Dream Theater: a importância dos fãs na sua carreira

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: roadrunnerrecords.com, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 20/07/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

A matéria abaixo foi publicada no site da Roadrunner Records:

5000 acessosPortnoy: ele entende porque os caras do DT recusaram o convite5000 acessosIndústria: atrizes pornô começam a seguir mesmo rumo das bandas

O Dream Theater deixou todos para trás em nossa enquete de final de semana: Qual lançamento você mais espera? O novo álbum, "A Dramatic Turn of Events", previsto para o dia 13 de setembro (com uma versão em Box set já disponível para pré-venda) ficou com 66.7% dos votos. Essa foi uma amostra da lealdade dos fãs que honestamente nos deixou chocados... positivamente. Então procuramos a banda para termos sua opinião sobre o apoio apaixonado dos fãs do Dream Theater.

Por que vocês acham que seus fãs são tão devotos e leais à banda após todos esses anos?

John Petrucci, guitarra: Antes de tudo, devo dizer que o Dream Theater tem os fãs mais incrivelmente apaixonados do planeta! Para mim, tudo vem desde a maneira que eu me sentia com relação à música e certas bandas crescentes, e como essa mentalidade foi levada à forma como o Dream Theater gosta de nos levar enquanto banda. Uma banda como o Rush, por exemplo, sempre parece ter um espírito imortal. O desejo de querer continuar a fazer a melhor música e shows ao vivo sem importar aonde eles estão em sua carreira. É esse tipo de dedicação que eu acho que foi levada ao Dream Theater e eu acredito que nossos fãs percebem isso e prezam muito isso. É sempre estar empenhado em ser um músico melhor, fazer música melhor e realizar shows melhores. Isso se torna uma espécie de irmandade e forma de pensar que é muito contagiante. Nossos incrivelmente bem afortunados em termos fãs tão devotados e leais. É incrível!

John Myung, baixo: É a música, é uma parte que integra a relação, ela muda e se desenvolve ao longo do tempo, temos sorte por nossos fãs nos aceitarem e estarem ansiosos por verem aonde estaremos a cada novo lançamento, indo em nossa direção.

Ter uma base de fãs tão devota cria uma pressão extra ao compor material novo, seja para dar a eles “mais do mesmo de sempre” ou para “se forçarem para manter o interesse deles””

JP: Para mim é muito importante manter as coisas em perspectiva. Obviamente damos valor a nosso sucesso e ao ponto onde chegamos. Esse jamais seria o caso sem as pessoas que realmente escutam e gostam de nossa música e que em último caso a apóiam. Contudo, a música e a direção realmente tem de vir de dentro. Isso é muito importante. Você tem de continuar lembrando a si mesmo de voltar à origem. Voltar àquele lugar musical onde não havia fãs, ou um negócio, etc. É onde você vai encontrar inspiração e a música em sua forma mais pura. Se não vier desse lugar, então as pessoas vão perceber. Dito isso, é absolutamente imperativo manter a missão inicial que começou tudo para sempre soar como o Dream Theater.

JM: Sim, sem dúvida a pressão existe mas acho que ela tem um efeito positivo em nós, nos motivando a fazer melhor.

O que você gostaria de dizer aos fãs sobre o A Dramatic Turn Of Events?

JP: Realmente mal posso esperar para que o álbum seja lançado. Estou incrivelmente orgulhoso da forma como a direção mudou, as performances, a mixagem, etc. É uma sensação bem singular trabalhar em algo com seus colegas de banda em um cenário tão intimista como um estúdio de gravação, e então no final dividir isso com todo mundo. Acho que o som e a direção desse álbum são muito indicativos da atual pretensão musical da banda e vai preparar o terreno para tudo do Dream Theater ao longo dos próximos anos. Eu realmente espero que todos gostem da nova música!

JM: É um álbum incrível, eu o escutei todas as noites antes de ir dormir, e não me canso dele. Há muitas coisas diferentes em que se focar.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mike PortnoyMike Portnoy
Ele entende porque os caras do Dream Theater recusaram o convite

874 acessosNeno Fernando: Vocalista lança tributo ao Dream Theater305 acessosDarkos: os incríveis solos de guitarra de John Petrucci0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dream Theater"

Mike PortnoyMike Portnoy
Jam do Dream Theater com bateria isolada

Mike PortnoyMike Portnoy
O que fez ele ficar de saco cheio no Dream Theater

Mike PortnoyMike Portnoy
Explicando por que ele não dá aula de bateria para o filho

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Dream Theater"

IndústriaIndústria
Atrizes pornô começam a seguir rumo das bandas

SolosSolos
Alguns dos mais bonitos do Heavy Metal

GenealogiaGenealogia
Quatro filhos: rockabilly, pop rock, prog rock e hard rock

5000 acessosHeavy Metal: diagrama explica a origem dos nomes de bandas5000 acessosPlanno D: 10 coisas que irritam metaleiros (vídeo)5000 acessosSebastian Bach: descrevendo o horror de urinar com Phil Anselmo5000 acessosMegadeth: as 10 melhores músicas com Nick Menza5000 acessosVanusa: cantora comenta música "plagiada" pelo Black Sabbath4348 acessosViper: resgatado registro da primeira apresentação da banda

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online