Death: Pútrida Cura Espiritual: Os 25 anos de "Spiritual Healing"

Resenha - Spiritual Healing - Death

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por David Torres, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Após terem lançado dois grandes clássicos incontestáveis do Death Metal, "Scream Bloody Gore" (1987) e "Leprosy" (1988), os norte-americanos do Death retornam com ainda mais força e criatividade em seu terceiro registro de inéditas, o espetacular "Spiritual Healing". Em 16 de fevereiro, essa magnífica obra do Metal Extremo completa o seu aniversário de 25 anos. Lançado no ano de 1990 pelo selo da extinta Combat Records e contando com a co-produção do experiente Scott Burns (Terrorizer, Sepultura, Cannibal Corpse, Obituary), esse registro traz ainda mais técnica, "feeling" e arranjos mais elaborados que os dois trabalhos anteriores da banda, sendo um trabalho menos sujo e visceral, entretanto possuindo um padrão de qualidade à altura.

Ídolos imortais: Chuck Schuldiner, o padrinho do death metalIron Maiden: Video mostra "erros" da banda ao vivo

Gravado e mixado nos estúdios de Morrisound Recording, em Tampa, Florida (EUA) e novamente trazendo uma belíssima arte de capa concebida pelo talentosíssimo ilustrador Edward J. Repka, o disco se inicia com "Living Monstrosity", uma esmagadora faixa de abertura que já entrega palhetadas afiadíssimas, aliadas a um estupendo desempenho da "cozinha" de bateria e baixo e vocais perfeitamente urrados por Chuck Schuldiner. Logo nessa primeira faixa temos mudanças bruscas de andamento, brilhantemente construídas, por sinal, trazendo uma atmosfera surreal que cai como uma luva no final. Os solos também são alucinantes e vertiginosos. "Riffs" pesados e arrastados iniciam a segunda faixa do álbum, "Altering The Future". Aqui nós temos furiosas levadas de bateria que passam por mudanças criativas ao longo da música, além de solos de guitarra repletos de "feeling" e urros ainda mais macabros e intensos. Quando Schuldiner urra o nome da canção, sente-se um arrepio genuíno na espinha. Simplesmente devastador!

A banda dá continuidade ao trabalho com "Defensive Personalities", música que conta novamente com um desempenho nervoso e estupendo de cada integrante. Os pedais duplos de Bill Andrews são estupendos e a dupla de guitarras formada por Chuck Schuldiner e James Murphy brilha intensamente, trazendo mais uma vez uma mescla perfeita de melodias e peso infernal. Iniciando de forma vagarosa e progressiva, "Within the Mind" é novamente uma ótima faixa, jamais diluindo a qualidade do que se ouviu até agora. Os solos no final são um verdadeiro arrasa-quarteirão!

Logo após, é a vez da belíssima faixa-título aparecer. "Spiritual Healing" conta com uma nova sucessão de "riffs" e arranjos que carregam uma atmosfera densa e obscura que combina com a temática abordada por Chuck Schuldiner. Aliás, as guitarras tocadas pouco antes de Chuck urrar o nome da música são espetaculares e proporcionam um clima altamente soturno e misterioso. O grandioso desempenho instrumental da banda aliados aos vocais tenebrosos de seu "frontmen" fazem dessa composição um tremendo clássico.

"Low Life" é a sexta faixa desse grande petardo e nela temos ainda mais "riffs" e harmonias, além é claro de potentes levadas de bateria. Há também alguns trechos mais "grooveados" e bem interessantes, que permitem Chuck urrar de forma ainda mais feroz e violenta e os solos são novamente velozes e bem encaixados. Uma grande música! O final dessa obra fica reservado para "Genetic Reconstruction" e "Killing Spree", duas faixas que esbanjam ainda mais "riffs", solos velozes, vocais destruidores e arranjos que remetem a faixas anteriores, encerrando esse terceiro registro em excelente forma.

O Death sempre foi uma banda que evoluiu a cada lançamento, graças à mente de Chuck Schuldiner que sempre soube agregar novos elementos e musicalidades de forma única, sempre contando com músicos diversos e talentosos. Nesse trabalho de estúdio, Schuldiner contou com mais um grande time de músicos, sendo eles o guitarrista James Murphy (James Murphy (Carreira Solo), Cancer, Disincarnate, ex-Obituary, ex-Konkhra, ex-Testament), o baixista Terry Butler (ex-Massacre, ex-Six Feet Under, Obituary, Denial Find) e o baterista Bill Andrews (Ex-Massacre). "Spiritual Healing" foi o terceiro capítulo da jornada da banda que infelizmente foi interrompida pela morte precoce de seu "frontmen" como todos sabem. Contudo, o legado pútrido e genial da banda permanece intacto e tão poderoso como nunca.

01. Living Monstrosity
02. Altering the Future
03. Defensive Personalities
04. Within the Mind
05. Spiritual Healing
06. Low Life
07. Genetic Reconstruction
08. Killing Spree

Chuck Schuldiner (Vocal / Guitarra) (R.I.P. 2001)
James Murphy (Guitarra)
Terry Butler (Baixo)
Bill Andrews (Bateria)


Outras resenhas de Spiritual Healing - Death

null




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Death"


Ídolos imortais: Chuck Schuldiner, o padrinho do death metalÍdolos imortais
Chuck Schuldiner, o padrinho do death metal

Loudwire: os 25 melhores álbuns de estreia do MetalLoudwire
Os 25 melhores álbuns de estreia do Metal

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1991Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1991

Roadrunner: os álbuns mais desprezados de todos os temposRoadrunner
Os álbuns mais desprezados de todos os tempos


Iron Maiden: Video mostra erros da banda ao vivoIron Maiden
Video mostra "erros" da banda ao vivo

Morbid Angel: banda satânica, eu jamais voltaria, diz SandovalMorbid Angel
"banda satânica, eu jamais voltaria", diz Sandoval

Capas de álbuns com ilusões de óticaCapas de álbuns com ilusões de ótica
Capas de álbuns com ilusões de ótica

Cults: 10 álbuns influentes que fracassaram nas vendasChris Cornell: jornalista foi a último show e percebeu algo erradoScorpions: James Kottak fala sobre da vida fora da banda e planos para 2018Metal: As bandas mais expressivas surgidas nos últimos 15 anos

Sobre David Torres

Moderador e criador nas páginas Mundo Metal e The Old Thrash Metal, tem como estilo predileto o bom e velho Thrash Metal e procura sempre conhecer mais e mais acerca do estilo, assim como do Rock/Metal como um todo e as suas mais variadas vertentes e subgêneros.

Mais matérias de David Torres no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336