Joan Baez: "adoro a releitura feita pelo Judas Priest"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Brave Words & Bloody Knuckles, Tradução
Enviar Correções  

O ícone Folk JOAN BAEZ chegou à proeminência no início dos anos 60 com clássicos como Shall Overcome' e 'Joe Hill'. Uma jovem Baez fez campanha pela paz e direitos civis juntamente com seu namorado à época – um obscuro cantor folk chamado BOB DYLAN que ela apresentou ao mundo no Newport Folk Festival em 1963. Desde então, ela contrabalanceou arte e ativismo, usando seu nome e sua fama para se opor à guerra e à pena de morte enquanto lutava por direitos humanos e meio-ambiente.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em uma entrevista com Darryl Sterdan da QMI Agency, em 2010, ela foi perguntada sobre o clássico cover do JUDAS PRIEST da sua música 'Diamonds And Rust' que pode ser encontrada no álbum deles de 1977, "Sin After Sin".

Baez respondeu o seguinte: "Eu adoro! Eu fiquei tão chocada quando escutei. Eu achei maravilhoso. É muito raro fazerem releituras de músicas minhas. Acho que há algumas razões. Uma é que elas são pessoais – elas não tem uma característica de universalidade. E acho que talvez seja porque eu já as tenha cantado, e quem quer competir com isso? Mas sempre é lisonjeiro quando alguém faz."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Veja a entrevista completa em inglês no link abaixo:
http://www.torontosun.com/entertainment/music/2010/10/17/157...




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Trollagem: quando as bandas decidem zoar com o playbackTrollagem
Quando as bandas decidem zoar com o playback

Cradle Of Filth: Dani Filth explica seu conceito de religiãoCradle Of Filth
Dani Filth explica seu conceito de religião


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Goo336 Goo336