RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRichie Sambora volta ao Bon Jovi para tour de 40 anos da banda, especula jornalista

imagemBanda cancela show porque perdeu laptops e Sebastian Bach alfineta; "Isso é uma piada?"

imagemJon Schaffer está brincando de esconde-esconde com autoridades dos EUA

imagemPor que Jon Lord recomendou a Dio que não aceitasse convite de Blackmore para Rainbow?

imagemDigão diz a Jão que não quer treta mas não tem sangue de barata

Monja Coen presenteia apresentador de podcast com camisa de banda punk

imagemPaul Di'Anno faz primeiro show pós-cirurgia; veja vídeo profissional da apresentação

imagemO hit regravado pelo Jota Quest que na época derrubou Roberto Carlos do 1º lugar

imagemJohn Petrucci compartilha foto de ensaio com Mike Portnoy

imagemFloor Jansen surge de cabelo curtinho poucos dias antes de vir ao Brasil com Nightwish

imagemAs 10 músicas de metal mais ouvidas da última semana, segundo a Billboard

imagemSe Kiko voltar, o Angra vai imitar o Iron Maiden e ter três guitarristas?

imagemO músico incrível que foi induzido três vezes ao Hall da Fama do Rock

imagemEdu Falaschi inicia segunda parte da "Vera Cruz tour" com muitas novidades

imagemJão, do Ratos de Porão, chama Digão para resolver as diferenças em um ringue


NFL Steve Harris

Lita Ford: descartou-se o carismático Hard Rock do passado

Resenha - Wicked Wonderland - Lita Ford

Por Ben Ami Scopinho
Em 03/11/09

Nota: 2

Tá maus, Lita, tá maus... A Lita Ford é, acertadamente, considerada como uma das pioneiras do (em vias de extinção) sexo frágil que se aventurou pelo Rock´n´Roll nos anos 1970 e conquistou o sucesso como vocalista e guitarrista no boom do gênero na década seguinte. Posteriormente, a garota se recolheu ao ambiente familiar juntamente com o gigantesco marido Jim Gillette (do excêntrico Nitro, lembram-se?) para criar sua prole.

Prole criada, 51 anos nas costas, e eis que a loirinha retorna – com o marido ao lado, naturalmente. Pois, além de Gillette co-escrever o repertório, ele assumiu a maioria das vozes de fundo e, em muitas faixas, a coisa até funciona bem. Mas, musicalmente, descartou-se o carismático Hard Rock do passado, optando pelas não tão novas tendências modernosas do mercado musical norte-americano.

O pesadíssimo "Wicked Wonderland" encerra uma reclusão que durou 15 anos e mostra Lita Ford investindo pesado em um turbilhão de efeitos eletrônicos e ruídos que, corajosamente, tentam criar algo novo e diferente. Mas o que realmente conseguem é sufocar os interessantes riffs das guitarras e as linhas vocais, tendo como desastroso resultado um repertório ausente de uma dinâmica minimamente interessante.

Como se fosse pouco, existe como agravante o apelo sexual das letras, cuja vulgaridade é simplesmente ridícula em vários trechos, a ponto de se ficar imaginando a cara dos filhos da Lita ao ver a mamãezinha deles cantando esse lixo. Mas, em tempos de esmiuçar o lixo para tentar reciclar algo, com boa vontade dá para encontrar em "Piece (Hell Yeah)" umas guitarras bem sacadas, além de todo o projeto gráfico, tão rico em detalhes que te faz esquecer momentaneamente o horror musical que é este disco.

Talvez os fãs do desmiolado Marilyn Manson tenham algum interesse em "Wicked Wonderland"... Sua vibração é Rock´n´Roll, mas transmutado de forma tão radical e desesperado que não deu certo mesmo. E, longe de querer ser um sentimental saudosista, encerro com algo já dito em algum momento destas linhas: Tá maus, Lita, tá maus...!

Contato:
http://www.myspace.com/litaford
http://www.litaxx.tv

Formação:
Lita Ford - voz e guitarra
Jim Gillette - voz
Greg Hampton - baixo
Michael T Ross - teclados
Chris Collier - bateria
Stet Howland - bateria

Lita Ford - Wicked Wonderland
(2009 / JLRG Entertainment - importado)

01. Crave
02. Piece (Hell Yeah)
03. Patriotic SOB
04. Scream For Me
05. Inside
06. Wicked Wonderland
07. Indulge
08. Love
09. Betrayal
10. Sacred
11. Truth
12. Everything
13. Bed
14. Garden
15. Push

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Runaways: Lita Ford foi convidada para entrar no Led Zeppelin?

Lita Ford: "Sharon Osbourne nunca perdoa nem tampouco esquece"

Elle: revista elege as melhores guitarristas da história

Fotos de Infância: Gene Simmons, do Kiss

Marilyn Manson: ele removeu costelas para praticar autofelação?


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.