Exodus: Gary Holt fica embasbacado com Michael Amott

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bernardo Valhall, Fonte: Brave Words, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Em fevereiro de 2008, a BW&BK falou com Gary Holt, guitarrista do EXODUS, que admitiu ser um grande fã de Michael Amott, do ARCH ENEMY.

Arch Enemy: Jeff Loomis fala qual a primeira música que aprendeu a tocarKirk Hammett: "Mustaine toca rápido e eu, melódico"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

BW&BK: Você poderia explicar como suas mãos se recusam a envelhecer.

Holt: "Novamente digo que tudo se resume a ter amor pelo que você faz. A melhor maneira de colocar isso é a seguinte - antes de Paul (Baloff) morrer, todos na banda exceto Jack (Gibson - baixo) estavam tão fudidos de metanfetamina e drogas. Fumávamos durante as passagens de som. Eu não tinha mais amor pelo instrumento. Eu tocava por cinco minutos e depois colocava de lado o instrumento e ia fumar mais speed. Eu ia a um ensaio, olhava para as guitarras mas preferia ir me drogar. Agora simplesmente amo tocar. É uma das minhas coisas favoritas de fazer na vida. Uma vez que você se reconecta com o instrumento, você aprende o quão maravilhoso aquilo pode ser. É um grande escape de todas as merdas da vida. Agora eu normalmente sou o primeiro a chegar no ensaio para ter um tempo só para mim e sou o último a ir embora. É uma alegria ser eu mesmo e poder passar por cima de tudo".

BW&BK: Então o que tem te inspirado esses dias?

Holt: "É sempre uma pergunta difícil. O que realmente me inspira é ver outras bandas tocar. Não é necessariamente uma inspiração musical - é difícil ver bandas realmente boas tocar ao vivo sem querer ir para casa e tocar. Pode ser um pouco de inveja competitiva. Algumas vezes eu vejo uma banda que eu realmente gosto e chego lá e digo 'posso fazer melhor. Sou melhor que isso (risos).' Não é uma questão de ego, trata-se apenas da vontade de ir para casa tocar. Quando vejo alguém no palco, me dá vontade de estar lá".

BW&BK: O contrário acontece - "Como ele fez isso?"

Holt: "Sim. Michael Amott (ARCH ENEMY) - toda vez que eu o vejo solar eu digo 'como diabos ele fez aquilo?!' Eu disse a ele recentemente por email que finalmente consegui meu 'Rise Of The Tyrant' [N do T: último álbum do ARCH ENEMY] e que estou me aposentando. Ele está fazendo nós parecermos ruins e eu não posso mais agüentar. Ele é tão bom que assusta. Existem muitos guitarristas solo bons e eles são uma inspiração para eu praticar meus solos. Isto acaba me impulsionando, impulsionando toda a banda, pois nós acabamos querendo melhorar".




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Exodus"Todas as matérias sobre "Arch Enemy"Todas as matérias sobre "Gary Holt"


Arch Enemy: Jeff Loomis fala qual a primeira música que aprendeu a tocarNevermore: "Impossível voltar sem Warrel Dane", diz Jeff Loomis

Arch Enemy: banda lançou balada porque Alissa faz mais coisas com a vozArch Enemy
Banda lançou balada porque Alissa faz mais coisas com a voz

Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia


Kirk Hammett: Mustaine toca rápido e eu, melódicoKirk Hammett
"Mustaine toca rápido e eu, melódico"

Iron Maiden: quinze canções que definem a bandaIron Maiden
Quinze canções que definem a banda


Sobre Bernardo Valhall

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336