Tobias Sammet fala sobre Avantasia, Edguy e Kiske

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Milena Dias de Paula, Fonte: Metal Asylum, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Metal Asylum recentemente conduziu uma entrevista com o líder e compositor do AVANTASIA/EDGUY, Tobias Sammet. Algumas partes da conversa podem ser lidas a seguir.

Avantasia: a ópera metálica definitiva, o metal melódico perfeito (vídeo)Ivete Sangalo: "Ouço muito SOAD, Linkin Park, Slipknot e Rush"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Metal Asylum: Quais providências você tomou para fazer "The Scarecrow" [último álbum do AVANTASIA] diferente do "The Metal Opera parts 1 and 2", que são parecidos em som e estilo? Porque "The Scarecrow" claramente oferece mais variedade de sons.

Tobias: A resposta é que eu realmente não queria fazer uma cópia das partes 1 e 2. E mais, havia 5 ou 6 anos de espaço entre a "Parte 2" e "The Scarecrow" e claro, durante esse tempo eu estive escrevendo e disponível para reunir experiência. E a motivação por trás de toda essa coisa foi a mesma de quando eu comecei "The Metal Opera Part 1", que foi a minha vontade de lançar um projeto conceitual com diferentes cantores e músicos que tiveram uma grande influência sobre mim. Mas eu não queria aceitar nenhuma limitação e eu não queria que o sucesso desses dois álbuns lançados mudassem a direção que esse novo álbum estava seguindo.

Metal Asylum: Depois de fazer AVANTASIA, que é mais orquestrado, você vê as novas músicas do EDGUY seguindo de uma forma mais linear e talvez em uma direção mais pesada?

Tobias: É difícil dizer, eu realmente não acho que a motivação para que eu escreva seja fazer coisas para que elas sejam deliberadamente diferentes. Eu acho que essas poucas primeiras músicas certamente não são tão divertidas quanto "Rocket Ride". Quer dizer, eu gosto desse álbum, mas talvez ele tenha sido divertido demais e ele me parece agora, em produção e performance, meu favorito do EDGUY. Mas eu acho que essa músicas são completamente diferentes. Algumas pessoas têm a impressão de que é um CD de comédia e nós somos uma banda de comédia, que nós não somos. Eu acho que essas novas músicas são realmente pesadas, não em termos de tão rápidas quanto o possível, mas sim com ótimos riffs.

Metal Asylum: Você diria que as músicas estão sonoramente como "Mysteria" ou "Nailed to the Wheel", então?

Tobias: Não, talvez como "Tears of the Mandrake" - até mais pesadas, mas empolgantes, isso é o que eu quero ouvir do EDGUY. "Rocket Ride" tem muitos aspectos dos anos 80, sim, mas eu acho que a música "Sacrifice" representou EDGUY muito bem, e "Rocket Ride" poderia ter sido como "Spotlight Kid" do RAINBOW, então vocês têm "The Matrix" que soa muito moderna, e então "Wasted Time" que soa como uma música do FIREHOUSE, e então "The Asylum" que soa como DIO, e "Catch of the Century" que tinha uma estranha vibração pros anos 80. Isso foi como uma compilação do "melhor dos anos 80". Mas eu ainda amo o álbum. Nós veremos com esses novos álbuns.

Metal Asylum: Michael Kiske (ex-HELLOWEEN) tinha dito no passado que ele tem tentado evitar fazer qualquer música de metal. Como foi a atitude dele diante desse projeto, então? Ele gostou das músicas ou ele viu isso apenas como uma forma de ganhar dinheiro?

Tobias: Bem, ele certamente não fez isso de graça e eu certamente não pedi pra que ele fizesse de graça, e ele certamente recusou outras ofertas muito boas que ele não quis fazer. Então eu acho que é só uma questão de o que ele gosta. Eu apenas acho que ele só não gosta de alguns aspectos na cena do metal. Eu não tive problemas trabalhando com ele. Eu acho, e essa é minha impressão, que ele não gosta do fato de que muitos fãs de metal preguem liberdade de discurso, liberdade de opinião, liberdade de ser um indivíduo e ao mesmo tempo acusem você de fazer algo comercial e para venda assim que você faz algo que eles pessoalmente não gostam. Eu penso que isso realmente o deixe bravo e é o que faz com que ele faça certos discursos. Você tem que perceber que são apenas algumas pessoas que tem essa opinião. Ele ofendeu 100% dos seus fãs (risos) enquanto ele deveria ter endereçado seus comentários para apenas 3% de idiotas. (risos) Mas nós temos um ótimo relacionamento profissional e pessoal e ele nunca me disse nada sobre não querer mais fazer músicas de hard rock.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Edguy"Todas as matérias sobre "Avantasia"Todas as matérias sobre "Michael Kiske"Todas as matérias sobre "Tobias Sammet"


Avantasia: a ópera metálica definitiva, o metal melódico perfeito (vídeo)Avantasia: Adrienne Cowan diz que foi aterrorizante subir ao palco

Top 10: Álbuns conceituaisTop 10
Álbuns conceituais

Avantasia: gafes durante show na Alemanha em 2010Avantasia
Gafes durante show na Alemanha em 2010


Ivete Sangalo: Ouço muito SOAD, Linkin Park, Slipknot e RushIvete Sangalo
"Ouço muito SOAD, Linkin Park, Slipknot e Rush"

Separados no nascimento: Sebastian Bach e Fernanda LimaSeparados no nascimento
Sebastian Bach e Fernanda Lima


Sobre Milena Dias de Paula

Nascida em 1988, formada em Letras pela USP, é revisora, tradutora e escritora, cheia de sonhos e projetos pra escrever seus muitos livros. Apaixonada por literatura, línguas e culturas estrangeiras, fotografia, escrever e música. Heavy/Power/Speed Metal e Hard Rock são praticamente como o ar que respira. Acha que os anos 80 são a melhor época da música e praticamente tudo o que é relacionado a esse período a fascina. No topo das bandas preferidas estão Edguy, Mr. Big e Gotthard.

Mais informações sobre Milena Dias de Paula

Mais matérias de Milena Dias de Paula no Whiplash.Net.

adGoo336