Resenha - Sea Of Light - Uriah Heep

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rossano Bart
Enviar correções  |  Ver Acessos


Final dos 80. Começava a ascensão de movimentos até então alternativos, como o 'grunge' e o 'thrash metal', representados por formações como Nirvana e Metallica, respectivamente. E, na sombra dessa nova realidade, agonizava o 'glam rock'. Muitas bandas do gênero, à essa altura, ou tinham acabado ou tentavam adequar-se à época.

Uriah Heep: banda cancela turnê na América do Sul, que teria dois shows no BrasilWhiplash.Net: O site protege algumas bandas e prejudica outras?

O Uriah Heep era uma delas. Em 1986, com a entrada de Bernie Shaw (V) e Phil Lanzon (K), a banda, aproveitando as influências que os novos integrantes trouxeram de seus trabalhos anteriores (Shaw atuou, entre outros, no Praying Mantis e Lanzon, no Grand Prix), apostou em uma sonoridade muito próxima do 'glam', buscando maior penetração na mídia e, infelizmente, tal mudança não agradou aos fãs mais conservadores e à boa parte da crítica. Discos como 'Raging Silence' (89) e 'Different World' (91) possuíam momentos interessantes, mas destoavam do material clássico do grupo.

Era a hora da mudança: o que fazer para devolver o Heep ao patamar das grandes bandas? A resposta veio em 'Sea Of Light'. E parece que, nesse disco, tudo o que havia sido feito de interessante até então estava lá, começando pelo riff arrasador da faixa de abertura, 'Against The Odds', uma das melhores músicas de toda a carreira da banda. A partir daí, temos uma seqüência de temas cheios de 'feeling', que hora lembram os áureos anos 70, como 'Time Of Revelation' (qualquer semelhança com a clássica 'Look At Yourself' não é coincidência) e 'Love In Silence' (uma ótima balada, com uma levada progressiva) e hora lembram a fase mais 'hard' e recente do grupo, como 'Universal Wheels' e 'Words In The Distance'.

Talvez o único ponto mediano do disco seja 'Fear Of Falling', com vocais embolados e um arranjo meio comum, mas que, num todo, não compromete; poderia ter sido substituída pelo interessante 'out take' 'Sail The River'.

A boa produção, por parte da banda e de Kalle Trapp, contribuiu (e muito) para a qualidade do álbum, resgatando elementos há muito abandonados, como a sonoridade setentista dos teclados e a linha vocal mais melódica.

Em tempo: a turnê desse álbum (que passou pelo Brasil) renderia um bom disco ao vivo, 'Spelbinder', de 1998.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Uriah Heep"


Uriah Heep: banda cancela turnê na América do Sul, que teria dois shows no BrasilUriah Heep
Banda cancela turnê na América do Sul, que teria dois shows no Brasil

O Hobbit: UCR divulga lista de canções relacionadas a TolkienO Hobbit
UCR divulga lista de canções relacionadas a Tolkien

2008: 60 discos de rock e metal lançados há 10 anos2008
60 discos de rock e metal lançados há 10 anos


Whiplash.Net: O site protege algumas bandas e prejudica outras?Whiplash.Net
O site protege algumas bandas e prejudica outras?

Novas caras do metal: 40 bandas que você precisa conhecerNovas caras do metal
40 bandas que você precisa conhecer


Sobre Rossano Bart

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336