Evergrey: recuperando muito do prestígio que conquistou

Resenha - Torn - Evergrey

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


É... Muita coisa mudou nos últimos tempos para o Evergrey... Nova gravadora (SPV-Steamhammer), novo baixista (Jari Kainulainen, ex-Stratovarius) e, o principal, um retorno a suas raízes musicais – ou alguém aí achou que os suecos iriam continuar trilhando os caminhos tão simples de "Monday Morning Apocalypse" (06), que dividiu tantas opiniões? Assim sendo, decidiram que também voltariam a cuidar da produção e o resultado é "Torn", o sétimo álbum da discografia desta grande banda.
5000 acessosAs regras do Black Metal5000 acessosMetallica: corrigindo a injustiça contra Jason Newsted

Com seu novo disco o Evergrey explora arranjos de forma a resgatar toda aquela atmosfera fantasmagórica, misteriosa e com estruturas intrincadas, ainda que algumas vezes as mesmas apareçam de forma mais sutil. Estes conhecidos recursos aparecem ao lado de refrões que mantém a tendência explosiva e pegajosa, mantendo assim certo elo de ligação com o já citado "Monday Morning Apocalypse" e comprovando que a banda compõe seguindo seus próprios termos.

Lá estão os ótimos riffs pesados e galopantes, solos de guitarra incríveis (acompanhados de outros apenas adequados) e uma seção rítmica que exibe o bom e velho groovy. Os teclados são utilizados de forma equilibrada e são eficazes ao cultivar boas doses daquela sonoridade típica das bandas góticas da década de 1980. E quanto ao senhor Englund? Bom, creio que seja desnecessário tecer quaisquer elogios sobre os lamentos amargos que são suas linhas vocais... Simplesmente magnífico!

Apesar de algumas canções seguirem orientações similares, fica claro que as melodias cativantes estão de volta. Neste sentido, há ótimas faixas que dão um impulso e tanto ao repertório, como "Soaked", "Fear" (grande refrão!), a modernosa "Numb" e principalmente "Still Walk Alone", com ótimas guitarras.

Solene e bem concebido, "Torn" pode não ser o melhor álbum que o conjunto já ofereceu ao público, mas inegavelmente apresenta respeitáveis atrativos, cativando o ouvinte e naturalmente conseguindo recuperar muito do prestígio que o Evergrey conquistou com aquele Heavy Metal complexo de alguns anos atrás. Pode conferir!

Formação:
Tom S. Englund - voz e guitarra
Henrik Danhage - guitarra
Jari Kainulainen - baixo
Rickard Zander - teclados
Jonas Ekdahl - bateria

Evergrey - Torn
(2008 / SPV-Steamhammer - 2009 / Hellion Records)

01. Broken Wings
02. Soaked
03. Fear
04. When Kingdoms Fall
05. In Confidence
06. Fail
07. Numb
08. Torn
09. Nothing Is Erased
10. Still Walk Alone
11. These Scars
12. Caught In A Lie

Homepage: www.evergrey.net

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Torn - Evergrey

1706 acessosEvergrey: sólido e competente, um dos melhores de 2008

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Evergrey"

EvergreyEvergrey
Os discos que marcaram o vocalista Tom Englund

Metal suecoMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Evergrey"

HumorHumor
Não basta um machado na mão para ser Black Metal

MetallicaMetallica
Corrigindo a injustiça contra Jason Newsted

Cannibal CorpseCannibal Corpse
Este cara é muito mais fanático que você

5000 acessosRafael Serrante: Ele invadiu o palco do Maiden no Rock In Rio5000 acessosThrash Metal: 20 bandas brasileiras de qualidade inquestionável5000 acessosVocalistas: belíssimos timbres de alguns cantores de rock5000 acessos"Mascotes" de bandas: GigWise elege os 14 mais famosos5000 acessosRock, Revolução e Satanismo5000 acessosGuitarra: uma impressionante aula sobre estilos pessoais no Metal

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online