Polêmica: De que forma bandas Deathcore usam os mesmos riffs

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Contrera, Fonte: Metal Sucks.Net, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Não tenho qualquer opinião sobre bandas Deathmetal nem nada. Não gosto em especial do gênero, é certo; mas não nutro qualquer opinião sobre elas, não as conheço e nem as ouço. Considero que qualquer um que goste de rock tem seus critérios pessoais para isso, e que eles não me dizem respeito. Tem quem goste de hard rock, outros de heavy metal, outros de death, etc. e tudo certo.

Cinema: o melhor e o pior dos rockstars em filmesDossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatos

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas eu estava bisbilhotando sites sobre heavy metal, agora que virei autor aqui, no Whiplash, com mais de dez matérias, e deparei-me com este vídeo, bastante interesssante e esclarecedor, no site Metal Sucks.net (www.metalsucks.net). Traduzo abaixo o post no site e posto o vídeo. Espero que gostem. Em inglês, o vídeo demonstra como algumas bandas Deathmetal meio que esbanjam em ausência de criatividade, para dizer o mínimo.

"Eis que Gear Gods achou este vídeo, feito por Zero_Life_Laft, no qual ele explica, em linguagem simples, de que forma algumas bandas deathcore vêm constantemente reciclando os mesmos riffs. Creio que isso seja meio que lugar comum entre os fãs atualmente, mas, se você ainda tem dúvidas quanto a como são pouco criativas algumas dessas bandas, só veja isto."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Curiosidades

Cinema: o melhor e o pior dos rockstars em filmesCinema
O melhor e o pior dos rockstars em filmes

Dossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatosDossiê Guns N' Roses
A versão de Slash para os fatos


Sobre Rodrigo Contrera

Rodrigo Contrera, 48 anos, separado, é jornalista, estudioso de política, Filosofia, rock e religião, sendo formado em Jornalismo, Filosofia e com pós (sem defesa de tese) em Ciência Política. Nasceu no Chile, viu o golpe de 1973, começou a gostar realmente de rock e de heavy metal com o Iron Maiden, e hoje tem um gosto bastante eclético e mutante. Gosta mais de ouvir do que de falar, mas escreve muito - para se comunicar. A maioria dos seus textos no Whiplash são convites disfarçados para ler as histórias de outros fãs, assim como para ter acesso a viagens internas nesse universo chamado rock. Gosta muito ainda do Iron Maiden, mas suas preferências são o rock instrumental, o Motörhead, e coisas velhas-novas. Tem autorização do filho do Lemmy para "tocar" uma peça com base em sua autobiografia, e está aos poucos levando o projeto adiante.

Mais matérias de Rodrigo Contrera no Whiplash.Net.

adGoo336