Protector: biografia da banda de Thrash Death matador

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Luis Augusto Bueno De Amorim, Fonte: Revistas.
Enviar Correções  

No verão de 1986 o baterista / vocalista Michael Hasse, que tinha acabado de sair da sua primeira banda,Death Attack (speed metal) de Wolfsburg, e o guitarrista Hansi Müller decidiram formar uma banda de Thrash Metal, e deram a ela o nome de PROTECTOR.

Judas Priest: 10 fatos que comprovam que eles são Heavy Metal

Metallica: o video game da banda que nunca foi lançado

Eles se uniram com o baixista Michael Schnabel, e começaram a escrever canções e ensaiar na casa dos pais de Michael Hasse, em uma vila nos arredores de Wolfsburg. Em novembro de 86 eles adentraram o "White Line Studio" em Braunschweig , onde eles gravaram uma demo que continha as duas músicas "Protector of Death" e "Apocalyptic Revolution".

No início de 1987 Ede Belichmeier substituiu Michael Schnabel no baixo, e algumas semanas mais tarde o vocalista Martin Missy entrou na banda com seus berros matadores e certeiros. Alguns meses depois eles entraram em contato com a gravadora recém formada, "Atom-H", que havia sido fundada por Jürgen Engler, que tinha sido no membro da banda DIE KRUPPS no começo dos anos 80.

Em Maio gravaram uma demo em um ensaio, contendo seis faixas e que recebeu o nome de "Kain And Abel". Além da faixa-título, temos na demo as faixas "Misanthrope", "Agoraphobia", "Protector Of Death", "The Mercenary" e "Apocalyptic Revolution". Foi possível que o pessoal da Atom-H soubesse como soavam matadoras as novas músicas da banda, e ao mesmo tempo poderiam vender o material em fita para que a música chegasse até os fãs.

Em Junho o Protector retornou ao estúdio White Line para gravar seu primeiro registro oficial. O EP chamado "Misanthropy", que chegou com tudo nas lojas no outono do mesmo ano.

No dia doze de Setembro os caras partiram para sua primeira apresentação, na Bélgica junto com outra banda matadora da época. O Assassin! Passando uma semana, retornaram para seu primeiro show na Alemanha em Braunschweig, abrindo para um monstro do metal alemão chamado Sodom! Curiosamente Michael Hasse havia fundado um dos fã-clubes da banda de Tom Angelripper anos antes. No mesmo ano o Protector ainda tocou com o Messiah e o Tankard.

No dia 19 de Março de 88 o Protector realizou o primeiro show na sua cidade natal, Wolfsburg, em um festival de metal local. Em Agosto a banda lança seu primeiro LP com o nome "Golem". A Faixa principal foi inspirada no mito judaico ressaltado na arte e nome do disco. Foi gravado no Phoenix Studio, em Bochum, e trazia uma mescla perfeita entre death metal e thrash metal. Poderoso e intenso, pode ser considerado um clássico do estilo. Algumas semanas depois, em Setembro, Tom Angelripper, cantou a música "Spacecake" junto com a banda em uma apresentação, pela primeira e única vez.

No começo de 1989 o competente vocalista Martin Missy deixou o Protector, sendo substituído por Oliver Wiebel. Em Março a banda saiu para sua primeira turnê juntamente com os americanos do Wehrmacht. A Tour passou pela Bélgica, Holanda e pela Alemanha. Já em 1989, no mês de Abril, o Protector realizou seu maior show até então. Foi no "Metal Mania Festival" na Polônia, e a banda fez bonito na frente de milhares de fãs entusiasmados e enlouquecidos, sedentos por metal.

Voltando para a Alemanha, os caras já eram conhecidos e respeitados pelo seu som intenso e veloz. Nessa época, tocaram com monstros como o Raven e o Kreator. No verão Martin Missy retornou aos vocais, e gravaram no Phoenix Studio o segundo album. "Urm The Mad" é inspirado nos quadrinhos "Le Fou", de Phillipe Druillet.

