Rob Halford: "Quanto mais vivo, mais quero continuar Metal"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Diego Camara, Fonte: Rochester City Newspaper, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Frank De Blase, do Rochester City Newspaper, conduziu em julho de 2009 uma entrevista com o vocalista Rob Halford da banda britânica de heavy metal JUDAS PRIEST. Diversos trechos da conversa seguem abaixo.

Guitar World: as 50 melhores canções de Rock de todos os temposJim Carrey: batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse

Como você mantem sua voz e alcance vocal por 30 anos?

Rob Halford: "Eu sempre disse que não há loções, poções ou encantamentos. Além disso, penso que é um dom. Sou abençoado. Quando mais tempo eu vivo, mais quero continuar Metal, e isso significa tomar conta de si mesmo. Eu sou um metalhead de 57 anos. Eu não faço nada, não fumo, não bebo. Eu nunca... bem, eu costumava enrolar um ou outro cigarrinho de maconha aqui e ali no passado, mas quem nunca fez? Mas fisicamente, a voz é parte do seu corpo, então você apenas tenta e faz o que você precisa fazer. Apesar disso, você não tem ideia de como irá funcionar. Você pega o microfone, abre sua boca e você reza para o senhor para que a coisa certa aconteça".

Como você explica a longevidade do JUDAS PRIEST?

Rob Halford: "É a música, não é verdade? No final do dia, é tudo sobre as músicas. Penso que é uma combinação primeiro e acima de tudo das músicas, e então do incrível apoio que nós temos da nossa base de fãs. Se os fãs não estivessem ali, qual seria o motivo de continuar? Os fãs nos conduzem. Eles são a constante inspiração do PRIEST, e aqui estamos nós em nossos 30 e poucos anos fazendo metal, e nós ainda somos esta banda global que sai nessas viagens que demoram quase dois anos para se completarem".

Quando pela primeira vez você ficou ciente do seu impacto e status lendário?

Rob Halford: "Quando as pessoas começaram a falar isso... Acho que é parte de nosso estilo britânico reservado, mas você nunca pensa sobre si mesmo dessa maneira até que alguém diz 'as lendas vivas JUDAS PRIEST estarão blah blah blah". E você fala: 'Do que eles nos chamaram?' Penso que é uma maneira realmente legal de reconhecer o esforço que nós fizemos durante os anos. Amamos o que fazemos. Eu realmente não quero complicar muito, nós somente colocamos nossos corações e almas nisso, damos o nosso melhor, e então está nas mãos dos deuses".

Antes que fosse chamado de Metal, o que era? De onde veio?

Rob Halford: "Em termos de PRIEST, eu posso dizer que nós estávamos dando os primeiros passos musicalmente no que seria conhecido como Metal. A progressão do som definidor do real Metal e a experiência vieram das bandas do energético blues rock progressivo, que tinha grupos como YES e RUSH, você sabe, o som mais pesado. Mas então, novamente, você tem o que estava acontecendo com o ZEPPELIN. Eu acho que [Tony] Iommi pegou [o estilo] quando ele fez aquele primeiro álbum do BLACK SABBATH, e o PRIEST já estava nesse território, apesar de eu achar que nosso Metal sempre foi um pouco mais diversificado e generalizado. É definitivamente justo dizer que o PRIEST estava lá desde o primeiro dia do que conhecemos agora como mundo do Heavy Metal".

O período Ripper Owens do PRIEST ainda era PRIEST? Ou uma banda neutra esperando por seu retorno?

Rob Halford: "Você pode dizer a mesma coisa quando Bruce [Dickinson] estava fora do IRON MAIDEN, ou Vince [Neil] estava fora do MOTLEY CRUE. Ainda era a banda, apenas não tinha todas as rodas no veículo. Não é um insulto, é só... eu nunca queria que isso fosse interpretado como uma ofensa, pois Tim [Owens] é um grande amigo meu, e ele fez coisas maravilhosas para o PRIEST. O PRIEST ainda era o PRIEST. O PRIEST continua. Felizmente, agora são oito cilindros barulhentos".

A entrevista completa (em inglês) pode ser vista no endereço abaixo.

Comente: Seu amor pelo metal mudou com o tempo?




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Judas Priest"Todas as matérias sobre "Rob Halford"


Rob Halford: a opinião do cantor sobre o vocal guturalRob Halford
A opinião do cantor sobre o vocal gutural

Judas Priest: K.K. Downing conta sobre a origem da rixa com o Iron MaidenJudas Priest
K.K. Downing conta sobre a origem da rixa com o Iron Maiden


Guitar World: as 50 melhores canções de Rock de todos os temposGuitar World
As 50 melhores canções de Rock de todos os tempos

Jim Carrey: batendo cabeça ao som de Cannibal CorpseJim Carrey
Batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse


Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre Diego Camara

Mais matérias de Diego Camara no Whiplash.Net.

adGooILQ