Angra: Marcelo Barbosa fala em entrevista exclusiva à Revista Freak

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Eduardo Rodrigues
Enviar Correções  

A Revista Freak conversou com o guitarrista do Angra, MARCELO BARBOSA, que contou sobre sua trajetória para se tornar um dos maiores e mais conceituados guitarristas do Brasil.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

MARCELO BARBOSA é sem dúvida um dos maiores guitarristas da cena nacional e internacional atualmente. Professor e proprietário da conceituada escola de música GTR, possui em seu currículo passagem pelas bandas KHALLICE e ALMAH, antes de assumir a difícil tarefa de substituir o guitarrista atual do Megadeth, Kiko Loureiro, em uma das maiores bandas de Heavy Metal com reconhecimento internacional já existentes no Brasil, o ANGRA. Aproveitamos a quarentena para conversar com Marcelo e ouvir direto da fonte todas as suas histórias incluindo a indicação direta de Ron "Bumblefoot" para ser guitarrista do Guns N’Roses. Check it out!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Revista Freak: Primeiramente obrigado pela sua participação e queria começar dizendo que você toca muito! Eu sei que você começou bem novo, o que te despertou esse interesse pela guitarra?

Marcelo Barbosa: Eu digo que Brasília tem esse clima do rock, muitas bandas saíram daqui e havia um incentivo até mesmo nas escolas. Eu comecei ouvindo rock daqui e quando aconteceu o Rock in Rio, tive o primeiro contato com as bandas mais pesadas, na verdade muita gente no Brasil teve o primeiro contato ali. Depois disso resolvi tocar mesmo e comecei a conhecer melhor as bandas, como o rock setentista que eu gosto muito, Deep Purple, Led Zeppelin, ​e não parei mais.

Revista Freak: Você formou a sua primeira banda em 94, a KHALLICE né?

Marcelo Barbosa: Tive outras bandas de colégio tocando covers e tal, mas banda autoral essa foi a primeira mesmo. Em 95 gravamos uma demo com o Mario Linhares no vocal, do Dark Avanger, e perto de 2000 gravamos o álbum inteiro com Alirio Neto que hoje está no Shaman.

Revista Freak: E com essa banda vocês chegaram a fazer a abertura do Dream Theater, né?

Marcelo Barbosa: Sim, aqui em Brasília ficamos bem conhecidos, abrimos pro Dream Theater, Iron Maiden, Symphony X também, chegamos a viajar por alguns estados do Brasil fazendo turnê, mas era aquela coisa na raça mesmo, aquele começo de banda, acabamos gastando mais do que ganhando.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Revista Freak: E o ALMAH? Foi ali que você despontou né? Como rolou tua entrada na banda com o Edu Falaschi?

Marcelo Barbosa: Na época, o Angra estava meio parado devido a alguns problemas internos. O Edu Falaschi já havia gravado um álbum solo há pouco tempo com esse nome e alguns integrantes resolveram sair juntos em turnê. Para facilitar, colocaram o mesmo nome na banda. Chamaram o Eduardo Ardanuy para a guitarra, fizeram 4 shows e o Edu por causa de conflito de agenda com o Dr. Sin, teve que sair e me indicou, aí fizemos alguns shows e começamos a preparar repertório para gravar um disco com a banda. Durante esse período houve um conflito de interesses que acabou gerando uma troca de integrantes e gravamos dois álbuns com a nova formação que incluía Marcelo Moreira e Paulo Schroeber.

Revista Freak: Depois do ALMAH veio o ANGRA, entrando no lugar do Kiko Loureiro que sempre foi uma referência. Chegou a ser um desafio pra você? Como foi essa entrada e o convite?

Marcelo Barbosa: Sem dúvida foi um desafio em vários níveis, tanto no quesito técnico quanto no artístico. O Kiko é um grande ícone da guitarra brasileira e um dos fundadores do Angra. Eu nunca cheguei a sonhar com isso porque eu não imaginava o Angra sem o Kiko ou o Rafael. Eu sei que no Brasil e no mundo vários guitarristas estariam aptos para essa posição e eu fico muito agradecido de ter sido escolhido e ter essa oportunidade.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Revista Freak: Seu primeiro show com o ANGRA foi no ‘Rock in Rio’ com o Dee Snider né?

Marcelo Barbosa: Sim e foi engraçado porque uma semana antes eu estava em Atlanta tocando com o ALMAH e o ANGRA também estava no mesmo festival. Já tínhamos conversado e haviam me dito que a estreia seria no Rock in Rio, que aconteceria em poucos dias, mas não tinha uma confirmação ainda. Quando eu estava voltando para o Brasil, precisava saber se voltava para Brasília ou para São Paulo para tocar no Rock in Rio e foi aí que decidi ligar e perguntar e eles me responderam que eu estava dentro e que ensaiaríamos no Rio dois dias antes do show. Tudo feito em silêncio para os fãs não descobrirem!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Revista Freak: Como foi para você gravar o disco ‘Ømni’ com o Angra, o primeiro sem o Kiko e que foi tão bem recebido?

Marcelo Barbosa: Foi muito bom, mas havia uma tensão obviamente. O Kiko sempre participou muito das composições do Angra e as pessoas estavam meio céticas de um disco sem ele. Havia uma cobrança interna e houve uma dedicação muito grande. Sabíamos que tínhamos que fazer um disco muito bom para agradar os fãs, e a receptividade foi boa, melhor que esperávamos, premiado e muito elogiado. Ouço de muitas pessoas que colocaram o disco na lista de preferidos do Angra.

Revista Freak: Você pode contar a história de ser indicado para substituir o guitarrista Ron "Bumblefoot" no Guns N’ Roses?

Marcelo Barbosa: Quando eles vieram tocar aqui em Brasília, a banda que eu estava na época, o Khallice, abriu o show para eles. Como eu já havia tido contato com o Bumblefoot pelo MySpace, marcamos de nos encontrar na passagem de som. Acabamos desenvolvendo uma amizade e mantendo contato. Em outra vinda do Guns ao Brasil, nos encontramos e no final do show ele estava muito aborrecido com os atrasos do Axl e indignado me disse que iria sair da banda e que me indicaria para substituí-lo. Comecei a falar com a manager do Guns, enviei o material solicitado e estava indo tudo super bem. Teria uma temporada de shows em Las Vegas e eu já começaria ali. Estava tudo certo! já tinham pedido minha presença lá nos EUA para alguns ensaios, mas de repente a coisa esfriou, as notícias pararam de chegar e as datas do show em Las Vegas desapareceram do site. Liguei para o Bumblefoot e ele me disse que também não estava entendendo nada e que a produção da banda havia parado de falar com ele. Algum tempo depois veio a notícia da reunião da banda com o Slash e Duff. Eu até costumo brincar que se for para perder a vaga para alguém, que seja para o Slash!!!

Confira a entrevista na íntegra no link abaixo:
https://revistafreak.com/entrevista-o-guitarrista-do-angra-m...

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Goo336 Goo336 CliHo Goo336 GooInArt Cli336 Goo336 Goo336