Em 27 de Novembro tocaram junto com o Rage em Düsseldorf. Após esse show Missy deixou a banda de vez, sendo substituído permanentemente por Oliver Wiebel. Em Maio de 1990, gravaram o EP "Leviathan's Desire" com 4 faixas. Já em Junho eles tocaram no "Hard Rock Festival" com Running Wild, Sepultura, Tankard e Sacred Reich. No Outono saíram em turnê com a banda Napalm Death.

Em 91, Hansi Müller deixou a banda, e Oliver Wiebel assumiu a guitarra em seu lugar. Pouco tempo depois disso, Ede Belichmeier foi substituído por Matze Grün. Com esta formação, o Protector entrou no estúdio Music Lab Berlin, para gravar "A Shedding of Skin", seu terceiro LP, lançado pela Major records. Foi produzido por Harris Johns, que, entre outros, anteriormente havia produzido Sodom, Kreator e Voivod. No Outono daquele ano eles pegaram a estrada novamente para uma tour com o Funeral Nation e o Ravenous. Infelizmente a turnê foi cancelada depois de dois shows.

Já em 1992, as coisas só pioravam, e o último membro fundador remanescente, Michael Hasse, deixou a banda, sendo Substituído por Marco Pape. Após isso, saíram em turnê com o D.V.C e o Crusher.

Em Junho de 1993 gravaram o quarto LP, chamado "The Heritage", lançado novamente pela Major Records. A banda já não possuía a mesma força e garra de outrora, apesar do som continuar matador e insano. Algumas crises entre membros faziam o ambiente parecer uma panela de pressão.

Dia 23 de Fevereiro de 1994 o Protector realizou seu último show, em Wolfsburg.Na formação estavam Oliver Wiebel, Matze Grün e Marco Pape. Em setembro de 1994, Michael Hasse morre tragicamente, e é sepultado no Nordfriedhof em Wolfsburg. Em 1995, A "Major Records" lançou uma compilação(dedicado a Michael Hasse) com 16 faixas chamada "Lost in Eternity". Nos anos que se seguiram, o baterista Marco Pape tentou de todas as formas manter a banda viva, e até gravou um dos shows em 1999, de onde saiu a demo "Resurrected" lançada em 2000. Mas nada parecia poder trazer o espírito do Protector de volta das sombras, e logo as formações que Pape trazia se desfaziam.

Em 2003, a gravadora sueca, I Hate Records, lançou uma compilação do Protector, com o EP "Misanthropy" e o LP "Golem". Chama-se "Echoes From The Past". Dois anos mais tarde, a "I Hate Records" lança "Ominous Message of Brutality", que era mais uma compilação do Protector, só que dessa vez com músicas da época de "Leviathan's Desire" e "Urm The Mad", além de alguns sons ao vivo que remontam da época destes discos.

Ainda em 2005 Martin Missy surge com uma banda cover do Protector na Suécia, com o nome no mínimo escroto de "Martin Missy and the Protectors". Em 2007 Martin Missy e sua banda tocaram em alguns shows na Europa, e tocaram "Sepuchral Voice" em um tributo "In The Sign Of Sodom". Este foi o último ato ao que parece, já que o nome Protector ultimamente anda apenas ligado à compilações, como a de 2010, com o já saturado título, "Kain And Abel".

Esta foi uma das bandas mais brutais da história da Alemanha, e é uma boa dica aos fãs de Death e Thrash Metal. Algumas de suas músicas chegam a lembrar as bandas mineiras da década de 80.

Vale a pena conferir os vídeos caso você ainda não conheça.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Judas Priest: 10 fatos que comprovam que eles são Heavy MetalJudas Priest
10 fatos que comprovam que eles são Heavy Metal

Metallica: o video game da banda que nunca foi lançadoMetallica
O video game da banda que nunca foi lançado


Sobre Luis Augusto Bueno De Amorim

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin