Alice Cooper: "Constrictor" marca seu retorno triunfal em 1986

Resenha - Constrictor - Alice Cooper

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Neimar Secco
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Depois do ostracismo vivenciado no início dos anos 80 e de mais alguns anos de reclusão do cenário musical, Alice Cooper elaborou seu triunfal retorno em 1986.
1695 acessosGuns N' Roses: visita dos músicos a Jerusalém é cancelada5000 acessosRob Halford: "Talvez eu seja o único Gay vocalista de Metal"

Inspirado pelo sucesso de alguns ‘discípulos’ e das novas bandas de ‘hair metal’ ou posers, como se convencionou chamar por aqui, tais como: Poison, Bon Jovi, Twited Sister, Ratt, Motley Crüe, Alice tomou carona nessa onda para avisar: O Homem Por Trás da Máscara está de volta!

Cansado de dar murro em ponta de faca, Alice Cooper deixou de lado seus experimentalismos sonoros do início da década e, já recuperado do alcoolismo, ‘convocou’ o produtor Beau Hill, (mais conhecido por seu trabalho com o Ratt) e o ‘rambo’ guitarrista Kane Roberts, que, se não tinha ainda um vasto currículo de serviços prestados ao rock, tinha a habilidade necessária como músico e o físico que chamaria a atenção do público nos shows da THE NIGHTMARE RETURNS TOUR.

Kane Roberts - The Nightmare Returns tour
Kane Roberts - The Nightmare Returns tour

CONSTRICTOR chama a atenção pela capa, uma das mais emblemáticas da carreira de Alice Cooper. O álbum abre com a ótima “Teenage Frankenstein”, uma música que traz tudo na medida certa: uma introdução excelente com som de trovões e chuva, seguido pela guitarra de Kane Roberts e a bateria de David Rosenberg. O vocal de Alice, o refrão, tudo aqui é muito bem feito, bem gravado. “Teenage” merecia ter sido um hit muito maior do que foi, se é que o foi.

As faixas seguintes do álbum alternam bons momentos com outros abaixo da média, pelo menos, se comparados com a faixa de abertura. “Give It Up” e “Thrill My Gorilla” são até divertidas, mas se perdem um pouco na falta de pique de seus arranjos, em que pese as boas intervenções dos solos de Kane Roberts em “Give It Up”. CONSTRICTOR é, intencionalmente, um álbum sem um tema principal, como alguns dos anteriores, especialmente DADA. Aqui, Alice se dá o direito de fazer um disco de hard rock padrão, visando o mercado, no que ele estava certo. Havia muito terreno e tempo a ser recuperado. Uma nova legião de fãs a conquistar.

“Life And Death Of The Party” é uma boa música em todos os campos: um vocal mais marcante de Alice, um solo bem executado de Kane Roberts, e a “cozinha” desempenhando com competência seu papel. “Simple Disobedience” traz o velho Alice Cooper transgressor e questionador de regras vigentes dando um olá à nova geração.

A segunda metade de CONSTRICTOR começa com “The World Needs Guts”, mais uma vez, destaque para a guitarra de Kane Roberts, o refrão e a boa letra da música. O que incomoda, pelo menos a mim, nesse trabalho é o som ‘opaco’ da bateria de David Rosenberg e as nem sempre bem-vindas intervenções dos teclados de Paul Delph. Muitas vezes o som do álbum soa um tanto ‘anêmico’, e você se pergunta onde está guardada a energia potencial que parece não fluir. Isso fica mais explícito em “Trick Bag”, que tem um bom refrão, um bom vocal de Alice, mas na qual parece que aquele som 'tímido' da bateria e do teclado dominam até Kane Roberts voltar a salvar a música. “Crawlin’” também é divertida, com um refrão contagiante. Poderia ter sido um hit em rádios. “The Great American Success Story” chama mais atenção pelo título que pelo conjunto da obra, no qual o bom refrão e as intervenções de Kane Roberts novamente nos salvam de uma música comum demais.

CONSTRICTOR fecha tão bem quanto abrira, agora com “He’s Back (The Man Behind The Mask)”, tema de “Sexta-Feira 13, part VI”.

O melhor legado de CONSTRICTOR é ter trazido Alice Cooper de volta ao cenário roqueiro e, principalmente, aos palcos. O Mestre do ‘Shock Rock’ ainda nos brindaria com muitas coisas boas que estavam por vir.

