi um erro desde a primeira vez. Vocês se venderam, filhos da puta. Nós não devíamos ter perdoado vocês. Mas eu não tenho problema com isso.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Eu trabalhei com Bob Kulick em vários disco-tributo, e a última coisa na qual trabalhei com ele foi no tributo a Frank Sinatra. Quando eu tive a ideia do CD, eu estava pensando em quem ia produzi-lo. Bob com certeza pegou o espírito da coisa. Ele tinha pegado aquelas músicas do Sinatra e as deixado matadoras. Eu sabia que trabalhando com ele, elaboraríamos os arranjos apropriados e teríamos a abordagem certa em músicas diferentes.

RMS: Ao mesmo tempo em que seu CD é lançado, você também está divulgando sua autobiografia, ‘Sht Up And Give Me The Mic’. Qual sua perspectiva sobre o livro?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

DS: Primeiro, eu escrevi ele todo sozinho. A Simon & Schuster não queria que eu o escrevesse assim, porque ninguém faz assim. E se você acredita que viciados em heroína realmente escrevem um diário [nota do tradutor: tapa na cara de NIKKI SIXX]… meu… fala sério! Eles não conseguiam achar o próprio pau, imagine um lápis. Eu nunca usei drogas e nunca bebi. Então sou uma pessoa limpa e participante sóbrio, e observador da ‘Década de Decadência’. O livro, pra mim, lida com minha ascensão e queda. Começa com o dia que eu decidi ser um astro do rock, e acaba com o ponto mais baixo de minha carreira, depois do Twisted Sister, quando eu perdi tudo [nos anos 90]. Eu estava completamente fudido. Eles me fizeram escrever um epílogo pro livro, mas eu fiquei meio, ‘todo mundo sabe que estou passando bem agora’. Mas sim, o fim é tão deprimente. O epílogo pula uns 15 anos, onde estou na Broadway, na noite de abertura, refletindo sobre o quão longe eu consegui voltar nos últimos anos. O livro é na verdade a história de minha luta, minha perseverança, e meio que repassa como as coisas aconteceram, pra melhor ou pra pior.· (...)

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Matéria completa:

http://playadelnacho.wordpress.com/2012/05/09/dee-snider-o-kiss-se-vendeu-e-nao-deveriamos-te-los-perdoado/

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Rodz Online: Dee Snider - Cala a Boca e me dá esse microfone



Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande.