Victoria - Entrevista exclusiva

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos


A banda Victória vem da cidade de Poços de Caldas, sul de Minas Gerais, e vem se destacando no cenário nacional, tocando em várias cidades da região, além de ter tocado em outros estados. A banda já fez algumas participações importantes, como a abertura para o Angra e a participação do show tributo a Viper e Angra ocorrido na capital paulista e que contou com outros nomes importantes do metal nacional. Conversei com o vocalista Jean Nastrini que contou muitos detalhes sobre a banda além de muitas outras coisas.

Marcelo Maiden: Uma impressionante coleção de ítens do Iron MaidenFãs de Rock: você conhece o estilo de se vestir de cada um

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Entrevista e fotos por Luiz Correra: luizcorrera@uol.com.br

Whiplash! : Jean, para começar conte-nos um pouco da trajetória do Victória.

Jean Nastrini / O Victória foi "oficializado" em Dezembro de 1996. Nosso primeiro show rolou no dia 01/02/1997 em Pouso Alegre e o set list foi todo de músicas próprias. O que nos surpreendeu foi que a galera aceitou muito rápido nossas músicas ! Com apenas 6 meses ficamos em 3. Lugar em um festival nacional de bandas realizado em Poços de Caldas que contou com mais ou menos 40 bandas. Além de termos sido convidados para abrir um dos últimos shows da "Holy Tour" do Angra em Pouso Alegre. Bom, acho que para uma banda que nasceu em uma pequena cidade do interior de Minas Gerais e que nem mesmo lançou uma demo-tape, conseguimos realizar grandes "façanhas" como ganhar o FECA (Festival da Canção de Americana). Porra cara, foram quase 2 centenas de bandas inscritas, a maioria com CD lançado e nós enviamos apenas uma fita VHS. Ficamos super felizes com essa conquista e também com a segunda vez que abrimos para o Angra em 03/07/1999 na nossa cidade, Poços de Caldas. Fora tudo isso já rolou muita coisa, mas se eu for contar tudo não vai ter espaço para mais nada !

Whiplash! : Quais os principais compositores da banda ?

Jean Nastrini / Olha, o Victória é um projeto meu. As composições existente assim como os arranjos instrumentais fui eu que compus e arranjei. Apenas o teclado, que embora já existissem, foram timbrados pelo Laguna, assim como há algumas idéias dele nas músicas. Mas o que realmente eu quero é uma banda onde todos dividam suas idéias para as composições e também para todas as outras "correrias" que a banda exige. Assim poderíamos ter uma formação mais estável. O Vandré tem algumas músicas muito boas compostas e também existe uma música do Laguna que gostaríamos que entrasse no CD, mas com sua saída da banda teremos que negociar ainda isso.

Whiplash! : Quais suas principais influências como vocalista e como compositor ?

Jean Nastrini / Hun.... bem, como vocalista eu diria nomes como David Byron, Morten Harked, Fred Mercury, Geoff Tate, André Matos e Flávio Ventirini. Já nas composições, cresci ouvindo Rush, Yes, Frank Zappa, Black Sabbath, Uriah Heep, Marillion, dos anos 80 e 90 eu diria Journey, Kansas, Helloween, Pantera, Death, putz é muita coisa ! (risos) Fora Hermeto Paschoal, Villa Lobos e clássicos muito loucos como Bartok ! Procuro extrair a essência de muita coisa e não "clonar" como muitas bandas fazem. Eu diria que o Victória é uma banda de Prog. Classic nem muito complicada nem demasiadamente metal melódica, que apesar de ouvir e gostar de algumas bandas, a formula está bastante desgastada.

Whiplash! : Um fato importante na sua carreira foi ser finalista para substituir André Matos no Angra. Conte-nos o que de fato aconteceu e a importância que isso teve para você.

Jean Nastrini / Bem, na verdade quem enviou o material para o Rafael Bittencourt foi o Vitão (baterista do Victória). Já o conhecíamos pois já havíamos tocado com o Angra e na época que eles estavam em fase de testes para o posto de vocalista. Nessa época eu estava em São Paulo com a banda para alguns ensaios e o encontramos no Souza Lima. Ele me convidou a gravar um teste. Falei para ele do fato que mais me preocupava, a falta de experiência.... sei lá cara, achei melhor não arriscar pois substituir o André é algo extremamente complicado, pois além dele ter uma enorme experiência seu carisma é algo impressionante !!! Resumindo, o mineirinho aqui preferiu se resguardar para as gravações com o Victória. Pois além de tudo quero que as pessoas conheçam minha voz pelo meu trabalho.

