Megadeth: alguns fãs só querem ouvir as músicas mais pesadas

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando Portelada, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Brian Aberback da revista Steppin' Out de New Jersey recentemente entrevistou o baixista David Ellefson do MEGADETH. Alguns trechos desta conversa estão disponíveis abaixo.

Restart: Trecho de "Enter Sandman" do Metallica no VMB 2010Raimundos: O verdadeiro motivo para a saída de Rodolfo da banda

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Steppin' Out: Seu novo livro, "My Life With Deth' tem o subtítulo de "Descobrindo significados em uma vida de Rock & Roll". Você pode nos dizer sobre esta jornada que você fala no livro?

Ellefson: "Eu cresci tocando rock and roll em uma fazenda de Minessota. Desde os 11 anos, quando eu ouvi rock and roll no ônibus de escola, ele falou comigo. Minha real educação na vida foi crescer neste ambiente, especialmente quando eu mudei para Los Angeles, aos 18 anos, e conhece Dave Mustaine, e começamos o MEGADETH."

Steppin' Out: Você tem um forte comprometimento com sua fé cristã e até teve um grupo de adoração, O MEGALIFE MINISTRIES. Que tipo de religião você teve durante sua educação?

Ellefson: "Nós íamos a uma igreja luterana todo domingo. Minha mãe cantava no coro da igreja e meu pai estava em vários comitês. Chegou um ponto que eu vendi minha alma ao rock and roll e tudo que veio com ele, e joguei minha fé e minha infância pela janela, para voltar a tê-la de novo quando fiquei sóbrio, aos 25 anos."

Steppin' Out: Foi difícil se reconciliar com sua nova fé quando você toca em uma banda de thrash metal e cantou sobre o oculto no passado?

Ellefson: "Eu não estava deixando o rock and roll para alcançar esta nova vida. Era a nova vida se desenvolvimento em minha vida na banda. Foi por isso que consegui permanecer no rock and roll e tocar no MEGADETH. Eu acho que a jornada da fé, e ficar sóbrio serviu para me conectar no fluxo da vida novamente. O Vício em drogas servia para me afastar das pessoas e da fé, para te matar ao final."

Steppin' Out: Você pode nos falar sobre o novo CD/DVD do MEGADETH, "Countdown To Extinction: Live", que documenta sua turnê de 2012 , quando vocês tocaram este álbum na íntegra?

Ellefson: "A raiz deste álbum na verdade começou em 2010 quando nós fizemos uma turnê de um mês para o 20º aniversário de 'Rust In Peace' e tocamos o álbum na íntegra. Acabou se tornando uma turnê mundial de um ano e isso mostrou que somos uma destas bandas com um passado e um legado que amadureceu. É importante para quem nós somos e para nossa nova música. É uma benção ter isto."

Steppin' Out: Seu último álbum de estúdio, "Super Collider", parece combinar o thrash do MEGADETH e seus períodos mais melódicos. Você vê o álbum dessa forma?

Ellefson: "Eu concordo. Há alguns fãs que sempre vão querer ouvir as músicas mais pesadas e rasgadas, mas quando você olha pra sua carreira de 30 anos, há muitos fãs que chegaram em vários pontos deste caminho. Muitos fãs chegaram durante 'Countdown To Extinction' ou 'Cryptic Writings' e durante os anos 2000. 'Super Collider' é este disco bem abrangente, com estes vários estilos musicais que fazem o MEGADETH de hoje."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Megadeth"


Megadeth: Mustaine feliz em apresentar Kiko Loureiro ao mundoMegadeth
Mustaine feliz em apresentar Kiko Loureiro ao mundo

Kiko Loureiro: em vídeo, debulhando no solo de Tornado of SoulsKiko Loureiro
Em vídeo, debulhando no solo de "Tornado of Souls"


Restart: Trecho de Enter Sandman do Metallica no VMB 2010Restart
Trecho de "Enter Sandman" do Metallica no VMB 2010

Raimundos: O verdadeiro motivo para a saída de Rodolfo da bandaRaimundos
O verdadeiro motivo para a saída de Rodolfo da banda


Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

adGoo336