Matérias Mais Lidas

imagemApós incidente, Axl Rose anuncia mudança nos shows do Guns N' Roses

imagemTitãs: traído, o baterista destruiu o quarto; Paulo Ricardo viu na TV a traição

imagemCinco discos de heavy metal para ouvir sem pular nenhuma faixa

imagemO maior álbum de todos os tempos, na opinião do saudoso Ronnie James Dio

imagemNazareth: Brian Johnson homenageia Dan McCafferty

imagemMetallica: James Hetfield sobre o "St. Anger": "Pelo menos é honesto"

imagemPink Floyd: Para David Gilmour, reunião de 2005 no Live 8 foi "como dormir com a ex"

imagemGuns N' Roses: Matt Sorum surpreende ao revelar quem era o integrante sóbrio da banda

imagemGuns N' Roses: fã fica com olho roxo de microfone atirado por Axl Rose

imagemPaulo Ricardo e a loucura em hotel nos anos 1980: "Eu já tinha perdido o pudor!"

imagemDetonator entra no clima da Copa e grava versão metal da música "Brasil Olê Olê"

imagemO curioso ritual do Fleetwood Mac antes de subir ao palco, revelado por Christine McVie

imagemGene Simmons: "Vinnie Vincent soava como Yngwie Malmsteen fumando crack"

imagemKiko Zambianchi foi proibido de ir no Silvio Santos após apresentador errar seu nome

imagemDeath Metal: um guia para começar a ouvir o estilo


Samael Hypocrisy
Stamp

Os dez melhores bateristas do technical death metal de acordo com Ragnar Sverrisson

Por Emanuel Seagal
Postado em 02 de janeiro de 2022

Jonathan Selzer, da revista Metal Hammer, conversou com Ragnar Sverrisson, baterista da banda islandesa Ophidian I, que lançou seu segundo álbum, "Desolate", em meados de 2021, e figurou na lista elaborada pela revista dos 10 melhores álbuns de death metal do ano, como na lista de 50 melhores discos de metal de 2021, escolhidos pelos leitores.

Desta vez a tarefa de Ragnar Sverrisson não foi surpreender com sua própria banda, mas sim eleger os dez melhores bateristas de technical death metal de todos os tempos. Confira a lista abaixo com trechos dos seus comentários e uma amostra em vídeo de cada músico.

1. Dennis Röndum
(Strangulation, Visceral Bleeding, Spawn Of Possession)

"Dennis Röndum não somente toca extremamente rápido, mas suas ideias são simultaneamente surpreendentes e inovadoras para sua idade, enquanto completa o trabalho fenomenal do guitarrista Jonas Bryssling (Spawn Of Possession)."

2. Hannes Grossmann
(Triptykon, Eternity's End, Obscura, Necrophagist)

"Há alguns vídeos de bateria online que conseguem passar do nível obra de arte para o mítico. Seus vídeos da bateria da época com o Necrophagist são exemplos que fazem seu queixo cair toda vez que assiste eles. Aos 21 anos ele conseguiu juntar três habilidades que nós mortais passamos a vida inteira para conseguir: velocidade e brutalidade, conhecimento profundo de maturidade musical e groove, e a habilidade de aprender nota por nota da incrivelmente complexa bateria de technical death metal como escrita por um dos melhores guitarristas da cena, Muhammed Suiçmez. Só Deus sabe como é difícil tentar tocar as partes de bateria compostas por guitarristas, então imagine como é quando foi composta por alguém que está no nível de simultaneamente inventar um novo estilo de música."

3. Mauro Mercurio
(Eyeconoclast, Fleshgod Apocalypse, ex-Hour of Penance)

"Na época do fórum do Derek Roddy (Serpents Rise, ex-Malevolent Creation, ex-Hate Eternal), do qual muitos de nós fazíamos parte antes do Facebook devorar toda comunidade online existente, haviam muitos vídeos toscos em 240p que conseguiam nos inspirar apesar da qualidade ruim. Seus playthroughs de músicas do Hour of Penance, foram uma parte importante disso para mim."

4. Morten Løwe Sørensen
(Amaranthe, The Arcane Order)

"O álbum "In The Wake Of Collisions", do The Arcane Order, pode não ser estritamente technical death metal mas tem ideias brilhantes de bateria e abordagens originais nos blast-beats e skank-beasts. Parecia que o baterista estava tentando de tudo para fazer bateria rápida soar interessante novamente."

5. Kristján Einar Guðmundsson
(Fortíð, Momentum)

"O EP "The Requiem", do Momentum, junto de um monte de músicas lançadas não oficialmente foram, na minha opinião, um technical death metal técnico de nível mundial, onde Kristján apresentou seus blast-beats super disciplinados para complementar sua bateria extremamente inovadora e com groove."

6. Chris Thorpe
(Kohnerah)

"Outra daquelas lendas do fórum do Derek Roddy. Aqui você tem um baterista de metal que sei que é influência direta de muitos dos melhores bateristas de metal extremo da atualidade. Um vídeo intitulado "Chris Thorpe chutando sua bunda em 300bpm" chegou até o fórum e fez muitos bateristas abandonarem a bateria e comprarem equipamentos de DJ."

7. Vitek
(Decapitated)

"Acho que não preciso explicar para ninguém, mesmo que seja só um pouco familiarizado com death metal, a marca que essa versão do Decapitated deixou na cena para sempre. A relação entre os irmãos Vitek e Vogg é parecida com a dos irmãos Abbott do Pantera pra mim. Quando alguém como Vitek começa a tocar metal extremo mais cedo do que o faria sem a influência de um irmão mais velho, a mente extremamente fértil de um adolescente parece ser capaz de adquirir grandes habilidades muito mais rápido do que se começasse alguns anos depois."

8. Gabe Seeber
(Empty Throne, The Kennedy Veil, Decrepit Birth, Abysmal Dawn, Vale Of Pnath, Abbath)

"Tocando com bandas como Decrepit Birth, Abysmal Dawn e Vale of Pnath, sua técnica incrivelmente limpa eleva qualquer música que ele grava ou toca."

9. Nils Fjellström
(Nordjevel, The Wretched End, Dark Funeral)

"Acho que posso dizer com segurança que Nils Fjellström é um exemplo do que pode acontecer quando você deixa de lado a vida social e a indulgência de quaisquer outros hobbies para a fazer uma exclusiva busca do estilo de bateria mais rápido, pesado e extremo humanamente alcançável."

10. Lyle Cooper
(Abhorrent, The Faceless)

"Em 2007 Lyle postou um vídeo dele fazendo uma cover perfeita de 'Lash by Lash', do Spawn of Possession, e era evidente para quem viu que esta não seria a última vez que veríamos esse cara tocando bateria. Sem surpresa alguma no ano seguinte o The Faceless lançou seu álbum 'Planetary Duality' com ele na bateria. O álbum é inegavelmente um dos pilares do technical death metal hoje e os vídeos dele na bateria são um prazer absoluto de se ver."

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp


Summer Breeze

publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Heavy Metal: os maiores álbuns da história para os gregos

Bruce Dickinson: ele revela os três vocalistas que nunca vai conseguir superar


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com Iron Maiden e Black Sabbath até chegar ao metal extremo e se apaixonar pelo doom metal. Considera Empyrium e X Japan as melhores bandas do mundo, Foi um dos coordenadores do finado SkyHell Webzine, escreveu para outros veículos no Brasil e exterior, e sempre esteve envolvido com metal, seja com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa. Escreve para o Whiplash! desde 2005 mas ainda não entendeu a birra dos leitores com as notícias do Metallica. @emanuel_seagal no Instagram.

Mais matérias de Emanuel Seagal.