NOTAS:
Lançamento: 22/09/86

FAIXAS:
01 Teenage Frankenstein (Cooper, Roberts) [3:36]
02 Give It Up (Cooper, Roberts) [4:12]
03 Thrill My Gorilla (Cooper, Roberts) [2:55]
04 Life And Death Of The Party (Cooper, Roberts) [3:40]
05 Simple Disobedience (Cooper, Roberts) [3:29]
06 The World Needs Guts (Cooper, Roberts) [3:57]
07 Trick Bag (Cooper, Roberts, Wagener) [4:12]
08 Crawlin'(Cooper, Roberts) [3:18]
09 Great American Success Story (Cooper, Roberts, Hills) [3:30]
10 He's Back (The Man Behind The Mask) (Cooper, Roberts, Kelly) [3:44]

Musicians
Kane Roberts - Guitar, Bass, Keyboards, Vocals, Drums
David Rosenberg – Drums
Donnie Kisselbach – Bass
Kip W(r)inger – Bass
Paul Delph - Keyboards, Backing Vocals ('He's Back')
Tom Kelly - Backing Vocals ('He's Back')
Beau Hill - Backing Vocals

FICHA TÉCNICA:
Produced by Beau Hill and Michael Wagener ('He's Back')
Engineer: Stephen Bebben
Recorded at Atlantic Studios, New York and Amigo Studios, Los Angeles ('He's Back')
Mixed by Michael Wagener
Assisted by Garth Richardson

The Tour: "The Nightmare Returns Tour"
Kane Roberts – guitar
Devlin 7 (Arthur Funaro)- guitar
Ken Mary – drums
Kip Winger III – bass
Paul 'Horrors' Horowitz – keyboards

Setlist:
01 Welcome to My Nightmare
02 Years Ago - Billion Dollar Babies
03 Years Ago - No More Mr. Nice Guy
04 Be My Lover
05 I'm Eighteen
06 The World Needs Guts
07 Give It Up
08 Cold Ethyl
09 Only Women Bleed
10 Go to Hell
11 Ballad of Dwight Fry
12 Teenage Frankenstein
13 Sick Things
14 I Love the Dead
15 School's Out
16 Elected
17 Under My Wheels

Participações especiais - Brian "Renfield" Nelson (o fotógrafo em Detroit), Sylvia Dohi (Dancer), Linda Albertano (a Executora), Tracey Dea (a fotógrafa).

CURIOSIDADES:
No ano anterior (1985) Alice ‘ensaiou’ seu retorno, participando do álbum COME OUT AND PLAY do Twisted Sister na faixa "Be Chrool to Your Scuel" . Dee Snider ‘divide’ o clipe dessa música com Alice Cooper, devidamente caracterizado com a maquiagem que o consagrou.

Dee Snider, do Twisted Sister, e Alice Cooper
Dee Snider, do Twisted Sister, e Alice Cooper

Um título cogitado para o álbum foi ‘AWAKE FOR THE SNAKE’, algo como “Acorde para a cobra”. O show da noite de Halloween de 1986 foi realizado em Detroit, terra natal de Alice e lançado em VHS, com relançanto em DVD. O Guns N’ Roses, em início de carreira, chegou a abrir alguns shows dessa tour.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 11 de junho de 2014

Guns N RosesGuns N' Roses
Visita dos músicos a Jerusalém é cancelada após ataque terrorista

1446 acessosLoudwire: em vídeo, os 10 maiores riffs de metal dos 80's1588 acessosFabio Lima: 13 músicas pelo Guns N' Roses0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Guns N' Roses"

Axl RoseAxl Rose
No dia do aniversário, fotos de 1984 a 2015

SlashSlash
Guitarrista adora tocar músicas antigas do Guns N' Roses

Axl RoseAxl Rose
Vocalista critica policia de Utah por morte de cachorro

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Alice Cooper"0 acessosTodas as matérias sobre "Guns N' Roses"

Rob HalfordRob Halford
"Talvez eu seja o único vocalista gay de Metal!"

Lemmy KilmisterLemmy Kilmister
A vida dele fazia Keith Richards parecer uma menininha

Guitar HeroGuitar Hero
Veja como o jogo desgraçou uma geração inteira

5000 acessosSeparadas no nascimento: Pitty e Amy Winehouse5000 acessosA polêmica origem do termo Heavy Metal5000 acessosIron Maiden: ouça o baixo de Steve Harris isoladamente5000 acessosLegião Urbana: Marcelo Bonfá explica performance ruim no celular5000 acessosFoo Fighters: os álbuns da banda, do pior para o melhor5000 acessosBillboard: As bandas mais bem pagas desde 1990

Sobre Neimar Secco

Welcome to my nightmare. Sou professor de inglês e de português e também tradutor eventual. Rock sempre foi e continua sendo a minha trilha sonora de todas as horas. Minhas preferências são hard rock, progressivo e classic rock em geral (anos 60, 70 e 80). Bandas favoritas: Alice Cooper, Led Zeppelin, Black Sabbath, Ozzy Osbourne, Pink Floyd, Beatles, Creedence, The Doors, Dire Straits, entre muitas outras.

Mais matérias de Neimar Secco no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online