Eluveitie: confira como foi o show da banda em Curitiba

Resenha - Eluveitie (Music Hall, Curitiba, 18/01/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Cesar Valle, Fonte: curitibaunderground.com
Enviar Correções  

Considerada uma das atuais sensações do folk metal europeu, o ELUVEITIE se apresentou na noite do dia 18 de janeiro de 2012, em Curitiba, no espaço de eventos Music Hall. As apresentações no Brasil fazem parte da turnê de divulgação do novo álbum "Helvetios" (2012), que será lançado em fevereiro via Nuclear Blast.

Illumishade: unindo rock a um mundo de fantasia

Bayley, Wilson e Cherone: grandes erros na história de grandes bandas

A abertura da casa que estava programada para acontecer às 20h acabou atrasando em uma hora. Mesmo assim, o público presente na fila não se incomodou e ficou aproveitando o clima agradável que a noite curitibana proporcionava. Logo após a abertura da casa, a banda THUNDER RELT não perdeu tempo e soou os primeiros acordes no palco do Music Hall. Voltada para o estilo folk, o grupo de abertura agradou os helvéticos presentes, que chegaram até a dançar algumas músicas.

Com pouco mais de quarenta minutos após a abertura, foi a vez dos suíços do Eluveitie se apresentarem. A banda formada por Chrigel Glanzmann (vocal principal, mandola, flautas, gaita, violão acústico e bodhrán – espécie de tambor tribal), Meri Tadic (violinos e vocais secundários), Anna Murphy (hurdy gurdy – viola de roda e vocal), Ivo Henzi (guitarra), Kay Brem (baixo), Simeon Koch (guitarra), Päde Kistler (gaita de fole e Tin & low whistles – espécie de flauta irlandesa) e Merlin Sutter (bateria) iniciou o show com uma pequena introdução, misturando diversos elementos celtas em sua música.

A banda destilou muito carisma, principalmente, por parte do vocalista Chrigel Glanzmann, fazendo o entrosamento com a galera ser instantâneo. Logo após, tocaram "Everything Remains", "Nil" e "Kingdom Come Undone", todas do álbum "Everything Remains" (2010). Antes de executarem "Calling the Rain", o líder Glanzmann, pediu para que todos começassem a quebradeira, assim, os headbangers de plantão iniciaram os intermináveis moshs.

Em "Thousand Fold" o entrosamento e animação da banda fizeram até o público pular no ritmo da música, mostrando-se fiéis a cada acorde. Além de diversos clássicos, o grupo tocou em primeira mão suas novas composições ao vivo, "Meet the Enemy" e "A Rose for Epona", que mostraram ser presenças garantidas em qualquer repertório da banda.

Depois prosseguiram com "Quoth the Raven" e "Inis Mona", terminando as canções a banda saiu do palco e deixou todo o público agitado, pedindo uma música a mais. Minutos após, o grupo voltou para o famoso bis, tocando a música mais antiga da noite, "Tegernakô", do álbum "Spirit" (2006).

Set-List:
Intro
Everything Remains (Everything Remains - 2010)
Nil (Everything Remains - 2010)
Kingdom Come Undone (Everything Remains - 2010)
Calling the Rain (Slania - 2008)
Thousand Fold (Everything Remains - 2010)
Meet the enemy (Helvetios – 2012)
Tarvos (Slania – 2008)
(Do)minion (Everything Remains - 2010)
A Rose for Epona (Helvetios – 2012)
Quoth the Raven (Everything Remains - 2010)
Inis Mona (Slania - 2008)

Bis:
Tegernakô (Spirit - 2006)


Outras resenhas de Eluveitie (Music Hall, Curitiba, 18/01/2012)

Resenha - Eluveitie (Music Hall, Curitiba, 18/01/2012)




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Illumishade: unindo rock a um mundo de fantasia

Eluveitie: 5 riffs do Iron Maiden no hurdy gurdy (vídeo)


Rock e Metal: 7 bandas/artistas que você pronuncia o nome erradoRock e Metal
7 bandas/artistas que você pronuncia o nome errado


Bayley, Wilson e Cherone: grandes erros na história de grandes bandasBayley, Wilson e Cherone
Grandes erros na história de grandes bandas

Curiosidade: capas de álbuns com ilusões de óticaCuriosidade
Capas de álbuns com ilusões de ótica


Sobre Cesar Valle

Apaixonado pelo rock'n roll desde a adolescência, tendo como maiores influências bandas como Led Zeppelin, Pink Floyd, The Who, The Beatles, Jimi Hendrix e Jeff Beck, sempre busquei estar envolvido no meio musical. Iniciei tocando guitarra, que é meu esporte preferido até hoje. Após longos anos de estudo e dedicação, hoje sou jornalista.

Mais matérias de Cesar Valle no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin