Michael Schenker: em entrevista, a promessa de um show especial

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vicente Reckziegel, Fonte: Witheverytearadream
Enviar Correções  

Em resumo, Scorpions (Lonesome Crow e Lovedrive), UFO (Phenomenon, Force It, No Heavy Petting, Lights Out, Obsession, Walk on Water, Covenant, Sharks), sem contar o Michael Schenker Group e outros tantos álbuns solo. Nestes mais de 40 anos de carreira (o primeiro disco do Scorpions ele gravou quando tinha apenas 16 anos) Michael Schenker fez de tudo um pouco, e sempre o que desejava fazer, ganhando o respeito de todos no mundo musical. Prestes a tocar no Brasil com o projeto Temple of Rock/Lovedrive, com ex-companheiros das citadas bandas, no que será, sem dúvida alguma, um evento inesquecível, Michael concedeu esta entrevista onde fala sobre como surgiu o projeto, o que espera dos shows no Brasil e os planos futuros da sua carreira. E, quem puder, participar dessa celebração do rock é quase uma obrigação. Afinal, é a história do Rock ao nosso alcance...

publicidade

Vicente - Você vai tocar aqui no Brasil no mês de junho, juntamente com seus velhos parceiros de banda. Como nasceu este projeto chamado Lovedrive?

Michael Schenker - Alguns anos atrás Herman e eu nos tornamos vizinhos de modo que começamos a tocar, fazer algumas jams juntos. Queria tocar coisas do UFO que eu não tocava a um bom bocado de tempo. Pete também foi ao bairro e por isso decidimos tocar adiante um projeto ao vivo executando canções populares do meu passado. Simultaneamente, eu estava trabalhando no meu próximo álbum de estúdio. Quando Herman e Pete ouviram a demo eles queriam fazer a seção rítmica nele. Eventualmente começamos uma turnê sob o nome do meu álbum, Temple Of Rock. Pete não se saiu bem e então eu perguntei a Herman o que Francis estava fazendo. Nós descobrimos que ele estava disponível e muito interessado em fazer a turnê européia no ano passado. Agora nós somos 3 membros originais do disco Lovedrive do Scorpions. Foi assim que nós acabamos chamando a turnê de Temple of Rock / Lovedrive Reunion Tour.

publicidade

Vicente - O que você espera desses shows aqui? E o que os fãs daqui podem esperar do Lovedrive?

Michael Schenker - Eu realmente tento não criar expectativas, mas espero que os fãs apreciem a nossa banda, tanto quanto nós. Eu sei que os fãs do Brasil agitam muito, então deverá ser um evento incrível. Uli estará se apresentando com a sua própria banda bem como se juntará a nós (Temple Of Rock) em nosso set tocando músicas do Tokyo Tapes, de seus dias com Herman e Francis com o Scorpions e o Temple Of Rock vai tocar muita coisa do Lovedrive, bem como MSG, UFO e coisas novas, desde o primeiro disco, Temple of Rock, e alguma coisa do segundo álbum - que sai em novembro...

publicidade

Vicente - Para você, quais são as músicas que nunca podem estar fora dos seus shows em especial?

Michael Schenker - Com esta formação: Lovedrive, Another Piece Of Meat, Holiday, Coast to Coast, Rock You Like A Hurricane, Blackout, Armend and Ready, Into the Arena, Rock Bottom, Doctor Doctor e muitas outras músicas clássicas.

Vicente - Você já tocou em muitos países no mundo nos últimos anos. Você acha que esses dias são melhores ou piores para as bandas em geral?

Michael Schenker - Eu realmente não sei como é para as outras bandas. Eu nunca fui parte de um movimento, mas é muito divertido estar de volta no circuito de rock n roll celebrando a era do rock clássico.

publicidade

Vicente - Depois de muitos álbuns e músicas marcantes, o seu nome ficará na memória de muitos fãs ao redor do mundo para sempre. Quais são os seus maiores objetivos a partir de agora, talvez algo que você ainda não alcançou em todo esse tempo?

Michael Schenker - Eu tenho um novo álbum que sairá com a minha banda Temple Of Rock. Este será o próximo objetivo. Será rápido e pesado.

publicidade

Vicente - O seu último álbum de estúdio foi "Temple of Rock". Como você vê o álbum depois de todo esse tempo? Como foi a gravação de "Temple of Rock"?

Michael Schenker - Meu primeiro álbum Temple Of Rock foi uma situação interessante. Quando eu comecei não sabia o que eu ia fazer, mas se transformou em um álbum incrível com participações de grandes músicos. Até mesmo William Shatner acabou nele, mas o meu novo álbum do Temple Of Rock está fantástico. Com Doogie White cantando surpreendentemente e com Francis e Herman (A seção rítmica original do Scorpions em Rock You Like a Hurricane) e Wayne "Neptune" Findlay, nosso "7String" e o homem dos teclados (meu companheiro de muitos anos com o MSG) está emocionante e eu não posso esperar para o lançamento em Novembro. A turnê mundial vai começar em seguida...

publicidade

Vicente - Este álbum traz um "time dos sonhos" do Hard Rock, com grandes músicos participantes. Como foi a seleção de todos eles para "Temple of Rock"?

Michael Schenker – O primeiro álbum do Temple Of rock com todos estes grandes músicos não foi fácil de organizar, mas deu tudo certo com a grande ajuda do meu representante Dr.Kauffmann e o co produtor e cantor Michael Voss, no fim deu tudo certo.

publicidade

Vicente - Como foi o início de Scorpions para você?

Michael Schenker - Emocionante! Foi a primeira gravação que fiz e foi mágico.

Vicente – Sua saída foi o inicio de sua participação em outra banda lendária, UFO. Quais são suas melhores lembranças daquela época?

Michael Schenker - UFO foi um grande passo no desenvolvimento da minha música. Álbum após álbum mantive esse desenvolvimento e cada álbum deixou uma marca nas minhas lembranças. Eu me recordo de tudo como um grande episódio na minha música.

Vicente - Quando você começou na música, quais foram suas maiores influências, que te inspiraram a ser um músico profissional?

Michael Schenker - A primeira vez que vi esta guitarra que está aqui no quarto e toquei em suas cordas, eu sabia que isso era isso. Jimmy Page, Jeff Beck, Eric Clapton, Leslie West, Rory Gallagher, Johnny Winter e todos os grandes guitarristas do final dos anos 60 foram as minhas inspirações finais.

Vicente - Em poucas palavras, o que você pensa sobre estes guitarristas:

Jimi Hendrix: grande
Pete Townshend: ritmo
George Harrison: Não é o tipo de coisa que eu queria fazer.
Jimmy Page: Fantástico
Ritchie Blackmore: Grande

Vicente - Finalmente, por favor, deixe uma mensagem para todos os brasileiros que gostam de toda a sua carreira.

Michael Schenker - Obrigado pelo seu grande apoio durante todos estes anos e para todos os próximos que virão. Keep on rockin’ e vejo vocês no show.

20/06 - Goiânia/GO
Local: Bolshoi Pub
Ingressos: Lojas Fran's Café

21/06 - Belo Horizonte/MG
Local: Music Hall - Av. do Contorno, 3239 - Santa Efigênia
Ingressos: Cogumelo Record - Av. augusto de Lima 555, lj 32 -Centro
Patti Songs - Galeria Praça Sete, lj 52 - Centro
Pelo site Ticket Brasil
Menores de 16 anos, somente acompanhados dos pais ou responsável legal.

22/06 - São Paulo/SP
Data – 22 de junho, às 22h; a abertura da casa será às 20h
Local – HSBC Brasil – Rua Bragança Paulista, 1281, Chácara Santo Antonio, São Paulo
Ingressos e vendas
De R$130,00 a R$280,00
Bilheteria do HSBC Brasil – de segunda a sábado, das 12h às 22h e domingos e
feriados, das 12h às 20h
Pontos de venda na capital, interior e outros estados: consultar
http://www.ingressorapido.com.br
Censura: 14 anos (desacompanhados). Menores dessa idade somente acompanhados
dos pais ou responsáveis.
Duração: Aproximadamente 1h30
Aceita dinheiro e cartões de débito e crédito (Visa, Mastercard, Credicard e Diners)
Acesso para deficientes físicos.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Angra: Kiko Loureiro relembrando o tempo de DominóAngra
Kiko Loureiro relembrando o tempo de Dominó

Andre Matos: o que ele faria se fosse mulher por um dia?Andre Matos
O que ele faria se fosse mulher por um dia?


Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin