Matérias Mais Lidas

Iron Maiden: Eles detonaram muitas bandas, diz Garry Pepperd, guitarrista do JaguarIron Maiden
"Eles detonaram muitas bandas", diz Garry Pepperd, guitarrista do Jaguar

Guns N' Roses: veja vídeos e setlist do 1º show pós-pandemia, com vacina no telãoGuns N' Roses
Veja vídeos e setlist do 1º show pós-pandemia, com vacina no telão

ZZ Top: baixista substituto só está barbudo por causa da pandemia, conta GibbonsZZ Top
Baixista substituto só está barbudo por causa da pandemia, conta Gibbons

R.I.P.: lista de músicos do rock e metal falecidos nos últimos 40 dias impressionaR.I.P.
Lista de músicos do rock e metal falecidos nos últimos 40 dias impressiona

Slipknot: vídeo de 2005 previu a morte de Paul Gray e Joey Jordison?Slipknot
Vídeo de 2005 "previu" a morte de Paul Gray e Joey Jordison?

Doutrinador: Bruce usa camiseta de anti-herói brasileiro para falar sobre novo álbumDoutrinador
Bruce usa camiseta de anti-herói brasileiro para falar sobre novo álbum

Paulo Sergio: Alguém explica o nome desta banda polonesa?Paulo Sergio
Alguém explica o nome desta banda polonesa?

Utilidade pública: músicas para incomodar vizinhos que ouvem sertanejo no último volumeUtilidade pública
Músicas para incomodar vizinhos que ouvem sertanejo no último volume

Joey Jordison: esposa de Corey Taylor se pronuncia sobre morte do bateristaJoey Jordison
Esposa de Corey Taylor se pronuncia sobre morte do baterista

ZZ Top: quais eram os problemas de saúde de Dusty Hill, segundo Billy GibbonsZZ Top
Quais eram os problemas de saúde de Dusty Hill, segundo Billy Gibbons

Iron Maiden: em vídeo, Bruce zoa sobre novo álbum chamar-se Belshazzar's FeastIron Maiden
Em vídeo, Bruce zoa sobre novo álbum chamar-se "Belshazzar's Feast"

Metallica: todos os álbuns da banda, do pior para o melhor, segundo o Ruthless MetalMetallica
Todos os álbuns da banda, do pior para o melhor, segundo o Ruthless Metal

ZZ Top: TV alemã libera show que tornou os texanos famosos na EuropaZZ Top
TV alemã libera show que tornou os texanos famosos na Europa

Corey Taylor: Não podíamos trabalhar junto com JordisonCorey Taylor
Não podíamos trabalhar junto com Jordison

Joey Jordison: Amigos criticam site por divulgar ligação que ex-parceira fez para o 911Joey Jordison
Amigos criticam site por divulgar ligação que ex-parceira fez para o 911


Pentral

Val Santos: Viagem aos primódios do Thrash

Por Nelson de Souza Lima
Em 20/03/21

Val Santos é um dos caras mais atuantes da cena metal brazuca. Ex-guitarrista do Viper e Toyshop, é também compositor, arranjador, produtor, vocalista ocasional e agora agente de viagens. Agente de viagem? Como assim? A situação tá tão brava que forçou o músico a mudar de profissão?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Metaforicamente falando o guitarrista convida todos pra uma jornada pelos bons tempos do Thrash quando o gênero dava os primeiros passos com o surgimento de bandas extraordinárias que deixaram o nome na história. O ticket para a vigem é "1986", primeiro álbum solo de Val que, está sendo disponibilizado somente nas plataformas digitais.

A década de 80 e, sobretudo o ano que dá título ao disco, foram importantes para o estilo. Para se ter uma ideia em 1986 foram lançados, entre outros, "Master of Puppets" do Metallica, "Reign in Blood" do Slayer e "Peace Sells… But Who’s Buying?" do Megadeth. Álbuns incríveis que tiveram projeção planetária e em território nacional influenciaram as então nascentes Viper, Vodu e Volkana.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

De acordo com Val Santos, "1986", o álbum, é uma homenagem ao gênero que marcou sua trajetória. "É tudo baseado nos anos 80 que é a época que me influenciou muito na música. Grupos como Metallica, Kiss, Iron Maiden, Viper, são exemplos dessas influências, especialmente o Viper que foi a banda que acompanhei desde o começo, toquei batera e depois voltei como guitarrista em 2006, o disco reflete essa época", diz.

O álbum contou com uma galera de peso como Leandro Caiçolo do Viper, Mauro Coelho, Alexandre Grunheidt, Rob Gutierrez e Bruno Sutter. Vocalistas talentosos e que, entre eles, estaria Andre Matos, infelizmente morto em junho de 2019.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre a ausência do amigo Val Santos diz "não sei se iria participar do meu disco, acho que provavelmente sim, por sermos amigos desde adolescência, mas a verdade é que demorei pra fazer o convite, tinha já planejado que a música Miracle seria na voz dele, seria uma honra pra pra mim, mas infelizmente demorei e ele se foi".

Questionado sobre uma tour de divulgação pós-pandemia, o guitarrista afirma que, no máximo, rolará um show pra mostrar o trabalho. "Turnê não mesmo, pois no palco já não tenho aquele tesão como tinha antes, então achei melhor me retirar", conclui para tristeza dos fãs.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Confira abaixo a entrevista completa com Val Santos.

⦁ 1- Um tempo atrás conversando com você fui surpreendido com a notícia que estava deixando o Toyshop e de, certa forma, se aposentando da música. Agora você lança "1986", álbum solo, pesadão e com vários amigos participando. O álbum é uma espécie de "canto dos cisnes" de Val Santos? Gravou o disco e se retira em grande estilo? Tem pique pra fazer turnês, assim que tudo voltar ao normal?

Val Santos - Primeiramente obrigado pela entrevista, Nelson. Você é um cara gente boa demais e sempre deu muita força pra minha banda, valeuuu.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

VS - Bem, então, shows eu não faço mais mesmo, fiz no começo do ano passado com um projeto que tenho, mas por causa da grana que era boa. Mas música não paro não, gosto de compor, gravar, essas coisas, e isso não vou parar, só estou fazendo o que curto mesmo, o palco já não tenho aquele tesão como tinha antes, então achei melhor me retirar.

VS - Sobre o disco, como disse antes, amo compor e gravar, e o disco é uma homenagem ao estilo que eu comecei na música, o Heavy Metal no geral, e tudo baseado nos anos 80 que é a época que influenciou muito na música, bandas como Metallica, Kiss, Iron Maiden, Viper, são exemplos dessas influências, especialmente o Viper que foi a banda que acompanhei desde o começo, toquei batera e depois voltei pra banda como guitarrista em 2006, o disco reflete essa época.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

⦁ 2- A sua trajetória dentro do metal nacional é uma das mais sólidas, uma vez que já tocou com muita gente e participou do trampo de várias bandas compondo, produzindo ou tocando. Como faz um balanço desses anos de carreira?

VS - Então, tive minha banda chamada Zuris, que formei nos anos 80 quando eu tinha 16 pra 17 anos, minha primeira de Metal, passaram guitarristas famosos hoje em dia pela banda, como o Kiko Loureiro, Marcos Kleine, Marcos Nazareth do Skyscraper,até o Pit Passarell tocou em um show pois estávamos sem baixista na época.Toquei no Viper como baterista e depois como guitarrista, participei de jams com vários músicos famosos, então tenho até uma história interessante...haha, e sempre fui muito bem tratado por todos, e claro, esses anos todos com várias pessoas maravilhosas, artistas famosos e não famosos me ajudaram no meu jeito de compor, um cara que tem realmente me influenciou muito nisso foi o Pit Passarell, que me ensinou os meus primeiros passos na composição, devo muito o que sou hoje em dia a ele.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

⦁ 3- Na estrada há tantos anos viveu momentos inusitados, divertidos e quase trágicos. Um deles foi o lançamento do "Soldiers Of Sunrise", do Viper, em 1986, quando você era roadie da banda. Naquele show quase, literalmente, botaram fogo no Colégio Rio Branco, em São Paulo. Como foi esse episódio que entrou pros anais do Heavy Metal brazuca.

