Bad Religion: "Eu e Eddie Vedder temos uma filosofia de vida parecida"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Brunelson T., Fonte: Rock in The Head
Enviar correções  |  Ver Acessos

Na edição de janeiro de 1997 (foto), a revista brasileira Showbizz havia entrevistado o vocalista do BAD RELIGION, Greg Gaffin, na sessão Onzze Perguntas.

Rhythm: os bateristas mais influentes de todos os temposSlayer: é melhor não mexer com a família do Tom Araya...

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Na época, a banda estava em turnê do álbum "The Gray Race" (9º disco, 1996), após ter sido consagrada em âmbito mundial com a poderosa trilogia dos álbuns "Generator" (6º disco, 1992), "Recipe For Hate" (7º disco, 1993) e "Stranger Than Fiction" (8º disco, 1994).

O grupo foi formado em 1979 na cidade de Los Angeles e é um dos pioneiros e longevos do punk rock em atividade até hoje. Em 1982 lançaram o 1º álbum, "How Could Hell Be Any Worse", sendo que o último e 17º disco foi lançado recentemente em 2019, "Age of Unreason".

Ex-professor de biologia e amigo de Eddie Vedder (frontman do PEARL JAM), o vocalista e líder do BAD RELIGION deu uma geral no punk atual (da época).

Confira a matéria na íntegra:

Pergunta: Como fundador de uma banda punk que sobrevive há 16 anos, você se sente um mito?

Greg Gaffin: Sempre quis ser uma influência para meu público e não um ídolo. Por isso fico fora do mainstream, não dou a menor importância para valores impostos pela sociedade.

Pergunta: Você se vê como um cara importante no rock?

Greg: Não me sinto importante pelo punk, aliás, nunca ninguém me deu muita importância. Sou um verdadeiro alternativo.

Pergunta: Dizem que o GREEN DAY não é punk. O que você acha?

Greg: Música é para ser reinventada. A questão é como se reinterpreta. Na minha opinião, o GREEN DAY e o OFFSPRING não são meras cópias, eles conseguem ter algo particular.

Pergunta: A volta do SEX PISTOLS muda o cenário punk atual?

Greg: Eles não tem esse poder todo. O verdadeiro punk se posiciona no mesmo patamar do público, isso é, comunicação honesta. Não tem nada a ver com a sensação pop fashion criada pelos ingleses. Há diferença entre ideologia e egocentrismo.

Pergunta: BAD RELIGION saiu da Epitaph Records por dinheiro?

Greg: Não saímos da nossa gravadora por grana, já tínhamos o suficiente... O que não significa que estejamos ricos. Hoje, na Sony Records, os nossos discos são muito melhor distribuídos.

Pergunta: O guitarrista e co-fundador da banda, Brett Gurowitz, deixou o BAD RELIGION porque vocês saíram da Epitaph? Ele é o proprietário da gravadora...

Greg: Era uma questão de escolha: ou Brett continuava com a gente, ou dava mais atenção à Epitaph. Ele foi sensato, com a sua saída do BAD RELIGION, a Epitaph cresceu e Brett ficou mais flexível para cuidar das outras bandas...

Pergunta: Você vem declarando interesse pela música folk americana. Isso quer dizer que você também está mais flexível?

Greg: Sempre me interessei por folk music, que se iguala ao punk porque divide experiências com o público. O que se ouve na rádio hoje em dia são ritmos e não melodias. E melodia é fundamental tanto no folk quanto no punk.

Pergunta: Eddie Vedder é muito seu amigo... O que você acha do PEARL JAM?

Greg: Acho o PEARL JAM uma banda especial e prefiro considera-la à parte da cena grunge... Eu e Eddie temos uma filosofia de vida muito parecida, ele é um profundo pensador...

Pergunta: E vive meio recluso...

Greg: O mistério é essencial para criar um popstar, o que acabou afastando Eddie das pessoas. A minha vantagem é que não me sinto tão intimidado para expor minhas ideias, o que me deixa mais livre para alcançar as pessoas. E eu adoro conhecer pessoas...

Pergunta: Como você encara o sucesso?

Greg: O sucesso leva muitos artistas a pensarem que foram escolhidos por Deus para concentrarem poder - o que, aliás, não é o caso de Eddie Vedder. Mas o poder do artista está em suas ideias, não no sucesso, que passa cedo ou tarde. Não consigo acreditar que isso venha de Deus.

Pergunta: Por que você escolheu o nome BAD RELIGION?

Greg: Hoje, acredito que a religião ruim é uma mera metáfora para o dogmatismo. Mas, pra falar a verdade, na época em que surgiu o nome, eu era um moleque de 15 anos que nem sabia o significado de dogmatismo. Eu queria mesmo era encher o saco dos adultos.

O site rockinthehead havia publicado uma matéria especial sobre o BAD RELIGION um tempo atrás. Para conferir, é só clicar no título abaixo:

* Bad Religion: um breve review sobre a banda

Confira o videoclipe da canção que foi o single deste álbum de 1996, "A Walk".




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Bad Religion"Todas as matérias sobre "Pearl Jam"Todas as matérias sobre "Eddie Vedder"


Pearl Jam: confira Even Flow numa inusitada versão em pagodePearl Jam
Confira "Even Flow" numa inusitada versão em pagode

Eddie Vedder: Curiosidades e Fatos Sobre a Sua VidaEddie Vedder
Curiosidades e Fatos Sobre a Sua Vida


Rhythm: os bateristas mais influentes de todos os temposRhythm
Os bateristas mais influentes de todos os tempos

Slayer: é melhor não mexer com a família do Tom Araya...Slayer
é melhor não mexer com a família do Tom Araya...


Sobre Brunelson T.

Vocalista/guitarrista da banda Terrakiuz.

Mais matérias de Brunelson T. no Whiplash.Net.

adGoo336