Marina La Torraca: "Foi uma experiência incrível substituir Amanda no Avantasia"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Edilson Luiz Piassentini, Fonte: Rock N'Breja
Enviar correções  |  Ver Acessos

O Rock N'Breja entrevistou a talentosa vocalista brasileira, Marina La Torraca.

Roqueiro poser: 100 regras essenciais para se tornar umFreddie Mercury: 18 fotos espontâneas ao lado do namorado Jim Hutton

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Marina, com muita simpatia nos contou sobre seu projeto Phantom Elite, sua participação no grandioso projeto de Tobias Sammet, o Avantasia, e sobre seu novo projeto, Exit Eden.

Confiram mais uma entrevista exclusiva ao Rock N'Breja.

ROCK N'BREJA - Marina, primeiramente agradeço pela entrevista. Para começarmos, vamos falar sobre o seu projeto, a banda Phantom Elite. Vocês já divulgaram as músicas "Wasteland" and "Siren's Call", que em minha opinião, apresenta uma qualidade incrível. Como estão as atividades do Phantom Elite, e quando será lançado o álbum de estreia da banda?

MARINA - Obrigada! No momento temos alguns shows aqui na Europa e vamos lançar o álbum dia 15 de Abril (inclusive aí no Brasil). Depois focaremos num novo álbum, e não vemos a hora de anunciar alguns shows na segunda metade do ano com uma banda bem conhecida por todos, hehe - suspense.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

ROCK N'BREJA - O Phantom Elite apresenta um nível de qualidade incrível. Um dos pontos altos é a sua voz. O instrumental também merece um destaque a parte. Qual é a principal proposta e objetivo da banda? E poderia falar sobre e como foi a escolha dos integrantes para nossos leitores que ainda não conhecem a banda?

MARINA - A banda teve início com Sander Gommans (After Forever) e eu, com a ideia de fazer uma banda para tocar as músicas do seu projeto de estúdio HDK. A partir daí chamamos os meninos que hoje fazem parte do PE e começamos a ensaiar. Vimos de cara que gostaríamos de fazer nossas próprias músicas e que havia uma química muito bacana. Foi assim que surgiu a banda. Nossa proposta desde o início tem sido fazer boa música sem a pressão de se encaixar num determinado gênero. Usamos nossas influências pessoais para experimentar e ir além do esperado sem medo de "ser feliz".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

ROCK N'BREJA - Como mencionado, você possui uma voz incrível. Você foi aluna do grande Mario Pastore, no qual se sente orgulhoso de você. Qual a importância de Mario Pastore em sua carreira, e quais foram as suas principais influências? E nos dias atuais, você possui algum vocalista, seja homem ou mulher, favorito, que gostar de acompanhar?

MARINA - Muito obrigada! O Mário foi meu primeiro professor de canto, e além de de ser um excelente vocalista de metal, também é um homem de caráter. Somos amigos até hoje. Ele foi uma grande influência pra mim, além dos grandes nomes do metal: Bruce Dickinson, Dio, Michale Kiske, Geoff Tate, Jorn Lande, Amy Lee, Amanda Somerville, entre outros. Também tenho muita influência de musicais e música pop, que escuto muito hoje em dia. Sou muito fã da Lady Gaga e de uma cantora que acho incrível, Demi Lovato (haha, sim).

ROCK N'BREJA - Tal excelência com a voz, rendeu à você algumas participações em alguns shows do Avantasia, projeto liderado pelo grande Tobias Sammet. No caso você substituiu talentosíssima Amanda Somerville. Como surgiu o convite para se integrar ao projeto, e qual foi a sensação de estar e dividir o palco ao lado de grandes nomes como Michael Kiske, Eric Martin, Bob Catley, Jorn Lande (meu vocalista de metal favorito rsrs), entre outros?

MARINA - Sim! A Amanda não podia fazer alguns shows por motivos pessoais, então ela me ligou e fez o convite. Claro que a princípio mal acreditei e fiquei muito empolgada, mas ao mesmo tempo com muito medo, haha. É uma pressão enorme substituir alguém tão talentosa e estar no palco com esses caras, mas eu decidi encarar o desafio. Foi incrível mesmo e um prazer, pois todos são extremamente profissionais e me trataram como parte do grupo o tempo todo.

ROCK N'BREJA - Falando em Amanda Somerville, vamos falar sobre o recente Exit Eden, que pra mim, é um extraordinário projeto, quem além de você e Amanda, conta com as presenças de Anna Brunner e Clémentine Delauney. Como surgiu a ideia desse projeto, que podemos chamar de um supergrupo feminino do metal? Como é a relação entre vocês?

MARINA - A idéia veio dos produtores. A Amanda e a Anna haviam trabalhado como cantoras na demo quando o projeto era apenas uma idéia de estúdio. Os produtores acabaram gostando tanto, que resolveram lançar o EXE como banda, com mais duas cantoras. Nós nos damos super bem (ufa!) e é um prazer trabalhar com essas mulheres talentosas e dedicadas, e tomamos todas decisões juntas de maneira respeitosa.

ROCK N'BREJA - O primeiro álbum lançado, "Rhapsodies in Black", traz um proposta muito interessante, com covers de músicas de artistas do mundo pop, tais como Adele, Back Street Boys, Rihanna, entre outros, em versões heavy metal. Qual foi o processo de escolha das músicas e todos os arranjos? E como está sendo a repercussão do trabalho?

MARINA - Mais uma vez, a seleção veio em sua maioria dos produtores, já que começamos a fazer parte da banda depois do repertório pronto. Nós selecionamos as utlimas faixas com eles também. Todas as músicas do álbum deveriam ser grandes hits - com um secreto potencial heavy metal. A repercussão tem sido mais positiva e maior do que esperávamos (que bom!).

ROCK N'BREJA - Em minha opinião, o resultado final de Rhapsodies in Black é merecedor de uma nota 10. Para mim, as músicas Impossilbe (Shontelle), Unfaithfull (Rihanna) e A Question Of Time (Depeche Mode), ficaram espetaculares e são as minhas favoritas do álbum. E para você, tem alguma faixa favorita do álbum?

MARINA - Muito obrigada! A minha favorita é Paparazzi, pois como já disse ali em cima, sou fã da Gaga, haha.

ROCK N'BREJA - Claro que o lançamento de Rhapsodies in Black é recente. Porém pretendem trabalhar, ou já estão trabalhando em algum álbum com composições próprias? E pretendem fazer uma turnê mundial para promover esse grandioso projeto? Quais os objetivos do Exit Eden para o futuro?

MARINA - Infelizmente não temos preparativos concretos para uma turnê ainda. O EXE é uma produção grande e cara, e como lançamos apenas um álbum por hora, não há como termos certeza de que acabaria compensando financeriamente. Mas se Deus quiser, estaremos na estrada o quanto antes possível! Não podemos anunciar planos futuros por hora, mas há atividade vindo por aí, hehe, fiquem ligados.

ROCK N'BREJA - Marina, mais uma vez agradeço pela simpatia e por nos conceder essa entrevista. Deixe um recado para os nossos leitores, e para os seus fãs aqui do Brasil. Sucesso!

MARINA - Eu agradeço! Gostaria de mandar um abraço a todos e agradecer de coração a dedicação e todo o apoio. Vocês são demais! Espero estar nos palcos por aí o quanto antes possível.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Avantasia"


Unisonic & Edguy: Michael Kiske trollando Tobias SammetUnisonic & Edguy
Michael Kiske trollando Tobias Sammet

Top 10: Álbuns conceituaisTop 10
Álbuns conceituais


Roqueiro poser: 100 regras essenciais para se tornar umRoqueiro poser
100 regras essenciais para se tornar um

Freddie Mercury: 18 fotos espontâneas ao lado do namorado Jim HuttonFreddie Mercury
18 fotos espontâneas ao lado do namorado Jim Hutton


Sobre Edilson Luiz Piassentini

Amante do metal desde os 13 anos de idade, fã indiscutível de King Diamond e Mercyful Fate, e também um grande apreciador das cervejas estilo Weiss e um dos editores do site Rock N'Breja! Rock e Cerveja, a combinação perfeita.

Mais matérias de Edilson Luiz Piassentini no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280