Whiplash! : Vocês participaram do Metal Heroes Tribute, um show tributo a Angra e Viper ocorrido aqui em São Paulo. Como foi esse show e de que forma ele foi importante para vocês ?

Jean Nastrini / Cara, foi super legal !!! O próprio André parabenizou a gente e acho que conseguimos agradar a galera, pois até então éramos a zebra da noite (risos) pois alem de não termos CD lançado tivemos a responsabilidade de tocar músicas como Carolina IV, Z.I.T.O., Wings of Reality e Stand Away. Aliás, Stand Away é na minha opinião a música mais difícil do Angra para se tocar ao vivo. Acho que o saldo final desse show foi muito positivo, e acredito que todas as bandas tiveram muito prazer de tocar nessa noite !

Whiplash! : O tecladista Fábio Laguna recentemente foi contratado pelo Angra para tocar ao vivo. Ele deixou o Victória ou irá levar as duas bandas paralelamente ?

Jean Nastrini / (pensativo)... Essa questão tem gerado muita confusão. Na verdade ele já não estava no Victória quando foi convidado a tocar no Angra, mas acredito que esse convite já deveria ter rolado a algum tempo.

Whiplash! : Como assim deveria ter rolado o convite?

Jean Nastrini / Quando entrei em contato com a (gravadora) Megahard a respeito da pré produção do Victória, falei a respeito do Fábio para o Márcio, que em seguida foi procurado pelo mesmo para a distribuição do seu CD solo. Nesse período o Márcio da Megahard apresentou o Aquiles Prister para o Fábio, que foi então convidado a gravar o CD Inside Your Soul do Hangar e a fazer alguns show como músico contratado. Acredito que essa amizade facilitou ele ira para o Angra, além do tributo onde o Fábio demosntropu que poderia tocar as múicas do Angra. Estou contando isso tudo pois sei que a galera não sabe de tudo o que aconteceu e tenho recebido muitos e-mails perguntando a esse respeito.

Whiplash! : Você acha que o fato de vocês demorarem a lançar o disco pode ter influenciado ele a tomar tais decisões ?

Jean Nastrini / Talvez cara ! Mas para gravar é preciso de muito investimento e esse é o problema que está acontecendo com a banda. Muita cobrança dos integrantes, mas "correria" para agilizar grana para gravar nada ! Sei que temos que lançar o trabalho logo, mas você num acha complicado tudo nas costas de uma pessoa só para correra atrás de tudo, bancar o CD sozinho e ainda ter de dividir tudo por igual depois ? É por isso que ainda não temos material na praça.

Whiplash! : Bom, então ele realmente está fora do Victória, correto?

Jean Nastrini / Sim, tivemos uma conversa e ele realmente decidiu sair da banda. Mas sem ressentimentos, desejo toda sorte para ele e espero ainda poder tocar com ele, nem que seja como músico contratado.

Whiplash! : Após a saída do Laguna e de outros componentes da banda falou-se muito que o Victória teria acabado, principalmente devido a vocês terem dado uma desaparecida do meio. Inclusive você abandonou suas aulas aqui em São Paulo. O que aconteceu ?

Jean Nastrini / Olha Luiz foi uma boa pergunta. Ao mesmo tempo que é difícil, pois é um assunto delicado pra mim. A maioria das Pessoas não sabe, mas estou em tratamento médico. Há um certo tempo estava mal, mas não sabia o que era, e acabei descobrindo que era inicio de depressão. Perto do último show realizado pela banda em São Paulo no Fofinho eu estava tendo uma recaída "brava". Inclusive no final do show passei mal e abandonei o palco. Desde o final de outubro tive de abandonar tudo em São Paulo e quase fui internado na minha cidade. Não tenho o menor constrangimento em falar sobre isso e peço desculpas a todos os meus alunos e especialmente ao Alaor Neves (proprietário do COM - Centro de orientação musical) pois eu estava ministrando aulas nessa escola e de uma hora para outra simplesmente "pifei" cara !!! Afastei-me por quase 4 meses de São Paulo, estive em tratamento e agora estou pronto para encarar minhas responsabilidades novamente. Inclusive já tem uma galera legal para começar a fazer aulas, e que estão me dando uma grande força. Agradeço a todos, e prometo não "fundir o motor novamente".

Whiplash! : Mas você ainda está em tratamento ?

Jean Nastrini / Sim ainda estou em tratamento, mas já está quase no fim, depois resta apenas um acompanhamento. Como disse é uma fase superada ! Voltarei a ativa mais forte do que nunca !! Porra, olha o nome da banda !! (risos)

Whiplash! : Você falou do show realizado em São Paulo, comente sobre ele e sobre as partições especiais que houve.

Jean Nastrini / Todos esses músicos que participaram do nosso show provaram que além de grandes músicas são pessoas sensacionais e provaram isso unindo-se a essa pequena banda que é o Victória, transformando a gente em uma grande banda... tanto que não cabia todo mundo no palco ! (risos)... Marcello Nunes (Ópera), Felipe Andreoli (Angra), Ronaldo Simolla (Hybreed, Ex-Delpht), Hugo e Luis Mariutti (Shaman), Arnaldo Ricci (Motorblues, e que da próxima vez num escapa!), Marcos de Ross (Akashic), Thiago Bianchi (Karma), muito obrigado e espero que todos tenham se divertido naquela noite. Pois esse é o ideal do Victória, levar energia a alegria ao público sem aquele lance de disputa, afinal todos nós fazemos o show !

Whiplash! : O fato de vocês serem de Poços de Caldas traz alguma dificuldade na parte de divulgação ?

Jean Nastrini / Não acho q a maior dificuldade é não termos CD lançado. Mas apesar disso, muita gente conhece a gente e sempre está atrás de material nosso, tanto que nossa pagina na internet já teve mais de 60 mil visitas.

Whiplash! : E Vocês estão trabalhando em algum material para a banda?

Jean Nastrini / Sim estamos. Apesar de algumas dificuldades como a falta de ensaio . Mas se tem um cara que tem sido um grade "brother" esse cara é o Ricardo Confessori.... ele sabe das nossas dificuldades e nos colocou a disposição o seu estúdio particular para gravarmos a bateria. Sei lá cara, se der até gravamos a demo toda lá. Tenho muito a agradecer ao Ricardo e a esposa dele que nos tem dado muito apoio e incentivo. Espero que ele leia essa entrevista e saiba que torço muito por você e pelo Shaman que sei que irá colocar o metal nacional mais uma vez no topo.

Whiplash! : Para finalizar gostaria de deseja tudo de bom para vocês ! Deixe seus comentários finais.

Jean Nastrini / Galera, lutem pelos seus ideais, acredite nos seus projetos e acima de tudo tenha fé em Deus, pois cada um tem o que merece. Mesmo que o Victória não "estourar" em sucesso, agradeço tudo o que vivi tocando esse estilo tão criticado e maravilhoso que é o Metal !Posso até morrer pobre, mas feliz e certo de que cumpri minha missão! Agradeço a todos os que nos apoiaram, e também àqueles que de alguma forma nos derrubaram, pois cada vez que caímos, nos levantamos mais fortes e mais preparados para enfrentar a vida. Obrigado a você Luiz, à Fabiana Cardoso, Márcia Ito, João Paulo, Celso e toda a galera dos Fan Clubes do Shaman e do Angra. Geoff Martin num esqueci de você não cara !!! E aguardem que até 2030 sai o CD !!! (risos)

Official Home Page: http://www.victoriametal.cjb.net/

Contatos com Jean: jean_nastrini@hotmail.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Victoria"


Marcelo Maiden: Uma impressionante coleção de ítens do Iron MaidenMarcelo Maiden
Uma impressionante coleção de ítens do Iron Maiden

Fãs de Rock: você conhece o estilo de se vestir de cada umFãs de Rock
Você conhece o estilo de se vestir de cada um


adClio336|adClio336