A história que ninguém contou: o corpse paint é nordestino!

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Israel Galvão, Fonte: São os Tiras
Enviar correções  |  Comentários  | 

Publicado originalmente no São os Tiras.

5000 acessosIron Maiden: fatos estranhos na gravação de The Number Of The Beast5000 acessosMetallica: os fantasticos carros de James Hetfield

Engana-se quem imagina o Nordeste como aquela terra árida, retratada nas obras regionalistas ou no cinema de Glauber Rocha. A região mais conhecida do Brasil, ofereceu sua contribuição para outras outras artes. Uma delas é o Rock. Especificamente o Black Metal. Gênero musical cultuado em terras europeias e caracterizado pela ênfase as religiões pagãs e o satanismo entre outros temas.

Coloco em segundo plano o tutano musical do Black Metal. Sou desprovido de conhecimento suficiente para delimita-lo. Meu interesse é a apresentação visual dos cultores do estilo. Nosso foco é o Corpse Paint, pintura facial utilizada pelos músicos do gênero. Consiste em maquiar o rosto e deixar a fisionomia com o aspecto de um cadáver. As cores são o preto e o branco. Per Yngve Ohlin, vocalista da banda norueguesa Mayhem, é o pioneiro na utilização do Corpse Paint em shows.


Constantino Leite Moisakis (1925-1986). Apresentado formalmente ninguém saberá quem é o distinto senhor. Posso dar uma pista. A voz dele pode ser ouvida na música "A cidade", de Chico Science & Nação Zumbi. Lembrou? Sim. Trata-se do nome de batismo do "Velho Faceta". Personagem da cultura popular nordestina. O "Velho" foi o grande difusor do folguedo chamado Pastoril Profano. Vertente transgressora do Pastoril Infatil ou Lapinha. Este último homenageava a Imaculada Conceição, Menino Jesus e grande elenco. O Pastoril Profano - também chamado de Pastoril de Ponta-de-Rua e outras titulações menos enobrecedoras - conforme o nome, tem inspiração na Lapinha, mas adiciona o sexo e a zombaria. Ressalva, Faceta é o mais conhecido brincante do Pastoril. Deixamos de lado os outros adeptos dessa manifestação. Mesmo assim, a contribuição dos anônimos é importantíssima para o universo pastoril-profanesco.

O sexo é essencial para a vida na Terra. Para prolongar a vitalidade dos seres e dar leveza à existência. É impossível existir praticando somente aquele pecado que o Papa condena e provoca espinhas. A Igreja do Vaticano não percebeu (e nem percebe) isso. O ato de fornicar é para perpetuar a existência do homem e da mulher, e só. A turma do Pastoril Profano, sabia o quanto essa ideia é falsa. E tratou de "ressignificar" a Lapinha. O Pastoril de Jornadas Soltas era um convite à iniciação sexual dos jovens. Onde o sexo está presente, o escárnio tá pertinho. Uma das atribuições desse festejo, além do contraponto a Lapinha, é zombar dos apreciadores da brincadeira.

Toda forma de arte, tem sua caracterização (roupa, maquiagem, gestos). O Velho Faceta alegremente deu sua contribuição à fúria do Black Metal. Sr. Moisakis é o precursor do Corpse Paint. Os metaleiros europeus notaram a originalidade e o imitaram. As cores preto e branco estampavam o rosto de "Seu Faceta", e amendrontavam a caretice da Igreja de Roma. O Black Metal deve inúmeras homenagens ao sr. Moisakis. Nunca ouvi uma música do Burzum, Mayhem a louvar o ilustre nordestino. A cultura nordestina e o Velho Faceta foram injustiçados pelo Black Metal.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Curiosidades

Iron MaidenIron Maiden
Fatos estranhos na gravação de The Number Of The Beast

MetallicaMetallica
Os fantasticos carros de James Hetfield

Corey TalorCorey Talor
"Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"

5000 acessosSeparados no nascimento: James Hetfield e o Leão Valente5000 acessosAs regras do Viking Metal5000 acessosRhythm: os bateristas mais influentes de todos os tempos5000 acessosMax Cavalera: comparando a cena metal de hoje com a de 30 anos atrás5000 acessosMax sobre reunião: "Falei pro Andreas 'vamos fazer esta porra, cara'"4695 acessosKerry King: essa é a última versão do Slayer que as pessoas verão

Sobre Israel Galvão

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online