Guns N' Roses: Nicolas Cage, Zakk Wylde, Corey Taylor e outros avaliam validade da banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Se você entrou para o ramo da música em qualquer momento depois de 1987, você foi influenciado pelo GUNS N' ROSES. Esse é um fato indiscutível.

Nuno Bettencourt: Rihanna canta muito, mas ele não quer mais tocar com elaOops!: 10 erros eternizados em gravações de clássicos

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Appetite For Destruction" é tão importante quanto "Led Zeppelin IV", "Who's Next" ou "The White Album". É um álbum histórico e seminal que nunca envelhecerá, e é tão relevante hoje como sempre foi.

Então, dada a imensa influência da banda, perguntamos a todo mundo desde o vencedor do Oscar NICOLAS CAGE até membros do KORN, RED HOT CHILI PEPPERS e SLIPKNOT sobre quando eles descobriram o Guns N' Roses, sua melhor memória da banda, música favorita e o que o grupo significa para eles.

O editor do site ARTISTDIRECT, RICK FOIRONO, fez a seguinte pergunta a todos:

"Quando você descobriu o Guns N' Roses? Qual sua música favorita deles? Qual sua melhor memória da banda? O que o grupo significa para você?"

COREY TAYLOR [SLIPKNOT, STONE SOUR]

"Eu me lembro da primeira vez em que ouvi o Guns N' Roses. Foi às três da manhã no Headbangers' Ball da MTV. O vídeo de 'Welcome To The Jungle' passou, e estávamos todos sentados no trailer da minha mãe em Waterloo, Iowa. Estávamos tentando assistir à primeira hora do show, que era a encheção de linguiça, pra depois assistir à segunda parte, que geralmente tinha coisa boa. Eram as coisas mais underground. Foi quando eles estrearam 'Welcome To The Jungle'. Eu me lembro de todos nós pararmos e pensarmos, 'que porra é essa? '. Meio que cagamos nas calças [risos]; No dia seguinte, todos fomos atrás de "Appetite For Destruction". Logo ele se tornaria um de nossos álbuns favoritos. O lance com o Guns N' Roses é que eles eram punk o suficiente para meus amigos punks, eles eram metal o suficiente para meus amigos do metal, e hard rock o suficiente para meus amigos do hard rock. Alem disso, eles eram mainstream o suficiente, tanto que quando comecei a procurar por outras coisas, eles estavam começando a explodir com o público mainstream. Por maior que eles tivessem ficado, eles ainda eram uma fantástica banda de hard rock. Eles eram a sarjeta exposta para todos verem, e foi lindo. Foi a primeira vez que paramos, olhamos e dissemos, 'Bem, porra, se eles podem, por que nós não podemos? ' eu me lembro de ver o show do Ritz na MTV. Vê-los ao vivo foi fantástico. Eu consegui assisti-los com o AEROSMITH na turnê de 'Permanent Vacation'. Axl foi até o microfone e mandou, 'essa música se chama 'Mr. Brownstone'. E eu pensando, 'Caralho, começou!'. Eu fui fã minha vida toda. O legado deles é completamente inegável. Eles ainda eram relevantes quando a revolução do alternativo aconteceu e todas aquelas bandas de frescos desapareceram. O Guns N' Roses ainda estava ali. Eles basicamente mandaram todo mundo se fuder. Quanto mais de postura você precisa?"

NICOLAS CAGE ['O MOTOQUEIRO FANTASMA', 'DEIXANDO LAS VEGAS', 'A OUTRA FACE']

"Eu acho que Axl é um dos grandes compositores do último século; sua habilidade ao piano é fabulosa e aquela música, 'Prostitute', é incrível! O Guns N' Roses é de um patamar superior."

ZAKK WYLDE [OZZY OSBOURNE, BLACK LABEL SOCIETY]

"Eu conheci o Guns N' Roses em 1987 quando fui para a Califórnia para tocar com Ozzy Osbourne. Há tantas músicas do GN'R para se escolher. Elas são todas do caralho. Minha melhor memória deles é vê-los em 1988 no Felt Forum. Quase nenhuma produção. Era somente a música, e ela mostrava de verdade o quanto eles eram incríveis. Era um sopro de ar fresco naquilo que estava rolando na cena musical. Eles viviam, respiravam e sangravam o que eles acreditavam, o que os tornava autênticos..."

SCOTT IAN [ANTHRAX]

"Eu acho que os ouvi pela primeira vez no começo de 1987. Eu ouvi algumas faixas antes de 'Appetite For Destruction' ser lançado. Eu os assisti no Ritz em NYC não muito depois disso. "It's So Easy" é minha faixa favorita do Guns N' Roses. Minha melhor memória deles é entrar no camarim do Ritz e Izzy e Slash dizerem ao mesmo tempo "S.O.D.!" Eles trouxeram o rock de volta para uma época quando não ele não existia através de um grande disco que obviamente resistiu ao tempo... uma das melhores bandas que vi na minha vida."

DAVID ELLEFSON [MEGADETH]

"O Guns N' Roses é o perfeito exemplo de como aqueles que têm a maior chance de dar errado na vida são os que têm mais chance de dar certo no rock. Eles tinham o coração, o espírito e a coragem para irem contra tudo e serem autênticos heróis do rock. Você podia perceber que eles seriam ENORMES logo na primeira vez que os ouvia. Eles eram tão contundentes e ofensivos, como é que você NAO os respeitaria?!"

Matéria completa - em inglês - clicando aqui.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Guns N' Roses"Todas as matérias sobre "Corey Taylor"Todas as matérias sobre "Zakk Wylde"


Rock: Ele morreu? Slash responde!Rock
Ele morreu? Slash responde!

Slash: guitarrista adora tocar músicas antigas do Guns N' RosesSlash
Guitarrista adora tocar músicas antigas do Guns N' Roses


Nuno Bettencourt: Rihanna canta muito, mas ele não quer mais tocar com elaNuno Bettencourt
Rihanna canta muito, mas ele não quer mais tocar com ela

Oops!: 10 erros eternizados em gravações de clássicosOops!
10 erros eternizados em gravações de clássicos


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

adGoo336