Deicide: ritmo dance contagiante em seu novo disco

Resenha - Overtures of Blasphemy - Deicide

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vicente Reckziegel
Enviar Correções  

8

Novo disco do Deicide, e todos que conhecem a banda já sabem de cor e salteado o que aqui encontrarão: Ritmo Dance contagiante, vocais angelicais e letras exaltando a glória divina.

Deicide: um guitar cover excelente de "Homage For Satan"Backmasking: Existem mensagens ao inverso em discos de rock?

Brincadeiras à parte, a trupe capitaneada por Glen Benton (que, pelos meus cálculos, já deveria ter partido desta vida há 18 anos, ou alguém lembra a velha lenda propagada que iria cometer suicídio no palco ao completar 33 anos, a idade de Cristo em sua morte), entrega o mesmo de sempre. O que não chega a ser uma critica, longe disso, pois demonstra convicção em suas crenças e na sonoridade proposta desde o inicio da banda, há longínquos 30 anos. Como o próprio Benton afirna: "Isso é o que eu sou. Death Metal é o que eu faço".

"Overtures of Blasphemy" tem tudo que os fãs da banda gostam. É brutal, veloz, com riffs poderosos e bateria capaz de provocar enxaqueca, de tal rapidez. Incrível como músicos cinquentões (Glen tem 51), ou no caso dos integrantes mais recentes, quarentões, ainda consegue provocar tal avalanche sonora. Mas o Deicide continua tão pesado e blasfemo quanto era no seu principio, como a própria capa do disco pode comprovar.

Com uma produção competente, podemos destacar aqui as faixas com a cara do Deicide, "One With Satan", "All That Is Evil" e "Defying The Sacred" (pusta solo de guitarra essa música tem em seu inicio). Aqui também tem daquelas músicas que fazem a cabeça chacoalhar, com a insana bateria do fiel assecla de Benton, Steve Asheim, como pode ser conferido em "Crawled From The Shadows" e "Consumed By Hatred", enquanto "Destined To Blasphemy" tem aquele típico clima do Death Metal do principio dos anos 90, mais arrastada, mas igualmente assustadora. Mas a minha preferida aqui é "Seal The Tomb Below", que tem um riff muito legal, saindo do lugar comum do Death Metal, e com isso consegue atingir até mesmo ouvidos não tão acostumados com tal sonoridade.

Resumo final de "Overtures of Blasphemy": É um disco que vai agradar os fãs da banda, onde terá um lugar especial. E não fará diferença alguma em quem não conhece ou não curte a banda. Novamente, é uma simples questão de ponto de vista, e de que lado do muro você se encontra.

Formação:
Glen Benton - Baixo, Vocais
Steve Asheim – Bateria, Guitarras
Kevin Quirion – Guitarras
Mark English – Guitarras

12 faixas – 37:54

Tracklist:
1. One With Satan (3:46)
2. Crawled From The Shadows (3:20)
3. Seal The Tomb Below (2:57)
4. Compliments Of Christ (2:44
5. All That Is Evil (3:24)
6. Excommunicated (2:55)
7. Anointed In Blood (3:18)
8. Crucified Soul Of Salvation (3:00)
9. Defying The Sacred (3:30)
10. Consumed By Hatred (3:02)
11. Flesh, Power, Dominion (3:33)
12. Destined To Blasphemy (2:25)



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Deicide: um guitar cover excelente de "Homage For Satan"

Gigwise: as capas mais polêmicas dos anos 2000Gigwise
As capas mais polêmicas dos anos 2000

Deicide: vocalista chama Mustaine de prolapso retalDeicide
Vocalista chama Mustaine de "prolapso retal"


Backmasking: Existem mensagens ao inverso em discos de rock?Backmasking
Existem mensagens ao inverso em discos de rock?

AC/DC: Axl conta por que Angus vive correndo no palcoAC/DC
Axl conta por que Angus vive correndo no palco


Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin