Jane's Addiction: Para ser ouvido, apreciado, reconhecido

Resenha - Great Escape Artist - Jane's Addiction

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Marcelo Vieira, Fonte: riorockzone.blogspot.com
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


A história do Jane’s Addiction é pontuada por incontáveis idas e vindas, projetos paralelos envolvendo seus integrantes e todo tipo de escândalo que a combinação ego inflado + abuso de álcool e drogas provoca. Mas nada disso consegue ofuscar o que o grupo fez em matéria de música no decorrer de suas quase três décadas de existência. No próximo dia 18, o lançamento de ‘The Great Escape Artist’, sexto álbum de estúdio, dá início a um novo capítulo que, espero eu, seja mais duradouro. Da formação original, responsável pelo clássico ‘Nothing’s Shocking’ (1988), apenas o baixista Eric Avery não comparece. Em seu lugar, acompanhando Perry Farrell (vocais), Dave Navarro (guitarra) e Stephen Perkins (bateria, percussão), temos Dave Sitek, recrutado de última hora junto ao TV on the Radio.
280 acessosJane's Addiction: "Ritual De Lo Habitual - Alive At Twenty-Five"5000 acessosHetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica

Uma vez mantido o núcleo criativo, era de se esperar que ‘The Great Escape Artist’ soasse como um verdadeiro álbum do Jane’s Addiction. O estilo de Perry Farrell segue inconfundível e é a marca registrada que sobrepõe todo resto. A maneira de Navarro tocar ainda se mostra relevante e confirma seu nome entre os melhores da geração Alternative Metal que revelou bandas como Faith No More, Living Colour e Red Hot Chili Peppers. Perkins continua ditando o ritmo com precisão e abusando das quebradas de tempo; o casamento com as quatro cordas de Sitek se deu com brilhantismo. Isso sem contar os ‘efeitos especiais’, que, imagino eu, sejam obra da mente ora doentia ora genial de Farrell.

O álbum começa matador com ‘Underground’, com a distorção da guitarra de Navarro estourando nos alto-falantes. O refrão é uma explosão de graves com vocais vertiginosos, mistura peculiar ideal para uma abertura de alto nível. ‘End to the Lies’ remete ao debut do Porno for Pyros – talvez o projeto paralelo mais famoso de Farrell –, exceto pela qualidade da gravação, infinitamente superior aqui. A atitude é a mesma; o resultado é uma quase-jam. Em seguida, a irregular ‘Curiosity Kills’ só se salva mesmo no refrão que incorpora uma nuance meio gótica, anos 80, difícil de descrever. ‘Irresistible Force’ tem um quê de Linkin Park na base e promete agradar a galerinha chegada num Rap Rock. Só não espere gritos a la Chester Bennington ou rimas frenéticas a la Mike Shinoda.

‘I’ll Hit You Back’ combina vocalizações hipnóticas, uma guitarra ultra-grave e ultra-distorcida, bateria eletrônica e um refrão capaz de derrubar uma parede de tijolos. Em ‘Twisted Tales’ bate novamente a desconfiança de que o quarteto fez uma espécie de ‘laboratório Nu Metal’ antes de entrar em estúdio. ‘Ultimate Reason’ leva a tese ainda mais além e obriga a abaixar o volume sob risco de explosão das caixas de som. A esquisita ‘Splash a Little Water on It’ (imaginem só o que deve dizer a letra...) dá uma quebrada na boa seqüência até então. Não sei que raio de efeito foi usado nesta aqui, mas a impressão é de disco arranhado rodando com cliques. A reta final traz a lenta e sexy (com certeza alguns acharão) ‘Broken People’ e a frenética ‘Words Right Out of My Mouth’; um tíquete de volta para o passado barulhento pré-rompimento em 1991.

Ainda é cedo para dizer qual será a repercussão de ‘The Great Escape Artist’ junto a público e crítica. Na minha opinião, o álbum tem potencial, merece ser ouvido, apreciado, reconhecido. E que o passar do tempo o assinale como um novo começo, mais sóbrio e estável, para o Jane’s Addiction que, aliás, desembarca no País em abril do ano que vem.

Tracklist:

01 – Underground
02 – End to the Lies
03 – Curiosity Kills
04 – Irresistible Force
05 – I’ll Hit You Back
06 – Twisted Tales
07 – Ultimate Reason
08 – Splash a Little Water on It
09 – Broken People
10 – Words Right Out of My Mouth

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Great Escape Artist - Jane's Addiction

1960 acessosJane's Addiction: A gente escuta sem pular as faixas

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

280 acessosJane's Addiction: "Ritual De Lo Habitual - Alive At Twenty-Five"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Janes Addiction"

Dave NavarroDave Navarro
Carta aberta para adolescentes LGBT

Quase morreuQuase morreu
Dave Navarro relembra overdose de drogas

Dave NavarroDave Navarro
"Rock e pornografia existem para quebrar tabus!"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Janes Addiction"

MetallicaMetallica
Hetfield fala sobre Dave Mustaine, Load e homossexualidade

Iron MaidenIron Maiden
A foto que teria inspirado Derek Riggs na criação de Eddie?

MetallicaMetallica
Hammett e Ulrich escolhem álbuns e músicas da década

5000 acessosAxl Rose: Um dos vocalistas com maior alcance5000 acessosRock in Rio: Os cachês e exigências dos artistas na edição de 19915000 acessosSepultura: saiba mais sobre as visões religiosas de Derrick5000 acessosCradle Of Filth: Dani Filth explica seu conceito de religião5000 acessosAvenged Sevenfold: Ouça os vocais de Shadows isolados dos instrumentos5000 acessosVocalistas: Os 10 melhores da história do rock

Sobre Marcelo Vieira

Marcelo Vieira é jornalista, DJ e ex-guitarrista das bandas Mafia, Os Neuza e Burning Stars. Fundou em 2007 o blog Combe do Iommi e tem textos e matérias publicados nos sites Collector's Room e Van do Halen. Trabalha também como assessor de imprensa na empresa SPS Comunicação e é repórter da Federação de Automobilismo do Estado do Rio de Janeiro (FAERJ). Escreve resenhas de CDs, DVDs e livros e cobre shows para o site ROCK ZONE desde setembro de 2011. Contato: mvmeanstreet@hotmail.com / Twitter: @mvmeanstreet .

Mais matérias de Marcelo Vieira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online