VS - HAHAHAHAHA...na época eramos muito jovens, agíamos sempre antes de pensar em como agir...haha, ou seja aquele show foi um exemplo disso, o André sempre entrava com uma tocha no show, mas naquele dia ele exagerou no "combustível" na mesma...haha, o fogo ficou muito alto, ai um pedaço da chama caiu no tom da bateria o Cassio (batera na época) com a baqueta jogou no chão do palco, e eu que era roadie dele, vi ainda pegando fogo, e ao invés de chutar aos poucos, para tirar o fogo dali, eu dei uma bicuda daquelas e o fogo foi parar na cortina do teatro, ou seja eu quase matei umas 500 pessoas naquele dia...haha, hoje em dia é engraçado, mas na época foi foda, sufoco para apagar o fogo.Mas ninguém saiu ferido, então continua sendo a cena engraçada....hahaha

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

⦁ 4 - Falando do disco "1986", que mais que uma viagem no tempo, é enaltecer um período especial para o heavy/thrash metal com grandes bandas e ótimos álbuns. Você acha que o cenário um dia poderá voltar a ter bandas de metal tão importantes quanto naquela época, não só gringas, mas brasileiras também. Afinal o Viper lançou discos espetaculares na década de 80.

VS - Olha, acho que aquela época foi única e não terá outra igual, NUNCA mais, mas acredito que terá sim outro tipo de época para o heavy metal, mas será para o público novo, não para nós nostálgicos e velhos...hahaha, mas é assim mesmo, cada geração terá sua época na cultura, a minha foi anos 80 e 90, e para outros aliás foram ainda antes, os anos 70, e sou aberto a novos talentos, e tem alguns ótimos, mas ainda acho que falta muita banda que traga algo novo, e é difícil mesmo, no estilo metal ainda encontrar algo novo pra fazer e principalmente surpreender com esse algo novo, não é uma tarefa fácil não, na maioria as bandas tocam o que já foi feito só que com roupagem nova, e tudo bem também. Eu, no meu disco, estou fazendo exatamente isso, homenageando aquela época de ouro da música em geral aliás.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

5- Como foi elaborar o set list de "1986"? Tem canções ali (Cross The Line, Dreamer e Miracle) que já haviam sido gravadas pelo Viper no disco "All My Life", de 2007. Vocês deram novas roupagens pra essas músicas? Outra que chama atenção é Warriors Of Metal, sua primeira composição de 1986 que foi escrita pra Zuris. É a primeira vez que grava essa música? Se sim. Por que demorou tanto tempo pra gravar?

VS - Sobre as músicas, ter as que gravei com o Viper sempre quis regravá-las pois hoje em dia se consegue fazer uma gravação melhor, e elas mereciam isso, não mudei muito das versões originais, são outros vocalistas a gravá-las, isso é que diferencia mais das versões originais, e o tipo de gravação que é mais atual.A Dreamer é a Miracle são mais anos 80, mesmo na época que gravei com o Viper essas duas queria dar essa vibe, a Cross The Line foge um pouco nessa temática, tentei algo diferente quando gravei com o Viper que é o fato de ser dois tons abaixo do tom normal, dá mais peso a música, foi única música que saiu em disco do Viper nesse formato.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

VS - Sobre a Warriors of Metal, essa música compus quando eu tinha uns 16 anos, minha primeira música metal, e realmente nem em demo tem registro dela, só em alguns vídeos de shows da época, então um amigo meu lembrava como tocava e me mostrou de novo e eu pensei, vou gravá-la, claro com uma roupagem mais atual, mas os riffs são o mesmos, essa sim é totalmente anos 80, toda vibe da época esta nessa composição, eu me baseei na música Heay Metal is The Law do Helloween pra fazê-la, e foi cantada por meu amigo Mauro Coelho que mora em Portugal, mas na época ele era do Zuris, e foi uma viagem ao passado, legal demais, tô muito empolgado com essa música que aliás será meu terceiro single, sairá no dia 05 de abril.

⦁ 6 - Na faixa Pay For Your Life você tá cantando. Como são suas experiências como vocalista? Que nota dá pra você como cantor?

VS - Essa faixa aliás não entrará mais no disco pois pois como terá a segunda parte do meu disco solo, resolvi deixá-la para a parte dois, e a cantei, com voz gutural...haha, mas na verdade vou tentar que o Joao Gordo grave essa música, vamos ver.

VS - Não sou bom vocalista não...haha, mas faço backins legal, no disco tem só uma música que canto algumas partes com minha voz que é a SUPER HEROES, essa é uma homenagem a desenhos animados, sou meio nerd, adoro filmes da Marvel, dc, e sempre quis homenageá-los.

VS - Nesse meu disco tenho ótimos vocalistas como o Leandro Caiçolo do Viper, o proprio Mauro Coelho, Alexandre Grunheidt que cantou a Fire, Rob Gutierrez que cantou a Cross The Line, o Bruno Sutter que cantou a Miracle, ou seja tô muito bem servido de vocalistas...haha

VS - E a nota que me dou como cantor é 5... haha, sou razoável...haha.

⦁ 7 - Falando em cantor, o André Matos seria um dos convidados pra cantar no álbum. Infelizmente o André morreu em junho de 2019. Como era seu relacionamento com o André? O cara era muito brother?

VS - Olha, o André era uma das pessoas mais talentosas e queridas que já conheci, nos últimos anos não nos encontramos tanto, mas toda vez que nos cruzávamos, conversamos muito, ele era muito bom de papo, então a conversa fluía, e sinto muito a falta dele.

VS - Ele não sei se iria participar do meu disco, acho que provavelmente sim por sermos amigos desde adolescência, mas a verdade é que demorei pra fazer o convite, tinha já planejado que a música Miracle seria na voz dele, seria uma honra pra pra mim, mas infelizmente demorei e ele se foi, mas o Bruno Sutter que cantara essa música sera do mesmo nível, não tinha outro cara pra chamar pois o Bruno era muito fan do André, e quem não era fã, né?

⦁ 8 - Uma vez que a pandemia não dá trégua e nem imaginamos quando voltaremos ao normal como será a divulgação de "1986"? Disponível em todas as plataformas e mídia física?

VS - Então, a divulgação será tudo por streaming mesmo, não penso em vendas essas coisas, eu penso mesmo em deixar um legado, minha marca aqui na terra antes de eu ir embora (sem tom dramático...haha), estou com quase 51 anos e vi muita coisa, esses dois disco que farei representará o que vi,li, escutei nesses anos todos, estou contando minha história através da música.Tanto que na segunda parte do meu disco não terá heavy metal e sim música no geral, que passará pelo pop, reggae, forró, punk, disco, e será assim mesmo, o forró será mesmo forró, sem misturas e nada, aquele pé de serra antigo, meu pai é sanfoneiro provavelmente vai participar, a reggae será realmente reggae, tentarei ainda fazer com aquela pegada Bob Marley, e sonoridade da época, será um desafio pra mim, mas será muito divertido compor a segunda parte que parecerá mais comigo mesmo, sou um cara eclético com música, só tenho dificuldade de ouvir batidão (que eles chamam de funk), de resto ouço de tudo mesmo.

⦁ 9 -Seria complicado fazer turnê com essa galera toda. Haveria uma tour do álbum?

VS - Não terá turnê....haha, no máximo um show pra divulgar o álbum, e quem ver verá...hahaha, ainda estou vendo como fazer isso depois da pandemia, mas turnê NÃO mesmo, já parei, lembra?... haha.

⦁ 10 -Um recado pra galera que tá mofando em casa, se resguardando, esperando os shows voltarem e essa pandemia ir embora.

VS - Amigos e amigas, sei que é difícil, estamos todos estressados com essa pandemia, mas temos que nos cuidar o máximo possível, fiquem em casa e só saia se não tiver jeito mesmo, USEM MASCARA, LAVE AS MAOS SEMPRE, USE ALCOOL GEL, a Vacina esta chegando aos poucos (se o governo ajudasse seria tudo mais rápido, mas infelizmente é o contrario, ele sabota, da muita raiva).Meus pais tiveram a primeira dose, e se Deus quiser a segunda também.É a única proteção efetiva mesmo.

VS - E valeu, Nelson pela entrevista, abraço a todos.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Slipknot: como são os membros da banda sem as máscaras?Slipknot
Como são os membros da banda sem as máscaras?

Steven Tyler: primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeasSteven Tyler
Primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeas


Sobre Nelson de Souza Lima

Jornalista, repórter, resenhista, colunista musical. Assim é Nelson de Souza Lima. Mas acima de tudo um amante do rock, classic, hard e metal. Entre minhas entrevistas estão as feitas com Angra, André Mattos, Royal Hunt, Blind Guardian, entre muitas outras. Além disso sou baixista da banda de Classic Rock e metal The Green Pigs.

Mais matérias de Nelson de Souza Lima.