Grapow comenta nova formação do Masterplan

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por André Bueno C. Moura, Fonte: Lords Of Metal, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

A revista eletrônica holandesa Lords of Metal recentemente entrevistou o guitarrista Roland Grapow (Masterplan, ex-Helloween). Seguem alguns trechos da conversa.

857 acessosMasterplan: ouça recriação de "Escalation 666" do Helloween5000 acessosPiadas sobre músicos

Lords of Metal: Há algum tempo fiquei um tanto surpreso pela notícia de que [o cantor] Jörn Lande havia deixado o MASTERPLAN. Divergências musicais foram apresentadas como o motivo da separação, mas você não pode ser um pouco mais específico sobre o que levou a essa decisão?

Roland Grapow: Bom, antes de tudo, Jörn sempre reclamava, depois dos shows, que as coisas não estavam indo bem com ele. Em segundo lugar, nem sempre estávamos em acordo sobre as coisas que compúnhamos como uma banda. Por exemplo, quando terminávamos um álbum, meses depois ele dizia que as melodias eram em tons muito altos pra ele, que ele não poderia cantá-las bem ao vivo, que o direcionamento da banda não estava cem por cento a seu gosto, que o nosso material estava mal feito, e por aí vai. O estilo musical no qual nos encaixamos é, no entanto, importante para o MASTERPLAN. Já havíamos tentado resolver isso para o álbum “Aeronautics”, onde Jörn estava forçando a barra na direção de um heavy metal mais tradicional e direto. Ele nos achava muito progressivos e obscuros. Uli [Kusch, ex-baterista] e eu decidimos que queríamos manter nosso estilo, talvez voltando um pouco para o estilo do primeiro álbum. Então Jörn decidiu que não queria continuar na banda. Ele queria ir mais na direção de seus álbuns solo. Não me entenda mal, eu ainda gosto muito dele como cantor e ainda somos bons amigos. Acho que ele tomou a decisão correta, apesar de tudo, porque não é bom ter alguém na banda que está infeliz o tempo todo.

Lords of Metal: Claro que você sabia que não seria fáci encontrar um bom substituto, mas como você chegou ao Mike DiMeo [RIOT]?

Roland Grapow: Foi muito difícil e olhamos vários cantores. Queríamos fazer os shows agendados já com o novo cantor, mas isso era impossível, então ou cancelávamos os shows ou chamávamos Jörn para voltar e se apresentar conosco. Então Jörn cantou com a gente e foi muito legal. Estávamos tranqüilos e realmente gostamos do que estávamos fazendo. Depois daqueles shows, Mike entrou em contato comigo e eu me interessei, pois não o conhecia. Observei-o e descobri que seu estilo era bastante similar com o de Jörn – ele também é um cantor estilo-blues e isso é bom para o MASTERPLAN. Eu o elogiei primeiro sobre sua performance e então perguntei se ele estava interessado em cantar para o MASTERPLAN. Por sorte ele estava.

Lords of Metal: Não é difícil trabalhar com um cantor americano, já que ele vive do outro lado do mundo?

Roland Grapow: Não, na verdade não. Não é mais difícil do que trabalhar com um cantor norueguês. Hoje em dia realmente não há mais diferença entre você ser da Noruega ou dos Estados Unidos. O vôo leva só algumas horas a mais.

Lords of Metal: Como um resultado de sua entrada para o MASTERPLAN, Mike (teve que) saiu de sua antiga banda RIOT. Isso foi uma ação obrigatória porque você queria que ele se focasse no MASTERPLAN ou foi mesmo impossível combinar as duas bandas?

Roland Grapow: Certamente isso não foi pedido por mim. Na verdade, o RIOT anunciou outro cantor ao invés disso. Mike ficou surpreso por eles terem saído em turnê com um cantor diferente. Talvez para o RIOT, Mike se juntando ao MASTERPLAN tenha sido um motivo para procurar um substituto. Para nós não faria diferença se ele continuasse no RIOT. O RIOT está fazendo alguns shows na área de Nova York e as coisas seriam fáceis de conciliar. Eu disse a ele antes de tudo para não parar com nenhuma atividade, já que ganhar dinheiro nesse negócio também é importante e naquele tempo o futuro do MASTERPLAN está muito incerto. O mesmo com Mike Terrana. Quando ele entrou eu lhe falei que não saísse do RAGE, mas ele disse que queria sair do RAGE porque não podia mais trabalhar mais com aquela banda.

Lords of Metal: Você já mencionou a outra mudança na formação com Mike Terrana como o novo baterista. Por quê Uli saiu e por quê Mike entrou?

Roland Grapow: Mike Terrana é um velho amigo meu, então seu nome me veio à cabeça facilmente quando eu pensava num novo baterista. Primeiro eu só pedi a ele para ajudar enquanto ele estava em turnê com AXEL RUDI PELL. Ele me perguntou sobre o que tinha acontecido e quando eu contei que Uli havia deixado a banda ele disse que gostaria de ser o novo baterista do MASTERPLAN. Ele sempre gostou da banda. Eu o conheço bem e ele toca muito bem, então estou realmente feliz por tê-lo na banda.

Lord’s of Metal: Falemos um pouco sobre o novo álbum. Quando você começou os preparativos para o novo álbum e quanto tempo levou todo o processo? Mike DiMeo já era membro da banda durante o processo de composição?

Roland Grapow: Comecei a compor em Janeiro do ano passado, ainda pensando em Jörn nos vocais. Terminei por volta de seis ou sete músicas durante janeiro e fevereiro. Então tirei férias bem longas e em junho me encontrei com Uli para falar sobre as coisas que ele escreveu. Quando ele saiu, tive um encontro com Jan e Axel em setembro e decidi que não queria ter as músicas do Uli no álbum, já que ele não fazia mais parte da banda. Abrimos uma excessão para a música “Masterplan”, que achei muito boa para deixar de fora. Ainda não tínhamos material suficiente para o álbum, então escrevi “Keeps Me Burning”, “Watching the World” e “Warrior’s City”. Sobre a participação de Mike Dimeo no processo de composição: quando compomos, não escrevemos as linhas e melodias vocais. Então mandei tudo para Mike e ele escreveu as melodias e linhas vocais. A primeira tentativa dele não se encaixou muito bem ao material do MASTERPLAN, soava muito como RIOT. Aí começamos a trabalhar como um grupo para cada música e durante o processo ele entrosou e entendeu o estilo da banda. Naquele tempo eu me senti realmente seguro sobre o futuro da banda.

Leia a entrevista na íntegra no link abaixo.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MasterplanMasterplan
Lyric video de "The Chance", do Helloween

857 acessosMasterplan: ouça recriação de "Escalation 666" do Helloween1089 acessosMasterplan: adiado o lançamento do novo álbum0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Masterplan"

Power MetalPower Metal
As bandas mais populares segundo o Facebook

MasterplanMasterplan
Segundo Grapow, Jorn nunca fez nada pela banda

Uli KuschUli Kusch
"Michael Jackson utilizava ingredientes do Metal"

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Masterplan"

HumorHumor
Como você chama alguém que sai com músicos? Baterista!

Filhos de RockstarsFilhos de Rockstars
Qualquer coincidência é mera semelhança

Guns N RosesGuns N' Roses
A verdadeira história de "Rocket Queen"

5000 acessosCrianças: veja como cresceram as de "Nevermind", "War" e outras5000 acessosMetallica: prejudicando as finanças da Igreja Universal5000 acessosQueen: Uma das maiores coleções sobre a banda está no Brasil5000 acessosMelissa Reese: sua função no Guns N' Roses e reações dos fãs a ela5000 acessosFortuna: quem são os músicos mais ricos do Reino Unido?4220 acessosSteve Harris: o Avenged Sevenfold é uma das poucas bandas relevantes atualmente

Sobre André Bueno C. Moura

Estudante de 19 anos, Mineiro de Belo Horizonte, morou por um ano em Asköy, uma pequena ilha ao lado de Bergen, na Noruega. Fã de Iron Maiden e Bruce Dickinson, seu gosto vai da música erudita ao Black Metal; seus grupos/compositores favoritos são bem variados, passando por Black Sabbath, Masterplan, Sonata Arctica, Jethro Tull, Megadeth, Arch Enemy, Chico Buarque, Elis, Beatles, Dio, Deep Purple, Judas Priest, Scorpions, Schubert, Grieg e o bom e velho Tchaikovsky.

Mais matérias de André Bueno C. Moura no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online