Max Cavalera: mais histórias insanas de sua autobiografia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando Portelada, Fonte: Metal Injection, Tradução
Enviar Correções  


Leia abaixo alguns trechos de "My Blood Roots", autobiografia de MAX CAVALERA escrita em parceria com Joel McIver:

"Eu estava me divertindo com a bebida e nunca vi isso como um problema. Algumas das merdas mais divertidas que já fiz foram feitas enquanto eu estava bêbado. Eu tinha esse amigo de bebedeira, esse cara chamado Maurinho: ele era meu melhor amigo. Eu ouvia pessoas dizerem que ele podia bater em 10 pessoas de uma vez e que era totalmente psicopata. Eu tinha 16 anos quando o conheci, bem no começo da banda."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Esse cara adorava tudo sobre o SEPULTURA e me encorajava o tempo inteiro, dizendo: ‘Você vai conseguir. Você será uma grande estrela um dia, cara. Eu tenho certeza. Continua fazendo o que você está fazendo.’ Nós costumávamos sair e ficar bêbados o tempo inteiro. Nós entrávamos nessas brigas imensas também. Ele era um cara baixinho, mas ele sabia Caratê e Tae Kwon Do e outra arte marcial, e ele podia destruir as pessoas. Ele desmontava caras imensos. Era divertido ser parte disso."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Eu também brigava bem. Quando eu estava bêbado, eu ficava louco. Houve essa vez onde eu estava em um bar e esse cara estava fodendo comigo. Ele ficava me chamando de ‘poser’ e me irritando, dizendo: ‘Você é um poser, cara, você é um poser fodido... sua música é falsa.’ E eu fiquei: ‘Filha da puta, é melhor você parar ou já sabe o que vai acontecer;’ Mas ele continuou e eu finalmente disse: ‘OK, essa merda vai acabar agora. Vamos lá fora, nós vamos brigar agora.’ Eu comecei a quebrar o cara inteiro, peguei uma pedra que estava no chão e arrebentei sua cabeça com ela. Ela abriu na hora e tinha sangue espirrando para todo lugar. Meus sapatos estavam cobertos com seu sangue quando eu cheguei em casa. Eu lembro de olhar meus sapatos e pensar: 'Merda, como esse cara ainda está vivo?’ Mas ele estava pedindo. Eu estava lá cuidando da minha própria vida e me divertindo com meus amigos. Meu amigo Maurinho viu tudo acontecer e me disse depois: ‘Você cuidou bem desse aí.’ Ele nem teve que me ajudar."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Osama Bin Laden: O que havia na sua coleção de cassetes?Osama Bin Laden
O que havia na sua coleção de cassetes?

Guns N' Roses: álcool, drogas e intrigas nos primórdios da bandaGuns N' Roses
álcool, drogas e intrigas nos primórdios da banda


Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

Goo336 Goo336 Cli336 Goo336