Guitarrista do Deicide se defende de acusações

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Cleber Monteiro, Fonte: Blabbermouth
Enviar correções  |  Ver Acessos

O guitarrista Ralph Santola do DEICIDE se pronunciou a respeito dos acontecimentos da última sexta-feira no show da banda em Laredo, Texas, que foi encerrado pelos policiais após 4 músicas e resultou no guitarrista sendo preso por (supostamente) ter jogado uma garrafa em um oficial. Leia o pronunciamento abaixo:

Metal Moderno: 5 bandas aptas a se tornarem clássicasMarilyn Manson: "Sou ainda pior fora do palco"

O que aconteceu foi o seguinte: nós chegamos no hotel em Laredo às 4hrs da tarde. Um dos promoters locais, Liz, nos disse para esperarmos na recepção às 6 para sermos levados ao local do show. Depois de 45 minutos esperando sentados, no calor, decidimos ir nós mesmos. A primeira coisa que eu vi quando chegamos lá foi essa tal de Liz sentada por lá. Eu disse 'Ei,obrigado por nos deixar esperando por você.'

Não foi um bom começo.

As coisas estavam ruins, não havia palco. Mais ou menos 50 garotos com jeito de colegiais com toneladas de aparelhagens por todo o lado. A promoter disse, 'Nós vamos montar sua aparelhagem depois das outras bandas, pouco antes de vocês tocarem.'

Nós dissemos 'Não é assim que funciona. Diga à esses garotos para tirarem as coisas deles do caminho, e então nós podemos montar os nossos equipamentos, depois eles montam os deles em frente. Isso é o normal'

Essas pessoas levaram 1 hora para descobrir como tirar meio kit de bateria fora do nosso caminho.

Nós pedimos 2 horas para nosso roadie, mas essa garota Liz era incapaz de dar respostas precisas para alguma coisa, e estava muito mais preocupada com os problemas dos amigos dela das bandas locais do que em fazer um show. Nós nunca deveríamos ter agendado uma data lá, pra começar.

Pouco antes de subirmos no palco, eles nos dizem que não vão nos pagar o que tínhamos acordado no contrato. Vários promoters sem experiência não parecem entender que uma garantia significa justo isso - uma garantia. Se eles arriscam o dinheiro deles para promover um show, e eles não divulgam ou sei lá, não importa de quem é a culpa, eles levam o prejuízo e não as bandas. Eles nunca reclamam quando lucram bastante, mas quando levam prejuízo eles guincham como um porco morrendo.

Então, nós subimos no palco, e a força começou a cortar instantaneamente. Eles não nos deram um local adequado, força suficiente, um palco, dinheiro ou PA que funcionasse. Nós tínhamos que parar a cada 30 segundos.

Finalmente, alguém diz que eles estão nos fazendo parar e nós saímos do palco. Eu subi as escadas e fui ao balcão para pegar meus cigarros. Eu estou lá conversando com os caras do RINGWORM quando viro e um maldito nazi com uniforme de policial joga spray de pimenta em mim e me joga no chão.

Eles não disseram 'Pare, abaixe-se', nada. Apenas correram até mim e jogaram spray em minha cara. Eles me derrubaram e eu disse 'Por quê estou sendo preso?' e um deles diz 'CALA A BOCA, CALA A BOCA. EU VI VOCÊ, EU VI VOCÊ.'

Então um deles põe o joelho no meu pescoço e joga todo seu peso em cima e começa a esfregar meu rosto no chão. Aí, estou eu deitado lá, imóvel. Não consigo ver, não consigo respirar, nada. Eu nem estava me debatendo ou resistindo.

Se você nunca foi atacado por spray de pimenta, saiba que dói pra cacete. Agora minha mão está toda fodida, perdi um dente, dentre outras coisas. Jack Owen (guitarrista do DEICIDE) me disse no dia seguinte que ele viu alguém jogar uma garrafa e ela caiu no chão bem próximo ao policial. Daí todos os policiais subiram as escadas correndo.

É isso. Eu fiz um monte de coisas estúpidas na vida, mas jogar garrafas em policiais não foi uma delas.



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Deicide"


Deicide: Slipknot não forneceu a ajuda de que eles não precisavamDeicide
Slipknot não forneceu a ajuda de que eles não precisavam

Gigwise: as capas mais polêmicas dos anos 2000Gigwise
As capas mais polêmicas dos anos 2000


Metal Moderno: 5 bandas aptas a se tornarem clássicasMetal Moderno
5 bandas aptas a se tornarem clássicas

Marilyn Manson: Sou ainda pior fora do palcoMarilyn Manson
"Sou ainda pior fora do palco"


Sobre Cleber Monteiro

Nascido em 87,estudante de Publicidade e técnico em automação comercial. Nas horas vagas, toca guitarra nas bandas E.N.D. e Freak e vale dizer que sonha em seguir carreira profissional na música, assim como seus ídolos. É loucamente apaixonado pela namorada e ama seus amigos. Maiden-maníaco há mais de 10 anos (sim,desde molequinho), aprecia a boa música, independente do estilo ou vertente. Algumas bandas essenciais (além da já citada) - Faith No More, Nevermore, Cannibal Corpse, Kreator, Angra, Harem Scarem, Sepultura, Slayer. Ídolos supremos - Bruce Dickinson, Mike Patton, Dimebag Darrel e Warrel Dane.

Mais matérias de Cleber Monteiro no Whiplash.Net.