Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu, em busca de emprego, pede ajuda a seguidores

imagemGene Simmons faz passagem de som antes de show do Kiss com roupa inusitada

imagemPaul McCartney lista os cinco músicos que formariam sua banda dos sonhos

imagemRegis Tadeu explica porque o vinil e o Spotify vão despencar e o CD vai bombar

imagemBill Hudson comenta sobre falta de público de Angra e outras bandas nos EUA

imagemMax Cavalera e o conselho dado por Ozzy Osbourne: "ambos nos sentimos traídos"

imagemJames Hetfield se emociona profundamente no show de BH e é amparado pelos amigos e fãs

imagemDez grandes músicas do Iron Maiden escritas pelo vocalista Bruce Dickinson

imagemDave Mustaine mostra a forma curiosa como se aquece antes de um show do Megadeth

imagemMax Cavalera é criticado por ucranianos pelo apoio a Rússia em 2014

imagemConheça a "melhor banda com as melhores músicas" para Robert Smith, do The Cure

imagemAbba e a imensa importância do Deep Purple na sonoridade de suas músicas clássicas

Marcello Pompeu: ele conta por que não se posiciona politicamente, apesar de cobranças

imagemQueen e a artimanha infantil de Roger Taylor pra ganhar mais dinheiro que os outros

imagemBlind Guardian divulga capa, nomes e duração das faixas de seu novo álbum


Stamp

Resenha - Sailing to Philadelphia - Mark Knopfler

Por Ana Therezo
Em 30/09/00

Nota: 10

Sailing to Philadelphia é simplesmente perfeito! São noventa minutos da experiência e originalidade do cantor, compositor, guitarrista e produtor Mark Knopfler (líder do extinto Dire Straits).

Em seu segundo trabalho solo, Mark com vocais quase narrativos e sua voz rouca trilha os caminhos do mais puro rock e blues; e como se não bastasse seu próprio talento, o CD ainda tem participação de Van Morrison, James Taylor, Gillian Welsh, David Rawlings e os cantores da banda Squeeze, Glenn Tilbrook e Chris Difford.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É verdade que alguns desses nomes já fizeram parte da vida de Mark Knopfler. Se voltarmos um pouco no tempo, em 1982, lembraremos de "Beautiful Vision", parceria com Van Morrison; já com Glenn e Chris do Squeeze, a amizade vem da época de estrada com o Dire Straits.

Combinações e influências à parte, o CD promete ser um dos melhores lançamentos do ano. Para começar, "What it is", o primeiro single e grande candidato às paradas. A faixa-título, "Sailing To Philadelphia", é um dos melhores momentos do CD. Diz Mark que após ler o livro "Mason & Dixon", ele compôs um dueto dos personagens e concluiu que ninguém melhor que James Taylor, com seu estilo folk, para interpretar Charles Manson.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em "Last Laugh", o encontro com Van Morrisson, o clima se torna sereno e a dupla figura uma balada pop. Com a ajuda de Glenn e Chris do Squeeze, "Silvertown Blues" conta a história do Domo construído em Greenwich, na Inglaterra. Tudo leva a crer que é justamente a combinação das canções, ora fulminantes ora melancólicas, que tornam o CD tão interessante. Já em "Baloney Again", a letra denuncia a segregação racial da América de Jim Crow, no caminho do famoso grupo Gospel que cruzava os Estados Unidos. E como não poderia deixar de ser, em "Who´s Your Baby Now", "Prairie Wedding", "One More Matinee" e "Speedway At Nazareth" surge o saudoso e inesquecível estilo "Dire Straits" - certeza de qualidade e garantia de sucesso.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Junkie Doll", décima primeira canção, vai destilar altas doses de rock n´roll ao ouvinte, que se ainda não estiver satisfeito, poderá ouvir um blues simples, porém denso, intitulado "Wanderlust"; ou se servir de uma pitada de tempero latino em "El Macho". O repertório fecha com "Sands Of Nevada", com a participação do "pedal steel" Paul Franklin.

Foram quatro anos para entrar em estúdio e gravar o sucessor de "Golden Heart" (primeiro trabalho solo do artista). Mas valeu a pena esperar! São treze faixas do melhor de um músico amadurecido com mais de 20 anos de uma carreira espetacular.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp



Sobre Ana Therezo

Engenheira, Escritora de Araque e, atualmente, moradora das planícies gélidas Canadenses. Fã de Rock em todas as suas vertentes, mas com tendências xiitas ao Heavy Metal, ganhou seu primeiro bolachão - No Rest for the Wicked, em 1988. Vinte e poucos anos depois e, contrariando aqueles que acreditam que o gosto musical muda com o passar do tempo, continua escutando Ozzy, AC/DC, Deep Purple e afins. Colaboradora e leitora do Whiplash! desde que o site tinha caveirinhas na página principal, e que a lista dos melhores guitarristas de todos os tempos era o assunto da vez.

Mais matérias de Ana Therezo.