Al Pitrelli: "Mustaine me ajudou a superar várias coisas"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: Brave Words & Bloody Knuckles, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 13/04/10. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O guitarrista Al Pitrelli, conhecido por seu trabalho com a TRANS-SIBERIAN ORCHESTRA, ALICE COOPER e MEGADETH, é destaque em uma nova entrevista com o New York Hard Rock Examiner. Um trecho está disponível abaixo:

3429 acessosMegadeth: cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica5000 acessosBob Daisley: baixista dá detalhes de sua briga com Osbourne

Você pessoalmente tem um currículo bem impressionante. Alice Cooper, Savatage, Megadeth, você consegue escolher uma formação favorita em que você tocou?

Pitrelli: “Na verdade não, quer dizer, Alice foi realmente importante porque foi meu primeiro verdadeiro papel como diretor musical, foi onde eu realmente cresci e apareci. Eu acho que cada uma daquelas situações por que passei me ajudaram a ser um músico melhor, um melhor líder, eu aprendi muito com todos. Nem todas lições foram boas, algumas delas foram bem dolorosas, mas eu acho que trabalhar com essas bandas me ensinou muito, certamente Dave Mustaine foi uma influência significativa, sua ética de trabalho não fica atrás de nenhuma outra além dele ser realmente focado e determinado com o que está fazendo. Eu acho que algumas das outras coisas que fiz, trabalhar com algumas cantoras e artistas solo, como Celine Dion e Taylor Dayne, por mais bizarro que pareça mesclar isso com Savatage e Megadeth, tiveram grande influência em mim porque na Trans-Siberian Orchestra, a todo tempo temos quatro ou cinco moças que cantam conosco, e é uma dinâmica completamente diferente lidar com uma cantora na turnê. É só, como no vernáculo, saber falar com essas pessoas, como lidar com elas, eu acho que trabalhar com a Taylor certamente me ajudou um bocado com esse processo.”

Por falar em Dave Mustaine, eu tenho de fazer a pergunta obrigatória: Como foi trabalhar com ele no âmbito pessoal?

Pitrelli: “Eu achei que nos lidamos muito bem desde que eu sempre tivesse em mente que o trabalho dele era erudito, era a banda dele, a visão dele e ele é o chefe. Sabe, é como em qualquer coisa, você vai trabalhar, e goste você ou não do seu chefe, isso não importa, o que vale é se seu chefe gosta ou não de você. Eu fui lá, ele me tirou de uma vida pessoal muito atribulada e me ajudou a superar um monte de coisas assim, do que eu era muito grato, e ele era bem duro, ele é um cara duro de se trabalhar pra ele. Se você não der seu melhor todo dia, você vai enfrentar a ira dele, e isso é algo que provavelmente você não quer fazer mais de uma vez. Eu não tinha problema nenhum com isso, quando ele era rígido e me disciplinava, bem cara, é problema dele, sabe?! Quero dizer, ele foi chutado do Metallica e criou a segunda maior banda de metal do planeta, então sabe, o que quer que esteja fazendo parece estar funcionando. Sou todo ouvidos, deixe-me aprender com você porque você se deu muito bem. Tinha noites que ficávamos como irmãos, e tinha noites que ele queria me atirar pra fora do ônibus, então era assim.

Acesse este link para a entrevista completa (em inglês).

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MegadethMegadeth
Cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica

3082 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa521 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo3525 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

Dave MustaineDave Mustaine
Elogiando os guitarristas do Avenged Sevenfold

MegadethMegadeth
Como são divididos os royalties da banda?

MegadethMegadeth
"Sou agnóstico", diz Chris Broderick

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Bob Dasley abre jogo sobre os podres do Madman

Mike TerranaMike Terrana
"Malmsteen foi uma das piores pessoas que conheci!"

Iron MaidenIron Maiden
A tour de Powerslave quase acabou com a banda

5000 acessosSeparados no nascimento: Ozzy Osbourne e Renato Aragão5000 acessosQueen - Perguntas e Respostas5000 acessosMetallica: Hammett e Ulrich escolhem álbuns e músicas da década passada5000 acessosJudas Priest: Rob Halford conta qual é seu "agudo" favorito5000 acessosQueen: nova foto de John Deacon circula pela rede5000 acessosMauricio Meirelles: A opinião do comediante sobre o rock nacional

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online