Blaze Bayley: impossível não ter influências do Iron Maiden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por André Molina
Enviar correções  |  Ver Acessos

O ex-vocalista do Iron Maiden, Blaze Bayley, participou na última terça-feira (25 de janeiro) de um encontro com fãs, em Curitiba. O cantor atendeu admiradores em uma descontraída sessão de autógrafos que foi realizada no Blood Rock Bar. O evento foi considerado um "esquenta" para o show de Blaze no John Bull Music Hall, marcado para acontecer nesta quarta-feira (26) na capital paranaense.

Bon Jovi: as fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1988

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Antes de Blaze chegar ao local, os fãs tiveram oportunidade de assistir um pocket show da banda curitibana Fire Shadow, que abrirá para o ex-vocalista do Iron Maiden. No set list, o grupo incluiu o novo single "Steel and Metal" e interpretações para "Children of the Sea" (Black Sabbath) e "Electric Eye" (Judas Priest).

Após atender todos os fãs, Blaze aproveitou para conversar com alguns admiradores e jornalistas. Ele mencionou a dificuldade de elaborar o repertório da nova turnê. "Atualmente está muito difícil. As vezes sinto falta de executar as canções do Wolfsbane, que é minha banda mais antiga. Na carreira solo já temos cinco discos de estúdio e precisamos incluir também as canções do Iron Maiden no show. Os fãs esperam ouvir canções do X Factor e do Virutal XI", afirma.

Sobre os dois discos que participou no Iron Maiden, Blaze afirmou que teve um grande aprendizado. Segundo ele, a experiência foi essencial para a consolidação de sua carreira solo. "No X Factor foi predominante o trabalho do Steve Harris e de Janick Gers. Tenho orgulho de ter contribuído bastante em "Man on the Edge", que foi uma canção marcante na época. Já no "Virtual XI" me aproximei de Dave Murray. O trabalho de promoção do disco foi bem interessante. Tivemos a oportunidade de promover o disco ao lado de grandes astros do futebol mundial. Os dois discos também originaram duas grandes turnês", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O cantor reconheceu também que existem influências do Iron Maiden em seu trabalho atual. "No primeiro disco ("Silicon Messiah") utilizei pela primeira vez o que aprendi com Steve Harris em termos de composição. É impossível não ter o reflexo. São identificáveis influências em trabalhos como "Blood & Belief" e "Promise and Terror", por exemplo".

Ao ser questionado se existiu sua participação nas composições do disco "Brave New World" (primeiro trabalho do Iron Maiden após a saída de Blaze), o vocalista se reservou a não comentar. "Prefiro não dizer nada sobre este assunto", declarou.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Blaze Bayley"Todas as matérias sobre "Iron Maiden"


Metallica: Eles arrecadam bem mais que Iron Maiden e Black SabbathMetallica
Eles arrecadam bem mais que Iron Maiden e Black Sabbath

Iron Maiden: Os dois primeiros álbuns soavam horríveisIron Maiden
Os dois primeiros álbuns soavam horríveis


Bon Jovi: as fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985Bon Jovi
As fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1988Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1988


Sobre André Molina

André Molina é jornalista, economista e começou a ouvir heavy metal ainda quando era criança. Tem 30 anos de idade e Rock 'n' Roll é sua religião.

Mais matérias de André Molina no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280