Slayer: "Nunca tentamos ser algo que não somos"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Guilherme Luiz Monteiro Ribeiro, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

A revista Metal Hammer fez em junho de 2010 uma entrevista com o guitarrista do SLAYER, Kerry King. Abaixo seguem algumas partes da entrevista.

47 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa5000 acessosIron Maiden: Felipe Dylon toca clássicos da donzela


Metal Hammer: “O álbum Reign In Blood” foi obviamente um momento marcante para o SLAYER. Quando vocês escreveram o álbum perceberam que ele seria um marco?

King: "Eram apenas as próximas 10 músicas. Simples assim, eram somente as músicas que a gente escreveu. Tínhamos acabado de fazer um monte de riffs rápidos naquela época. Dave [Lombardo, baterista Slayer] sempre foi um fã de punk rock, e eu acho que é de onde vem muita coisa rápida. Os riffs vieram do lado do metal. Acho que uma melhor descrição para o que fazíamos seria metal-punk, e eu acho que o thrash é isso. No principio punks iam para shows de punk e metalheads iam para shows de metal, e eu acho que nós somos uma dessas bandas, se não a única, que mudou isso".

Metal Hammer: “Angel Of Death” causou muita controvérsia. Foi algo que você passou por cima ou incomodou?

King: "Me deu combustível suficiente para escrever música para o resto da minha vida. Ver algo assim ter tanto impacto e ver as pessoas se sentirem ofendidas, me fez perceber o quanto elas são hipócritas. Todos nós somos hipócritas. Era pra gente ter liberdade de falar, e você vai se sentir ofendido por estarmos tocando uma música com este tema? Isso é errado, eu acho que no seu conjunto a humanidade esta cheia de uns idiotas de merda. Em poucas palavras, nossas letras apenas dizem 'pensem', só isso".

Metal Hammer: Você parece ter sobrevivido aos anos 90 com mais dignidade que a maioria. Qual o seu segredo?

King: "Eu não sei cara. Foi a porra da era LIMP BISKIT. Eu me lembro que foi a única vez que eu deixei alguma coisa me influenciar no que eu estava escrevendo. Quando fizemos o 'Diabolous In Musica', eu não escrevia música por que estava ofendido com aquela merda. Eu não conseguia entender o motivo pelo qual alguém faria uma música como aquela, muito menos gostar daquilo. Aquele foi definitivamente o meu pior momento como músico e aquilo realmente apareceu no álbum, a minha falta de envolvimento".

Metal Hammer: Por que voce acha que os fãs ficaram com vocês durante esse período?

King: "Nunca tentamos ser algo que não somos, os fãs percebem isso. Eu me lembro que gostava de algumas bandas e quando eles fizeram mudanças dramáticas eu odiei. Então como banda e sendo capaz de fazer essas escolhas, isso foi algo que nunca fizemos. Ainda somos o SLAYER, aquela só não foi uma boa época pra gente".

Metal Hammer: Quando vocês perceberam que o metal estava voltando?

King: "Acredite ou nao, eu previ isso quando o GODSMACK e o DISTURBED começaram a ficar grandes. Os garotos estavam gostando de uma música mais pesada e eles iam ficar cansados disso e iam passar pro próximo nível, e viriam bem aqui pra nossa área. Eu disse isso há 10 anos atrás, e foi exatamente o que aconteceu. SLIPKNOT foi definitivamente uma coisa nova e o primeiro álbum deles foi ótimo".

Metal Hammer: Já se passaram quase 25 anos do seu primeiro álbum. Qual o segredo para tanta longevidade?

King: "Primeiro, começar cedo. Durante os primeiros álbuns ainda estávamos vivendo em casa, entao ao invés de ficar com a porra da nossa família íamos tocar guitarra, então éramos muito mais produtivos. Não excursionávamos muito e ainda estávamos nesta só pra fazer nossa musica. Agora temos que sair em turnê e todas as outras merdas. Eu nunca tive um problema em ser um Slayer. Me reconhecem com maior frequência agora. É difícil de me esquecerem!

Leia a entrevista na integra (em inglês) no link abaixo:

http://www.metalhammer.co.uk/uncategorized/international-sla...

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 09 de julho de 2014

SlayerSlayer
Kerry King conta qual música favorita para tocar ao vivo

47 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa185 acessosTudo no Shuffle: Thrash Metal, 10 Grandes Riffs570 acessosDave Lombardo: Ele quase morreu por overdose de café? Não!0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Slayer"

SlayerSlayer
Kerry King fala sobre última composição de Jeff Hanneman

SlayerSlayer
Tom Araya revela seus ídolos do baixo

SlayerSlayer
Kerry King fala do "estúpido" aquecimento da banda

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Slayer"

Iron MaidenIron Maiden
Felipe Dylon toca clássicos da donzela

NirvanaNirvana
Entrevista com garoto da capa do "Nevermind"

NightwishNightwish
Tarja Turunen fala sobre sua demissão da banda

5000 acessosMorbid Angel: "banda satânica, eu jamais voltaria", diz Sandoval5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19805000 acessosSlash: Comentários sobre Guns, pornstars e Michael Jackson5000 acessosMetal: como o mito do True levou tantas bandas a serem fake5000 acessosTop 5: discos de metal nacional com nomes de outros estilos5000 acessosHeavy Metal: signos do zodíaco em versão metal

Sobre Guilherme Luiz Monteiro Ribeiro

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online