Rock'n'Roll: a história do estilo contada em quadrinhos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Por Genilson Alves
Enviar correções  |  Comentários  | 


Seria possível escrever a epopéia do rock em um livro com pouco mais de duzentas páginas? Em forma de quadrinhos, a resposta é sim. Foi o que fez o ilustrador francês Hervé Bourhis em “O Pequeno Livro do Rock” (Conrad Editora).

5000 acessosNikki Sixx: "Jon Bon Jovi é um cuzão metido a besta"5000 acessosAxl Rose: vocalista diz que Slash o forçava a fazer shows

A obra já desperta curiosidade pela capa, que reproduz a embalagem de um vinil. A partir daí, acompanhamos uma retrospectiva que remonta à pré-história do estilo nos EUA (compreendida entre 1915 e 1950), marcada pela invenção da guitarra elétrica (1931) e pelo surgimento (nos anos 1940) dos primeiros conjuntos de hillbilly boogie (gênero que misturava o country dos brancos com o rhythm’n’blues dos negros), ou seja, aquilo que se desenvolveria, na década seguinte, no que hoje conhecemos por rock’n’roll.

De 1951 a 2009, cada quadrinho é dedicado a um fato importante (e outros não tão relevantes) na história do rock. São tantos acontecimentos que fica difícil pinçar algum destaque, só para se ter uma ideia de todo o trabalho de pesquisa do autor, que é dono de um traço muito bacana. Aliás, como bom francês, Bourhis dedica um espaço considerável à cena do seu país. O Brasil também é lembrado em passagens que citam a Bossa Nova, os Mutantes e o Tropicalismo, a gravação do Sepultura com os índios Xavantes para o álbum “Roots” e o hype do Cansei de Ser Sexy. Até uma coletânea lançada pelo selo britânico Soul Jazz com bandas do pós-punk brasileiro da década de 1980, batizada “The Sexual Life of The Savages”, é creditada como um dos destaques de 2006.

A despeito do título, o que temos aqui não é um livro exclusivamente sobre rock, mas sobre a música popular do século XX e início do século XXI. Afinal, em seis décadas, o estilo passou por inúmeras transformações e foi dissecado em vários segmentos (progressivo, punk, metal, gótico, indie, entre outros), influenciando e sendo influenciado por outros gêneros (erudito, reggae, funk, rap, eletrônico, etc.), lembrando que o próprio rock surgiu da fusão entre o country e o R&B.

Obviamente, “O Pequeno Livro do Rock” não é uma obra completa - até porque trata de uma história que ainda está sendo contada -, e, por uma questão de espaço, muita coisa ficou de fora, prevalecendo o gosto pessoal do autor. Mesmo assim, funciona como uma minienciclopédia ilustrada que pode ser lida a qualquer momento, independente da ordem cronológica. Em suma, um prato cheio para quem curte rock, quadrinhos e cultura pop.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Livros

Nikki SixxNikki Sixx
"Jon Bon Jovi é um cuzão metido a besta"

Axl RoseAxl Rose
Vocalista diz que Slash o forçava a fazer shows

Whiplash.NetWhiplash.Net
Contribua para manter o site, a partir de R$3

5000 acessosGosto duvidoso: As piores capas da história do Rock e Heavy Metal5000 acessosMax Cavalera: disputa com o "inimigo" Sarcófago ainda rende5000 acessosBlack Sabbath: "Iron Man" em inusitado baixo artesanal4269 acessosSlipknot: viúva de Paul Gray agradece apoio dos fãs5000 acessosAzazel: a pior performance ao vivo de todos os tempos3646 acessosIron Maiden: por que a volta de Bruce Dickinson deu certo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 24 de junho de 2012


Sobre Genilson Alves

Genilson Alves é jornalista e autor do blog Radio Sehnsucht.

Mais matérias de Genilson Alves no Whiplash.Net.