Body Count: causou barulho ao misturar Rap com Thrash Metal

Resenha - Body Count - Body Count

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Noé de Souza
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


No final dos anos 80 e começo dos anos 90, o Rap tomou conta da música em geral. Seja nas rádios, nas vendagens, na moda ou nos noticiários. Porém, o que ninguém imaginava é que o Rap também fazia par com o Rock. Run DMC se juntou com o Aerosmith para regravar Walk This Way, retomando a carreira da banda, que andava meio apagada. Depois, o Public Enemy gravou Bring The Noise com o Anthrax, que não fez feio com o EP I'm The Man (1987).

Wacken 2019: assista shows de Opeth, Demons & Wizards e maisRock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os tempos

Todos esses registros foram fundamentais para o surgimento do Rap Metal (muito antes do New Metal). E a primeira banda a dar cabo foi o Body Count. Formado pelo rapper Ice T (Tracy Marrow), a banda causou barulho ao misturar os riffs de Thrash Metal com as frases de efeito do hip hop. Conhecido por ser um dos primeiros gangsta rap da época, Ice T fez barulho ao gravar a música Cop Killer, em que critica o sistema policial, além do abuso da violência.

Com essa música, o governo ordenou que as primeiras cópias de Body Count fossem recolhidas, além do protesto dos policiais americanos. Com isso, a alta exposição fez com que o BC fosse conhecido também no Brasil.

Com o auxílio de seu parceiro Ernie C. (guitarra), o disco auto-intitulado possui 17 marretadas (sem o citado Cop Killer), com algumas introduções como Smoken Pork, no qual Ice T dialoga com seu inimigo e dá um tiro. Esse é o começo para Body Count's In The House explodindo os autofalantes. Essa música fez parte da trilha sonora do filme Soldado Universal.

O disco possui três faixas com o nome da banda - Body Count (com solos de bateria e guitarra) e Body Count Anthem (boa para pogar). Vooodoo, KKK Bitch, Bowels in the Devil e Evil Dick (com vozes de transa) são destaques, sem falar dos riffs maravilhosos de There Goes the Neighborhood. Ernie C. bota a mão em C Note e The Winner Loses. Body Count fecha com Freedom of Speech, com a participação do Jello Biafra (Dead Kennedys) e sampler de Foxy Lady (Jimi Hendrix).

Até hoje, Ice T pode ser visto na série Law & Order SVU. Mas, até hoje ele continua com sua carreira musical.

Formação:

Ice T - vocal
Ernie C. - guitarra
D-Roc the Executioner - guitarra
Mooseman - Baixo
Beatmaster V - bateria

Tracklist:

1-Smojekn Pork
2-Body Count's in The House
3-Now Sports
4-Body Count
5-A Statistic
6-Bowels In The Devil
7-the Real Problem
8-KKK Bitch
9-C Note
10-vooodoo
11-The Winner Loses
12-There Goes the Neighborhood
13-Oprah
14-Evil Dick
15-Body Count Anthem
16-Momma's Gotta Die Tonight
17-Ice T/Freedom of Speech

Confiram os vídeos abaixo - Body Count's In the House:

There Goes The Neighborhood:

The Winner Loses:

A faixa Cop Killer, que não consta no disco:




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Body Count"Todas as matérias sobre "Icet"


Wacken 2019: assista shows de Opeth, Demons & Wizards e mais da quinta e sextaWacken 2019
Assista shows de Opeth, Demons & Wizards e mais da quinta e sexta

Rock And Roll Hall Of Fame: 10 bandas elegíveis para 2018Rock And Roll Hall Of Fame
10 bandas elegíveis para 2018

Nu-Metal: 10 trabalhos que definem as raízes do gêneroNu-Metal
10 trabalhos que definem as raízes do gênero


Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposRock Progressivo
As 25 melhores músicas de todos os tempos

Linkin Park: 20 coisas que você não sabe sobre a bandaLinkin Park
20 coisas que você não sabe sobre a banda

Manowar: o dia em que a banda arregou pro Twisted SisterManowar
O dia em que a banda arregou pro Twisted Sister

Fotos de Infância: Yngwie MalmsteenMetallica: ouça apenas o baixo de Cliff Burton em clássicosEddie Vedder: "Coloquei a minha mão na bota dela e ela chutou o ar na hora"Eric Clapton: veja Ferrari de US$4,8 milhões do guitarrista

Sobre Rodrigo Noé de Souza

Nasci em 1984. Esse ano não é só o início de uma nova democracia, mas também é o ano em que vários discos foram lançados, como Powerslave (IRON MAIDEN), Stay Hungry (TWISTED SISTER), W.A.S.P., Don't Break The Oath (Mercyful Fate), Slide It In (WHITESNAKE), 1984 (VAN HALEN), The Last In Line (DIO) e, o meu favorito de todos, Ride the Lightning (METALLICA). Sou um aficcionado por Metal, desde AC/DC e ZZ Top, até Anaal Nathrakh e Krisiun. Sou Jornalista, blogueiro, facebookeiro, o que for. Quem quiser saber o que eu escrevo, acessem meu blog: www.esporropublico.zip.net.

Mais matérias de Rodrigo Noé de Souza no Whiplash.Net.