Suzi Quatro: a importância da linda baixista para o rock

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Allan Jones
Enviar correções  |  Ver Acessos

Suzi nasceu em 1950, na cidade de Detroit. Filha de um músico de jazz, desde pequena já se mostrava fascinada por música.

Em 1964, formou sua primeira banda, que contava com sua irmã na formação. Suzi Soul And The Pleasure Seekers era o orgulho da família, apesar de todos não levarem muito a sério aquela história de banda feminina. A banda realmente não rendeu...

Motörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do SepulturaPattie Boyd: o infernal triângulo com George Harrison e Eric Clapton

Em 1971, Suzi já era uma contrabaixista conceituada na cidade, e além de cantar e tocar muito bem, era deslumbrante... Durante uma apresentação ela foi notada por Mickie Most que resolveu ajudar a jovem musicista.

Ele a levou para a Inglaterra, visando gravar algumas músicas pelo selo Rak records, do qual ele era responsável. A banda dela consistia em Britons Alastair McKenzie (keyboards), Dave Neal (drums) e Len Tuck (guitar, que no futuro se casaria com ela).

Suzi tinha um visual incrível e chamava a atenção enquanto o glitter rock surgia.

O single "Can the Can" fez um enorme sucesso e tornou a musicista bastante conhecida no Reino Unido. "48 Crash", "Daytona Demon" and "Devil Gate Drive" viriam depois e também se tornariam sucesso.

A carreira de Suzi nos 70 foi marcada pela incríveis versões que ela fazia de clássicos de Little Richard e Elvis Presley, entre outros... Além dos covers ela lançou os álbuns "Suzi Quatro" (1973), "Quatro" (1974), "Your Mama Won't Like Me" (1975), "Aggro-Phobia" (1977), "If You Knew Suzi" (1978), "Suzi And Other Four Letter Words" (1979).

Nos anos 80, Suzi se manteve do prestígio adquirido nos anos 70. No início da década a música "American Lady" ainda foi muito executada nas rádios e rendeu bons frutos.

A entrada da década de 80 trouxe o fim da parceria com a Rak Records. Apesar de ficar meio esquecida ela ainda lançou mais três discos nos anos 80: "Rock Hard" (1981), "Main Attraction" (Polydor, 1983), "Rock 'Til Ya Drop" (Biff, 1988).

Em 91 ela ainda apareceria com o disco "Oh, Suzi Q" que não trouxe uma grande perspectiva. A cantora percebeu que não havia mais público no cenário, infelizmente.

O trabalho de Suzi hoje é lembrado através das milhares de coletâneas lançadas no mercado. Poucos aqui no Brasil sabem da importância que esta linda baixista teve para o rock n'roll.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Suzi Quatro"


Suzi Quatro: a importância da linda baixista para o rockSuzi Quatro
A importância da linda baixista para o rock

Rock: após alfinetada, sertanejos comentam influência do estiloRock
Após alfinetada, sertanejos comentam influência do estilo


Motörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do SepulturaMotörhead
Em 1995, Lemmy comenta versão do Sepultura

Pattie Boyd: o infernal triângulo com George Harrison e Eric ClaptonPattie Boyd
O infernal triângulo com George Harrison e Eric Clapton

O amor: 10 músicas para roqueiros apaixonadosO amor
10 músicas para roqueiros apaixonados

Rachel Sheherazade: cantando Iron Maiden com o Ultraje A Rigor no The NoiteRachel Sheherazade
Cantando Iron Maiden com o Ultraje A Rigor no The Noite

Slash: guitarrista enumera seus 10 riffs favoritosSlash
Guitarrista enumera seus 10 riffs favoritos

Nirvana: o 5º elemento entrevistada pelos fãs da bandaNirvana
O 5º elemento entrevistada pelos fãs da banda

Cannibal Corpse: Versão de Frantic Disembowelment no ukeleleCannibal Corpse
Versão de "Frantic Disembowelment" no ukelele


Sobre Allan Jones

É carioca, tem 23 anos e ouve rock desde pequeno. Suas principais influências são dos anos 70 e 80. Fez vários trabalhos relacionados ao rock, desde programas de rádio até promoção de eventos. Além disso, é músico e também faz trabalhos relacionados ao teatro. Oficialmente trabalha para a secretaria de fazenda de uma prefeitura de um município do Rio. Atistas prediletos: Kiss, Alice Cooper, Van Halen, Todd Rundgren, Asia, Kansas, Journey e as bandas do cenário do hard oitentista.

Mais matérias de Allan Jones no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336