Paura: "Quem é verdadeiro não vive fase de roqueiro"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vicente Reckziegel, Fonte: Witheverytearadream
Enviar correções  |  Ver Acessos

Hardcore, Crossover, Metal. Não importa a maneira que desejam classificar o som do Paura, mas sim a qualidade do mesmo, que a banda já apresenta Brasil afora, inclusive no exterior, há 17 anos. Aproveitei para conversar com Fábio Prandini, vocalista da banda, o que originou uma entrevista bem interessante. Completam o Paura Rogério Rodontaro (Guitarra), Caio Lubliner (Guitarra), Danilo Fratangelo (Baixo) e Fernando Schaefer (Bateria).

Indústria: atrizes pornô começam a seguir mesmo rumo das bandasNuno Bettencourt: Rihanna canta muito, mas ele não quer mais tocar com ela

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Vicente - Com dezessete anos de existência, como vocês avaliam a trajetória do Paura até este momento?

Fabio Prandini - Uma trajetória de conquistas acima das dificuldades. O controle de tudo na banda nunca fugiu das nossas mãos e estamos ai até hoje, renovados e fortalecidos.

Vicente - Vocês lançaram seu terceiro (na verdade o quinto) disco completo "History Bleeds" em 2010. Como foi a gravação do disco, o resultado agradou plenamente a banda?

Fabio Prandini - Na verdade, o "History Bleeds" é nosso quinto álbum completo, e foi tranquilo gravá-lo. A formação estava estabilizada, gravamos no estúdio do Henrique (ex-batera), onde estávamos habituados, e tivemos as participações dos nossos amigos Leandro (Grind House Hotel), Paulito (Clearview) e Helinho (Jeffrey Dahmer). Foi muito "classe". E o resultado ficou dentro da nossa expectativa.

Vicente - E a resposta do pessoal foi a imaginada por vocês?

Fabio Prandini - Cara, é difícil tentar imaginar o que o pessoal vai achar, sempre que lançamos algo. A gente faz pra nós mesmos. Se gostamos, imaginamos que o pessoal pode vir a curtir também, mas é difícil imaginar a resposta do pessoal. Felizmente, parece que temos acertado a mão. Isso nos deixa orgulhosos.

Vicente - E o EP "Integrity Dept."?

Fabio Prandini - São 4 musicas inéditas que estávamos compondo antes da troca de baterista, no fim de 2011. Com a entrada do Fernando, terminamos os sons e resolvemos lança-los em um EP para ser o cartão-de-visitas dessa nova fase. Nesse meio tempo, o Junior (White Frogs) da Definite Choice Recs nos fez uma proposta pra lançar o EP em vinil. O Alexandre da Fuck It All Recs também entrou no projeto e tudo deu certo. Em setembro, voltando da turnê européia, faremos a festa de lançamento no Outs, em São Paulo, dia 23.

Vicente - Qual a principal diferença do som dele para seus discos anteriores?

Fabio Prandini - Acho que está mais hardcore e menos Metal. Mas a mistura das duas escolas está sempre lá. Acho que está mais simples. E com mais groove. Menos Slayer e mais Biohazard (risos).

Vicente - Vocês acabam de soltar o vídeo para a música "Worthless Progress". Como foi gravação desse clipe, e porque esta música foi à escolhida?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Fabio Prandini - Foi muito legal. O Pablo Toledo (ex-guitarrista do Paura), fez a proposta e aceitamos na hora. Ele dirigiu junto com o Raphael Merenda. Outro amigo de talento, Senir Elias, editou tudo. Tudo DIY. E o resultado, na minha opinião, é sensacional. Ainda mais por termos trabalhado com amigos, que entendem a proposta do Paura e são profissionais de alto nível em sua área. Isso é foda!!!

Vicente - O som do Paura é em sua essência o Hardcore, mas se ouvem muitas influências de Metal também. Está é a proposta desde o inicio da banda? E para quem não conhece ainda, como vocês definiriam o som do Paura?

Fabio Prandini - Sim. Isso é a essência do nosso som desde o começo. Não gosto de rotular música, mas se for definir o som do Paura, pode-se dizer que é uma mistura do peso do Metal com a agressividade do hardcore.

Vicente - Como avalia o cenário para as bandas nacionais nesse momento? Há mais espaço para divulgação e realização de shows, ou não houve nenhuma mudança substancial nesse sentido?

Fabio Prandini - Há espaço pra todo mundo. Acho que desenvolveu bastante, mas ainda há muitas coisas que poderiam ser melhores. Mas tem muita gente boa, integra, envolvida no circuito e isso tem trazido, com qualidade, uma solidez, uma confiança, que é muito importante pra todos os envolvidos: bandas, promotores, selos, publicações e, principalmente, público.

Vicente - Quais são as suas principais influências?

Fabio Prandini - Tem muitas bandas que nos inspiram, mas pra sintetizar seriam: Sick Of It All, Slayer, Sepultura, Metallica e Bad Brains.

Vicente - Em poucas palavras, o que acham das seguintes bandas:

Biohazard: os reis do combo peso x groove em doses cavalares;

Sick of it All: a melhor banda do mundo! Os mestres!!!

Ratos de Porão: a melhor banda do Brasil hoje. A mais importante da história (junto com o Sepultura);

Madball: uma das preferidas aqui. O Freddy é sinônimo de Hardcore.

Exodus: na minha humilde opinião, é a banda que lançou o melhor disco de Thrash Metal da história, "Bonded By Blood". Banda do coração desde sempre.

Vicente - Uma mensagem para os fãs e amigos que curtem o trabalho do Paura e para aqueles que gostariam de conhecer melhor seu som e apostam no Rock nacional.

Fabio Prandini - Obrigado a todos que leram a entrevista até aqui e se quiser saber mais sobre o que estamos fazendo, ou conhecer melhor nosso trabalho, é só acessar nossas páginas na internet:

http://www.facebook.com/paura3rdworld
http://www.reverbnation.com/paura3rdworld
http://paura.bandcamp.com/

Muito obrigado pela oportunidade e força com o trampo, Vicente! Obrigado sempre a nossos velhos e novos amigos! Apóiem suas bandas locais, pois são elas que fazem as coisas acontecerem na sua cidade. Quem é verdadeiro não vive fase de roqueiro. Façam o que gostam e VOTEM NULO! Nos vemos nos shows!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Paura"


Indústria: atrizes pornô começam a seguir mesmo rumo das bandasIndústria
Atrizes pornô começam a seguir mesmo rumo das bandas

Nuno Bettencourt: Rihanna canta muito, mas ele não quer mais tocar com elaNuno Bettencourt
Rihanna canta muito, mas ele não quer mais tocar com ela


Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline